O 1º grande tombo

#21
O maior foi possivelmente na Esmaltina prai com uns 12 anos.
O meu pai tinha-me montado um conta km na bike, ia a descer a rua (a ver a velocidade obviamente) qd surgiu do nada um daqueles candeeiros de betao com alguns 15 metros
A unica mazela foi uma esfoladela num ombro, mas o aparato parecia o de uma colisao entre 2 comboios
 
D

Dinis Silva

Guest
#22
Bom tópico!
Quando era pequeno era um daqueles meninos que era muito traquina e que partia tudo e partia me todo!
Uma vez saide casa nessa altura com um bmx das antigas com um amortecedor ao meio foi a casa da minha tia ao chegar perto da casa da minha tia lembro me que não tinha travões e a descida era grande fui sempre e esperei que a bike para se o mal foi que ate ela parar foi preciso passar por cima de um degraus, por cima de uma ceve de jardim e uma mesa de pedra resultado os dentes da frente partidos (que valeu ainda eram os de leite)!
Agora com quinze anos decidi iniciar me no BTT e já cai 2 vezes mas não me aleijei a bike e que não pode dizer o mesmo.
 
#23
Como qualquer artista de meia tigela, quando era novo mandei uma espeta de que ainda hoje me lembro e bem! Numa rua a descer para a minha casa, com uma ligeira curva para a esquerda, vinha entusiasmado a esticar a velocidade! Tinha aprendido a "puxar" de pé à pouco tempo e pus-me a olhar para o chão tal e qual um sprinter à chegada. Mas esqueci-me da curva, e assim que olho para a frente, já estou em cima do lancil do passeio, que galguei, e fui contra um muro com cerca de meio metro de altura que dava para o recreio (desnivelado) de uma escola. Resultado, um voo lá para dentro, já que a bicicleta parou no muro. Não sei se teria sido melhor ter batido contra um muro ou se foi melhor ter caído lá para dentro. Mas seja lá como fôr, sobrevivi! Com o orgulho ferido mas sobrevivi! hehehe

De resto, há um par de meses, a fazer estrada, mandei um malho na marginal que foi bastante aparatoso, mas sem grandes consequências. Felizmente, quando a corrente saltou para fora do prato maior, não havia automobilistas por perto, senão talvez tivesse sido outra história! Enfim, coisas que acontecem a quem anda de bicicleta!
 
#24
Boas companheiros,
Parabens pelo topico, ja dei uns quantos uma vez que começei a andar mais afincadamente ha cerca de 4-5anos de bike, mas ontem dei o meu primeiro à seria em estrada, mudei o pneu da frente e arranquei para o treino diario, na primeira curva a cerca de 100 metros de casa ia a cerca de 40km/h e zás o pneu da frente parecia manteiga, segundo uns colegas mais experientes devemos sempre tirar a goma do pneu antes de andar quer seja com cautela nas primeiras voltas quer seja com limpeza (uma esfrega ). Resultado ombro braços maos e anca, queimados e uns kg de pele a menos....
Abraço e boas pedaladas....
 
#25
O meu maior tombo foi o ano passado, tinha uma bike normal de forqueta e na rua de minha casa tem um descida grande so que a meio da descida tem a tal rua onde moro e então tinha o vicio de a subir e depois descer, certo dia fiz isso já de noite não sei como esquecime de por o pedal direito para cima para não bater com ele no chão mas como me esqueci bati e que grande tombo pus-me a pé a coxear mas como se não se tivesse passado nada, chego a casa vou a casa de banho, resultado joelho cheio de sangue em carne viva e cheio de cenas pretas do alcatrão.
O Problema era dormir aquela porcaria colava aos lençõis e ficava tudo cheio de sangue, o que vale e que nessa noite a minha mãe nem deu por ela pois estava a ver TV e eu a disfarçar muito bem como se não se tivesse passado nada, não deu por ela até ao dia seguinte :p
 
#26
Felizmente nunca dei aquele 'tombo', embora já tenha ficado pelo chão mais do que uma vez e a bike a voar por cima!

Mas, pela inacreditável coincidência, conto um engraçado:

Antes de aderir ao BTT, tinha uma bicicleta de estrada. Comprei as peças e montei-a numa loja, que eu não percebia pevide daquilo.
Um dia, aliás, era já quase noite, pus-me a descer em alta velocidade numa artéria Lisboeta. Àquela hora, já havia muito movimento de regresso a casa e no final da descida, bem antes do sinal, já estava tudo parado. Ora eu sabia aonde era o sinal (a seguir a uma curva larga), por isso ainda pensava ter espaço para travar.

Não tinha.

Também não consegui desviar-me porque via umas luzes atrás de mim e ainda pensei: "antes ficar em cima de um carro, do que debaixo de um!" E lá fui eu.

Felizmente já tinha reduzido a velocidade o suficiente para que o choque não fosse mau, e, como era uma roda de bicicleta de estrada, dobrou toda contra o pára-choques (naquele tempo de metal) acabando por absorver o resto do impacto, por isso nem sequer sofri um arranhão.

E adivinhem quem sai do carro para ver o que tinha acontecido atrás dele, no meio de Lisboa, a uma hora qualquer de um qualquer dia?
:exacto:

O mecânico da loja que me montou a mesmíssima bike que agora tinha chocado contra ele!!! Dá para acreditar?
E, obviamente, o mesmo que a reparou depois.

Ele há coincidências...
:eek:
 
#28
Boas,

As minha grandes quedas...

13 anos downhill velocidade a mais ao dar saltos numa pedreira abandonada, era suposto dar dois saltos, mas com a velocidade que levava saltei o primeiro e bati com a roda de tras na ponta do segundo, resultado, a gravidade puchou a roda da frente para baixo e 1.30 de alturam que me partiram a clavícula direita, ainda hoje não esta grande coisa, porque infelizmente "colou" mal, então tenho menos 1cm no ombro.

2º grande queda, foi no campeonato nacional de ciclismo quando era cadete, ia na segunda fila do plutão a cerca de 45kmh quando o jovem que ia à minha frente se desvia não sei do que e me toca com a roda de trás dele na minha da frente... Resultado? Cai e caiu-me o plutão todo em cima.. :S
Felizmente foram só arranhões para todos, ninguém ficou mal, expeto alguma bikes, como a minha que foi para jogar fora quase, garfo, quadro e os dois aros ficaram empenadíssimos. :S


E pronto foi isto...
 
#29
Tirando as quedas de bmx, a pior até hoje que tive foi a descer para a lagoa azul em Sintra!!! Numa curva sai do trilho, bati numa árvore que tinha caído e fui alguns 2 metros pelo ar. Aterrei no chão sentado, roda empenada e ainda alguns km pela frente até chegar ao carro...
 
#31
Bem, o primeiro grande tombo de que tenho memória foi com 10, 11 anos, não me lembro bem. Na altura tinha os travões completamente desafinados, tinha de fazer muita força para travar, inclusive no da frente. Farto disso decidi, com a minha vasta experiência e conhecimento de um puto de 10 anos, afinar eu mesmo os travões. Um toquezinho aqui, outro ali... e pronto, lá vou eu testar os meus "novos" travões. Arranco a toda a velocidade, como se de um sprint se tratasse, pelo caminho de terra junto à minha casa, até que decido fazer o teste e carrego nos travões... só que me esqueci que os tinha "afinado", e carreguei no da frente com a força que já estava habituado... Resultado óbvio: uma grande cambalhota e um "aterranço" que me valeu o corpo todo dorido, umas escoriações e um bocado de pele e mais alguma coisa arrancado junto ao cotovelo, que deu origem a uma cicatriz de cerca de 3cm meio esquisita que me vai acompanhar o resto da vida.
Ah, já agora a bike "só" ficou com a roda de trás completamente empenada. Foi a sentença de morte da minha tão amada Confersil amarela, a minha primeira bike a sério. Ainda hoje não sei o que os meus pais lhe fizeram... :(


Quanto a tombos já depois de fazer BTT a sério, o primeiro (e por sinal o mais grave) foi este:

http://www.forumbtt.net/showthread.php?19069-Quedas-com-les%F5es-graves&p=900565#post900565
 
Last edited:
#32
O meu foi há uns bons anos atrás, andava no secundário e costumava dar umas voltas pela Arrábida com uns amigos. Fomos por um caminho que inicia na rotunda da rodoviária em Palmela, que vai dar a uns moinhos em cima da Serra do Barril:

https://www.google.pt/maps?ll=38.552662,-8.941823&spn=0.005303,0.01133&t=h&dg=opt&z=17

Ao descer esse trilho, que vai parar a um entroncamento na estrada do Gaiteiro, a coisa não correu bem. Uns caíram logo ao início, numas valas que a chuva tinha aberto. No meu caso, entre a jante cheia de barro e provavelmente travões mal afinados também, fiquei sem travões. Junto à árvore no final da descida, há uma curva com duas pequenas rochas, em que os que completaram o trilho ou saltaram por cima da primeira ou por cima da segunda. Eu não só não fiz bem a curva, como fui entalar a roda lá no meio.
Acabei por ser projectado a uma velocidade simpática para cima de uma zona de calhaus.

Felizmente não parti nada, mas rasguei-me todo. Perna esquerda, braços, costas, até mesmo um com uns 2cm no "abono de família". Quando tirei a t-shirt para um amigo me por betadine nas costas, o primeiro comentário dele é que mais valia abrir o frasco e começar a atirar para cima.

Quanto a bicicleta foi para o lixo. Jantes empenadas, pneus furados, quadro rachado, etc. Mesmo assim ainda a levei até casa a pedalar...
 
#33
Ontem lia este tópico e apesar de ainda so ter feito 15km em 3 voltas com a minha nova QUER, pensava no quão era sortudo por ainda não ter caído, sendo para alguns, um pavor andar com pedais de encaixe. Hoje fui fazer uma voltinha de 25km entre gondomar jovim freixo e campanha, e não é que cai mesmo num trilho de terra batida? :p A queda não foi grave, aliás as quedas, em apenas 5 min dei duas quedas, apenas um raspao com sangue a mistura no braço direito, quando cai lembrei.me deste tópico... comecei com btt a 1 semana e desde então melhorou a minha vida! já agora este forum já me ajudou imenso, e aumenta-me o bichinho pelas 2 rodas todas as santas vezes que venho aqui ler ! Obrigado pessoal, boas pedaladas
 
#34
Dei o meu primeiro grande tralho no dia em que tentei aprender a andar de bicicleta.
Devia ter uns 4 ou 5 anos e foi na bicicleta de um amigo, daquelas em que se travava com os pedais.
Como não conseguia pedalar e equilibrar-me em simultâneo, comecei por fazer uma descida, aproveitando a inclinação e o balanço para me manter em cima da bicicleta.
Numa dessas descidas a roda da frente resvalou e dei um valentíssimo tralho, felizmente sem consequências de maior, apenas uns arranhões e umas nódoas negras.
Depois disso, já perdi a conta às quedas que dei, sendo que, numa dessas quedas fracturei a clavícula.

Boas pedaladas (sem quedas).
 
#35
O meu foi a coisa mais estúpida, já foi á uns bons anos, devia ter os meus 15 ou 16 anos e vinha da escola nesse dia, e com a brincadeira resolvi fazer uma descida de terra a abrir. O mais giro da descida é que tem duas descidas intermédias muito acentuadas que eram para o pessoal das motocross. Bem vou eu armado em bom e quando chego ao primeiro desnível a parte da frente levanta e levo com o volante no queixo e fiquei logo atordoado. Só me lembro de ter caído uns bons metros mais á frente e quando olho para baixo vejo sangue a correr pela t-shirt, mas corria sangue que era uma coisa parva. Resultado ida ao hospital, abri o queixo de um lado ao outro e ganhei 3 pontos. Nem sei como não parti os dentes porque doíam que se fartavam. Fiquei com as costas todas doidas, ombro inchado e mais outras feridas nas pernas, enfim parti-me todo pela parvoíce de me armar em esperto e ainda hoje tenho a cicatriz no queixo. Felizmente não tenho tido mais quedas, a ultima foi no ano passado porque me esqueci que tinha pedais de encaixe mas isso não foi uma queda grave :eek:
 
#36
Dei ontem o meu primeiro tombo depois de ter colocado pedais de encaixe, esqueci-me que devia ter desengatado pelo menos um pedal, e ao chegar a casa, vinha a familia das compras e eu parei ao lado deles, parei, e parecia uma tábua de engomar, nem tive tempo de largar o volante, felizmente não me magoei mas a familia riu bastante, aprendi logo que antes de parar tinha de desengatar.
 
#37
Ponto prévio: sou da opinião que as quedas por não desengatar os pedais não deviam contar :p sou especialista nessas :p

Agora a sério, a primeira queda assim mais feia foi num passeio (primeiro passeio btt que fui) este ano em Vargos (já era conhecido pelo pessoal do apoio como "O rapaz da camisola cor-de-laranja que caiu" :eek:). Ainda mais inexperiente do que sou agora, a uma velocidade razoável, não me desviei de um calhau (tenho a teoria que ele é que se meteu à minha frente de propósito :D) e cabum... tombo dos grandes, mas consegui acabar o passeio ainda que cheio de dores :D
 
#38
Até hj ainda só me espetei 3 vezes, e tendo em consideração que ando há relativamente pouco tempo, até nem está mal.
As duas primeiras, dias de chuva e lama, a sair dos trilho e a entrar no alcatrão, tentar subir um passeio, roda ligeiramente de lado e pumba, :fpalm:chão com ele.......Resultados práticos, orgulho ferido, joelhos e queixo esfolado.

A ultima em bicla de estrada, numa prova do Audace, pedais de encaixe á pouco tempo, tinha a bike mal afinada a nível de transmissão, uma curva á direita a subir, troco de prato, corrente salta e eu ainda soltei um dos pés mas fui cair que nem peso morto precisamente para o lado do pé preso.......:fpalm:Nesta a única reacção foi rir-me sozinho que nem um perdido deitado no meio do chão numa estrada deserta, bem aproveitei e deitei-me a descansar uns segundos......
 
#39
O meu primeiro malho, foi um pouco feio, para quem é da madeira e conhece a descida do terreiro da luta até ao monte (onde vivia) a descida é curva contra curva e algumas bem fechadas, tinha na altura a única bicicleta da zona com amortecedor (bmx branca, lindaaa), lembro-me de fazer duas curvas perfeitas mas a terceira foi espalho medonho ficando literalmente todo raspado. Foi um filme para chegar a casa com a bmx e eu todo partido.Já com a de montanha foi a olhar para um rabo de saia...o resultado não foi nada bonito!
 
#40
Eu tenho 2 espalhos épicos... O primeiro... a subir, pedais de encaixe, a pedalar de pe... e derrepente... a corrente parte-se, bolas no quadro e peito no volante! Até fiquei sem ar! LOL

O segundo, foi a cerca de 2 meses, mereceu uma visita ao hospital e uma bike nova paga pelo sr condutor... Ia a circular a cerca de 40kmh , quando, uma alma caridosa atravessa o carro a minha frente sem olhar! Como resultado, uma espeta de tamanho familia, bike em 3 bocados, ombro deslocado, capacete partido em cacos e esfoladelas até em locais que nao sabiam que existiam! O meu garmin Edge 500 que estava preso a bike registou uma subida repentina de 3.5m na altura do impacto! Acho que a bicicleta fez o seu baptismo de voo! Foram 10m de voo da minha parte...