O 1º grande tombo

#62
Ahaha! É verdade, o pior foi ter levado com a bicicleta em cima! :fpalm::D
Ao tentar desviar-me dos ramos do pinheiro distrai-me e mal tive tempo de levantar a roda..
 
#63
Ora bem, vinha aqui deixar a historia nao da minha primeira grande queda mas sim talvez a 2ª grande queda... foi este domingo na 7ª(Meia)Maratona do Vale do Vouga... infelizmente queda essa que por bom senso deixei por "terra" finalizar a prova ainda nao tinha 20Km percorridos. :(

Após uma subida complicada do Alfusqueiro (mesmo com a bike ao lado é complicado, especialmente quando se tem 150kg -.-'' ) entramos numa zona rolante com pequenas subidas e descidas..... na qual numa das descidas senti aquela dor/desconforto nas costas e a necessidade de as esticar.... ora para o fazer tirei as maos do guiador, imediatamente a seguir a roda da frente entrou num frenesim de pequenos 's' e quando voltei a colocar a mao direita(a que estava mais proxima) a roda virou imediatamente para à direita (isto tudo aconteceu aproximadamente a 30km/h ou ate um pouco mais).

Foi um momento algo complicado (nao estou em estado de choque nem coisa assim) mas sei que quando ultrapassei o guiador parecia que tudo se passava em câmara lenta... a cada cambalhota só me lembrava de gritar por ajuda pois sabia que na minha frente ia pessoal e atras de mim tambem ( a uns 200m talvez). Quando acabo de dar cambalhotas fico quase como que sentado e a sentir um ardor nos braços e um bocado "zé zé" mas ainda disse para mim mesmo (olha aquele filho da %$&# nao parou para me ajudar) pois o ciclista que ia na frente olhou para tras e viu-me estatelado no chao mas seguiu em frente... ao mesmo tempo ouço outras vozes ("Oh Meu Deus.... será que esta bem?" ) alivio é a unica palavra que descreveu aquele momento... Desde ja um grande OBRIGADO aos BTTistas que pararam para me socorrer (ao que nao parou, sem stress pois deve ter visto os outros e seguiu viagem) ;)

tudo isto para dizer que fiquei com o meu braço esquerdo todo esfolado e queimado na zona do cotovelo e na zona do músculo da "ponheta" (perdao pele meu "frances") e o meu braço direito nao sofreu tantos danos basicamente so queimaduras.... pensei em por aqui fotos das mesmas, mas nao quero ferir possíveis susceptibilidades.

Algumas curiosidades:

- Capacete sem um único arranhão após o acidente... normalmente quer dizer que nao bati em lado nenhum com a cabeça (e ainda bem que assim foi, tambem porque protegi a cabeça e cara com os braços instintivamente)
- Muito bem empregues os quase 40€ nos calções tipo bib que comprei na Decathlon pois nas pernas nao tenho qualquer tipo de arranhão somente um genero de queimadora tipo (pintinhas vermelhas) numa das coxas
- A bicicleta ate nem ficou muito estragada, manete do travao da frente esta com um pequeno empeno e folga, mas algo parece, nao afecta o "trabalho" normal dos travoes; algo parece o guiador nao esta empenado (ficou descentrado da roda mas isso é normal) de qualquer formas a bina esta no estaleiro para efectuar uma revisao e tal...

Tudo fica bem, quando acaba bem.... =)
 
#64
Xii... o meu primeiro grande tombo. Epá, eu sou daqueles que apesar de já ir nos 42, desde que aprendi a pedalar aos 5 anos, nunca parei de andar de bicicleta. A minha bicicleta dos 5 aos 12 anos, era uma pasteleira da Vilar, roda 18 ou20:



O primeiro tombo a sério que me lembro (devia ter 8 ou 9 anos) foi o resultado de colocar uma tábua de madeira a fazer de rampa de saltos... Aquilo dava uns vôos espetaculares... até que numa das vezes a bicicleta seguiu para um lado, e eu fui para o outro! os joelhos e as mãos ficaram giros!

Já na idade adulta, o maior e mais espetacular tombo foi na Arrábida. Iamos num grupo, lançados num estradão, e em que todos passam num charco à minha frente sem problemas. Quando chega a minha vez, tive o azar de apanhar uma zona do mesmo onde a roda se enterrou na lama, até ao eixo!!!... Fui imediatamente cuspido num OTB espetacular, aterrando de cabeça contra um pinheiro!!! O capacete cumpriu a sua função e entregou a alma ao criador, com uma racha de uma ponta à outra. Caído no chão, meio zonzo, acabei por sair completamente ileso do episódio!
 
#65
Esta é a única queda que tenho em video, pode-se ver ao minuto 2:56.

Ainda não percebi como a roda da frente me escapou, deve ter sido uma combinação de relva e pedras molhadas.

[video=youtube;lau8bXxbS-I]https://www.youtube.com/watch?v=lau8bXxbS-I[/video]
 
#66
Boa tarde, o meu primeiro tombo nao sei se pode chamar assim mas foi ontem, durante uma descida estava um eucalipto deitado para a estrada qd o vi foi tarde demais, bati contra ele e espetei a ponta na perna direita abaixo do joelho, tive de ser retirado de carrinha 4x4 com a meia a estancar o sangue e ambulancia para o hospital, resultado um grande buraco e 5 pontos para tentar e pouco de carne a menos...
 
#68
A queda deveu-se à diferença entre um piso e outro (entre a zona do meio e a zona do rodado dos carros) na roda da frente e também se tentar voltar à zona do meio do caminho que está mais alto. Algum tufo de erva mais duro bloqueou a r oda e daí a queda. Talvez um pouco de velocidade a mais também ...
 
#69
Não necessariamente a primeira queda, mas possivelmente a maior até hoje, em estrada, numa rua residencial, muito (ênfase no muito) inclinada, vinha a descer e à minha frente uma senhora na sua viatura decidiu fazer inversão de marcha , ainda travei e meti a bicicleta de lado, acabei por bater com o pedal entre a porta da frente e a roda do carro, sou projectado por cima do capo, o chamado voo em câmara lenta, e aterro no passeio, com as mãos primeiro, sem luvas, sem capacete, que na altura não se usava. Ou seja, passado mais de 20 anos ainda se nota a cicatriz na mão, e o pior é que nem pude ir para casa tratar daquilo porque era suposto estar na universidade mas tinha-me baldado. E ainda reclamaram comigo porque eu tinha batido no carro...
 
#71
O meu tombo mais sério foi a descer a serra da caneças, entre caneças e carenque numa curva quando olhava para a corrente. Sai da curva e fui aterrar numas silvas. Fiquei todo riscado e por sorte não vinha carro nenhum em sentido contrário. (a curva era para a direita).
 
#75
A minha primeira grande queda numa blica foi à uns 5/6 anos atrás, andava eu, se não me engano no 9º ano. Foi com o meu "chaço" a descer uma zona ainda não muito utilizada (atualmente é bastante frequentada). Bicla do Pingo Doce que me tinha sido oferecida, ao qual já tinha partido uma catrefada de coisas.

Parece que ia depressa demais numa zona de pedras soltas, travo apenas com a roda de trás (travões V-brake) quando o raio do sistema solta-se e fiquei sem travão. Embati num pedregulho e fui armado em super homem pelo ar, cai de costas no chão a uns quantos metros a frente. Conclusão 0 ossos partidos/rachados (que eu saiba, não me doeu e não fui ao hospital) e uns valentes cortes nas costas que ainda hoje tenho cicatrizes e são grandes. A recuperação foi muito lenta mas feita em casa, sem pensos nem nada disso, apenas desinfeção e uma pomada que me tinha sido indicada quando espetei 1 vidro no joelho, para ajudar a cicatrizar.

Não me lembro de ter batido com a cabeça em lado nenhum (não levava capacete) mas sei que fiquei estatelado no chão algum tempo, pois acordei bastante confuso.

A bicla ficou com a roda da frente completamente partida, manete das mudanças da frente partida, travão V-brake de trás foi para o lixo, a parte onde encaixava estava partida/amolgada. Não faço ideia se empenou alguma coisa, pelo menos visualmente não e como era grande chaço não dei conta.

Com essa história não ganhei juízo. Mas também não tive nenhuma queda de "jeito". Agora com a compra da nova menina, fui logo comprar capacete e luvas.
Tive muita sorte daquela vez e sinceramente não quero repetir :) espero que não aconteça algo do género. Só se ganha o euromilhões 1 vez na vida.
 
#76
E pronto... algum dia tinha de acontecer!

Bicicleta nova, com 10 dias, estava a andar pela Marginal da Foz com uma colega, olhei para trás para ver qualquer coisa, quando me viro para a frente já estou em cima do meu colega, como só estava com a mão direita no guiador dei uma guinada para a esquerda mas a mão esquerda não foi a tempo de agarrar o guiador. Ainda consegui desprender um pé, mas o outro ficou preso e assim caí de costas. Devíamos ir a 20km/h e a queda ainda foi valente, ainda para mais em alcatrão. A bicicleta parou 3 metros à frente e não sei como o único estrago que teve foi no punho esquerdo. GPS, manetes de travão, mudanças, suspensão... nem um arranhão.

Como agora fiquei a matutar nisto, fiquei com a impressão que a direção ficou algo desalinhada e que a roda da frente está algo empenada. Provavelmente sou eu mesmo a exagerar e a ver coisas, até porque acho que uma roda não empena com esta facilidade; a parte da direção desalinhada é bem possível, mas parece-me mesmo muito pouco desalinhada, provavelmente já estaria assim.

De qualquer das formas, a bicicleta vai esta semana à "1ª revisão" e já vou ficar a saber.

Em termos de mazelas, o pulso direito está muito dorido e quase sem força e raspei um pouco da coxa direita. Agora espero é que não ganhe medo!
 

camponubla

Well-Known Member
#77
As quedas fazem parte ;)

Na maratona de Vilanova de Famalicão do domingo dia 8 tive dois tombos. O primeiro por entrar numa curva mais rápido do que o piso permitia. Resultado...as fotografias :)





Resultado, o joelho direito pisado.....Andei 5 minutos encima da bicla devagarinho a decidir se continuava. Mas depois "ele" aqueceu e deu para seguir.

E já a uns 10 km da chegada, num trilho com bom piso, linha recta, a descer levemente, mas estreito e com arame farpado a lado e lado...num determinado ponto um dos postes que seguravam o arame estava mais para o interior do trilho..........não vi isso e o guiador bateu pelo lado direito e virou.

Sai a voar pela frente da bicla, e por sorte cai sem ficar preso nos arames. A bicla não teve tanta sorte e o pneu da trás ficou preso nele. Depois de tirar a bicla do arame vi que tinha a roda da frente um "8" e vários pontos onde o líquido anti-furos estava a sair do pneu. Mas os furos deviam ser de pequeno diâmetro pq o líquido os tapou. Em quanto à roda da frente, deu para continuar.

A sair dessa armadilha veio um atrás e também se espatifou. O "curioso" é que uns 50-100 metros a frente numa zona mais alta onde dava para ver-se a zona da queda havia um grupo de gente (não sei se da organização ou não) e ao passar comentei que havia aí um sítio perigoso e eles só disseram "sim, sim estamos fartos de ver gente cair aí". E não faziam nada.....só ver como o pessoal se espatifava!!!!!
 
#78
Bem, apesar do infortúnio das quedas - espero que as mazelas já tenham desaparecido e já estejas recuperado - , ficaste aí com uma belas chapas :)