Funcionários Públicos vs funcionários do Privado - Qual escolherias?

#1

Abri este tópico sem intenção de criar polémicas, mas sim para abordar um tema que acho que nos toca a todos "neste outro lado da vida". Para quem tem emprego neste momento, quer seja no sector público ou privado decerto que também terá as suas opiniões formadas, mas aproveitei este texto que achei muito interessante por abordar ambos os lados destas actividades.
É apenas um exemplo, muitos mais devem haver, mas convém sempre reflectir antes de se criticar os funcionários públicos. As coisas mudaram e acho que neste momento existe uma geração desses funcionários que estão a "pagar" pelos erros, exageros e devaneios que o estado proporcionou a muitos dos seus funcionários durante décadas. Uns aproveitaram, sacaram e gozaram, outros nem por isso, e depois nos dias hoje vemos que a realidade mudou bastante. Antigamente toda a gente queria ir para a função pública...hoje acho que é exactamente o oposto. Leiam este texto, opinem e discutam-no com calma e deixem a vossa impressão sobre esta matéria que considero ser extremamente importante por ser um fenómeno que poderá nos próximos anos ainda mudar mais e afectar, directa ou indirectamente cada um de nós.

Já agora não sei quem escreveu este texto, mas aplaudo a sua coragem, por expor
grandes verdades da nossa realidade.


Meus amigos:

Trabalho no privado e ganho 475€ na folha de ordenado e por "baixo da mesa" recebo da Empresa onde trabalho mais 1200€ em papel-moeda.
Tenho direito a automóvel da Empresa de alta cilindrada e envelopes mensais recheados com 300 € para gasóleo.
Tenho ainda direito a almoço completo no bar da Empresa com grande variedade e qualidade pagando apenas uma senha no montante de €1 por dia.
Quando vou à Caixa de Previdência, marcar uma consulta estou isento de taxa moderadora, porque na minha folha de ordenado apenas aparecem os 400€.

Esta é a realidade de milhares de trabalhadores portugueses!

A minha esposa que tirou um curso superior, trabalha na função pública com horário oficial das 09 às 17h. Nunca consegue sair antes das 19:30 horas, sem ganhar um cêntimo que seja, dado que do quadro de 6 funcionários 3 foram aposentados e não foi colocado mais nenhum!
Ganha 800 €uros, já com subsídio de refeição incluído, desconta mensalmente 150€ de I.R.S; 50€ para a Caixa Geral de Aposentações, 25€ para a ADSE, 10€ para uma verba que se destina ao pagamento futuro dofuneral (comum a todos os funcionários públicos), e outros mais descontos que não me lembro.
Feitos os descontos fica com 565€ "limpos", dos quais ainda retira 58€ mensais para o passe e gasta cerca de 5€ diários para almoçar de pé ao balcão de um café.

Trabalha num Edifício público degradado, a manusear pastas de documentos cheias de pó onde circulam baratas ratos e outras pragas, e com computadores e sistemas informáticos do século passado, sempre a encravar. Atende dezenas de cidadãos por dia portadores das mais diversas doenças infecto- contagiosas e tem a seu cargo assuntos de muita responsabilidade.

Há dois anos que o Sócrates lhe congelou o ordenado e não preenche o quadro de pessoal, no entanto, os inspectores do serviço, aparecem a cada passo em cena, de forma prepotente a dizer que o trabalho devia estar mais em dia!

Quando a minha esposa vai à Caixa de Previdência marcar uma consulta paga taxa moderadora. Se for a um médico da ADSE de descontos obrigatórios, paga a totalidade da consulta, e largos meses depois, recebe uma pequena percentagem do que pagou.
Todos os dias no serviço "ouve bocas" dos utentes contra a função pública, que imaginam ser um "mar de rosas".

E vocês, gostariam de ser funcionários públicos?

Eles é que são os parvos que pagam os impostos na totalidade e sustentam o país!

É claro que eu com o que ganho por fora, comprei um seguro de saúde a uma Companhia de Seguros, e vou aos médicos que quero!
Sou um "coitadinho" do privado que só ganho oficialmente 400€, tinha direito a isenção de taxa moderadora, mas mesmo assim não estava para esperar 6 anos por uma consulta, que com a saúde não se brinca!

Quando a minha esposa chega a casa vem exausta de um trabalho, que se fosse num privado, aparecia o IDICT e a ASAE e encerravam de imediato a porta por falta de condições!

Digo mais, quando disserem que a corja de Funcionários Públicos merece
ter os salários congelados e ficar sem 13º mês...lembrem-se que os
Funcionários Públicos que atacam, são:

Os polícias que vos protegem, os médicos e enfermeiros que vos tratam, bem como os auxiliares que vos assistem, Os professores que ensinam os vossos filhos, os funcionários administrativos que tratam dos vossos papéis para os mais diversos fins.Os trabalhadores que recolhem os lixos que produzem diariamente, os militares que morreram por vós, etc,etc...

 
#3
Bom tópico, obrigado por ele.

Bem antes de mais gostava de mandar o meu currículo para esta empresa, parece que se ganha lá muito bem.

A minha opinião sobre este tema, penso que os funcionários públicos devem estar certamente indignados e zangados com as medidas que foram alvo, mas apenas aqueles que realmente se esforçam e desempenham as suas tarefas profissionalmente com brio no que fazem sejam eles o mais simples cantoneiro ou mais elevado gestor, agora o problema é que quem mais reclama e faz barulho não são os exemplos atrás dados mas sim os parasitas que vivem as custas do aparelho do estado e que passam os dias sem fazer nada escondidos atrás de um ecrã de computador a jogar Travian, que andam um mês para fazer uma valeta, que passam um dia para receberem dois pagamentos de I.M., que deixam os miúdos das primarias saírem da sala de aula mais cedo que o que deviam para poderem ir para casa, que dão emprego aos amigos e conhecidos quando são eleitos bem acho que para dar maus exemplos estaria aqui a escrever até me doerem os dedos , porque os primeiros que falei e dos poucos que conheço pouco reclamam porque sabem que nada adianta pois já não há volta a dar, na minha opinião o mal já vem de à muitos anos atrás, deu-se muito e pediu-se pouco em troca, se todos trabalhassem o que deviam nada disto era preciso e estaríamos num pais muito melhor.

Só mais um exemplo da produtividade do estado, aqui em São Pedro do Sul a maior parte dos funcionários da Câmara Municipal pegam as 8 hora da manhã e despegam as 16 horas com uma hora de almoço, se tiverem de se deslocar para qualquer lado pegam as 8 horas no local habitual, depois arrancam para onde tiverem de ir, na melhor das hipóteses as 8h30m começam o serviço, as 9h30 param para a bucha, ao meio-dia almoçam, as 13h voltam e as 15h30m arrancam de volta para despegar as 16h, no fim do dia produziram de tempo útil 6 Horas, agoram digam lá não queriam trabalhar 6 horas por dia? Eu queria!!! se o estado é tão mau porquê que ninguém quer sair de lá? eu sempre que não gostei dos termos de um patrão me vim embora.

Claro que existe sempre sempre quem trabalhe no duro e que tem de fazer o trabalho que os outros não fazem, desses tenho realmente pena dos cortes que vai sofrer, mas todos estes anos os privados pagaram os benefícios que a função publica tem, agora é a vez da função publica pagar, assim mantêm-se o equilíbrio.

Mas esta é apenas a minha opinião.
 
#4
era bom era que nos privados fosse assim... com exemplos destes é facil ser-se o desgraçadinho.
Esse "poeta" também podia falar daqueles funcionários publicos que devido à influencia que têm, sempre ganharam verbas por fora, sem declarar nada. Toda a gente conhece casos de obras aprovadas quando o não deveriam ser... e se formos mais uns aninhos atrás, qq coisa que fosse necessário dos serviços publicos só com "notinhas" por baixo dos papeis.
Se a Sra. desse cavalheiro está tão mal, vá trabalhar para um centro comercial, hipermercado ou comércio tradicional que pelos vistos as condições são melhores.
O mal disto tudo é que está a criar-se uma guerra FP vs PRIVADOS quando deveriamos estar todos a correr para o mesmo lado. O mal tá feito, deveria-se responsabilizar os culpados e recuperar parte das verbas "desaparecidas", mas para já alguma coisa tem de ser feita doa a quem doer.
 
#5
Eu trabalho numa empresa privada, tudo o que ganho é "por cima da mesa", c/ todos os descontos e mais alguns. O texto leva-me a pensar que o problema, afinal, não são os funcionários públicos mas sim os privados que "ostentam" esta forma de atuação e ainda se gabam dela.

Mas c/o disse um camarada, e bem, não se pode acreditar em tudo o que se lê na net. Em todo o caso, em nada me admira que este pequeno retrato espelhe a realidade de muitas empresas privadas deste País...
 
#6
O mal tá feito, deveria-se responsabilizar os culpados e recuperar parte das
verbas "desaparecidas", mas para já alguma coisa tem de ser feita doa a quem
doer.
Concordo, mas como se vai responsabilizar os culpados?
A quem vai doer já está mais que visto. Vai ser mais uma vez o "peixe miúdo" que vai ser magoado. Para apanhar o "peixe graúdo", que foram os principais causadores de muita infelicidade de muitas familias, e que lesaram em muito o estado, e que desperdiçaram e roubaram o dinheiro dos contribuíntes, só mesmo indo para a rua acampar como se vê lá fora. Mas neste país de brandos costumes não estou a ver isso...muito menos agora com o frio a chegar.
O nosso hino fala sobre uma "...nação valente e imortal..." - sinceramente não vejo nada disso neste momento.

E já agora acrescento que sei de muitos casos onde no privado muita gente também fez/faz falcatruas de meio dia em prol de ganhos fáceis através de artimanhas vergonhosas.
 

tinric

Super Moderador
#7
Sabem uma coisa

O pior é que esse senhor no momento de levar o "Pontapé no c.." vai para a rua com um fundo de desemprego de quanto? Se for de baixa recebe quanto? ... Se tiver algum processo contra a empresa ou indeminizações recebe quanto!? ... não alongando mais...

É bonito dizer que recebe não sei quanto por fora.. mas quando der para o torto... quero ver depois como falam...

Mas sim... deve saber bem receber assim quase 1000€ por fora isso deve...
 
#8
Estive aqui a pensar se conheço alguém que esteja no Publico e que queira ir para o privado, não me consigo lembrar mesmo... Apesar de tudo o publico está muito menos exposto aos ciclos do mercado e consequentes "mortes" de operadores.
Agora esse amigo que declara que recebe quase tudo por fora, se ele estivesse num pais evoluido, se é que esse senhor existe, era a esposa dele que devia de o ir denunciar. Para pagar tudo o que deve em evasão fiscal.

Não me parece correcto estar aqui a alimentar uma guerra do privado contra o publico, mas nos ultimos 30 anos o desiquilibrio entre publico e privado foi enorme, agora como chegamos a uma altura em que os €€€ deixaram de entrar nos cofres do estado e aparecem situações que exigem mudança rápida.

Tenho familiares que trabalham no publico e relatam-me situações bem preocupantes, quem tente fazer um bom serviço no sector publico depara-se com muitas barreiras e a maior parte das vezes deve sentir que pedala contra o vendaval, o que também não deve ser nada interessante.

Vamos tentar aprender com a situação actual, e pode ser também que o estado também se consiga adaptar com rapidez para nos continuar a prestar o excelente nível de serviço a que já nos habituou.

E recordem-se Portugal é um dos maiores países da Continente Europeu, é para ai que temos que olhar.
 
#10
Trabalho no privado e ganho 475€ na folha de ordenado e por "baixo da mesa" recebo da Empresa onde trabalho mais 1200€ em papel-moeda.
Tenho direito a automóvel da Empresa de alta cilindrada e envelopes mensais recheados com 300 € para gasóleo.
Tenho ainda direito a almoço completo no bar da Empresa com grande variedade e qualidade pagando apenas uma senha no montante de €1 por dia.
Quando vou à Caixa de Previdência, marcar uma consulta estou isento de taxa moderadora, porque na minha folha de ordenado apenas aparecem os 400€.

Esta é a realidade de milhares de trabalhadores portugueses!

A minha esposa que tirou um curso superior, trabalha na função pública com horário oficial das 09 às 17h. Nunca consegue sair antes das 19:30 horas, sem ganhar um cêntimo que seja, dado que do quadro de 6 funcionários 3 foram aposentados e não foi colocado mais nenhum!
Ganha 800 €uros, já com subsídio de refeição incluído, desconta mensalmente 150€ de I.R.S; 50€ para a Caixa Geral de Aposentações, 25€ para a ADSE, 10€ para uma verba que se destina ao pagamento futuro dofuneral (comum a todos os funcionários públicos), e outros mais descontos que não me lembro.
Feitos os descontos fica com 565€ "limpos", dos quais ainda retira 58€ mensais para o passe e gasta cerca de 5€ diários para almoçar de pé ao balcão de um café.
Ora, aqui é que o estado devia actuar e o levantamento do sigilo bancário devia ser autorizado, bastava analisar os rendimentos/encargos mensais deste casal para ver que quase de certeza que não têm rendimentos declarados para a casa que têm!... Isso até é na minha opinião fácil de fazer, mesmo através da declaração do IRS entregue.
Eu trabalho no privado, sempre trabalhei, e sempre descontei sobre a totalidade dos meus rendimentos, mesmo quando recebi prémios de produtividade descontei em conformidade, a minha esposa trabalha na CGD que é privada quando o estado dá (dava) pontes, etc e é pública quando é para congelamento de salários, e tudo o que é cortar nos vencimentos dos funcionários.

Na minha opinião o nosso pais está como está devido não só ao peixe graúdo que se serve da máquina dos estado em proveito próprio, mas também pelos milhões que existem neste pais como o "poeta" que escreveu esse texto.
 
#13
A situação está é a caminhar para se tornar quase insustentável, isso sim e para todos.
Em todos os locais, empresas, sector publico ou privado, existem bons e maus funcionários, competentes e incompetentes. A dignidade de um funcionário não está no seu trabalho, mas sim na forma como o desempenha. E esse desempenho, globalmente, irá fazer com que o serviço ou empresa onde trabalha seja melhor ou pior.

Toda esta treta entre função publica e privados apenas existe porque os governantes assim o tentam, pois dá-lhes jeito. É a velha técnica do dividir para reinar.
Os portugueses têm é de, globalmente, exigir que os politicos, eleitos por todos nós, cumpram e apresentem o resultado das medidas que nos impõem.

Há perto de duas semanas, o economista Camilo Lourenço, na sua crónica na rádio M80, dizia que temos de andar em cima dos politicos, divulgando o que se vai sabendo e pressionando os mesmos, usando as ferramentas que o mundo actual nos faculta, como o Facebook.
Acho que já deu frutos este tipo de actuação, pois talvez tenha influenciado na decisão das renúncias dos governantes ao tal subsidio de renda de casa, pois há uns anitos atrás, nem se dava por esta polémica.
 
#15
Eu trabalho numa empresa estatal e não me revejo nestas descrições de funcionários público. Pura e simplesmente, esta não é a minha realidade.
No meu local de trabalho existem bons e maus funcionários, tal como em todas as empresas.
Façam este exercicio: conseguem ou não, no vosso local de trabalho, identificar bons e maus trabalhadores. Tenho a certeza que sim.

Na minha opinião, enquanto não foram penalizados os gestores que fizeram e fazem negócios ruinosos em nome do Estado, nada se irá alterar no quadro económico do nosso País. Enquanto o sistema judiciário não for reformulado, nada penaliza quem comete os crimes que prejudicam os cofres do estado.

Independentemente disto, de uma coisa estou certo, daqui a 1 ou no máximo 2 anos, esta comparação Público Vs. Privado não vai existir pois, infelizmente, todas as empresas privadas (mesmo todas) vão fazer os mesmos cortes que agora estão a ser aplicados ao sector público.

Espero estar enganado!

Abr.


> beijocasbtt.blogspot.com
> www.facebook.com/dustman.btt
 
#16
Eu neste momento ainda não trabalho, mas estou à procura do meu primeiro emprego.

Acho que ainda existem bons tachos como "funcionário publico" em que pouco ou nada se faz, e ganha-se muito bem. Mas isso tende cada vez mais a acabar, ainda para mais com os cortes que levaram.

A meu ver actualmente a unica vantagem de trabalhar para o estado é ter o emprego certo (nao corres o risco de chegares depois das ferias e a emrpesa tar fechada, e ficares sem salario e os restantes direitos), e ter tudo certinho sem falcatrua, recibos verdes, e etc (sabe bem nao pagar irs e receber o salario por baixo da mesa, mas da maneira que as pessoas actualmente vvem, em que nao poupam, como os "nossos pais" faziam, quero ver como se vao safar com a reforma minima, se houver, na reforma). A desvantagem é que podes ganhar menos, mas se podesse, queria trabalhar numa grande emprea, ou para o estado.

Quanto ao texto, é o chamado "fake" à casos assim, mas nao sao tao exagerados como aqueles. E ninguem da nada a ninguem, quando se recebe muito no privado, trabalha-se muito, ou é uma emrpesa grande, e se tem uma cunha...

Mas esta é a minha visão que ainda nao trabalho..
 
#17
trabalhar para o estado é ter o emprego certo (nao corres o risco de chegares depois das ferias e a emrpesa tar fechada, e ficares sem salario e os restantes direitos
Abelha, acorda, alguns dos "restantes direitos" foram cortados, subsidio de férias e natal arderam.

Próximo ano são os privados, preparem-se.

PS- São os cidadãos e políticos com a mentalidade do individuo do primeiro post (o da carta), que são os culpados pelo pais estar no estado em que está.
 
#19
Apoiado jpgcastro, ou seja albarda-se o burro á vontade do freguês como diria o meu avô!
nem todos os que estão no privado estão pior dos que os que estão no publico e vice-versa, mas os meus amigos que estão no sector publico ganham todos mais do que eu, lá isso ganham! e que de x em x anos sobem de categoria e eu no privado não - tambem é verdade, bom mas isto aqui é de bicicletas deixemos as tristezas para outro lado.
respeitosos cumprimentos
 
#20
Bons dias a todos, peço desculpa mas acho que vou meter um pouco o dedo na frida de eventualmente alguns utilizadores deste forum....

Sim, não se deve de acreditar muito em tudo o que se lê na net!

Mas do meu ponto de vista estamos aqui a discutir quem trabalha e merece ser cortado neste ou naquele privilégio, por amor de deus, as pessoas andam cegas ou sou eu que vejo certas e determinadas coisas que não devo?

Passo a descrever:
Aqui à um mes (lá para dia 24 ou 26 não tenho a certeza) encontrei uma serie de tipos de uma etnia que para aqui não interessa nada a irem levantar um subsidio (ou seja lá que nome dão ao dinheiro que lhes dão) nos CTT, chega lá o homem num Mercedes S350 CDI de 2011 e vai levantar os CTT os chorudos 14**,** € logo a seguir a trás vem a mulher desse tipo (deduzo eu porque vinha no carro) e levanta 12**,**.
E ainda tem a lata de se virar para o tipo dos correios, "de-me lá o meu dinheiro que vou para França agora passar 3 semanas, para o mês que vem vou à Alemanha mais 2 semanas, mas não gaste o nosso dinheiro que eu venho cá busca-lo depois."

Ou seja em vez de alimentaremos a máquina do estado com os 13º dos funcionários públicos e carregar mais os privados e as famílias que trabalham, porque é que não fod*** este pessoal que não faz um boi da vida e anda com boas maquinas, vão de férias para aqui e para ali com o nosso dinheiro????
Até quando este regabofe total de lixar quem como eu trabalha por vezes 12 horas por dia 6 dias por semana e ainda tenho que assistir ao dinheiro dos meus impostos a voar pela janela para pessoas que nada fazem da vida, autênticos parasitas da sociedade....???

Tenho infelizmente uma situação que me é bem mais próxima de uma baixa fraudulenta que dura à pelo menos 6 anos, a pessoa entrou para um canal de televisão publica a auferir 1800€ limpinhos todos os meses passado algum tempo, baixa que dura até hoje, motivo depressão. Desculpem lá mas essa pessoa está tudo menos deprimida, quer dizer, está em casa a gozar dos "meus/nossos" impostos sem fazer um chavo à 6 anos vai de férias de 2 em 2 meses...
Como fiquei revoltado com a situação procurei junto das entidades publicas um organismo que fiscalizasse este tipo de situações, sabem o que me foi dito?
"Sabe para abrir uma queixa contra esse tipo de situações tem que pagar 150€ para um inspector ir à casa da pessoa verificar essa situação, etc...." e esta... eu não estava à espera... claro está que nada fiz, pois embora o dinheiro seja "meu/nosso" não vou pagar mais 150€ (acho que foi este o valor pedido, pois quando a senhora disse que tinha que pagar, desliguei logo da conversa dela) para um tipo ir lá fazer o trabalho dele, quer dizer...

Eu por vezes tenho dificuldade em conseguir pagar umas férias fora do país e não me considero mal pago, trabalho no sector privado e como em tudo há maus trabalhadores e bons trabalhadores, quer no publico quer no privado, já assisti a coisas que nem vale a pena descrever (quer num sector quer no outro), claro está que no privado existe uma selectividade muito maior (eu chamo-lhe selecção "natural"), no privado como o "dono" não tem rosto para dar por lá umas "chapadas" no pessoal, essa selecção não existe.

Existem também aquelas incongruências como ser proibida a droga nas prisões, mas existir um fundo/subsidio para seringas na prisão... quer dizer se é proibido vão injectar o que? Ar???????
Os subsídios para os alcoólicos, agora pagamos para as pessoas serem alcoólicas e não trabalharem???

Claro está existem outros abusos, tal como carros estatais a fazerem recados particulares, conheço uma situação diária de um carro com aquele logótipo a dizer carro do estado que leva e trás a criança todos os dias à escola, fora tudo o resto que não sabemos....

Com isto só me ocorre uma coisa, pode-mo-nos queixar mas de nada adianta pois fica tudo na mesma e as únicas mudanças que há é mesmo nas nossas carteiras como infelizmente sempre foi, na minha opinião não é a tirar poder de compra às famílias, pois são estas que estimulam a economia, mas sim a esses Filhos da **** que nos consomem o dinheiro e para nada contribuem para a sociedade sem ser com maldade e estupidez.

Eu sei que esta minha queixa vai cair em saco roto, tal como todas as outras deste tópico, pois tal como foi dito somos um pais de brandos costumes.

Vou/vamos continuar a pedalar e a pagar impostos como se não houvesse amanha para alguns "parasitas da sociedade" poderem viver a bela vidinha que levam.

PS: peço desculpa pela linguagem, não é meu habito fazê-lo mas não encontro melhor forma de expressar a revolta que me vai na alma. Agora vou voltar ao trabalho pois alguém tem que trabalhar para este tipo de gentalha estar a dormir até ao meio dia!