Funcionários Públicos vs funcionários do Privado - Qual escolherias?

#41
Sim DaProfezzur, é verdade, mas também é verdade que MUITA gente ainda desconhecia esta coisa de fazerem um rastreio ao seu historial de descontos.
Foi essa a minha intenção ao postar este link.
 
#43
estive agora mesmo numa conservatória, e tive de me torcer todo pra não mandar alguem pra sitios menos católicos.

Vou fazer um desenho: 6 empregados. 1 a atender. 5 de volta duma mesa a conversar em voz alta, e em plena vista de todos, sobre o filho de uma delas. 5 pessoas à espera de ser atendidas.

Eu paguei 100 euros por entregar um pedaço de papel. Certamente pra suportar os custos de tanto empregado.

O que eu quero dizer com isto: 120.000!!! talvez sejam poucos.

PS: agora vou fazer meditação aqui no meu canto pra diminuir os niveis de stress.
 
Last edited by a moderator:
#44
Realmente assistir a uma cena dessas é de ficar fulo da vida. Também já aconteceu comigo e o mal é nós ficarmos calados na altura quando deviamos envergonha-los. Muitos só lá estão a fazer cera desde que entraram para os quadros. Outros devem estar a fazer tempo para conseguirem a reforma antecipada.
Depois vão pagar uns pelos outros, sim porque acredito que não sejam todos "farinha do mesmo saco". Ao menos que mandem os mais imprestáveis embora.
 
#45
até gravei video com o telemovel, se duvidarem de mim. Estava quase a explodir acredita. O pior é que reclamas e depois pode sobrar pra ti, já assisti a uma cena dessas com uma reclamação numa camara municipal, depoiso autor da queixa foi algo de umas cirugicas represálias. Era um bascal tal que quem a ser atendido mal ouvia a empregada que estava a atender. Mas apareceu um quota mal humorado, mandou umas bocas e lá se calaram e foram "fingir" que trabalhavam. Uma autêntica vergonha.
 
#46
Era isso que eu estava a querer te dizer.
Não somos nós que temos de ter vergonha de chamar a atenção para quem não está a fazer o seu trabalho, mas a verdade é que é isso mesmo que acontece, mas tem de haver limites. Eu cheguei a ver uma cena como essa que falaste do homem que lhe saltou a tampa e mandou umas grandes bocas. Foi numa estação de correios aqui no Porto (que entretanto foi encerrada devido aos cortes) onde as senhoras que estavam a atender deviam pensar que os clientes tinham a vida delas. Era só paleio, paleio...e as pessoas a olhar para os relógios.
E ainda por cima somos nós que lhes pagamos os salários.
 
#47
o problema é que naquele caso da conservatória eles ficavam pouco depois com os meus dados, e sei lá se iam rebuscar alguma coisa pra depois me chatearem.

E o pior é que já não é a 1ª, nem a 2ª vez que lá vou e é sempre a mesma coisa. Uma sala pequena atafulhada de gente, aberta (só tem um pilar ao meio) em que vês tudo e toda a gente, mas eles estão-se a borrifar, é que nem disfarçam. ***** não há ninguém do estado que apareça por lá estilo cliente mistério??!! Ou melhor se calhar aparecia e punha-se na conversa com eles.

O mais triste disto era que havia ainda alguem a trabalhar. Imagino como aquela criatura não se sentia, a trabalhar e a ouvir aquela gente na galhofa, qual era a motivação daquele empregado? Enfim... Ninho de vespas é o que aquilo é.

Eu despedia tudo, não ficava um único. Acabava com os serviços todos. Não ficava um. E depois abria os que achasse necessário, onde fosse necessário. E contratava de volta só quem fosse essencial e trabalhasse mesmo.
 
#48
Eu onde vou, se me vejo numa situação dessas, não dou hipótese reclamo logo, não sei se por a minha avó, ser inglesa e ter muito esse conceito, mas o que é certo é que não tenho nada a perder, e por mim podem retaliar, porque não tenho nada a esconder, podem esmiuçar (não sei se é assim que se escreve) a minha vida à vontade, porque nada encontram para implicar e se inventarem, levam pela tabela, à minha maneira, nem que eu lá vá ao serviço todos os dias reclamar no livro, eu ou outros, o medo, é o inimigo n.º 1 do desenvolvimento, abraço.
 
#49
essa pessoa depois levou com umas facturas de há uns anos que supostamente estavam por pagar. mesmo estando prescritas teve de gastar dinheiro em cartas registadas a reclamar senao cortavam a água.
 
#50
O problema é que muita gente ao reclamar, quando o faz, perde a razão. Há maneiras de reclamar, sem perder a compostura e até agora,sempre que o fiz, nunca sofri as ditas represálias e obtive sempre o que precisava.

E não sou funcionário público, mas trabalho numa instituição pública.
@ jocas22: Despedias tudo e voltavas a contratar o que precisavas? Se isso fosse solução, há muito tempo que as coisas estavam resolvidas...
 
#51
Sim...trabalho para o estado, para não haver dúvidas nos comentários a seguir.

Só vos digo uma coisa, por causa de atitudes assim é que o PS já anda a dizer que quer acabar com o ADSE (sub-sistema de saúde dos funcionários públicos) e dizem voçês, " e acho muito bem"! Mas agora digam-me uma coisa. O que é que o privado paga além da segurança social para ter acesso á saúde? Bem, eu além dos devidos impostos que pago, sim pago porque trabalho e o dinheiro é ganho legitimamente, não são vocês que me pagam, eu pago por ano cerca de 300€ a mais. Estou a ver que o PS já vai ter muitos votos vossos, pois já sabe que cascar na função pública são votos garantidos, apesar de serem tão gatunos como os que lá andam! É pena é que ninguém fala do sistema de saúde deles e outros que andam aí que cobrem tudo a 100%...não interessa e o povo nem se interroga.

Em todas as profissões há bons e maus profissionais e é isso que devem saber distinguir.

Senão também tenho muito que dizer do privado. E se olharem á fuga de impostos que existe, á bola de neve que criaram com estas fugas, pois cada vez entra menos impostos e cada vez se aumenta mais os impostos, impostos esses que pago na totalidade e infelizmente vejo grandes esquemas de pessoas que nada têm a haver com o estado para irem lá roubar mais.

Se entrarmos então em certas classes, advogados, engenheiros, arquitectos,etc...todos estes com altos ordenados e até os filhos têm direito a bolsas de estudo...porque simplesmente nada declaram de rendimentos e eu, porque o meu patrão até me considera rico, não tenho qualquer apoio á educação dos meus filhos.

Olhem para o pequeno comércio que se aproveitou fortemente com a mudança para o euro, 1 café custava 50$ passou para 0,50€, façam as contas e isso duplicou...mas não fica só por aqui. Antes do euro sobrava-me dinheiro ao final do mês, depois do euro nem pensar. E porque???? Ora porque onde tenho de gastar dinheiro para viver todos fizeram isto e agora tenho de sobreviver. Não me admira as falências que existem actualmente. Porque a maior parte delas é toda má gestão do privado que quis enriquecer de um dia para o outro.

As obras públicas são entregues a quem? Aos privados que depois enchem os bolsos dos políticos com luvas para ganharem a obra ou até arranjam um rico "tacho" para o político naquela empresa. E todos nós já sabemos como é uma obra pública. É feito um orçamento e nunca fica por ali na realidade. Como também já todos sabemos que qualquer serviço entregue a um privado, esse valor é duplicado quando é feito para o estado.

Quantos andam aqui, que trabalham e ainda recebem o fundo de desemprego??
Quantos andam aqui que receberam subsídios de apoio do estado para isto ou aquilo e compraram ricos carros ou propriedades??
Quantos andam aqui que pagam forte e feio aos contabilistas para "meterem" bem o IRS e irem buscar mais algo, muitas vezes com dados falsos??
Quantos é que não recebem por fora da folha de vencimento?
Quantos andam aí com casa e subsídios do estado e têm grandes máquinas e boas vidas? E já não estou a falar de ciganos, romenos, etc...

É certo que no estado também há muita gente que explora o pais e deita isto tudo abaixo, mas esses senhores não os considero funcionários públicos, pois só cá estão de passagem e podem ter a certeza que os milhares de trabalhadores da função pública como eu, não ganham um cêntimo com isso, nem têm culpa do que se passa. Esses senhores estão lá porque o povo Português votou neles.

É de lamentar a atitude que têm em generalizar toda a gente. Como eu disse há bons e maus profissionais. Quer queiram ou não os funcionários públicos são necessários.
E no privado também há muito maus trabalhadores, exploradores, sanguessugas mesmo, etc...mas não generalizo.

O que acontece ao ler estes comentários é que fico a pensar para mim. Trabalho há 17 anos como funcionário público, cumpro a minha função, ajudo no que posso, por alma de quem tenho de ouvir estas bocas?? Se calhar já que tenho a fama, mais vale ter o proveito!!!

Se há muita coisa a mudar? Há, mas em ambos os lados e também na mentalidade de todos os portugueses. Se os políticos que temos roubam forte e feio é porque também isto já pertence á nossa cultura. Vejam á vossa volta e digam lá se não têm um amigo ou conhecido que até se gabou de enganar/burlar/roubar o banco, seguros, finanças ou até uma pessoa próxima de si.

Fiquem bem...
 
#52
O único comentário que eu faço ao teu comentário é que falaste (escreveste) muito bem, mas nunca te esqueças que os funcionários públicos só há muito pouco tempo é que começaram a "levar no pêlo". Antes disso foram anos e anos de forróbódó e de exageros. Agora, que é preciso poupar, os cortes são a direito, mas muita gente já está em casa reformada a gozar no sofá a sua reforma "merecida".
Nessa altura fosses um bom ou mau funcionário recebias sempre o mesmo ao fim do mês...mais as regalias que só existiam na função pública.
Agora a altura é outra e é uma altura bem pior para se ser funcionário público, mas episódios como aquele que o user Jocas22 descreveu são vergonhosos e inadmissiveis. Ao menos podiam ser um pouco mais discretos.
 
#53
Só há pouco tempo é que levam no pelo???
Desde 2005 que não sei o que é levar um aumento. Bem pelo contrário, desconto cada vez mais e até a miséria de cerca de 30€ que recebia de abono pelos miúdos me tiraram.
Mas já agora diz-me lá quais eram as regalias que era tão bom ser funcionário público?? Ainda os portugueses todos andavam sempre a esgotar os voos para as caraibas ou para o algarve e eu já andava com cortes.

Apenas agora que chega ao privado é que estão a dar fé como isto anda.

Eu e minha mulher, funcionária pública também, que ganha menos de 500€ mensais, trabalhamos ambos em horários por turnos e fins de semana, tenho dois filhos com 9 e 13 anos em que desde que nasceram tiveram que andar de um lado para outro, para a casa dos avós, felizmente ainda os têm, porque os pais têm de trabalhar de noite ou ao fim de semana.

Por acaso já ouviste sair da boca do teu filho "Pai já vais outra vez?" Sim, porque trabalhar por turnos acontece em que vários dias, poucas horas vês a família, senão mesmo minutos.

É raro o dia em que a família se encontra toda em casa. Achas que há dinheiro que paga isso? Eu vejo todos os colegas andarem a passear ao fim de semana ou á noite e eu fico a olhar para eles porque tenho de trabalhar e quando vou, vou quase sempre sozinho, no horário de expediente em que a maioria trabalha.

Não sei qual o teu horário de trabalho, mas de certeza que quem trabalha por turnos não tem a mesma saúde de quem tem um horário certo.

Também trabalhei no privado, mas infelizmente como sou pobre de "conections e cunhas" nunca fiquei nos quadros dos sítios por onde passei, porque aparecia sempre o amiguinho deste ou daquele para o lugar. E aí a única coisa de boa que a função pública poderia ter era isso, ficar nos quadros. E também o sistema de saúde, para o qual agora se desconta forte e feio, se calhar mais do que um seguro de saúde. Estou apenas na função pública, porque para mim é um trabalho como qualquer outro e cumpro-o.

Outra...a minha mãe foi auxiliar de acção médica mais de 30 anos e sinceramente não vi os exageros ou farróbódós que ela teve!!! A reforma dela é cerca de 800€, trabalhou mais de 40 anos na sua vida e eu vejo ai muita gente que não faz nada na vida e ganha bem mais do que isso.

É preciso é saber especificar em que áreas é que tiveram grandes vidas e algumas delas são a justiça (juízes) e a saúde (médicos), mas contra esses não vejo ninguém a reclamar...

Só de saber que um juiz tem de subsidio de residência 750€, vai lá vai...

A maior parte da função pública não tem assim regalias que justifique a "raiva" que existe contra eles. Quase a chegar ao limite da xenofobia!!! E digo-te uma coisa, fazia bem a muito cidadão colocar-se no papel de funcionário público e ver a pressão que existe em muitos sítios por parte do cidadão e a maneira como se é tratado.

Infelizmente existe a mentalidade que somos pagos pelo povo e que podem usar e abusar, chegando ao cumulo de essas acusações virem de quem não faz mesmo nada na vida!!!!!!

Haja humildade e bom juízo quando se acusa alguém.

Coloca-te na situação em que és deitado abaixo pelo teu próprio patrão e por outros...e andas lá no meio. Agora diz-me o que pensas e qual a tua motivação? Mas não deixo de lamentar a situação que se passou nas finanças. Pois até detesto ter que lá ir...mas como já disse há bons e maus trabalhadores em todo o lado.

Para mim a única vantagem de trabalhar para o estado é receber sempre a horas, o sistema de saúde (para o qual eu pago) e ter estabilidade no emprego (mas até isto depende do sitio)...fora isso vejo , deveres, deveres, deveres...
 
#54
em Portugal não se soluciona nada porque só são "soluções" as más soluções. Prás boas, à sempre estupidos argumentos de estupida gente que os acha má ideia. ;)
 
#55
Trabalhar por turnos é igual tanto no privado como no publico! Agora que os ordenados são em média mais altos no publico é do conhecimento geral.

Eu trabalho no privado e já trabalhei no estado não diretamente mas em empresas municipais, e, não trabalhava metade do que atualmente faço! O meu horário era privilegiado 35 horas semanais férias com fartura e um controlo por parte da direção perto de nulo. Mas como que é bom dura pouco o contrato não foi renovado mas foi o melhor emprego ordenado/trabalho que tive de longe. Como disse hoje aufiro hoje mas dinheiro no privado mas trabalho mais do dobro.

Eu acho que os grande problemas, e isto é opinião muito pessoal, do sector público foram e são: promoções automáticas com a idade, horários privilegiados grande maioria dos funcionários públicos não faz 40 horas semanais e, não estou a falar de pessoal que trabalha em turnos, ordenados em alguns casos sobredimensionados e por fim a falta de interesse por parte da chefia/direção.
 
#56
Eu digo que é tudo igual, seja na função publica ou no privado, á bons e maus funcionários em todo o lado, tanto a funcionária da limpeza que trabalha no publico como o tecnico do privado, tem a mesma responsabilidade, ou seja tem que trabalhar e o trabalhar não é passar um pano na secretária, ou abrir um livro, e ler o dia todo para à tarde ou de manhã, ir dar aulas à universidade, julgo que me faço entender, abraço.
 
#57
estás tão mas tão enganado ernez, seja a fazer o que for, no publico não há cultura de exigência. Desde o chefe mais alto ao empregado mais baixo a cultura de trabalho é miserável e contamina qualquer um que lá entre e queria trabalhar. Sei do que falo, sou mais um dos que assistiu ao vivo.
Não quer isto dizer que eles não trabalhem.

Mas desde os que não faziam nada e os chefes sabiam e não os queriam misturar com os que trabalham pra não estragar o resto..
Aos que trabalhavam um pouquinho pelos pradroes do privado e andavam sempre a queixar-se e a ameaçar os chefes com irem de baixa ou pra reforma
Aos que trabalhavam mesmo a sério, mas mesmo esses devido ao ambiente percebia-se que podiam dar ainda o dobro, e pelos padrões do privado era moleza

;)
 
#58
Outra...a minha mãe foi auxiliar de acção médica mais de 30 anos e sinceramente não vi os exageros ou farróbódós que ela teve!!! A reforma dela é cerca de 800€, trabalhou mais de 40 anos na sua vida e eu vejo ai muita gente que não faz nada na vida e ganha bem mais do que isso.

800euros não é mau...

O meu pai trabalhou 7 anos numa oficina, até ir para a tropa, onde esteve 2 anos na guerra em angola e cabinda. Quando voltou esteve 42 anos como taxista por conta propria. No ano passado reformou-se e ficou a receber 300euros/mês. (sempre descontou para a seg.social excepto na tropa)

A mãe dele (minha avó, lol), foi auxiliar de acção educativa (continua na escola) durante uns 40 ou 50 anos (nem sei) e a reforma dela é acima dos 900euros.
 
#59
A culpa disso rodda, é dos patrões e dos sindicatos, que nas negociações deixam que isso assim seja, agora estamos a pagar por isso, e porque na privada, muitas dessas pessoas só descontaram o minimo, quando recebiam bem mais que isso, e todos nós do privado sabemos que é e foi assim e assim continuará a ser.
 
#60
E digo-te uma coisa, fazia bem a muito cidadão colocar-se no papel de funcionário público e ver a pressão que existe em muitos sítios por parte do cidadão e a maneira como se é tratado.
Amigo, isso pode funcionar para ambos os lados. Gostava também de ver isso que tu estás a dizer mas alguém a colocar-se no papel de um funcionário no privado a trabalhar por conta de outrém. Mais uma boa razão que acabaste de me dar.

Aqui á uns anos a baixa era uma constante no público, agora que isto aperta é bem mais dificil pedir baixa a torto e a direito. E enquanto tu descontas para o SNS mas depois tens algumas regalias (nem que sejam menores agora) eu e muitos outros descontamos também para o mesmo SNS e ainda pagamos muito imposto que irá ser usado por muita boa gente do publico, nem que seja de uma forma indirecta.

Agora faço-te eu umas perguntas :

- Já foste trabalhar alguma vez com febre?
- Já foste trabalhar durante um ano de calendário laboral sem faltar uma única vez?
- Quantas vezes é que trabalhaste mais de 12h seguidas?
- Pagam-te horas extras?
- Pagam-te a tempo e horas?
- Sabes o que é trabalhar a recibo-verde?
- Sabes que reforma TU vais ter?

E não me venhas falar em trabalhar por turnos pois eu sei bem o que isso é, porque tenho 2 pessoas na minha familia que trabalham dessa forma - a minha esposa e o meu cunhado, ambos a trabalhar no privado. E posso-te dizer que a minha esposa tem de aturar um patrão bem dificil.
A minha irmã e uma colega de trabalho tiveram um dia que meter baixa devido á maluca da sua patroa. Sabes o que é baixa por esgotamento fisico/mental?? Ter de ter um apoio psiquiátrico durante 2 ou 3 meses?
 
Last edited: