A crise já chegou, ou chegará, ao BTT?

#21
Eu penso que já esta a chegar só não chega e ao preço das bikes porque cada vez estão mais caras :) pode ser que com a crise as bikes fiquem mais baratas e não sejam só para os ricos :) pois foram os pobres que mais andavam nelas enquanto os ricos já andavam de mota :)
 
#22
A crise nunca chegará ao BTT... eventualmente acabará por chegar às nossas vidas, às lojas de bicicletas e às organizações de eventos mas não ao BTT. O BTT para mim não tem haver com o compomente xpto ou determinada marca. Não tem haver com a bicicleta que sonho ter. Não tem haver com o número de maratonas ou passeios que vou por ano. Tem haver com o espírito, a vontade de sair para o monte, de quebrar a rotina, esquecer os problemas e o trabalho e sentir-me bem comigo mesmo. A bicicleta é só um acessório, assim como são os ténis para o atletismo. Podem dizer... epá mas estás a ser um pouco utópico, não, não estou. A crise ainda vai é fazer-me andar mais de bike porque é das poucas coisas que faço que ainda não paga imposto. É verdade que vou cortar nos acessórios e tentar fazer a minha própria manutenção mas quem me tira o BTT tira-me tudo. É por isso que digo que a crise nunca chegará, pelo menos ao meu, BTT.
 
#23
Trabalho no ramo da construção e sei bem o que é a crise, à 2/3 anos trazia o dobro do dinheiro para casa e trabalho não faltava, hoje em dia falta trabalho e falta dinheiro. A crise sente-se? claro que sente, posso apontar assim de repente 10 ou 20 conhecidos que pouco andaram de bicicleta a não ser uns passeios de 30 km ao domingo de manhã(alguns que nem isso), que ostentavam bicicletas cujo xtr ia do pipo dos pneus à sua roupa interior, quadros seven e outros.. etc. Essas pessoas gastavam porque tinham dinheiro. Ai quem vai sentir a crise é o pessoal das lojas, pois já não há dinheiro para esse tipo de consumismo desmedido.

Quanto aos amantes do btt crise?
Eu pratico BTT desde 1994, desde então tive 2 quadros de btt, e adquiri recentemente uma fina para as voltas solitárias. Ainda tenho o meu primeiro quadro em cromoly todo com material quase de topo xt, sid, etc... Hoje em dia não sinto necessidade disso contento-me com material tipo deore bom e barato, sinto me mais preocupado se poderei usufruir dele ou não do btt, de sentir que quando estou na bike a crise passa ao lado. E que se quiser andar uma hora ou várias o preço é basicamente o mesmo.

O problema é quando chegamos hoje em dia a um passeio fico abismado com a quantidade de bicicletas de alta gama que se vê, enquanto à 10/15 anos nem nos nacionais de CC se via xtr em todas as bikes! quanto mais nos passeios de domingo!
 
#24
Boas,

Grande verdade Philco.

Já ouvi dizer em qualquer lado "não é a bike que faz o rider, mas o rider faz a bike", se não é assim é parecido.

Comecei a dar ao pedal mais a sério tambem em 1994, na altura a minha modesta Conor 21v de quadro em cromoly era ladeada na equipa por pro-flex's 757, 857 e alguma cannondale. A minha era o maior charuto e custou na altura cerca de 1/10 das outras, não foi por isso que ficou para trás... (Ainda mora lá em casa, agora velhota ajuda o meu cota a desentorpecer as pernas todas as manhãs :)

Tendo em conta que o Tuga é um gajo de modas, que corre atrás de tudo o que é novidade, ora pq é mais bonito, ora pq é mais leve, ora pq sim creio que dificilmente o BTT (enquanto desporto) será afetado, agora enquanto negócio isso sim será afetado e muito.

No meu caso deixei de participar (á algum tempo já) em tantos eventos organizados, ainda para mais se fôr longe. Continuo, caso tenha essa possibilidade de pelo menos 1 vez no ano pedalar numa zona diferente deste nosso Portugal, já fiz Idanha, S.Pedro do Sul, Sever de Vouga, Tábua e tantas outras, mas começo-me a abster de participar em todos os passeios e mais alguns só por participar.

Dou muito mais valor aos "ajuntamentos" de pessoal amigo, que já tive oportunidade de participar e de organizar. Tenho conhecido muita gente desta forma e pretendo continuar a fazê-lo e assim fomentar o companheirismo e a entreajuda nos trilhos, sacar umas belas fotos, rir á gargalhada com algumas peripécias e assim deixar os €'s para aquilo que é mesmo necessário...

O Pão para a boca...


Cumps
RODAS
 
#26
Também concordo que, cada vez mais, vão aparecer mais passeios locais organizados via facebook (por exemplo), em autonomia, num grupo de amigos, e apreciar o que de realmente o btt tem de bom: contacto com a natureza e amizade. A vertente mais de competição, também faz falta (falo por mim, gosto daquele pico de adrenalina que só a competição dá), mas cada vez mais o pessoal vai virar-se para os eventos da região. Percorrer meio Pais para participar num evento, cada vez mais está a deixar de fazer sentido.... Não sei se não é desta que a moda dos 100 eventos por fim de semana (passo o exagero) acaba.
 
#27
Boa tarde.
Tenho estado a ler os posts e agora decidi mandar o meu bitaite!
Pessoalmente eu e o meu grupo de amigos, ao qual damos o nome de RidersTT desde sempre que pensámos em dar prioridade às provas da zona...afinal moramos ou nascemos cá nesta aldeia, Ciborro, e somos todos muito ligados ligados a este espirito de provincia.
2excepções: Portalegre e Santarém!
Não me revejo na necessidade de fazer 100 200 ou 300km para andar de bike e me divertir, constantemente.
Aliás temos debatido muito isso, mas isto cada um pensa como quer!
A tão afamada crise vai-se notar nas lojas que fizeram grandes investimentos e têm de prestar contas ao fim do mês... Mas eu sempre ouvi dizer que mais mal ou mais bem lá se vai arranjado umas coroas para o que não é de 1a necessidade...:confused:
Enfim, hoje mais que nunca devemos racionalizar o dinheiro que temos disponivel. Se isto chegou até aqui, fará o que ainda poderá estar para vir...

Cumprimentos
 
#28
Só espero face á situação actual não ser obrigado a pedalar mais, nem faze-lo em horas em que habitualmente estaria a trabalhar, era muito mau sinal.
Isso sim, preocupa-me.
O resto para mim é acessório, cada um gasta naquilo que quer e que gosta ou pode, são opções, quando lhes vier a fazer falta provavelmente irão concluir que deram prioridade aos investimentos errados.
 
#29
A crise nunca chegará ao BTT... eventualmente acabará por chegar às nossas vidas, às lojas de bicicletas e às organizações de eventos mas não ao BTT. O BTT para mim não tem haver com o compomente xpto ou determinada marca. Não tem haver com a bicicleta que sonho ter. Não tem haver com o número de maratonas ou passeios que vou por ano. Tem haver com o espírito, a vontade de sair para o monte, de quebrar a rotina, esquecer os problemas e o trabalho e sentir-me bem comigo mesmo. A bicicleta é só um acessório, assim como são os ténis para o atletismo. Podem dizer... epá mas estás a ser um pouco utópico, não, não estou. A crise ainda vai é fazer-me andar mais de bike porque é das poucas coisas que faço que ainda não paga imposto. É verdade que vou cortar nos acessórios e tentar fazer a minha própria manutenção mas quem me tira o BTT tira-me tudo. É por isso que digo que a crise nunca chegará, pelo menos ao meu, BTT.
Concordo em absoluto!
 
#30
Não lhe chamemos crise, mas, uma alteração necessária de habitos. E será ai que vamos ver mudanças. Creio que inevitavelmente haverá alterações. Menos aquisição de equipamentos, menos bikes a ser vendidas, menos participantes em eventos organizados. Mas por outro lado, poderá ser positivo. Mais grupos de amigos, mais e melhor convivio (gratuito) e uma maior utilização até da bicicleta, uma vez que é uma excelente ferramenta de economia. Menos gasto em gasoleo, menos barriga e uma necessidade menor de recorrer aos ginasios.

Agora, menos ciclistas??!! Quem pedala por gosto não pára.

Quem sabe a dita crise não não trás algo benéfico para o pessoal do pedal.
 
#31
Eu não acredite que a crise chega ao BTT como a qualquer outro desporto (hobbie) que alguém goste mesmo!

E a resposta é fácil! Enquanto existir crédito (e esse vai existir sempre) haverá sempre clientes a pagar valores entre25 a 50 euros por mês por bikes de 1000 euros para cima! Isto apesar de não terem dinheiro nem para comprarem umas calças! Esta é a realidade e acreditem nela. pois mexo-me nesse meio...~~O crédito está sempre ali na "esquina à espreita...se o cliente não pagar, alguém há-de pagar!

É triste mas é a realidade e por outro lado é a grande "burrice" dos Portugueses!

É pra foto!
 
#32
Nao deixa de ser verdade Josant, o problema é quando as financiadoras apertam o cerco e tornam-se "esquisitas". A minha questão é: pode reduzir a qualidade das burras, mas não acredito numa diminuição dos cavaleiros.
 
#33
Pode ser que a crise refreie este ímpeto competidor que vai desvirtuando aquele espírito betetista que já não vejo, e, por isso, há muito que me afastei (sem deixando de pedalar, claro!).

marques
 
#34
Quando abri o tópico, não estava a pensar apenas nos passeios, maratonas, como lhe quizerem chamar, mas também no facto de podermos ser levados a ter que tomar opções que, até há pouco tempo, seriam de mais fácil resolução.
Falo por mim, maçarico no BTT, ainda não tenho barras/suporte para a bike, pelo que ou me limito a rodar por aqui, ou se quizer sair meto-a na carrinha (Opel Astra), mas aí ou vai a bike ou vai a familia (a patroa e dois miudos)... e isto porque ao redor de Ferreira tenho vários amigos e conhecidos, alguns até familiares, com quem poderia desfrutar de excelentes momentos de BTT.
O preço para o material que referi, em novo, chega a atingir valores que rondam os 200 € o que só por si já não um valor que se gaste de qualquer forma, e com o que se aproxima não sei se tão depressa irei adquirir esse material. E aqui acho que nem se trata de capricho, ou um "luxo", sendo certo que poderá haver outros preços mais acessiveis, nomeadamente aqueles modelos de suporte para fixar na porta da mala.
Créditos, sempre haverá, querem lá saber as empresas do ramo se quem a elas recorre está atolado até ao pescoço, ou para que serve o financiamento... e nesta campo também sei do que falo, pois trabalho na área da jusiça e as execuções são mais que as mães.
Mas claro que quem anda no BTT, seja em que forma for, se realmente andar por gosto, por paixão, não abandonará, quanto mais não seja irá desencantar uma pasteleira algures e andar sempre desde que tenha pneus... e pernas...
E aqui deixo um exemplo, embora sem referir pormenores, pois sei que aconteceu mas não presenciei. Este ano numa dos vários passeios (creio que 3 ou 4) organizados no concelho de Ferreira do Alentejo, a determinada altura, penso que ao passar pela aldeia de Odivelas, um participante nesse evento teve ou um furo ou qualquer outra avaria que não conseguiu raparar... após alguns desabafos com alhos e bogalhos no meio, um sr de idade que estava a assistir à passagem dos BTT'istas disse-lhe que se ele quizesse continuar lhe emprestava a pasteleira que estava ali ao lado... o dito participante não se fez rogado, deixou a sua bike com o velhote, pegou na pasteleira e vá de "penar" por esses campos até ao fim do passeio... mas 2º me contaram terminou... isto, quanto amim, é um exemplo do verdadeiro espirito BTT'ista.
 

dfilp

Active Member
#35
Sinceramente não vejo muito a crise a afectar este desporto..

Só vejo o preço das bicicletas a aumentar, e o pessoal a comprar..

Infelizmente não tenho carteira para comprar a bike dos meus sonhos, mas comprei há uns meses uma bicicleta que satisfaz completamente as minhas necessidades, é bonita, e tenho muito gozo em andar nela! Custou cerca de 3000€, não foi a escolha mais económica, mas não tive de recorrer a nenhum crédito, aliás fiz o inverso.. Andei cerca de 1 ano e meio a juntar, e só quando tinha todo o dinheiro necessário comprei a bicicleta, a pronto. Até lá contentava-me com a minha anterior bicicleta que tinha comprado em 2ª mão.

Outra coisa que nunca fiz, em cerca de 4 anos de BTT foi pagar para participar em qualquer tipo de evento. Não que tenha alguma coisa contra, pelo contrário, se algum dia um amigo me convidar para um dia de convivio e a inscrição não fôr abusiva (para cima de 20€ é automáticamente excluida) até vou.
Mas divirto-me na mesma utilizando o track gps de determinado passeio e indo lá outro dia com os amigos.

Um a coisa é certa, se o pessoal tiver um bom grupo de amigos para andar ao fim-de-semana ou mesmo durante a semana, não sente tanta necessidade de participar em tantos eventos. Pelo menos é o que eu acho.

Claro que quem anda no BTT por causa desses mesmos eventos, porque gosta de participar neles, força!
Para mim representam uma grande poupança de dinheiro que pode ser usado para outras coisas fora e dentro do BTT.
 

oliana

Active Member
#36
É tudo uma questão de prioridades. O dinheiro não chega para tudo (para alguns) e temos de escolher bem onde podemos gastar. Podemos abdicar de um carro de 20 000 euros e comprar um usado com 6000 e ficarmos mais á vontade para outras situações.
No entanto quem tem muito para gastar está sempre á vontade.
Dizer que a crise não vai afectar o btt é errado. Vai de certeza. Principalmente nos eventos onde a inscrição é mais cara. E na venda de bicicletas tambem. Esperem mais uns tempos.
 
#37
:nana:Trocar de bike em cada 2 ou 3 anos, só porque........... novo quadro e tal, blá blá blá, novo pedaleiro 2x10, blá blá, blá ???????
Isso "já era".........
Só para dar um exemplo, uma Scott de 2008 por 4,5K, agora vale 2,0K/2,5K?
pois pois, tá bem tá........... vai ter que durar muito tempo, ai isso é que vai!
10 Provas pagas com deslocações à mistura/ano? 2 ou 3 chegam

Agora, pedalar? sempre
 
#39
Viva.
Claro que a crise também se reflecte no nosso desporto.
Pessoalmente, todas as bikes que comprei e possuo foram compradas na base do amealhar para depois poder ter. Trabalhar para poder usufruir. Nunca recorri a créditos para a compra de novas montadas.
Actualmente tenho bicicletas suficientes e não penso em novas compras. Tenho uma com material novo e digamos que é a preferida a outra apanha com os restos todos, sejam eles pneus, correntes, rodas, o que for. É a bike de treinos.
Qualquer uma delas é montada e afinada por mim. À oficina só vão os travões e suspensões. Tudo o resto faço eu em casa e poupo bastante.
Muito do material que está montado nas bicicletas foi comprado em segunda mão e aquilo que não uso vendo.
Já tive uma altura na minha vida em que o dinheiro era mesmo muito curto e não dava para tudo, muito menos para alimentar a paixão do btt. Nessa altura a bike andava até o material não poder mais ou então ficava na garagem para não desgastar.
Como já foi dito alguns post's atrás... o ser humano adapta-se.

Boas pedaladas
 
#40
Mas qual crise????
btt e ciclismo ja nao sao desporto sao negocio....os preços super inflacionados uma vergonha como é que umas rodas chegam a valer milhares e material de media gama ja é uma fortuna....parece que andamos a nadar em euros.
para quem nao sabe o ordenado minimo é de 485euros...
Realmente anda meio mundo a enganar outro meio...