A crise já chegou, ou chegará, ao BTT?

#1
Há dias que ando a matutar sobre se vale a pena escrever neste fórum sobre algumas ideias que me assombram o espírito…

Como em todas as áreas da nossa vida, a tão mal fadada crise, também chegará a este desporto que, em passeios/maratonas, ao fim de semana, ou apenas de vez em quando, praticamos???

Não é só pela vertente económica, aumento dos impostos, cortes nos vencimentos, etc, mas também por, aparentemente, ser um desporto que está na moda, e com cada vez maior nº de passeios/maratonas.

Se os ordenados diminuem, diminui a capacidade de comprar bikes, de fazer up-grades… pois apesar do gosto ou paixão por este desporto, o mesmo não será para a maioria dos praticantes “a principal” prioridade nas suas vidas… há família, casa, etc…

Há maior nº de provas, os possíveis participantes dispersam-se, o que poderá fazer com que algumas deixem de ter capacidade de sobrevivência no futuro… tenho até alguns amigos que fartos desta “moda” do BTT, e de participar em passeios/maratonas, passaram apenas a ir sozinhos para o mato.

Se os impostos aumentam, também aumentará, mais tarde ou mais cedo, o preço das bikes, peças, e mão de obra, logo, e mais uma vez, poderá diminuir a disponibilidade de se investir.

Pessoalmente, devo dizer que sou um maçarico neste desporto, no qual entrei após bastante insistência de amigos.

A minha maior motivação para a prática do BTT está ligada à minha vida profissional ser muito sedentária, pois há anos que não praticava qualquer exercício físico de forma regular, e porque passo quase todo o dia sentando a uma secretária, o que com o aproximar dos 40’s, estava já a causar-me um acentuado aumento de peso (e de barriga), 1,67m de altura e 84 quilinhos é demais.

Após uns tempos a pedalar, noto já algumas melhorias a nível físico, e embora pretenda de futuro participar em alguns eventos, tou a ver a coisa ficar preta…

Comprei em Junho uma modesta SCOTT Aspect 30, dentro do orçamento que tinha, com a ideia de no futuro fazer algumas melhorias, mas o nosso 1º ministro já me trocou as voltas e tomara eu conseguir fazer as devidas manutenções e arranjar furos que vá tendo…

Apesar de ser apenas um desabafo, talvez a muitos dos amigos BTT'istas já lhes tenham passado estes pensamentos pela cabeça.
 
#2
Claro que a crise afecta tudo, e não só financeiramente, tambem psicologicamente. Eu posso ter muito dinheiro (e queria, mas noa tenho :lol:) mas com "a crise" tenho tendencia a poupar o máximo possivel.

Acho que as pessoas vão cortar onde podem, e o btt será uma das coisas certamente. Mas como em tudo, depende das prioridades de cada um. Uns preferem ter um carro bom, e uma bicicleta fraca, outros como já vi têm bicicletas de 3000€ e carros de 500€, isso depende do gosto de cada um, e não critico nem uns nem outros, desde que não causem dificuldades à familia (por exemplo créditos e coisas do genero) para financiar um hobby.

Quanto à participação nos passeios, isso já foi por aí discutido, mas à gente que participa nos passeios e é uma forma de dar a sua voltinha de fim de semana com a familia. Outros deixarão de ir atantos, outros passeios irão baixar o preço exagerado etc...

Tudo tem de se aptar, os proprios animais e plantas vão-se adaptando à mudança de clima, enquanto só se tem de cortar no BTT não é grave. O problema é aqueles que já não têm mais onde cortar...
 
#3
Eu acho que a crise ainda não chegou ao BTT mas, eventualmente, irá acabar por chegar.
Basta dar uma vista de olhos pelas secções "estou a pensar em comprar" ou pela "promoção de eventos" para nos apercebermos que as pessoas ainda pensam em fazer investimentos consideraveis, talvez por ser um desporto da moda, talvez por avaliarem mal as suas necessidades e prioridades ou talvez por ainda não se terem apercebido que isto vai ficar mau...
Parece-me óbvio que os preços irão disparar em tudo e mais alguma coisa e o nosso desporto em particular não irá fugir à regra, agora como hoby que é para a maior parte de nós, acho que teremos que refrear os nossos ímpetos consumistas e meditar muito bem sobre aquilo que efectivamento precisamos para nos continuarmos a divertir por esses montes e vales deste nosso Portugal.
Em relação às provas organizadas, muitas já desapareceram e mais irão pelo mesmo caminho, tamanha é a oferta neste campo, talvez devido a essa dita moda...
Quanto a mim o futuro (pelo menos nos próximos tempos) são os passeios de amigos ou as organizações espontâneas em que os bttistas se organizam de uma forma desorganizada (maior exemplo disto que acabei de dizer é o Assalto ao Caramulo).
 
#4
"STIG" acho que essas organizações dsorganizadas como o assalto ao caramulo proporcionam momentos de convivio e entreajuda que nas provas devivo à competição não se porporcionam, e que a meu ver são mais gratificantes.

Tenho pena de não poder participar nesse grande evento, essensialmente porque não tenho pernas para subir, nem travões para descer (embora o segundo não seja muito grave:lol:)
 
#5
É muito complicado... dou com este tópico numa altura da vida em que é preciso mesmo fazer opções...

Comprei uma bicicleta no inicio do verão, e até ver acho que fiz uma boa opção, desembolsei 800€ por uma Lapierre tecnic 700 ´10 uma bicicleta equilobrada e razoavelmente equipada (obvio que pode ser muito melhorada) e estou muito contente... na altura podia sem qualquer duvida dar o dobro por uma bicicleta e era o que gostava de o fazer, mas coloquei-me a analisar os pros e contras e cheguei a conclusão que para dar umas voltas ao domingo seria o suficiente e sendo assim com o dinheiro que fiquei no bolso, na hora de investir, poderei melhorar um ou outro ponto que ache necessário e posso usufruir da bicicleta, seja num simples passeio de amigos ou numa maratona organizada.

Acho que é um grande erro as pessoas fazerem uma vida acima das suas possibilidades, porque mais tarde ou mais cedo acabarão por deixar de poder gozar a vida. Tenho amigos que deram muito dinheiro por bicicletas realmente melhores, mas quando os convido para irem andar não podem, porque tem de trabalhar para pagar tais investimentos.

Neste momento de crise devemos mais que nunca racionalizar as nossas moedas, e avaliar bem o que estamos a fazer, porque, infelizmente, hoje nada esta garantido.

O BTT acho que ainda é um desporto acessivél, já fui a algumas maratonas/passeios, e vejo pessoas com bicicletas caras, mas também vejo pessoal com grandes "chaços" importa é haver vontade de participar e se não der para ir a um passeio organizado opta-se por um passeio desorganizado. Felizmente andar de bicicleta não paga imposto, não paga gasolina, podemos praticar em qualquer altura do ano, com qualquer bicicleta... A crise nunca chegará ao BTT... porque as pessoas não vão ter dinheiro para ir passear, para ir para o shopping e vão ter de fazer qualquer coisa... andar de bicicleta é uma das hipoteses.

Na minha zona cada vez se vê mais as pessoas a andar a pé, a correr, de bicicleta cada vez mais as pessoas praticam desporto e acho que isso se deve mesmo a crise, as pessoas precisam de se libertar da vida sedentária que tem, precisam de se abstrair de alguns problemas financeiros e psicologico e o desporto é uma boa terapia. É algo positivo para o corpo e mente!

Desculpem este testamento, mas apenas achei interessante o tema e apeteceu-me dar a minha opinião.
 
#6
Meus caros,

De facto o BTT é um desporto caro, e quem o pratica com alguma regularidade, por mais que não queira fazer upgrades (que acabamos inevitavelmente por fazer) mais tarde ou mais cedo vai-se ver na necessidade de fazer investimentos. No meu caso, este fim de semana, o prato do meio da minha truvativ stylo deu o peido e, como um azar nunca vem só, partiu-se o manipulo esquerdo. Tudo feito, sem contar, gastei 40€ no prato e 50€ em manipulos novos (ocasião x9 2009, novos, que aproveitei para fazer os tais upgrades que não contava).

Dito isto, vejam em quanto me ficou a brincadeira, assim sem prever. Para além disso, a participação em passeios está limitada a um por mês, no máximo, por razões orçamentais.

Claro que a vida é feita de escolhas, e a prática deste deporto assim o exige. Agora uma coisa é mantermos a bicicleta conforme as necessidades e aproveitarmos o material estragado para fazer upgrades, outra coisa é sermos escravos da moda, da opinião dos outros, da necessidade de showoff, isso é que, na minha opinião, deve ser evitado pela malta.

Agora que a crise exige a prática ainda mais deste desporto que é excelente para a nossa sanidade mental, lá isso exige. Por isso, a sós, com a cambada ou nos passeios e provas, o que importa é manter a alma sã em corpo são, pois se isto está mau, tenho para mim que ainda vai ficar pior.

Não poderia deixar de dizer que ando todo o ano, faça chuva ou faça sol, faça frio ou calor, e o material ressente-se. Mas não importa...
 
#7
"Stig" deve ser comigo...:D

Companheiro abelha2, se o teu problema é falta de pernas, não stresses porque neste dia de festa bttista ninguem fica para trás, aliás as minhas também não são grande espingarda:(
Participei em 2010 pela primeira vez e recomendo vivamenta.

Desculpem o off topic;)
 
#8
Só quem anda pelas modas ou por causa dos outros é que vai deixar de andar.
Quem gosta de dar aos pedais, seja no monte ou na estrada, continua a andar.
É certo que a crise vai separar o trigo do joio ... mas os que querem continuar a andar vão continuar a fazê-lo, independentemente de ser em mini-provas (vulgo passeios organizados) ou dispersos com/ sem companhia de amigos no mato.

Que vai complicar a vida às organizações, vai ... mas só às que usaram o BTT como moda e meio para fazer dinheiro.
 
#9
Quando vi o post pensei logo no que queria responder. Depois quando comecei a ver as respostas vi partilho a opinião com o que muita gente já aqui escreveu.

É claro que o BTT é um desporto mais caro do que ir correr para a rua ou do que ir jogar uma futebolada com os amigos... No entanto consegue-se praticar perfeitamente com orçamentos razoáveis. Provavelmente diminuirão as vendas das bicicletas topo de gama, provavelmente quem só anda cá por ver andar os outros se calhar deixa de andar. Agora, a verdade é que para ir dar uma volta com os amigos não é preciso uma bicicleta de 3000€ e também é verdade que os upgrades de que vamos precisando por uma questão de segurança e conforto (atenção que não escrevi performance...) não são assim tão caros.

Se calhar o número de participantes vai diminuir... mas 90% de quem sair será quem mais cedo ou mais tarde sairia por outras razões.
 
#11
Concordo plenamente com o Kamoes. Poderá parecer uma opinião quase "radical", mas infelizmente é verdade. Penso que vai haver muita gente que vai deixar de andar, isto porque não sente a verdadeira "paixão" e porque se meteu nisto por modas. Em relação aos eventos, penso que as míticas dificilmente acabam.
Mas o que me custa mais é ver o IVA do "desporto" golfe ... aqueles pobres. Sry o offtopic em jeito de desabafo.

cumps
 
#12
Felizmente a bina nao precisa gasolina nem gasoleo para andar :)

O que pode evitar as saidas de bina, apenas considero as avarias que a imobilizem (e não haver orçamento para o arranjo), de resto, não vejo mais nenhum motivo para deixar de andar.

Prefiro ir á descoberta com um grupo de amigos e na galhofa, do que andar em provas.
 
#13
À parte as modas, pode haver quem, se tiver por ex. uma qualquer avaria mais cara,mesmo num "cepo" tenha dificuldades ... e se calhar não é muito preciso esses tais azares passarem dos 100 €...
Depois há os caprichosos, que fazem up-grades porque o vizinho tem, porque pesa menos 5 gramas, ou porque é o ultimo modelo... mas será que não estão a tirar a comida da mesa, ou podem pagar essas despesas? Quem o puder fazer sem problemas,força... o problema é quem quer simplesmente andar com os amigos e com tanto aperto poderá mesmo ter que encostar.
Estarei a ser pessimista demais? Talvez,só espero estar enganado...
Mas também concordo com um companheiro que disse que muitos dos que à pala a crise vierem a sair,sairiam mais tarde ou mais cedo, e ao "olhar" ao meu redor vejo alguns exemplos de amigos que inventam mil e uma desculpas para não andarem.
Quanto amim, o espirito BTT'ista está no ir para o campo/mato com amigos, fazer km, conviver e depois talvez "ir aos morfes e às bjecas"... e curiosamente em pouco tempo já descobri e reencontrei amigos e conhecidos que há anos praticam este desporto, e nem sabia.
 
Last edited:
#14
A crise vai acabar por atingir este desporto como é óbvio...mas mesmo assim vê-se cada vez mais pessoal a comprar bicicletas topo de gama..por isso não sei onde anda a crise (o mesmo se vê nos automoveis só se vê bmw's e mercedes novos :p )
A mim a crise já me atingiu, porque gostaria muito de renovar a minha bicicleta e render-me à roda 29" mais precisamente à S-Works Stumpjumper Carbon 29" :p (são "só" 6600€)
Nada melhor do que ter cuidado e evitar andar sempre a "partir" a bicicleta...assim temos menos gastos!
Quanto ás maratonas, já que se tem tanta oferta, obviamente o pessoal não se importa de pagar a cima de 20€ se as condições forem boas, boa organização, etc (No caso da maratona de santo aleixo os brindes a que se teve direito deixou toda gente com um sorriso na cara porque por 20€ ter acesso ao que se teve é fantástico. No caso da maratona de portalegre acho um absurdo pagar-se 42€ quando os brindes não são nada por aí além e os caminhos basicamente têm sido sempre iguais, só mudam o sentido em que se fazem os trilhos e adicionam poucos trilhos novos, porque não irem até marvão?em vez de fazer-se sempre os mesmos trilhos?...). Mas claro o pessoal vai ter tendência para seleccionar as maratonas que acha que são as melhores e que compensa o preço da inscrição!
 
Last edited:
#15
A crise para mim, neste desporto não existe para alguns. Para mim já chegou a algum tempo. Só troco material danificado, por vezes por material usado, qpraticamente novo. Em relação aos preços praticados tou convencido que vao ter antes a tendencia para baixar, porque na minha opinião sao superinflacionados, logo com o alongar da crise o poder de compra vai baixando, as vendas vão caindo e o mercado vai-se ajustando, penso eu.
Tava no inicio deste ano decidido a trocar a minha Rockhooper 26 á lá carte por uma Carve 29, mas fui adiando até chegar a conclusão que mais vale tar quietinho, não me metendo em aventuras e ver no que isto vai dar.
Vou fazendo alguns passeios pagos e maratonas apenas aquelas baratas e com bom tacho no fim ou no meio, e mesmo assim com muita ponderação.
 
#16
Como já aqui foi dito, ninguém, pelo menos daqueles que andam nisto por paixão, irá deixar de praticar este desporto por causa da crise. Simplesmente começarão a gerir melhor os seus gastos. Se não dá para colocar o componente de nível x, coloca-se de nível y. Desde que me meti nisto, tenho tentado fazer isso, não apenas agora que a crise começa a minguar o dinheiro. Muitos começarão a fazê-lo agora. Outros, claro, deixarão com a desculpa do dinheiro. São aqueles que não durariam muito também no BTT.

E ainda, haverão aqueles que condicionarão a sua vida financeira por causa do BTT, mas isso são opções que fazem, e que espero não afectem as pessoas à volta (família)!

Por fim, obviamente que, não havendo na minha opinião, grandes desistências, toda esta poupança inevitável irá afectar lojas e eventos, e aqui, nos eventos, haverá uma seleção natural, onde as melhores e/ou as mais baratas (desde que apresentem a qualidade mínima) irão prevalecer. Mas por enquanto, isso ainda não aconteceu, e basta ver que o número de provas e de participantes tem sempre aumentado.


Por fim, uma perspectiva diferente: muitos de nós, apesar da crise, mantêm alguma capacidade financeira para manter um certo nível de gastos no BTT (pois há gastos mínimos que um bttista frequente tem que fazer), e provavelmente, preferirão cortar em gastos desnecessários para poder manter o nível de gastos neste hobbie/necessidade (eh eh).

Conclusão: a crise calha a todos (quase todos), mas não é por ela que se deixa de pedalar!
 
#17
Seguindo a onda, admito que a crise também já está a condicionar este meu hobby. No entanto, e parando um pouco para pensar a coisa mais a frio, facilmente chego à conclusão que há males que vêm por bem. Vejamos: Este ano não troquei peça nenhuma na bike (nenhuma avariou, logo não havia necessidade). Na bike de estrada, os poucos euros que têm sido gastos, têm ido na totalidade pra pneus, câmaras de ar e remendos (já me esquecia, a de BTT também ganhou um pneu atrás). Ainda fiz algumas maratonas e passeios pagos no início do ano, mas agora restrinjo-me apenas a passeios com amigos. Resumindo, não faço gastos desnecessários e divirto-me na mesma. Quanto aos 42 euros pedidos para o Portalegre referidos ali pelo João, se não os dei em edições anteriores por os achar um autêntico roubo, não será agora concerteza que os irei pagar. É vergonhoso ver gente que se aproveita assim dos entusiastas para encher o bolso...
 
#18
Na minha zona cada vez se vê mais as pessoas a andar a pé, a correr, de bicicleta cada vez mais as pessoas praticam desporto e acho que isso se deve mesmo a crise, as pessoas precisam de se libertar da vida sedentária que tem, precisam de se abstrair de alguns problemas financeiros e psicologico e o desporto é uma boa terapia. É algo positivo para o corpo e mente!
Se repares nos ultimos anos abriram muitos ginasios, pois virou moda ir para o ginasio...Agora como não o podem pagar, deixaram-no e vão correr. O problema é que muita gente pensa pouco no futuro, e os 40€ por exemplo que deram por mes no ginasio, se o tivessem poupado provavelmente agora faria jeito..

Cheguei a assistir a alguns colegas de faculdade, que no final das aulas correm à volta do hospital são joão, a convidarem outros que vão ao ginasio para irem a um jantar de curso, e eles dizerem que não podiam ir pois não tinham dinheiro. No entanto podiam correr ca fora, em vez de pagar 40€ para estar a correr no mesmo siteo...Mas são opções.

A crise, para quem poder, no BTT pode ser muito boa para o mercado de usados, infelizmente para uns, e felizmente para outros, secalhar vamos ver cada vez mais, bicicletas de topo, vendidas ao desbarato, porque precisam do dinheiro para pagar algo.
 
#19
Meus amigos,

Só digo isto :

Deixem passar mais um aninho ou dois...e depois voltarei a este tópico para dar a minha opinião, mais concreta.
Eu já a tenho formada, porque sei olhar para a frente...bem para a frente.

Uma coisa vos garanto - nada irá ser igual ao que é hoje.
Memorizem a data deste meu post, e depois voltámos a falar.
 
#20
Uma coisa é certa, a questão não e´se a crise vai afectar o btt, mas sim, se vai afectar a vida de cada um de nós, e aí sim, claro que vai afectar a vida de muitos de nós (alguns nem tanto... sortudos). O btt, é apenas mais uma coisa nas nossas vidas. Há muito mais coisas para além disso.

O problema é que quem até hoje vivia no limite dos seus orçamentos, no futuro próximo vai dar por si a viver acima desse orçamento, e isso é um problema, para muitas familias. Verdade seja dita, para estas familias, era uma questão de tempo, porque andavam sempre no fio da navalha. A culpa é da sociedade de consumo, do constante bombardeamento publicitário, da necessidade de viver ao nivel daquilo que os vizinhos também têm, porque se assim não for, parece que são pessoas inferiores. Isto está incutido em nós enquanto pessoas, mas especialmente enquanto Tugas.....

Mas também há quem, não recebendo balurdios, até hoje vivia com uma margem que lhe permitia até efectuar poupança, mesmo comprando os seus mimos, e com a redução do dinheiro disponivel anualmente, pode ficar a viver próximos ou mesmo encostados ao limite, sem ter culpa de nada. Ainda assim, acho que são esses aqueles mais injustiçados, porque viviam com o que tinham, dentro dos seus orçamentos, com as suas contas em ordem e bem reguladas e de repente, porque alguém diz que lhes vai tirar dinheiro para pagar coisas que eles não tiveram culpa, deixam de ter margem de manobra, quando até agora, fizeram nos seus orçamentos familiares, aquilo que quem lhes vai tirar dinheiro, nunca soube fazer durante anos com os seus orçamentos (Estado). Estes, como estão habituados a viver com folga, vão cortar também em muita coisa mais superflua (e aqui, provavelmente o btt está inserido), como forma de manter essa folga (ou uma mais reduzida, mas ter pelo menos alguma folga). Ainda para mais, não é segredo nenhum que isto vai ainda piorar, e por isso, mais vale prevenir, poupando o que se puder.

Seja como for, a verdade é que isto caminho para um de dois rumos: Ou nós Portugueses nos acomodamos a estas medidas, de ânimo leve, e continuamos as nossas vidinhas, ou nos revoltamos e fazemos com que todos aqueles que são culpados pelo estado em que o País se encontra sejam chamados à justiça e paguem por aquilo que lezaram o País. Para além disso, há muito dinheiro que pode ser poupado aos cofres do estado, sem que para isso tenham que mexer no dinheiro que todos nós lutamos todos os dias para ganhar. Como é que se atrevem a vir a mexer naquilo que é nosso. Antes disso, mexam primeiro naquilo que é deles e no seu poder de compra e regalias exageradas que possuem (de todos os que por lá passaram desde Abril de 74). Depois disso, se não chegar, não me importo de ser patriota e chegar-me à frente. Pelo menos, devem-nos isso.