FCM

#1
Olá, pessoal!

Fiz uma prova de esforço há 2 semanas e recebi agora os resultados.
A conclusão do exame foi boa, mas tenho uma dúvida:
Tenho 38 anos, a fazer 39 este ano. A médica introduziu a Frequência Cardíaca Máxima (FCM) esperada na máquina, que era de 182 pulsações por minuto (PPM).
Durante a prova de esforço, no último estágio (nível 6) a minha PPM chegou às 200, o que representa, tal como aparece no resultado, 109 % da FCM.
Isto é bom sinal, é mau?
Ainda senti que não estava no limite, mas a médica optou por terminar a prova de esforço, porque já tinha os resultados pretendidos.
Ora, pelas minhas contas, isto é o mesmo que ter a FCM de alguém com 20 anos.
Mas não sei se é bom ou mau, já que também quer dizer que as batidas serão sempre altas em esforço, embora a minha Frequência cardíaca em repouso seja baixa (47/48).

Abraços.
 
#2
Boas!
Com essa FC de repouso, parece que está tudo bem. De facto a máxima teórica é mesmo só isso, teórica. Quaquer pessoa que tenha um passado de actividade desportiva regular poderá ter uma FCM superior á teórica... ou não :lol:. Mas isso também varia de pessoa para pessoa... de coração para coração! Dizes que em esforço apresentas normalmete uma puls. alta, e recuperas com facilidade? Isto é, ela sobe e baixa facilmente ou fica pendurada lá em cima mesmo depois de teres "tirado o pé"? Se as recuperações forem rápidas, óptimo! É sinal que a máquina está bem trabalhada e elástica, como convém! Senão... aí é que pode haver motivo para preocupações!

Abraço!
 
#3
A recuperação é rápida, eu fiquei admirado foi pela FCM ser tão alta.
Normalmente treino dentro das 140/145 PPM intervalado com sprints curtos (10 segundos) com alguns treinos mais puxados dentro das 155/160 PPM com alguns sprints onde chego às 180 PPM, mas baixam rapidamente no fim do treino.
 
#4
Boas,

Não és o único com esse tipo de valores. Quando fazia corrida, e normalmente treinava com uma equipa de atletismo federada, 4 vezes por semana (digo que treinava porque estou a recuperar de uma cirurgia a uma hérnia inguinal) e normalmente as pulsações ultrapassam as 200, cheganda a atingir uma vez as 213 ppm num treino bastante puxado com séries rápidas. Tenho uma recuperação bastante rápida o que acho indicador de boa forma... espero eu! Pelo menos sempre me senti bem e sempre fiz exames regulares devido a ser atleta federado em futsal.

Abraços
 
#6
A pulsação média numa prova dura anda à volta das 160.
Depende se é uma maratona de 100 kms ou uma meia de 50, os ritmos são diferentes...
 
#8
grox said:
A pulsação média numa prova dura anda à volta das 160.
Depende se é uma maratona de 100 kms ou uma meia de 50, os ritmos são diferentes...
Se numa meia maratona a andares bem, tens 160 de media o teu maximo deve andar pelas 180 +-.
Acho que deves confirmar esse valor dos 200 ppm pode ter sido uma leitura errada.
 
#9
Esse valor refere-se às maratonas de 100 kms, que é o que tenho feito mais e onde vou mais "relaxado".
Quando se trata de meias-maratonas de prego a fundo é diferente, mas não tenho valores, já que só agora comecei a ter mais cuidado com estes aspectos do treino e quando vou para o mato nem sempre levo medidor de frequência cardíaca, só quando treino na bicicleta de spinning.
 
#10
o protocolo de bruce tem 5 niveis, pelo que, embora não sendo técnico, acho estranho referir o nivel 6? seria outro protocolo? qual?

depois, qual o tecnico/medico que, em teste ergométrico, deixa ir a FC alem do limite máximo para a idade?

por ultimo, falam em FC, e então a pressão arterial? não conta? querem um AVC?

estranho...

não se achem fortes por aguentarem mais ou menos, isso é uma ilusão

FCmax = 220-idade o que dará nessa FC aproximadamente 200 de pressão sistólica, acima disso temos o risco de trombose/AVC... brinca brinca depois queixa-te

no spinning tens medidor de FC, no mato não... sim sr... eu faria ao contrário, pois o mato é irregular e imprevisivel, diferentes velocidades/cadencias, e por isso requer medidor de FC

--------------------------------------------------------------------------------------------

TESTES CARDIORRESPIRATÓRIOS

protocolos para calculo do VO2máx.

- Cicloergómetro
· Protocolo de Astrand
· Protocolo YMCA

- Tapete
· Protocolo de Bruce máximo
· Protocolo de Bruce submáximo
· Protocolo de Balke máximo
· Protocolo de Balke submáximo

- Step / Banco
· Protocolo de Astrand
· Protocolo de Queens College

- Campo
· Cooper 12 minutos
· Balke 15 minutos
 
#11
Fui ver os resultados e é efectivamente o protocolo Bruce e estão cá os 6 níveis ( ao último corresponde uma velocidade de 8.20 km/h e uma inclinação de 18 %), embora estas duas (velocidade e inclinação) sejam iguais ao nível 5, suponho então que este nível 6 seja uma continuação em tempo do último (nível 5).
Realmente também estranhei o facto da técnica ter permitido que ultrapassasse a FC máxima prevista, só reparei depois quando recebi os testes...
Esta prova de esforço foi precisamente para ver a evolução da pressão arterial em esforço, já que estava um pouco elevada e foi sempre controlada durante a prova.
Eu utilizo o medidor de frequência cardíaca para treinar em bicicleta estática de modo a cumprir objectivos; no mato ando nas calmas, nunca chego aos limites, excepto nas maratonas e aí sim, controlo a frequência cardíaca e ainda assim não me meto em aventuras.
 
#12
fazes desporto há muitos anos?

chegares ao V sem problemas (dor no peito) é excelente
ultrapassares a FCmax e a pressão de 200mm é péssimo, se meteres uma pressão demasiado forte num balão, puffff, é o que pode acontecer a quem passa os máximos cardiacos

eu fiz o protocolo de bruce, 41 anos, cheguei ao IV com 96% da FCmax, e uma tensão de 19-8, a medica perguntou se eu aguentava mais para ir ao V, eu disse que sim, mas ela optou por desligar a maquina visto estar proximo do limite

se ela me tivesse deixado ir às 180 tinha feito o V, mas seria imprudente
 
#13
Faço desporto desde sempre, nesta prova a técnica perguntou se aguentava mais, eu confirmei, mas após alguns segundos nesse nível 6 optou por parar, porque já tinha os resultados pretendidos.
 
#14
meu amigo com os valores de FC em repouso tao baixos, e FCmáx tão elevada posso dizer-te que tens aquilo que a elite dos desportistas apresenta e que toda a malta gostava de ter......ter pulso baixo e conseguir suportar esforços a uma Fc tao alta.....deves ter bastante facilidade em evoluir no treino de cerrto não? e se consegues fazer com que o pulso baixe rapidamente com pouco repouso excelente.....
 
#16
pegasus said:
a FC min não deve ser inferior às 50, acho eu, que não sou médico, mas pelo que leio....

mas o grox é um desportista crónico, ainda bem
Porque?
todos os desportistas de elite ou não, têm fc min inferior a 50, eu quando treinava atletismo mais a sério tinha 42 ppm, e não sou nehum desportista de elite.
 
#17
a FC min não deve ser inferior às 50, acho eu, que não sou médico, mas pelo que leio....
As 47/48 ppm são medidas ao acordar.
Durante o dia, normalmente estão nas 53 ou à volta disso.
Há uns anos tinha cerca de 42/43.
No que referes em relação a valores abaixo das 50 ppm, deves estar equivocado, existe sim um problema que é a braquicardia sinusal (se não estou em erro) e que só é efectivamente um problema se for detectada em pessoas "normais", que não pratiquem desporto. Em pessoas que tomam medicamentos para baixar o ritmo cardíaco também podem aparecer esses valores.
Para quem treina todos ou quase todos os dias esses valores são normais.
Já tiraste a frequência cardíaca em repouso ao acordar?
Essa é que é a que tem de ser tomada em consideração.

mas o grox é um desportista crónico, ainda bem
Crónico?
Não, mas treino praticamente todos os dias, algo comum a quem faz deste desporto um dos seus prazeres, assim como a maior parte dos colegas de pedalada que conheço.
 
#18
Para saber a vossa FCRep é em pé e imóvel.Depois se querem saber mais alguma coisa vão aos( cálculos para uma boa forma) meti esse post.Primeiro dêem uma olhadela as minhas mensagens no meu post
 
#19
A frequencia cardiaca em repouso, para mim, e pelo que li em vários locais sempre foi deitado. Isso sim, é mesmo em repouso.

Mas já vi muitas opiniões divergentes. Sobre se mede logo que acorda ainda na cama, depois de ir urinar, depois do peq. almoço... enfim.

Essa forma "ortostática" ou seja, em pé, é só mais uma diferente.
Para quem anda de bike, porque não até mesmo sentado no selim, mas em repouso?
E porque não usar os valores dos aparelhos usados para medir a tensão arterial? Um desportista também deve controlar esses valores, não?(Anda por aí um plano de treinos detalhado, onde se inclui a medição da TA antes e depois do treino) E esta é medida em repouso, mas sentado...


O que é mesmo importante no caso, no meu ponto de vista, é que a pessoa que vai medir para ver as diferenças de uns dias para outros, o faça sempre da mesma maneira. Se é deitado, é sempre, se é em pé, seja então sempre em pé. (ou ainda, sentado)

E por acaso achei piada ao site dos cálculos da intensidade cardiaca, pois fazem "a papinha toda" a quem é preguiçoso para fazer as contas. Muito útil portanto. :venia:

(No entanto o facto da FCMax ser introduzida também por alguém que a determine apenas por 220-idade, pode comprometer por completo os resultados da tabela.)

Para quem devia ir apenas aos 182, chegar aos 200, só quer dizer que deve estar com uma boa forma física, mas não será o mais aconselhável andar nos 200, sem fazer algum teste que permita dizer qual é o máximo suportavel, saudávelmente. Acho que isso deve ser possivel.
Efectivamente também acho que a TA deve ser um factor a ter em conta, pois se ela já estiver um pouco alta, levar a pressão ao máximo pode fazer estourar alguma coisa. Concordo plenamente com esse ponto.

Por outro lado, assumir os 200 como máximo possivel, ou 182, para quem ande a treinar é completamente diferente, pois os 182 podem corresponder a 88% do esforço, estar a entrar ainda na resistência dura, ou pode ser já o máximo...

Acho que devem existir locais, onde se possa determinar o tal máximo, e se é saudável esse máximo ou não para a pessoa em causa. Pensava até que era esse teste de esforço que o determinava. E onde seriam controlados outros parametros, como por exemplo a TA. Para ter a certeza que não ia explodir nenhuma veia no local menos próprio :s
Como tenho 31 anos o meu máximo teórico são 189bpm.
Quando me distrair e for para cima dos 189... logo me preocupo com isso... por agora treino sempre abaixo de 175 quando faço picos, e ando normalmente a 140-165 em treinos. Não preciso de mais, e acho relativamente seguro. É por sensação, se me sinto bem, e está dentro dos valores tabelados e aceitáveis...


Já agora, sobre os valores minimos, posso dizer que há pouco mais de um ano tinha uns kilinhos bons a mais, e era bem sedentário, desde essa altura fiz 9400km, perdi uns bons kg, e de 85ppm em repouso, passei para 75 em 1 mes, 70 no mes seguinte, e neste momento tenho 45ppm em repouso, e não tenho problemas cardiacos a julgar pelos exames médicos que fiz recentemente(checkup geral). Simplesmente estou com uma muito melhor forma física.
 
#20
Eu com 22, uma vez na passadeira, o pulsómetro marcou 203 :shock:

confesso que mal vi o valor, abrandei logo...

curioso que de bicicleta ( BTT ou estática) em poucos segundos recupero. Se for na passadeira, mando-me para as 150 a velocidades baixas... 6km/h p.ex... e demoro talvez o dobro do tempo a recuperar...