Jogos Olimpicos 2012 - Lusitânia Road to London.

#21
Boas,

a minha votação foi para o David Rodrigues, mas o leque de atletas com qualidade e potêncialidades para irem aos Jogos Olimpicos é bastante bom, e de certeza que nas próximas épocas ainda vão aparecer mais atletas que ambicionam o mesmo, atletas que já andaram no btt e foram para estrada e vão concerteza regressar. Vamos ver este ano os resultados obtidos pela selecção lá fora.

Mas apesar de ter votado no David Rodrigues, axo que até ao momento quem já tem mais provas dadas para estar presente nos JO é o Luis Leão Pinto, pois os resultados dele no Camp. do Mundo de XCM e XCO foram muito bons, só que a questão é que ainda faltão 4 anos!!! Fica tambem na dúvida como vai regressar para o ano após a extração de um rim. Espero que regresse ainda mais forte.

Boas pedaladas
 
#22
Eu já votei e nem preciso dizer em quem... mas terei que saber mais sobre projectos e calendários de atletas nacionais para este ano por forma a manter o meu voto... ou alterá-lo... e passo a explicar porquê:

Se pelo menos 2 ou 3 atletas nacionais não forem, PELO MENOS a Espanha levar porrada este ano para aprenderem a andar a sério para que no próximo ano consigam defender os pontos UCI das nossas provas nacionais que são a nossa única hipótese de lá a Londres, em 2010 os espanhóis entrarão pelas nossas provas pois com o recente acordo entre as federações portuguesa e espanhola em princípio os calendários serão feitos de forma a que não batam em simultâneo os de cá e lá, em 2010 virão cá sempre 2, 3 ou 4 espanhóis buscar estes preciosos pontos, e farão treinos tranquilos sem respirar para ganhar as nossas provas... como têem sempre feito que cá vem um cócó qualquer que lá faz 15º, sem que a falta de um nível mínimo que temos nos possa valer...


... e como por exemplo já sei que um dos cracks portugueses, para 2009 preferiu fazer a Tacita de Portugal em vez do Open de Espanha, mesmo que tivesse TUDO pago para fazer o Open, mas o medo de perder forte imperou... se os outros atletas se acobardarem também (sim... é de cobardia que falamos) e não forem pelo menos a Espanha e há este ano provas a 400km de Portugal, o meu voto muda para a hipótese mais que certa de que mais uma vez Portugal não terá ninguém nas Olimpiadas de Londres... e desta a culpa não é da Federação que apoia com a Selecção, nem dos organizadores que passaram o nível das provas a C2 e promete C1 para 2010 e com este esforço colocam o ouro há disposição DOS ESPANHÓIS... desta a culpa é da eterna falta de nível dos atletas portugueses, desta vez aliadas à cobardia...


Haja paciência para tanta cobardia revelada no terror de correr em Espanha e levar porrada, preferindo ganhar cá e ter uma glória de porcaria em títulos que nada valem pelo nível de 3º mundo do btt que as nossas provas têem... querem olímpicos? Vão lá fora aprender a andar de bike... deixem de ter medo, sejam valentes...

O atleta português, neste momento é o elo fraco da corrente... é demasiado fraco... até em valentia...

Se este ano nas primeiras provas não vir em Espanha os Tops portugueses a correr... garanto que mais uma vez não haverá olimpíadas, neste caso em Londres, para este fraco XCO...



que me perdoem aqueles que são valentes e gostariam de ir e que pelo orçamento não podem... (deus dá nozes a quem não tem dentes... o Btt nacional continua dar nozes e muito mimo e condições a quem é fraco, medroso e pouco valente, deixando como sempre os valentes sem apoio),
paulo marinheiro
 
#23
Boa noite amigos do pedal.

Na minha opinião considero todos os atletas que estão a votação capazes de dar tudo e deixar Portugal bem visto, mas sinceramente meus amigos, até 2012 ainda muita água têm que correr debaixo da ponte.

Acho que ainda faltam 2 ou 3 atletas que não estão a votação que eventualmente poderão fazer uma boa prestação se continuarem com o empenho que têm demonstrado.

Paulo Marinheiro como disse o nosso colega do pedal Moniz82 e bem dito, que os objectivos/regras, do tópico e sondagem, se encontram no primeiro Post, convém sempre oferecer uma leitura atenta, para que se saiba da linha orientadora que se pretende com tudo isto e não fazer ataques a este ou aquele porque não vai participar no Open de Espanha.

Atenção que não sei e não quero saber quem é o atleta que se refere mas se essa pessoa preferiu apostar na Taça de Portugal só temos que respeitar.

Boas pedaladas
Marco Rosa
 
#24
Breve análise aos resultados até então.

Não irei comentar os resultados dos atletas, concentrado assim o meu esforço analítico às duas últimas opções de escolha, que se revelam pelo resultado até então, justificativas de tal cortesia.


Opção: Outro Atleta que não os mencionados. (9 votos à data, desta mesma escrita)

São expressivos os votos nesta opção, não contando com o atleta mais votado ( Ricardo Marinheiro ), passo a explicar porque concordo com esta opção:

:arrow: Qualquer um destes atletas pode desistir, lesionar-se, ser preso (hehe), cenários hipotéticos, mas a ter em conta, dando lugar a um outro que nem sequer estava equacionado, um suplente dos suplentes.
:arrow: Mais um cenário hipotético, seria naturalizar um qualquer estrangeiro que é muito bom no seu País, mas que não basta para ser melhor que os seus companheiros e que em Portugal seria de longe melhor que qualquer um, representando assim a nossa Nação. ( não é inédito já aconteceu noutras modalidades como tão bem se devem recordar)
:arrow: Os artistas da Estrada, que andam meio desempregados e podem vêr aqui no BTT uma oportunidade de brilhar como nunca tiveram na estrada.
:arrow: Uma coisa me parece certa ou quase certa, a ser, será um que é hoje ou Junior, ou Sub 23, ou Elite.

Opção: Não existirá representação Portuguesa nos J.O. 2012. (10 votos à data, desta mesma escrita)

É um cenário que se colocou e quanto a mim não é descabido, a explicação surge clara por parte do Sr. Paulo Marinheiro neste mesmo espaço e um pouco mais elaborada no Tópico Bem Feito ou Mal Feito, Post nº 146, que sem dúvida é uma visão bem realista do que poderá vir a acontecer.


Findo assim está análise, cujo teor remete para uma clarividência de factos possíveis e que não deverão ser dissuasores de futuras escolhas, por parte dos membros votantes.


Saudações aos vontantes BTTistas.
 
#25
MTS said:
Boa noite amigos do pedal.

Na minha opinião considero todos os atletas que estão a votação capazes de dar tudo e deixar Portugal bem visto, mas sinceramente meus amigos, até 2012 ainda muita água têm que correr debaixo da ponte.

Acho que ainda faltam 2 ou 3 atletas que não estão a votação que eventualmente poderão fazer uma boa prestação se continuarem com o empenho que têm demonstrado.

Paulo Marinheiro como disse o nosso colega do pedal Moniz82 e bem dito, que os objectivos/regras, do tópico e sondagem, se encontram no primeiro Post, convém sempre oferecer uma leitura atenta, para que se saiba da linha orientadora que se pretende com tudo isto e não fazer ataques a este ou aquele porque não vai participar no Open de Espanha.

Atenção que não sei e não quero saber quem é o atleta que se refere mas se essa pessoa preferiu apostar na Taça de Portugal só temos que respeitar.

Boas pedaladas
Marco Rosa




Marco,
Não estou a pôr em causa a opção do atleta ou atletas que não corram em Espanha que é deles e só deles... apenas digo que nssa situação ganhará a opção "não existirá atleta nos JO..." se os atletas optarem e bem por fazer até em vez da Taça de Portugal, apenas o regional do Minho ou o Norte Alentejano que são mais fáceis de ganhar ainda entendo mais...
... entende que isto não é crítica, é constatação de que se os nossos atletas não assumirem baterem-se com os melhores e com isso ganharem o andamento que acredita é de uma diferença abismal, como se pusesses o Benfica a jogar com o F.C. da Igreja Nova da 5ª divisão (eu já ví vezes demais esta diferença ao vivo em provas internacionais), os pontos não vêem para nós, e mesmo que venham eu pergunto... alguém quer em Londres ser representado por um atleta tipo anti-pass-kwari do Zimbabué e passar a vergonha de ser dobrado e encostado à entrada para a 3ª volta? É isto que o Btt nacional quer? Um atleta à força em Londres, nem que seja para ser dobrado e que faça a figura vergonhosa demonstrando ao país todo que não conhece o Btt mas que aí estará atento, que o Btt é um desporto de menino riquinhos que usam bicicletas de 1500 contos mas que não valem nem se esforçam nada? se é isto, eu penso com pensou o Presidente hà 4 anos em Atenas quando recusou o lugar obtido mas sabendo pelos resultados a diferença abismal decidiu que mais valia não passar a vergonha... se for assim eu acho que mais vale não ir ninguém.

sobre as regras do tópico, eu apenas disse que mudaria o voto para o "não vai é ninguém", e para isso expliquei o porquê da mudança "iminente"

paulo marinheiro
 
#26
Peço desclpa pelo erro, ao referir que o Luis Pinto foi ao mundial de XCO, foi sim ao Mundial de Maratonas e ao Europeu de XCO.

Os artistas da Estrada, que andam meio desempregados e podem vêr aqui no BTT uma oportunidade de brilhar como nunca tiveram na estrada.
Era neste ponto que tambem me estava a referir, quando falei no pessoal de estrada... vai haver muita gente tentada a regressar, pois uma presença nos JO é algo bastante tentador!!

Boas pedaladas
 
#28
Eu acho que o Luís Pinto é o mais sério candidato, não tirando honras a nenhum dos outros propostos. É que o Luís é o mais experiente, o mais batalhado e não é só o corpo que pedala. A mente tb é muito importante. Com o problema de saúde ultrapassado a mente vai racionalizar melhor e a sensação de dor ou de impotência é minorizada. Quanto aos mais novos, esses terão uma dificuldade maior para lidar com o stress e isso é altamente prejudicial. Mas vamos vendo. O mais importante é finalmente termos alguém lá na linha de partida. De resto, quer quer que seja, de certeza que me irá ouvir aos berros a dar ânimo.
 
#29
A Pirâmide de Coubertin e suas implicações no BTT nacional.

" Para que cem se entreguem à cultura física é necessário que cinquenta pratiquem desporto. Para que cinquenta pratiquem desporto, é necessário que vinte se especializem. Para que vinte se especializem, é necessário que cinco sejam capazes de proezas espantosas "

Mémoires Olympiques, Pierre de Coubertin (Criador do Jogos Olímpicos da era moderna).


Caros leitores, esta Pirâmide, representa o verdadeiro e mais importante impacto que poderá advir dos capazes de proezas espantosas.
Proeza espantosa será participar nos J.O. de 2012 na modalidade de XCO, desta constatação lógica ao comum mortal, resulta que: mais se vão especializar, mais se irão federar, mais irão pedalar, mais se irá falar, mais se irá ganhar e em tudo o que mais de mais vier, nada se perde. Cinco são os da votação, destes cinco, ou de outros tantos capazes de proezas espantosas, se espera que pelo menos um permita atingir o ponto capital da ideologia de Coubertin.


Kurt Lewin dizia: " Não existe nada mais prático do que uma boa teoria ", tinha e tem toda a razão este Psicólogo com contributos dados à Gestão.
Assim e a título de exemplo prático da teoria acima traçada, relembro o caso Vanessa Fernandes. Triatlo, modalidade recente em Portugal, com poucos participantes, com poucas provas, sem técnicos, sem retorno, sem audiências. Observem então a situação actual, que em nada se compara ao passado e que tem como responsável máxima, uma capaz de proezas espantosas.


Este local também é um espaço de motivação, é um espaço que se quer São, aos participantes também se lhes reserva o direito de incutir aos atletas, através de palavras, um espirito libertador da vontade em querer trabalhar, para ser um desses tais, dotados para feitos magnificos.

Assim presto o meu contributo com a seguinte Frase:

Não se pode acreditar em coisas impossíveis, caso contrário, é falta de Treino.



Saudações aos admiráveis BTTistas
 
#30
Gostei do que li, sim senhor. Devemos olhar para esta empreitada (a de alguns) com o rigor e a dimensão necessários. Será um feito grandioso o apuramento. Será maior ainda um lugar de destaque na classificação.
 
#31
Moniz... fantástico post!

Diz tudo pelo qual me tenho batido, por vezes sem esta forma bonita com que tu te exprimiste, por vezes até de forma agressiva.
Um dia esta Federação vai de certeza acordar, ainda e sempre a tempo para ela própria que tem "todo o tempo do mundo", mas se calhar para muitos atletas já será tarde como para muitos já o foi. E perceberá esta Federação mas noutro tempo... noutra cultura, o que é óbvio para todos, menos para uma Federação que com a Estrada é como uma Cuba Fidelista que isolada insiste que o "ideal" ainda existe. Em Portugal a estrada está morta em termos de desporto que não tem expressão, não aparece na TV, não é falado no café, ninguém sabe o nome de um ciclista sem ser o Cândido Barbosa, salvando-se apenas a Volta e mais nada, seja em onde for, excepto a Volta ao Algarve quando cá vêem os Armstrongs, e mesmo nestas 2 situações já não há "amor" como houve noutros tempos que a malta vivia o ciclismo, sabia as equipas, conhecia os atletas... tudo isso morreu nos frascos de doping de um desporto viciado e caduco. Há ainda muito grupos de ciclo-turistas de estrada, mas basta num dia de sol ir a Sintra e perceber através dos milhares de Betetistas que lá estão, que o milagre que a Vanessa fez trazendo um desporto pouco comum e pouco fácil de praticar enquanto lazer, ser mais fácil de fazer no Btt, e terá um retorno muito maior à modalidade e consequentemente à própria Federação... mas também sei que isto só acontecerá quando houver uma "Vanessa" no Btt que faça pelo Btt o que ela fez por uma modalidade que eu nunca ví ninguém a practicar ao contrário do Btt... a modalidade mais praticada em lazer depois do futebol... e o teu post espelha tudo o que digo de uma forma simpática e bonita efectivamente... mas a base é essa: um atleta de top a ganhar lá fora e que demonstre claramente que é limpo, que não se droga, que é predestinado e obstinado pois se se sentir que é dopado é mais um que não se saberá o nome e que não servirá este propósito de levar todo o Btt consigo e com as suas vitórias, a bater-se com os melhores do Mundo, vai aparecer na TV e em todo o lado e torne-se ícone, exemplo. De seguida muitos putos entram com esta motivação para a modalidade e nessa situação, aparecerão sempre predestinados pela quantidade e só na quantidade se apanham os que "nasceram"... muitos terão orgulho em se federarem mesmo que para apenas andarem ao fim de semana com seguro da federação e "orgulho"... e a modalidade crescerá. Esta é a única sequência que existe... mas é preciso aparecer o tal ícone, a tal "Vanessa", e esse terá que trabalhar muito e corajosamente e com espírito de guerreiro para bater os estrangeiros, com espírito e atitude de vencedor pois só assim motivará orgulho nos conterrâneos, pois nós amamos como todos os povos do mundo, ganhar aos outros, seja no futebol, no ciclismo, no triatlo, no atletismo ou no automobilismo... é preciso é bater pessoal lá fora para puxar pelo nosso amor ao país.
No final digo... dessa forma simples de primeiro fazer um campeão, se fez o Triatlo português no que é hoje, se fez o Btt espanhol no que é hoje através do Hermida e da Marga Fullana, se fez o Btt francês através d Absalon que é hoje com um ícone que bate todos no prémio de atleta do ano e Velodor em França que vem do Btt, se fez o btt suiço que orgulha os suiços e acreditem que posso postar aqui, noticias da SwissPowerCup a dizer como foi a prova no Telejornal suiço das 8h da noite como nós cá vemos o futebol todas as noites mesmo que se apenas por uma constipação do Ronaldo...
Chegará esse dia em que a Federação irá ler sobre Pirâmide de Cobertain e verá através dela o potencial que tem o Btt, através dos seus milhares de praticantes e se dedicará a esta modalidade como se dedica à estrada... mas teremos que esperar que as mentalidades da roda fina mudem muito, e isso vai levar ainda décadas...







paulo marinheiro

ps. ...o triatlo já pertenceu à Federação Portuguesa de Ciclismo! Neste momento tem salvaguardado atletas com nível para as próximas 3 olimpíadas, em várias gerações de "vanessas" que agora se formam, num trabalho fantástico que tem que ter campeões na actualidade para mostrar serviço e ter apoios, mas que salvaguarda o futuro. Em cada captação que esta federação faz, são centenas de atletas a quererem entrar e mais 90% fica à porta.
 
#32
Quem ler este post ainda fica com a ideia que o BTT é o desporto mais popular em Portugal e que ninguém anda de bicicleta de estrado, duas coisas erradas. Embora se queira o progresso do BTT (penso que aqui todos o querem), essa intenção deve ser defendida em argumentos válidos.

Quanto ao post do Moniz, correctíssimo como sempre.
 
#33
Lógico que desportivamente não o é Rui, por tudo e mais alguma coisa já por demais falado aqui, mas em termos de ciclo-turistas já superou há muito a estrada como se pode ver até nas maratonas como Portalegre e outras com milhares de participantes, que não são mais ainda porque aquilo é limitado e embora no FestivalBike se tente, nunca estes passeios de estrada que são os maiores do ano superaram estes números. Também há muita gente a andar de estrada, mas neste momento o btt supera em muito, o que denota o potencial do btt, que foi o que quis transmitir neste post, e quando digo potencial refiro-me aos ciclo-desportistas federados que no Btt embora sejamos muitos a andar, poucos se federam, ao contrário da estrada que o pessoal tem orgulho em federar-se como ciclo-turista, e essa seria também uma mais valia para a federação com um atleta referencia.
Quis eu transmitir que o Btt é mais que aquilo que tem de quem manda... é muito maior que aquilo que recebe, proporcionalmente ínfimo, mas muita gente ainda teima em tentar passar a mensagem diminuidora que o Btt é apenas tipo o BMX, ou outros nichos, tal como ainda seria pensado naquela casa Triatlo se ainda lá estivesse, pois aquilo é uma casa da roda fina... Rui, mas é só perguntar a qualquer importador de bicicletas qual é a percentagem de vendas de bicicletas de btt e de estrada, ou apenas recordar o peso esmagador do Btt nos expositores do FestivalBike perante as rodas finas e aquilo era o FestivalBike não o Bttfestival mas era o que parecia, e logo ficará você e a federação a ter noção do que é o Btt no seu todo em termos de mercado em relação à estrada nestes dias, e de quanto está desaproveitado por visões que ainda teimam em estar distorcidas pela paixão de um desporto que repito, está caduco e mal visto pelos abusos em termos de falta de verdade desportivae deboche total a que tem estado sujeito.


cumprimentos,
paulo marinheiro
 
#35
Obrigado Moniz pela partilha!

Foi bom relembrar o que se estudou soube Pierre de Coubertain e sobre o espírito Olímpico!

Esse sim, é o lema que nos deve guiar no mundo do Ciclismo e do XCO em particular, na conquista da maior Glória a Nível Desportivo - a participação numas Olímpíadas.

Boa Sorte a todos os Ciclistas, são TODOS excelentes atletas e espero que ainda apareçam mais...
para nos baralhar mais as contas...
para abrilhantar mais as nossas pistas de XCO...
para aumentar a nossa competitividade...
para ajudar no amealhar de pontos UCI que abrirão as portas aos candidatos para alguém marcar presença nesse objectivo.

Tiago
 
#38
Verdade desportiva na escolha do atleta para Londres 2012 por parte da Federação​


Nos atletas da Selecção Nacional, de onde evidentemente sairá o atleta que representará Portugal em Londres, se efectivamente conseguirmos a qualificação, para haver verdade desportiva nessa escolha deverá ser feito um controlo anti-doping ao longo destes anos, do género do Passaporte Biológico que se faz na estrada.

Será fácil a alguns dos selecionados fintarem o sistema nos últimos tempos da qualificação, com os seus médicos e conhecimentos a nível do ciclismo de estrada, e fazerem o que já foi feito antes por alguns atletas do BTT nacional, como correr com 11/1 de rácio de testoesterona/epitestoesterona (valor altamente ilegal que passa por exemplo os 7/1 com que o Floyd Landis foi castigado), ou outros terem uma anemia de morte de quase 37 de hematócrito em Dezembro para em Março andarem literalmente a voar, provávelmente "montados" em mais de 45 de hematócrito que se sabe ser impossível de fazer este salto qualitativo em pouco mais de 2 meses de forma legal, pois um estágio de altitude de 1 mês sobe 2 ou 3 pontos percentuais com sorte, e neste caso não houve sequer estágio de altitude. Os atletas a que me refiro sabem quem são e revere-se-ão nas minhas palavras, pois foram eles directamente que me deram estas informações... nomes não coloco, senão é a guerra aberta outra vez, e a ideia nem sequer é julgar ninguém ou apontar o dedo a ninguém que para isso há organismos que nestes 2 casos se mostraram ineficazes, mas prevenir a trapaça para Londres 2012, num desporto que está e estará definitivamente ligado à trapaça.

No caso de a Federação não fazer este trabalho de acompanhamento e controlo destes atletas, por forma a conhecer os seus perfis naturais de alguns paramêtros que indicarão mais tarde se o atleta aumentou de forma artificial e ilegal os seus valores de alguns intens que fazem andar mais, além de não estar a evitar a trapaça, pode também a Federação ver-se em problemas depois, pois aquando da ida de um atleta para os Jogos, nos dias imediatamente antes, haverá controlos sérios efectuados pelo Cnad, por forma a perceber se os atletas poderão envergonhar a nação, e aí poderão ser descobertas então as trapacices numa altura já demasiado tarde para trocar com ainda espectativa de boa figura na corrida, de atleta. No caso de não ser feito isto... há que entender que nas Olimpíadas os controlos são os melhores que o dinheiro pode comprar e os portugueses serão sempre controlados muito e muitas vezes, pois somos considerados pela UCI e pelo COI o povo com os ciclistas com o hematócrito mais alto do Mundo, tendo sido este ano passado uma missiva e um alerta à nossa Federação sobre este tema, e tendo nós nos Mundiais de estrada de 2007 acabado com vários atletas recambiados para casa antes da corrida por "excessos" de hematócrito, e essa vergonha o BTT-XCO nacional, definitivamente não precisa... os atletas limpos deste XCO nacional, definitivamente não precisam, mas em caso de não serem estas "flutuações" bem controladas em Portugal, o atleta se fizer trapacisse, pode até passar o nosso Cnad, algo fácil de fazer para os médicos do ciclismo de estrada que já estão ligados ao Btt, mas será de todo impossível fintar a Agencia Mundial Antidoping nuns Jogos Olímpicos, algo que se tem feito também, mas a outro nível com atletas de topo em disciplinas de topo com tecnologia trapaceira de topo, com investimentos de milhões como por exemplo o caso da Marian Jones... o nosso atleta "pobre" e com tecnologia de doping ultrapassadíssima que só funciona neste país... se fôr controlado nas olimpíadas, e não tiver sido sujeito a um programa sério de anti-dopagem por parte da Federação Nacional, e se fez qualquer tipo de asneira... será apanhado, com prejuízo para todos nós.

Será fácil à Federação Portuguesa de Ciclismo, fazer um acompanhamento aos atletas que têem hipótese de ir a Londres, e perceber se há ou não verdade desportiva, protejendo assim quer os atletas limpos, quer o BTT nacional.




paulo marinheiro
 
#39
Infelizmente como profissional de saúde, tenho conhecimento de muitos atletas que recorrem á testosterona, hormona crescimento, propanolol 40, eritropoetina, CERA, ultimamente o Cialis (usado em disfunções erecteis, mas como vasodilatador que é!!!!), Boldabol 200 IM , Methandriol Dipropionate 75, Mastabol Depot 200,Tri-Trenabol 150,etc etc, tudo isto se vende directamente de um laboratório ingles altamente reconhecido, pelos seus poderes em cavalos de corrida.
E tudo isto para que !!!!!!!!!!!!!!!!
Como alguem diz......."..ainda bem que há pessoas que tomam isso, pq senão não tinhamos clientes nos IPOs,,,,,,,"
 
#40
Afinal a Real Federação Espanhola de Ciclismo já faz o que peço aqui no meu último post acima, e que enviei cópia por mail a quem de direito à nossa Federação.




no site da refc: http://www.rfec.com/vistas/noticias/cronica.aspx?id=5314

La Comisión de Gobierno de la RFEC, encabezada por su Presidente Juan Carlos Castaño, mantuvo ayer por la tarde una reunión en Valladolid, con motivo de la celebración de los Campeonatos de España de Ciclo-Cross, en la que acordó incrementar en un cincuenta por ciento los controles de salud y de dopaje que se venían realizando en años anteriores por parte de la RFEC.



Del mismo modo se acordó poner en funcionamiento para la presente temporada, un exhaustivo y novedoso protocolo médico-deportivo, de seguimiento y control de los deportistas que puedan integrar las distintas selecciones de la RFEC, y todo ello como primera medida del ambicioso y necesario proyecto de prevención y lucha contra el dopaje que pondrá en marcha la RFEC en el transcurso del presente año 2009, proyecto que se encuentra dirigido especialmente a las categorías inferiores para su educación y prevención sobre las consecuencias del uso de sustancias y prácticas prohibidas en el deporte.





faça-se o mesmo em Portugal... para que a road to london... seja um road limpa...

paulo marinheiro