Diferenças de preços: online/fisico; nacional/internacional; o que é aceitável ?

#41
Lamento não partilhar da mesma opinião do que a maioria.
Sou cliente assíduo de uma loja física há alguns anos, a qual me apresenta e acompanha diria a esmagadora maioria das compras que faço, comparando com sites de referência (normalmente bike24).
Quando não consegue acompanhar existe sempre uma negociação, e como sempre, um negócio só é bom quando interessa a ambos.
 
#42
Boas,

Tb eu sou dos que prefiro comprar cá, e se possível em loja física.

Mas por exemplo co,igo sucedeu-se que tentei comprar cá um componente diretamente a uma loja física que é também o importador dessa marca, tratou-se foi tudo por email uma vez que a loja era longe da minha casa (300 km).

essa loja vendia-me esse componente a um preço mais elevado do que a CRC, sendo que esse componente tinha uma peça que era desadequada para o meu peso, e o importador como só importava a peça para a gama de pesos standart..fazia-me o especial favor de me cobrar 25€ para mudar essa peça. A acrescentar a isto os portes para mandar vir a peça da zona norte, para a zona de Lisboa, eram mais caros do que para mandar vir a peça da CRC.

Ora acabei por mandar vir o componente da CRC, já com a peça adequada ao meu peso mais portes por menos dinheiro do que me custava cá apenas o componente.

cumps,

Mach3
 
#43
comprei recentemente um recon gold rl de 2012 por menos de metade do pedido na loja onde todos os meses faço a assistência da minha bike, e ainda gasto uns euros numa peça ou outra, e pedi para montar na expectativa de ver quanto me cobrava. cobrou-me um valor aceitável e no fundo entendeu que nestas peças realmente nao da para comprar cá e mais vale não perder o cliente.
 

Joseelias

Well-Known Member
#44
Pois eu tenho muito boas experiências e uma muito má de compras on-line sendo que má me levou a accionar mecanismos num dos nossos consulados! :s

O pior caso, e que me pôs cauteloso quando penso em comprar coisas por preços elevados, passou-se com material fotográfico. Queria comprar um par de máquinas fotográficas da Canon e em Portugal custavam cerca de 7.000€ as duas, e na minha loja online do Luxemburgo habitual ficavam-me ambas por 5.400€. Isto é, uma diferença de 1.600€!

No entanto, e depois de ler alguns comentários favoráveis a uma loja de Andorra e que tinha as máquinas por 2.500€ cada pensei que ainda conseguia juntar mais 400€ de poupança aos 1.600€. Para mais, como estas máquinas estavam quase esgotadas a nível mundial e eles me disseram que as iam receber nessa semana decidi dar o sinal de 2.500€ para as reservar. O problema foi que as máquinas não vieram... Nem nessa semana nem no mês e meio seguinte.

Perante os meus meus mails as respostas eram cada vez mais raras de receber e das vezes que liguei, a tipa que me atendeu do outro lado mostrava-se extremamente "áspera", por assim dizer... A partir de certa altura disse-lhes que queria o valor do depósito de volta pois eles não cumpriram com a entrega prometida e nem me conseguiam dar uma data de entrega. A partir daqui a devolução do dinheiro era para ser num dia, depois noutro dia eapós mais duas semanas comecei a temer que não veria os meus 2.500€ de volta. :shock:

Ao fim desse tempo, e estando desesperadamente a precisar das máquinas, ou pelo menos de não ficar sem o dinheiro, contactei o consulado português em Andorra. Aqui só tenho que dizer o melhor que puder. A funcionária portuguesa do nosso consulado ficou a par da situação e disse que ia resolver o caso e de facto três dias depois tinha o dinheiro de volta na minha conta! Uma acção exemplar e que não posso agradecer o suficiente!

Acabei por voltar à minha loja online habitual (sempre foi excelente) que já tinha as máquinas em stock, paguei 2.700€ por cada máquina em vez dos 2.500€ mas mesmo assim poupei 1.600€ do que se as tivesse comprado em Portugal.

Como bons exemplos, tenho a Amazon inglesa em que numa ocasião enviaram-me um electrodoméstico que não funcionava correctamente (demasiado ruidoso para o que era esperado), e como pela natureza do mesmo não podia ser devolvido mandaram-me um segundo. Este segundo, mantinha o mesmo problema só que a barulheira era de forma intermitente e perante novo contacto acabei por ter o dinheiro devolvido. Sem mais problemas.

Também na Amazon, uma vez mandaram um modelo de tenis errado, reclamei, ligaram-me (com uma pronuncia escocesa cerrada comó camandro :D) a confirmar o que tinha pedido e o que tinha recebido e depois de ter devolvido sem custos recebi o material correcto.

Ainda na Amazon, comprei dez produtos de um item de mercearia que lá era muito mais barato mas durante o transporte um abriu-se e vazou quase metade do liquido para dentro do saco onde vinham. Contactei-os para saber o que podia ser feito e eles não tiveram por menos, mandaram-me outros 10 itens! Isto é, fiquei com 19,5 quando paguei apenas por 10 e eu apenas pretendia que me mandassem um para substituir o que tinha vazado.

Mas concordo com o atendimento nas lojas portuguesas de forma geral, em particular no pequeno comércio. Encontro aí as pessoas menos prestáveis e mais mal educadas. É triste dizer isso, mas qualquer funcionário numa loja de roupa de centro comercial é mais educado e prestável que os donos das próprias lojas das quais precisam do rendimento para sobreviver.

Por isso, sempre que posso compro online, nem que poupe só um cêntimo, e não sinto o mínimo remorso por isso.
 
#45
Concordo com tudo o que dizes em cima, tambem ja aprendi que as vezes mais vale poupar poupo mas poupar em lojas online da nossa confiança.

Tambem ja tive esses mesmos problemas com a amazon e sempre foi resolvido assim, sem grandes problemas.

Agora na ultima parte, concordo a mesma contigo, a 100%, as vezes parece que estamos a fazer um favor ao dito cujo.

Como até por vezes tenho que fazer atendimento ao cliente num pequeno estabelecimento sei bem que a boa educação e a maxima atenção ao cliente e o que ele deseja, e até tento evitar ao maximo despachar um cliente mais rapido so porque esta outro a espera. As vezes tem que ser, mas tem que se dar sempre o maximo de atenção ao cliente, e se estamos a vender um produto nunca podemos fazer passar o cliente por burro, como ja me fizeram inumeras vezes.
 
#47
Revejo-me em muitas das palavras aqui ditas, especialmente em material fotográfico! Não é uma questão do IVA a 23% é de margens de lucro prepósteras e de sentimento de superioridade face ao consumidor. Sei bem do que falo pois trabalho numa empresa grande do ramo electrodoméstico, e os meus familiares proximos lidam também nos repsetivos postos com encomendas, fornecedores e comerciantes de Pequenas empresas do ramo alimentar/retalho.

Um pequeno exemplo: as margens de lucro em equipamentos de marca branca chega a ser de 300%. Um kg de café lote de Ouro da melhor qualidade que a Delta oferece(não sendo das melhores marcas do mercado no entanto) permite um custo de 10 cêntimos por chávena de expresso. Um lucro razoável seria na casa dos 30-40 cêntimos de PVP. Vejam a quantidade de sitios onde o café já chega a custar 70centimos! IVA?

Culturalmente, o consumidor em Portugal só o é á cerca de 2 décadas. No entanto, o comerciante continua a tratá-lo com condescendência como se nada ele soubesse! E continua a tentar "ir ao bolso"! Eu não o faço pelo quadro de valores que me regem, mas garanto-vos que é facílimo enganar o cliente em Portugal. Mas isso não legitima vender gato por lebre, oou cobrar acima do valor natural do produto sob perspetiva alguma!

Aquilo que realmente é necessário é a Educação do consumidor na direta proporção que nos falta Educação do cidadão: e são precisamente espaços de debate como este que dão esse empowerment Falta-nos capacidade de julgamento, pois muito críticos já somos! Mas é uma critica bairrista desinformada e obtusa. Criticar um produto porque "isso é tudo a mêma coisa, menino!" não é o mesmo dizer"eu prefiro pagar menos/mais porque me informei que X produto tem esta ou aquela carateristica"!

Vejo dinheiro ser enterrado ás centenas de euros baseado em recomendações de vendedores aceites sem serem digeridas. O consumidor tem de ser mais esmiuçador, mais atento e acima de tudo reclamar, desde que munido de conhecimento!
 
#48
Abrir uma loja em Portugal (online) não sei se será grande ideia. Estamos num canto da europa, provavelmente não seríamos competitivos em custos de transporte.

Há uns tempos tive um pequeno contratempo numa compra. Apesar de estar a comprar roupa, era numa loja de bicicletas francesa. Havia uma unidade do meu tamanho em stock apenas, e alguém a pagou primeiro do que eu. Aconteceu que haviam 2 encomendas para a mesma peça.

Enviaram-me um email logo, (em português, e não era do tradutor do Google) a pedir desculpa e perguntar como queria resolver o problema. Podiam devolver o dinheiro, darem um vale e não pagava os portes na compra com esse vale, ou trocar por outro produto.

Tinha algum receio na devolução, como paguei por mbnet, mas disseram para estar descançado, que não havia problema. Telefonaram (uma rapariga portuguesa) a dizer que já tinham efetuado a devolução e que no prazo de X dias tinha o dinheiro na conta. Chegou o dinheiro, a encomenda e ainda um vale de desconto de uns 3 ou 5€ já não me recordo, para compensar o sucedido.
 
#49
isso do canto... estamos tão no canto como a Inglaterra por exemplo e o custo daqui para a Alemanha não será diferente do custo de Portugal para a Alemanha para uma loja, o trajecto é o mesmo. Quanto muito podia variar pelas condições comerciais, volume por exemplo.
 
#50
Jocas22, refiro-me por exemplo ao facto da Alemanha estar no "centro da europa", ou seja, se quiseres vender algo para a outra ponta da europa, fica mais caro, do que alguém na Alemanha. Ou seja, estão mais perto de todos, por isso tem um mercado "maior" e melhores preços.

Mas como sabemos, essas questões da logística são complexas, por causa das cargas de retorno e todas essas coisas. Nem sempre o que parece a um leigo como eu ter lógica, é realmente assim
 
#51
Eu já fiz milhares de encomendas em foruns internacionais, tanto na europa como fora, os preços sempre a metade do valor de venda em portugal, e até hoje só tive dois problemas e logo com a mesma loja, uma loja francesa muito conhecida aqui do pessoal, :D das dua vezes que fiz encomendas, as duas vieram com as caixas abertas, entregues pela ups, e que voltaram para trás, e respetiva devolucao do dinheiro, neste aspeto sem problemas de maior.
 
#53
Bom dia.
Uma coisa que não consigo entender é como uma loja na Alemanha consegue me fazer chegar aos Açores uma encomenda por dez euros.
Já de Portugal por exemplo o mesmo artigo , neste caso uma fita powercal, fica me por 18 euros.
Quando eu dos Açores envio via ctt uma encomenda para Alemanha com 500gr por 10 euros.
Ficou me quase tão caro os portes desta fita (18) quanto umas rodas (23) de Inglaterra.
 

Joseelias

Well-Known Member
#54
@ Filipe_Nogueira

Boa intervenção. Outro aspecto que mostra como muitos comerciantes em Portugal agem sob um conjunto de valores completamente diferente de outros países é o facto de que cá, havendo uma quebra nas vendas, a primeira coisa a ser feita é aumentar os preços.

Isto é, perante um menor número de vendas tenta-se logo sacar mais "massa" a quem ainda pode comprar, em vez de baixar o preço para tentar vender mais volume e assim compensar a quebra. Isto destrói logo um dos factores mais importantes do consumo que é a fidelidade de um cliente a uma loja ou marca.

E depois há os chico-espertos. Há algum tempo atrás fui a um supermercado de grande dimensão que tinha um determinado produto em promoção e que ficava mais barato que na loja onde costumo comprar. Então não é que quando chego à caixa e depois de pagar olho para o talão e detecto um erro da facturação da loja que mostra como foram aldrabões... O produto estava anunciado com 30% de desconto sobre o preço base. Mas no talão o desconto de 30% foi aplicado sobre um preço que era inferior ao da prateleira...

Isto é, para aplicação da promoção o preço base foi inflacionado, sendo que na verdade o desconto de 30% não chegava a 20% sobre o preço original e não-adulterado do produto. É verdade que ainda assim estava mais barato que a concorrência mas este truque sujo convencia os clientes que estavam a poupar 30% quando nem 20% era... Já todos ouvimos falar disto, mas eu pude confirmar porque alguém na loja se esqueceu de alterar os preços nos sistemas informáticos de facturação, e apesar de nas prateleiras os cartazes anunciarem uma coisa nas caixas o preço pré-promoção ainda não tinha sido alterado...

E já que se falou do preço do café, este foi inflacionado em 100% aqauando da passagem para o euro. O café na altura andava nos 50 escudos (0.25€), e de um dia para o outro passou para os 0.50€ (100 escudos). O IVA é apenas uma desculpa.

E depois ainda se fala dos políticos...
 
#56
Como alguém disse atrás... somos enganados todo o santo dia.
Para quem pertence à restauração e se queixa que agora tem de apresentar facturas e etc... vejam são quantas décadas andaram sem declarar o que era suposto. Nós nunca pagámos menos por isso.
O café então é escandaloso. Qd chegou o euro, em vez dos 50 paus, passámos logo para os 50cts e ninguém pestanejou e eles sempre sem factura.
Eu pago os meus impostos, todos temos de os pagar.

Quanto aos transportes por estarmos na ponta da europa... isso é simplesmente ridículo.
Temos material a chegar de Singapura em 6 dias... e coisas compradas em solo nacional a demorar 3 a chegar a casa.
È por estas pintelhices que estamos a anos luz de sermos competitivos. Nada justifica as margens abismais que são praticadas.

Vejam os saldos no que toca a pronto-a-vestir...
Actualmente em agora que a malvada troika cá está, todo o santo mês é mês de saldos.
As lojas perderam dinehiro com isso? Não me parece. Parece é que tiveram de reduzir as marges ridículas de lucro.

Depois há tb aqueles casos engraçados de "saldos de 40%"... há lojas que são tão estúpidas ao ponto de se limitarem a colocar a nova etiqueta por cima de outra com o preço orginal que afinal sem ser em preço de saldo já custava isso.
Só é enganado quem quer.

Outra coisa que me revolta é entrar numa loja e encontrar artigos expostos sem preço. Além de proíbido é gozar com a cara do cliente. Se gostarem de nós custa x, se não gostarem, custa y.

Eu compro onde me apetece e onde quero e onde é mais barato.
Então nisto das bicicletas e dado que nenhum de nós produz nada nesse ramo (tirando raríssimas excepções) mais vale dar a quem os produz que nos chula menos que a lojistas que pensam que ainda não foi inventada a internet e que a malta é burra.
 
#57
Ina pá, amigo, estás tão longe da realidade, imagina os juros que tu pagas para teres um emprestimo do banco para abrires um negocio, imagina os impostos que pagas em ivas, irs, irc, segurança social, etc, etc, etc, ina pá, imagina nas comissões o cancro deste país que por exemplo os empregados do nabeiro cobram para teres o café deles, é que não pagas só o café que compras, se não vendes o que eles te obrigam para lá teres a máquina, eles combram-te a diferença, se nada disso existice, provávelmente pagavas ainda 25 escudos pelo café, ina pá, tás tão longe da realidade.
 

Joseelias

Well-Known Member
#58
@ ernez

Há cerca de 14 anos, numa das viagens de bicicleta que fiz, cruzei-me com um casal alemão que estava também a fazer o mesmo percurso que eu mas no sentido contrário. Como no encontrámos na hora de almoço acabámos por almoçar juntos e conversar.

Das coisas que conversámos houve uma que até hoje não me esqueci, e que foi o espanto deles perante a luxo dos automóveis (e de tudo o resto) que viam pelo país! Disseram-me que os carros que viam em Portugal eram iguais ou melhores que aqueles que eles viam na Alemanha!

Ora, num país pobre como Portugal é (e era), de onde vem todo aquele dinheiro para comprar carros de gama alta? E não me digam que eram trabalhadores têxteis que tinham os BMW, Audis e Mercedes. Se o comércio é assim tão esmagado porque é que muitos comerciantes têm carros iguais ou melhores que médicos, empresários e outras profissões de alto nível de rendimento de outros países?

Eu não estou a dizer que a carga fiscal em Portugal não seja brutal. Sou trabalhador independente, e sei bem como a Segurança Social me está (literalmente) a levar à ruína. Mas se isso se passasse com todos os comerciantes por cumprirem com todas as obrigações não se veriam os carros topo de gama e casas que muitos têm.

É por causa desses tipos que eu tenho que pagar uma brutalidade de impostos e contribuições para compensar a parte deles. E é por isso que o estado se está a borrifar se os meus rendimentos caíram percentualmente na casa das muitas dezenas. Alguém tem que pagar! E eu como muitos outros, não podemos vender 50 bolos e declarar apenas 5 alegando que os outros 45 se estragaram...

O problema é que em Portugal muita gente quer ter Audis quando um Renault Megane ou até Clio lhes chegava e sobrava para as necessidades. E como tal, toca de extorquir os clientes.

E como em Portugal não há concorrência, estamos lixados. Ou pensam que é apenas a Galp, a Repsol, a BP e restantes gasolineiras a copiarem os preços uns dos outros para nos retirar opções mais baratas? Isso também se passa no comércio. Porque é que o preço do café e de muitas outros produtos é quase igual em todo o lado? Fala-se dos "grandes" mas o problema começa de baixo.

É por isso que até mercearias compro de sites estrangeiros se tiver possibilidade de o fazer.
 
#59
Quando o governo icentiva a pedir factura até mesmo por um café, toda a gente goza e troça e acham uma ideia ridicula. Não conseguem ter o minimo de raciocinio que no comercio a declaração de rendimentos passa pelas facturas.
E o problema está mesmo ai, são poucos que declaram exactamente aquilo que ganham quer sejam trabalhadores independentes ou d'outrem. Quantos é que ganham 2 ou 3 vezes o ordenado minimo mas só declaram o ordenado minimo, mas exigem ter tudo e mais alguma coisa do estado.

Isto não vai lá só com a mudança de governos ou politicos, muita coisa tem de mudar na forma de pensar da sociedade.

E eu não sou mais que ninguem, afinal tambem sou um produto desta sociedade.

P.S. COm o exemplo que dei das facturas dos cafés não disse que era a favor ou contra, mas por algum lado tem que se começar, e dizer mal e deitar a baixo é tão mais simples.

Just my 2 cents e não tem muito a ver com o tópico, foi mais na sequência da conversa.
 
Last edited: