[Rescaldo] PUF nº5 - Stº Tirso

indy said:
Aproveito para perguntar uma coisa. Por acaso ninguém tirou fotos aos balneários? :lol: :lol:
É que o pessoal da "desorganização" tratou de os providenciar mas não os utilizou nem sequer os viu :|
E, pelo que ouvimos dizer, parece que eram mesmo bons... estamos curiosos :)
ehehehe...fotos não tirei, mas posso garantir que espaço e água quente havia (além das boas instalações que têm)...e nem sabem o bem que soube o banhinho depois do "cosório" :wink:
 
Sanctos said:
Na retina fica uma manhã de Btt cheia de deliciosos trilhos e muito boa companhia. Parabéns a toda a organização, a todos aqueles que decidiram levar SS, e à menina Kika que tinha maior resistência que quase todos os homens presentes!
Bem, ela adorou o passeio, e com todos estes elogios não vai faltar ao próximo!!!
E ela com medo de conseguir acompanhar a malta :D

Sanctos said:
PS: Como seria uma maratona 80kms organizada e marcada por esta malta?! MEDO… curiosidade
Bem... MEDO mesmo... Mas devia de ser giro...
 

El Comandante
Suas tropas

São tantos

Ainda mais



Foge porquinho vai o Lobo a traz de ti foge


TT todo terreno :-Kups T Taipas

O seguidor do El Comandante

A MAIOR Kica :#1:
Aqui estão as minhas fotos
 
Grupos de BTT são cada vez mais frequentes, desde negócios empreendedores de grande qualidade até negociatas avulsas destinadas a obter dinheiro fácil, desde grupos de dois amigos (em que um até nem anda porque ou chove, ou está calor) até grupos mais estruturados, baptizados com nomes mais ou menos pretensiosos ou denominações imaginativas (lembro-me assim, de repente, do interessante trocadilho “Bicigodos”).

Eu vou falar sobre o CEVA, o nosso desorganizador de sábado passado. Segundo os seus elementos, a sigla quer dizer Clube de Empenados do Vale do Ave. Trata-se de uma designação de difícil análise. Exibe uma certa falsa modéstia no que diz respeito a capacidades físicas, talvez um engôdo para atrair os mais incautos e proporcionar momentos de sádico prazer aos seus associados. Talvez seja apenas uma mensagem de genuína humildade, destinada a lançar uma mensagem aos mais pretensiosos. Quanto à inclusão da sua localização geográfica, apresenta-se-nos o mesmo dilema. Será que há aqui uma mensagem irónica sobre a região deprimida, destinada aos moradores de zonas mais afluentes? Se se trata apenas de localizar o clube, porque será, então, que recrutam mais de outras zonas e entram em despique com outras formações locais?

Sempre ouvi mencionar o presidente do CEVA. Não me lembro de pedalar ao seu lado e creio ter apenas visto de relance a sua sombra, como num filme de terror de qualidade duvidosa. Do que conheço, preside de facto ao CEVA um indivíduo alto que dá pela alcunha de Indy. Nunca perguntei qual a origem dessa denominação pois gosto que se mantenham alguns mistérios que só podem adubar a nossa imaginação. É este senhor que programa a maior parte das incursões que fazem e a sua decisão é soberana sobre o destino que se traça para cada fim de semana. Mais à frente discutirei este personagem em maior detalhe. Por agora deixem-me enumerar o resto do bando de malfeitores. Trata-se de um sortido de personalidades. Alguns mais brejeiros, outros mais contidos, em comum a sua admiração, respeito, reverência, temor e, digo-o frontalmente, adoração ao seu líder. Não que ele o não mereça mas... por vezes, ronda o doentio. Recentemente, têm-se juntado novos cromos ao bando. Curiosamente, talvez por não terem sido, ainda, domados, revelam-se empreendedores e dão ideia de estarem prestes a fomentar um motim. Tomam iniciativas e propõem novas organizações, sem qualquer respeito pelo veterano líder. Seguirei, atentamente, o evoluir da História, no que diz respeito à monarquia dentro do CEVA. Finalmente, o CEVA parece ter uns visitantes mais ou menos ocasionais, membros promíscuos que saltam de grupo em grupo, voyeurs, oportunistas como, por exemplo, eu próprio. Como tal, tenho uma visão mais distante e focada das realidades do CEVA e seus membros.

Voltemos, então, ao famigerado Índio. Imagino o seu cérebro como um largo sótão, imerso na penumbra, cheio de velhas revistas e recortes de jornal, vinilos antigos e enciclopédias amarrotadas do uso. Uma poeira paira no ar de tão frequentes visitas para consultar os velhos trastes. Cheira a bafio. Parte dos neurónios foi já substituída por chips electrónicos e, em vez de sinapses, constata-se a existência de ligações USB. Os neurotransmissores foram trocados pela radiação electro-magnética e comunicação wireless. As duas janelas dão origem a um olhar no vazio, meditabundo. O hipoglosso funciona mal, dando origem a um linguajar errático, aos solavancos. A descodificação das suas breves mensagens demora horas, mesmo nas mãos dos criptologistas mais afamados. O resultado final das sua actividades é rico e denso, quer se trate de um pequeno texto, de um circuito de bicicleta, de um pequeno filme ou de um puxão de orelhas por e-mail.

No seu conjunto, o CEVA proporciona, aos freeloaders como eu, bons momentos e fê-lo novamente no passado fim de semana. Depreendo que outros poderão ter participado mas, como os não conheço, não lhes tecerei qulquer elogio insultuoso.

Poderia acabar dizendo as banalidades do costume, que gostei, que subi e desci, etc. etc., tudo verdade. Deixo apenas imagens de dois locais que me marcaram: o velho carvalhal e o prelúdio ao Granito, for men.







 
Isto só para o Sr. Major (lobo solitário) é preciso ir ao Algarve para vir ao PUF e dizer que gostou???? Maltratar o P :mrgreen: o que lhe faltou foi um puxão de orelhas do nosso P :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
 
[


Já agora, para quem não se apercebeu, neste momento estavamos a atravessar o mesmo rio (Leça) que atravessamos novamente mais tarde mas com um bocadinho :D mais de água!
 
lobo solitario said:
Sempre ouvi mencionar o presidente do CEVA. Não me lembro de pedalar ao seu lado e creio ter apenas visto de relance a sua sombra, como num filme de terror de qualidade duvidosa. Do que conheço, preside de facto ao CEVA um indivíduo alto que dá pela alcunha de Indy. Nunca perguntei qual a origem dessa denominação pois gosto que se mantenham alguns mistérios que só podem adubar a nossa imaginação. É este senhor que programa a maior parte das incursões que fazem e a sua decisão é soberana sobre o destino que se traça para cada fim de semana. Mais à frente discutirei este personagem em maior detalhe. Por agora deixem-me enumerar o resto do bando de malfeitores. Trata-se de um sortido de personalidades. Alguns mais brejeiros, outros mais contidos, em comum a sua admiração, respeito, reverência, temor e, digo-o frontalmente, adoração ao seu líder. Não que ele o não mereça mas... por vezes, ronda o doentio. Recentemente, têm-se juntado novos cromos ao bando. Curiosamente, talvez por não terem sido, ainda, domados, revelam-se empreendedores e dão ideia de estarem prestes a fomentar um motim. Tomam iniciativas e propõem novas organizações, sem qualquer respeito pelo veterano líder. Seguirei, atentamente, o evoluir da História, no que diz respeito à monarquia dentro do CEVA. Finalmente, o CEVA parece ter uns visitantes mais ou menos ocasionais, membros promíscuos que saltam de grupo em grupo, voyeurs, oportunistas como, por exemplo, eu próprio. Como tal, tenho uma visão mais distante e focada das realidades do CEVA e seus membros.
" Adoração ao seu lider..."?? :shock:, "...tem-se juntado novos cromos..."?? :evil:...." ...no que diz respeito á monarquia dentro do CEVA..."?? :twisted: de presidente passou a REI? 8) espero não me enquadrar nestes exemplos, eu até apareço poucas vezes :mrgreen:.....embora que aprendi muito com esta malta isso aprendi :wink:
 
bru.ki said:
Já agora, para quem não se apercebeu, neste momento estavamos a atravessar o mesmo rio (Leça) que atravessamos novamente mais tarde mas com um bocadinho :D mais de água!
bru.ki, não foi aí que atravessámos o Rio Leça pela primeira vez. Nesse local da foto passa um outro qualquer curso de água...

Realmente passámos o Rio Leça pela primeira vez umas centenas de metros antes desse local. No track GPS estava marcado com um waypoint N_LECA. Deve ter passado despercebido à maioria pois era mesmo junto à nascente e tinha mais a ver com uma pequena valeta que com um rio :lol:
 
Já agora, sobre o texto do lobo solitário... que dizer? 8) :lol:

Bom, apenas uma ressalva: o CEVA não tem regras, bandeiras, etc. Só existe no mundo uma entidade que nós respeitamos, independentemente de pedalar ou não: o nosso Presidente! E esse não sou eu. Aliás, ele esteve presente no PUF e aqui me podem ver a prestar-lhe a devida vassalagem :oops: :



Uma coisa é verdade, ele cultiva mesmo aquele misticismo. Reparem como providencialmente a cara não aparece toda na foto :lol: :lol:
 
Caro Confrade Indy

Ora muito bem, é assim mesmo essa vassalagem. Eu como Presidente do BCG, exijo vassalagem mas é à mesa :D :D :D

Durante algum tempo no passeio andei a trás do vosso Presidente "VOODOO" sempre a dizer "ai Jesus, ai Jesus, ai Jesus" :rotfl:

1 abraço e um queijo da serra
Miguel K2 Sampaio
 
oh Indy, o "presidente" afinal é meu vizinho... :mrgreen: moramos na mesma rua...e mais, já foi meu professor no ano passado...não contente com tudo isto, foi colega do meu "presidente"...o mundo é pequeno, mas o mundo do btt é minúsculo!!!!
 
Re: [Rescaldo] PUF nº5 - Stº Tirso

lobo solitario said:
Grupos de BTT são cada vez mais frequentes ... denominações imaginativas (lembro-me assim, de repente, do interessante trocadilho “Bicigodos”).

Eu vou falar sobre o CEVA, o nosso desorganizador de sábado passado. Segundo os seus elementos, a sigla quer dizer Clube de Empenados do Vale do Ave. Trata-se de uma designação de difícil análise ... porque será, então, que recrutam mais de outras zonas e entram em despique com outras formações locais?

Sempre ouvi mencionar o presidente do CEVA. Não me lembro de pedalar ao seu lado  ... o evoluir da História, no que diz respeito à monarquia dentro do CEVA. Finalmente, o CEVA parece ter uns visitantes mais ou menos ocasionais, membros promíscuos que saltam de grupo em grupo, voyeurs, oportunistas como, por exemplo, eu próprio. Como tal, tenho uma visão mais distante e focada das realidades do CEVA e seus membros.

Voltemos, então, ao famigerado Índio. ...olhar no vazio, meditabundo. O hipoglosso funciona mal, dando origem a um linguajar errático, aos solavancos. A descodificação das suas breves mensagens demora horas, mesmo nas mãos dos criptologistas mais afamados. O resultado final das sua actividades é rico e denso, quer se trate de um pequeno texto, de um circuito de bicicleta, de um pequeno filme ou de um puxão de orelhas por e-mail.
Mais um post para  juntar à soma total dos nossos pensamentos, idéias, sentimentos, lembranças e percepções sensoriais. :clap:

"Assim, não saímos da zona deprimida. Ponto final. Não é apenas o desemprego que nos faz submergir numa crise de valores éticos e morais. É a situação conjuntural que nos convida a alimentar esta letargia. A ausência de uma política governamental credível despe o nosso espírito e varre-nos para as bermas da descrença. A acrescentar a tudo isto, liga-se o pequeno ecrã e, num zapping pelos operadores televisivos, desencanta-se mais um dossiê casapiano, prende-se mais uma figura pública, interroga-se mais um árbitro, liberta-se a figura pública sob caução, adia-se mais um ou outro processo e ninguém sabe a quanto anda. Nada ajuda a levantar o moral das tropas." in expresso do ave 30/04/04

Pelo que está descrito em cima julgo que o nome surgiu mesmo a pensar nesta zona deprimida  :wink:

PS: Senhor Lobo veja lá se um destes dias se engana de novo na padaria e vá mesmo acompanhar os novos incautos do sitio  :oops: , será uma honra a companhia.
 
Eu também gostei, cheguei a Santo Tirso pelas 9.30h estranhamente não estava ninguém no mosteiro de S. Bento. Será que começou a horas? Como ia munido de GPS lá me pus a seguir o track. Os kms passavam, não via ninguém e pensava será que vai ser o premeiro passeio de bicicletas sem avarias ou furos? Mas aos poucos comecei a ver ciclistas e lá me integrei no pelotão.
A parte final fi-la com o Lobo Solitário e mais um companheiro de ocasião. E bela parte final o Lobo levou-nos pela pista de downhill. Para regressarmos ao track fizemos um pouco de TBCAD.
 
Para evitar conflito entre os dois concursos C&C ( o Mensal e o Especial PUF) decidimos alargar até ao fim do mês o prazo de recepção de fotografias do C&C PUF. A votação fica então marcada para a semana de 1 a 8 de Abril.

A adesão ao concurso tem sido excelente e aproveito desde já para agradecer a todos os que nos têm enviado fotos. Aos que ainda não enviaram, faço o apelo para que o façam, porque vão ajudar a documentar o passeio para que mais tarde se possa recordar... :wink:

Lembrem-se, 3 fotos por pessoa, redimensionadas as 800*600 e alojadas num site tipo imageshack.us.

Mais informação :arrow: http://www.forumbtt.net/index.php/topic,53374.msg540351.html