Enfermeiros pedalam contra o despedimento

#1
Não sei se já viram a notícia, mas a moda da bicicleta está a pegar-se até às manifestações... :!:

Desta vez, os enfermeiros com contratos de trabalho precário e em vias da não renovação, pedalaram num circuito de 20 km que passou pelos principais hospitais da cidade de Lisboa, em protesto contra o despedimento!

A notícia pode ser lida em: http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=255984&idselect=10&idCanal=10&p=200

De qualquer das formas, ajuda à notoriedade deste meio de transporte... Pode ser que a CM Lisboa adapte em breve o modelo de Paris! Isso é que era!
 

Alf

Active Member
#2
Só não concordo com o protesto "original" (SIC). Original porquê? Vivemos num país em que andar de bicicleta é "estranho". E fosse um buzinão ou uma marcha lenta não era original. :roll:
 
#3
de original nao tem nada la por ninguem (ou quase ninguem) ter feito uma manifestaçao de bike nao quer dizer que seja original. pronto tudo bem nao fizeram o que é mais normal buzinoes e coisas do genero.

:eek:fftopic:
no entanto acho uma boa iniciativa visto que cada vez acho mais que os ciclistas/cicloturistas têm menos direitos (por poluirmos menos, por nao contribuirmos com selo para o estado temos que ter menos direitos?)

nós ciclistas/cicloturistas é que deveriamos fazer uma grande manifestaçao
:eek:fftopic:




cumps.
NEOX
 
#4
Boas,

Confesso que a primeira vez que ouvi a noticia pela rádio pensei "fixe! uma noticia com biclas" depois de digerir a coisa comecei a pensar, que diabo! tantos eventos, passeios que se fazem por este país fora, dignos de noticias de jornais, telejornais etc.. e aqui só porque os manifestantes usaram as bicicletas focam logo essa parte e até deixando um pouco de parte os interesses da manifestação, que na altura nem cheguei a perceber quais eram.

A minha mensagem não vai encontra os enfermeiros terem usado as bicicletas mas sim como os media arrastam a bicicleta para uma noticia desagradável.

P.S. só para não haver confusões o termo "desagradável" é para a situação que os enfermeiros estão a viver e a reivindicar.

João Santos
 
#5
:oops:

Olá pessoal!

Como enfermeira (e leia-se, para mim, BICICLETA NÃO SIGNIFICA PRECARIEDADE,tal como vem referido na notícia), considero que os meus colegas tiveram todo o direito, original ou não, em fazer uma manifestação de bicicleta pelas ruas de Lisboa, contra o que muitas pessoas e profissões estão a sofrer no momento: a perda de emprego e de muitos dos direitos adquiridos (COM LUTA!) ao longo das últimas décadas! (Quem quiser conhecer um pouco da História da Enfermagem em Portugal, pode facilmente pesquisar na Net e verificar que antes as enfermeiras nem sequer se podiam casar e muito dificilmente seria possível fazer uma manifestação a pedalar pelas ruas da Capital...)

Por outro lado, se escolheram a bicicleta como meio para chamar a atenção, óptimo! É que para além de nos dar prazer na práctica do btt/ciclismo e contribuir para o nosso bem estar físico e psicológico, é ainda um meio para reivindicarmos e defendermos os nossos direitos!!! Qual será a parte negativa desta questão?!!
Cada vez mais observamos que existem mais pessoas a practicar esta modalidade, e o facto de os enfermeiros usarem a bicicleta na manifestação só vem comprovar que "para além de estar na moda", a nossa amiga bicicleta é realmente um meio de transporte com várias potencialidades!...

BOAS PEDALADAS!!! :lol:
 

Alf

Active Member
#6
Claro que a manifestação em bicicleta é uma grande ideia, tomáramos nós que todas assim o fossem.

O problema é a conotação negativa que os media dão à coisa.
 
#7
boa S. Almeida :D
reparei que o pessoal so tava aqui a falar das bikes e deixaram a ideia essencial de parte que é o dos enfermeiros terem trabalho precário. tenho várias amigas que terminaram o curso este ano e anda tudo muito triste porque nao arranjam nada :( é triste para quem se dedicou tanto e acabar sem colocaçao...pode ser que tudo melhore ;)

força enfermeiros :D
ainda hoje apanhei uma pica para as minhas 1001 alergias lol
hahah
 
#8
yjmalmsteen said:
boa S. Almeida :D
reparei que o pessoal so tava aqui a falar das bikes e deixaram a ideia essencial de parte que é o dos enfermeiros terem trabalho precário. tenho várias amigas que terminaram o curso este ano e anda tudo muito triste porque nao arranjam nada :( é triste para quem se dedicou tanto e acabar sem colocaçao...pode ser que tudo melhore ;)

força enfermeiros :D
ainda hoje apanhei uma pica para as minhas 1001 alergias lol
hahah
Olá yjmalmsteen!
Realmente está difícil arranjar colocação profissional, quer para os enfermeiros quer para muitas outras profissões! :cry: Temos que pedalar contra a maré e lutar por dias melhores! :ko: O importante é :nana: não desistir, tal como no btt!

Boa sorte para as tuas amigas/minhas colegas e as melhoras para as tuas alergias.
E continuem a pedalar, porque pedalar também é viver!!! :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
 
#9
Mais relacionado com a utilização das bicicletas do que com a manifestação em si, numa altura em que o preço do combustível não pára de aumentar, há cada vez mais trânsito, os radares começam a apertar. Será que não está na altura de começar a poupar algum dinheiro nas deslocações do dia-a-dia?

Contabilizem os quilómetros percorridos por semana/mês dentro da vossa própria cidade, transformem-nos em litros de combustível e consequentemente em euros, depois vejam a grande fatia que sai do ordenado... Menos quilómetros por mês no vosso carro pessoal significa que as viagens à oficina para revisões serão mais espaçadas, mais uns euros poupados.

É só pegar na bicicleta para se começarem a poupar uns trocos e umas horas! Para quem não quer pedalar, há sempre o metro, o autocarro, ou um carro partilhado!!

Peço desculpa se fugi ao tema, mas faz-me confusão ver tantas reivindicações na televisão e logo de seguida ir à rua e chegar à conclusão que a grande maioria dos carros de CINCO, vá quatro, lugares apenas transportam UMA pessoa. Trata-se de uma enorme ineficiência energética, económica e de espaço, sem falar na poluição.

Parece que pedalar e andar de transportes é coisa de pobre, enfim!