Uci world cup xco 2014

Que grande vitória do Absalon! Para variar arrancou mal e como tal teve de fazer um esforço extra para alcançar o Nino.

O Nino teve um inicio mt forte, até parecia o Hesjedal do BTT, com um motor auxiliar na bike ;) Mas ao contrário do q é habitual, quebrou a dada altura e o Absalon não baixou o ritmo e venceu com toda a justiça!

Ainda houve tempo para um valente OTB do Nino já perto do final da última volta, seguramente motivado pelo cansaço e falta de descernimento que já o afectavam.

De qlqr das formas fica confirmado que Nino e Absalon são sem dúvida os grandes monstros do BTT... n vejo ng q actualmente lhes possa fazer frente mas vamos ver como iniciam a próxima época!
 
É verdade, os próprios comentadores do redbull.tv comentaram a"dispendiosa alteração" feita na bike do Absalon, referindo-se à FS, dadas as caraterísticas do circuito. Aliás, outros corredores tiveram o mesmo problema do Rosa e nem todos têm as mesmas mordomias e facilidades do grande Absalon. Penso que uma visita ao Tissot live timing- race analysis poderá permitir uma interpretação mais realista, para além da fértil imaginação que por aqui circula.
Contudo, o mais importante é reter que o David Rosa, mais uma vez, obteve o melhor resultado nacional de sempre no Campeonato do Mundo de XCO e que, apesar das contrariedades por que tem passado nas últimas provas, merece todo o nosso aplauso, nem que seja pela raça de campeão que sempre tem revelado!
 
A conclusao mais importante que tiro é que o fontana deicou os calçoes de praia em casa e consegiu logo o melhor resultado da época e da carreira em campaonatos do mundo.

O Absalon, é um monstro, nunca tinha visto o schurter com aquela mascara de esforço, e a queda no final foi de exaustao...

O Rosa está a andar cada vez mais, os problemas técnicos infelizmente são porque usa material do "seculo passado", dois pratos infelizmente nao dá para por um guia...
 
Sem querer denegrir a imagem de ninguém, que o Rosa faz o melhor que pode e disso ninguém duvida!
Mas fazendo uma analise cuidada, os problemas técnicos do Rosa surgem sempre aliados as pistas mais técnicas se o problema for do material como e que ele próprio não se predispõe a resolver aquilo?

Desculpa mas aqui há incompetência seja la de quem for!
 
Sem querer denegrir a imagem de ninguém, que o Rosa faz o melhor que pode e disso ninguém duvida!
Mas fazendo uma analise cuidada, os problemas técnicos do Rosa surgem sempre aliados as pistas mais técnicas se o problema for do material como e que ele próprio não se predispõe a resolver aquilo?

Desculpa mas aqui há incompetência seja la de quem for!
Huppy, nem mais! A este nível a "desculpa" do material já n cola! Estamos a falar dum betetista olímpico e q este ano andou a lutar por um top-25/30... Se o material de facto n é suficientemente bom, alguém tem q assumir a responsabilidade.
 
PenduluM,

Embirras mesmo com os calções do home :D

Certamente o Rosa andará com o sistema que mais lhe agrada e com o qual se sente confortável. Com dois pratos não é preciso guia, está lá o desviador. Se está a saltar é em baixo; e se salta em baixo, há N soluções. Partindo o princípio que o desviador é um Shadow + (ou o equivalente da SRAM - não fui ver), o efeito de mola deveria ser mínimo, além de que, se necessário, ainda há hipótese de colocar mais do que um sistema de tensor de corrente.

Pelo que sim, o problema da corrente, faz confusão.

Ainda assim, brilhante época do David e esperemos que consiga, no próximo ano, superar-se novamente.
 

RTC

Super Moderador
É que é uma pena mesmo! :(
O David parece estar a atravessar um excelente momento de forma e se tivesse tido melhores resultados com certeza que daria o salto para uma equipa profissional, como ele desejaria.
Assim com estes "problemas" que o afastam do primeiro terço da tabela pode perder essa oportunidade.
E o tempo para dar esse salto está a esgotar-se...
 
E o tempo para dar esse salto está a esgotar-se...
Mesmo...

E nem de propósito, relativamente a idades...
...Curiosamente ainda ontem falava aqui com um companheiro sobre a curiosidade que me assola sobre o Absalon. Será que este ano foi o ano do canto do cisne? O ano passado fiquei com aquela sensação que foi o seu ano "jinx" (azarado) - tudo correu mal. Este ano parecia claramente apostado a repetir a época de 2006 (penso eu) em que também ganhou tudo. Via-se que estava lá em todas as corridas, na discussão pelo 1.º lugar. No entanto, como qualquer atleta de topo, acredito que queira sair em altas. Certamente para o ano ainda fará parte dos circuitos mundiais, mas, os seus provectos 34 anos e os menos 6 do Schurter farão com que, naturalmente, o "puto" assuma o seu lugar como sucessor definitivo do Sr. BTT.

Assim sendo, estou curioso porque acho que a carreira em 2 rodas do Julien não acaba aqui e fiquei com um feeling que era capaz de fazer umas brincadeiras em roda fina? Mais ninguém pensa o mesmo?
 
Interessantes as opiniões aqui expressas que fazem uma avaliação do que aconteceu de mais relevante durante as competições mundiais e os factores externos que contribuem e muitas vezes condicionam os resultados desportivos. Refiro-me, evidentemente, às questões técnicas que se prendem com a fiabilidade dos materiais que prejudicaram, e de que maneira, a época do Rosa e que atrasaram alguns meses a sua entrada no top 20 mundial e numa possível equipa de fábrica, como diz o RTC. Digo isto, porque atendendo àquilo que tem sido a sua evolução durante os últimos anos, e principalmente esta época, sempre em crescendo, se percebe que ainda não atingiu o seu auge. Penso que no próximo ano e no ano olímpico poderemos ver o Rosa no seu máximo. Relativamente aos monstros, julgo que continuaremos a ver o Absalon a passear a classe nos circuitos mundiais de XCO até aos JO, já em descompressão, mas na estrada, seria expor de forma gratuita o seu nome, para além de desnecessário.
Resta-nos aguardar com paciência que as grandes competições regressem depressa e voltarmo-nos para o que ainda resta por cá.
Boas pedaladas
 
Amigos, como nem toda a gente lê os comentários e vejo muitos de vós a perguntar a mesma coisa aqui e em mensagens, vou aqui responder a algumas perguntas mais repetidas:
A situação da corrente encravada na Taça de Portugal em Marrazes, Belas e Windham tiveram como causa a rigidez do dropout, que é o que causava a corrente ficar presa entre a cassete e o quadro. Acontecia ao meter muitas mudanças sob carga. Em Windham explicaram-me que essa situação se devia à rigidez do dropout. A solução deles foi limitar a última mudança (o 11) para ter alguma "margem" de erro, isto enquanto esperavam nova peça mais robusta (recebi-a na Noruega). Ponto final aqui, não houve mais nenhuma situação destas.
Em Méribel, a corrente saltou aquelas vezes todas, do prato (repito: do prato, ao usar um sistema 1x10), provavelmente ao ficar com o dropout torto por causa de uma queda. Para Hafjell, coloquei um guia de corrente para evitar qualquer problema por causa das coisas (em Windham, já ao usar um prato apenas, sem guia de corrente não houve problema nenhum, mas foi para jogar pelo seguro). Em Hafjell, com guia de corrente, saiu 3x's (2ª, 6ª e 7ª volta). Aconteceu a pelo menos mais um atleta com esse guia, aparece inclusivamente na transmissão.
E não devias ter já arranjado solução? Volto a repetir: Em Windham não houve problema nenhum, em Méribel sim. Solução óbvia? Guia de corrente. Resultou? Não.
Entretanto, ou volto a colocar o 2x10 de origem, ou coloco um guia de corrente diferente, ou percebe-se o que se passa com este.
Resumindo:
Sim, estava a usar guia de corrente. Não, a corrente Shimano XTR não tem problema nenhum directo com isto e volto a dizer que é a melhor transmissão que usei.
Entre Méribel e o o Campeonato Mundial, a minha bike não foi revista pelos meus mecânicos habituais, foi logo directa de uma prova para a outra. A bike que uso este ano continua a ser a melhor e mais equilibrada que usei desde que estou a competir. Portanto, trocar de bike e mecânico (habitual) está fora de questão.
Acabadinho de postar no seu próprio facebook...
Sempre usa um prato só.