SantaCruz 29er Tallboy Carbon

Boas,

Depois de 2 voltas na nova maquina resolvi fazer um resumo das primeiras sensações e comparações com o que eu considerava serem bicicletas de BTT até agora.

Primeiro escolhi um percurso que realizo muitas vezes e que apresenta um tipo de terreno bastante diferente entre o tempo seco e o tempo chuvoso.

Em relação às bicicletas a comparação é feita entre a Tallboy, a Ibis Mojo (principalmente), a Blur XC Carbon e em algumas situações com a Epic 29 que tive oportunidade de experimentar neste mesmo percurso.

Dados técnicos do percurso:

40km com 600m de acumulado positivo e negativo.

Peso das bicicletas:

Tallboy – 10,8kg
Ibis Mojo – 12,2kg
Blur XC Carbon – 10,00kg
Epic 29 – 12,20kg

O percurso à saída de minha casa começa com uma descida de escadas de madeira relativamente longa, aqui surgiu a primeira surpresa na Tallboy, parecia que ia na Ibis. Com a Blur tinha que ir sempre a travar.

De seguida temos um percurso em alcatrão, cerca de 10 minutos onde pude perceber que em plano parece que a Tallboy pede sempre mais velocidade, é realmente impressionante o andamento que conseguimos manter, muito superior a qualquer roda 26.

Durante este percurso em alcatrão apanho um subida curta mas muito inclinada, mas como vinha lançado subi bastante bem, aparentemente, sem ter sentido qualquer diferença para pior em relação à 26.

Entro no percurso de terra batida com uma subida de cerca de 2km em terreno compacto, mesmo nesta altura, com uma inclinação elevada a muito elevada em algumas zonas. O sitio ideal para perceber se a 26 tinha verdadeiramente vantagens neste seu terreno. Penso que tem, mas atenção não é assim tão simples, é verdade que cheguei bastante mais cansado, a nível cardíaco, ao final da subida com a Tallboy, mas a diferença em tempo foi muito reduzida para a Blur. Atenção que com a Tallboy nesta subida, apenas tive que me preocupar com a pedalada, enquanto que na Blur e na Ibis tinha que me preocupar constantemente com a posição na bicicleta por forma a ter uma melhor aderência ao terreno.

Depois de uma subida uma descida de 2 km com muita pedra e buracos por toda a parte, um verdadeiro desafio. Quase não consigo expressar o que aconteceu. No tempo seco, apenas tinha conseguido realizar a descida montado na Ibis e com alguma dificuldade na Epic 29, no Inverno, impossível com qualquer uma delas, tinha sempre que desmontar e fazer uma parte a pé. Hoje pensei, vamos ver o que vales, e foi fabulosa, desceu tudo. Quando o curso não dava mais estavam lá as rodas, uma rigidez impressionante para este tipo de rodas e acima de tudo uma facilidade tremenda na colocação da roda no lugar certo sem perder o controle.

Agora terreno a direito, com bastantes irregularidades, durante cerca de 10km alternado com 3 subidas curtas mas muito duras com bastante pedra solta, buracos, etc. No térreno a direito como foi dito anteriormente a Tallboy pede sempre mais e a facilidade com que absorve as irregularidades do terreno é impressionante. Devo realçar que uma das bikes que também me impressionou bastante neste tipo de terrenos foi a Ibis, pedala mesmo muito bem a direito em terrenos irregulares, conseguindo inclusive uma melhor performance que a Blur, 2 kg mais leve. Nas 3 subidas, nunca tinha conseguido, no Inverno, subir sem desmontar e mais uma vez impressionante. Neste caso nem interessa discutir se a roda 29 desenvolve mais ou menos a subir, não era um estradão, simplesmente a Tallboy foi a única a consegui-lo.

Chegou mais uma subida de 3km, numa fase inicial com muita pedra e buracos e na ultima fase muita lama. Na semana passada com a Ibis foi um desespero, não subia, parava, arrancava, voltava a parar e por fim à mão na parte com lama. Com a Tallboy na parte inicial com pedra e buracos, parei uma vez , voltei a montar e nunca mais parei, inclusive na zona com lama, impossível numa roda 26, mas na Tallboy, devagarinho é verdade, mas surpreendentemente sem desmontar.

No regresso a casa ainda tempo para um trilho bastante técnico, com curva e contra curva, onde me pareceu ter uma boa resposta. Talvez inferior à Ibis , mas não muito. O resto do percurso é feito em ligeira descida sem dificuldades, mas deu para apreciar o comportamento fabuloso em terrenos muito moles, inclusive com lama, nada parou a Tallboy e eu e os meus sapatos limpinhos, agradecemos (na semana passada tive que retirar a lama dos sapatos com agua com pressão, tantas foram as vezes que tive que desmontar).

Conclusão: quando me perguntaram se eu tinha a certeza que queria trocar a Ibis pela Tallboy, eu disse que sim pois acreditava que a Tallboy podia ser uma verdadeira maquina em termos de polivalência. Agora tenho a certeza que fiz uma excelente escolha.

Mas a Tallboy faz efectivamente tudo melhor que qualquer 26 entre 100mm e 140mm de curso? Talvez não.
Para mim se alguém procura uma bicicleta para se picar com os amigos nas subidas tipo estradões, a Tallboy não é a bicicleta aconselhada, mesmo numa montagem leve como a minha.

Mas se alguém procura uma bicicleta polivalente que faz quase tudo melhor do que as outras, mas acima de tudo proporciona um gozo enorme de condução, inclusive no inverno em situações de terrenos muito moles, a Tallboy é a melhor bicicleta que o nosso dinheiro pode comprar.

Para finalizar e apenas por curiosidade, nesta volta, a semana passada demorei 2h36mim na Ibis, na Tallboy hoje 2h06mim.

Vou tentar tirar uma fotos do percurso para juntar imagens às palavras.

Tiago
 
Boas Avis, confirmo tudo o que dizes!! Ao ler até me apetecia ligar à Pernalonga "Tá, ***** mandem vir uma para MIM!!!!"

Em relação à subida compacta, experimenta meter um prato mais pequeno na pedaleira da frente (penso que seja de 24 o teu), eu iria antes para uma pedaleira de 3 pratos, pois iria usar todos eles. As relações das 29" são diferentes das 26" e dai a diferença que notas nos batimentos cardíacos.

Belo report
 
já lá vão 2500 km de tallboy e concordo em tudo o que diz o Tiago
bem observado. Aqui em Barcelos é a doer um treininho no monte
35-40 km tem sempre 1000-1200m ac.
Penso que tocaram no ponto, é fisicamente exigente, mas o goso
de condução é.....fantástico.
Bons trilhos
 
Quanto ao exigente, concordo, mas não se esqueçam que não tem as mesma relações que na 26". A avózinha da 29" equivale à 7 ou 8 da cassete de 9 que usavam na 26".
Há marcas que aboliram as 26" na gama de rigidas, eu conto que a Shimano irá lançar um grupo especifico para 29" com as relações correctas.
 
Viva

Na minha pedaleira tenho 24-38 e estou muito satisfeito, ainda não esgotei o 38 e o 24 chega e sobra.

Avis, parabéns pela máquina, está fantastica, só falta mesmo o guiador recto, opiniões valem o que valem ;) Boa sorte.

Boas pedaladas.

Marco Anileiro
 
Sim também depende das pernas de cada um, e da maneira de pedalar, eu gosto de rotações baixas por isso sou GRANDE AMIGO DA AVÓZINHA!

Eu na Tallboy tinha 22/32/44 com cassete 9v e esgotei TUDO tanto na maior como na mais pequena.
 
Em relação à pedaleira sei que tens razão Surfas, em algumas subidas mais longas e duras terei enorme dificuldade em aguentar esta desmultiplicação, pelo menos com a minha actual condição física. Mas fo****** a pedaleira é linda!!!
Gosto muito da posição de condução da minha bike, ainda pensei em mandar vir o novo guiador recto Easton especifico para roda 29, mas ainda não estava disponível e ainda bem.
Digamos que sou daqueles como diz o Surfas que tem prazer em ter muitos pelos nas pernas e onde a polivalência de uma bike é o mais importante, avanço invertido e outros não é para mim.
 
Sim cada qual escolhe a gosto, e cada qual tem a sua posição/geometria na bike. Eu por exemplo gostei do avanço curto guiador low rise, embora prefira o de 711mm de largura com TODA a certeza um Joplin ou Reverb e uns 2.4 Ardent (vem ai uns Maxxis Minnion 2.4 Tuneless Ready para 29") na frente.
Mas mesmo com o pedaleiro XTR novo podes meter um prato 22 do XTR anterior!!

Aquilo dos pelos, era a meter-me com a malta!!!!! Espero que não tenham levado a sério:D
 
Cada um sabe de si, mas numa 29 podes muito bem ter avanço invertido e guiador reto, a altura é a mesma de uma 26 com avanço com inclinação positia e guiador low riser.
Mas la está isso vai de cada um.
Assim como os pelos, cada faz o que entende ;)
Boas pedaladas.
 
Gosto bastante da posição relaxada que a bicicleta neste momento me proporciona equivalente a estar a conduzir a minha ex Ibis. Mas vou tentar experimentar, quando o Cesar tiver o novo Easton, para ver as diferenças em relação à posição e controle sobre a bike.
Em relação aos pelos...penso que a malta tem inveja. Eu pelo menos lembro-me quando tinha 14 anos e fazia ciclismo, era bastante agradável receber aquela massagem sem os ditos.
Abraço
 
Sabendo que tens uma BLT digo-te as diferenças

.no alcatrão rola melhor, vais a uma velocidade maior com o mesmo esforço que na BLT
.a subir em estradão é o mesmo que em estrada, mas nota-se a diferença nas relações tens sempre de fazer um pouco mais de esforço que na BLT
.a subir terreno mais técnico, as rodas ajudam, a transmissão não (eu gosto de rolar em rotações lentas), tem de se fazer mais esforço que na BLT
.a descer (com 120 na frente) dá a confiança da BLT MAS nota-se a falta dos 140mm tanto no conforto como na segurança
.em sigles apertados, bom aqui as 29" não estão no seu terreno, a Tallboy é rainha das 29" nestas condições mas a BLT ... mais segura, mais confiante, mais ágil

Eu adorei a posição de condução, bem mais que na BLT. O guiador estava mais alto que na minha BLT, mas em nada dificultou as subidas, e adorei o quadro, tanto que a minha mulher joga todas as semanas no Euromilhões para poder oferecer-me uma .... ainda não saiu!!!!
Diria-te antes troca a Superlight.
 
Podemos então concluir que a Tallboy é uma bicicleta versátil, dependendo da sua montagem. Aquilo que o Cedric fez, pode-se definir com um freeride light, não?

Querem apontar um número para o peso da bike dele? :cool:

Engraçado é ele ter uma Rock Shock, em vez de uma fox. Digo isto, porque a maioria das montagens é realizada com conjunto fox.

À custa do SURFAS, estou a ficar um Santa Cruz addicted.
 
Diria uns 11,5kg tem uma Reba não sei se com 120 ou com 140mm. Sim é bastante versátil, nem sei porque a enquadraram nas de cross country no site da Santa Cruz. Mas atenção nada para saltos, que as rodas ajudam mas o curso será sempre 100mm!!!

Ele tem Rock Shox porque é quem lhe paga! tal como à equipa Syndicate.
 
Preparamos esta montagem da TALLBOY CARBON com um preço ao mais alto nivel.









Componentes da Bicicleta:

Quadro: TALLBOY Carbon FOX RP23 Kashima Adaptative Logic
Suspensão: FOX F29er RLC 120 QR15 Tapered
Caixa de Direcção: Cane Creek Tapered
Guiador: 3T Pro Flat Bar 31.8
Avanço: 3T Pro 31.8 - 6º
Espigão de Selim: Thomson Elite
Manípulos de Mudanças: Shimano SLX - 10v
Mudança de Trás: Shimano XT (780) SGS - 10v
Mudança da Frente: Shimano XT - 10v
Pedaleiro: Shimano SLX M660 24-32-42 - 10v
Cassete: Shimano SLX 11-36 - 10v
Corrente: Shimano HG74
Travões: SHIMANO SLX c/ discos de 180/160 mm
Rodas: Aro ZTR Crest 29er/Cubos Hope Pro Evo
Punhos: Esigrips
Selim: WTB Silverado
Pneus: Maxxis CrossMark 29er LUST - 2.10

Peso : 11.800g com pedais

Preço : 4.450 € , disponivel apenas para o stock existente.

De salientar que este quadro é integralmente em carbono, triangulo dianteriro e traseiro .

Disponivel apenas nas lojas oficiais:
Procycle - Braga
Gondobike - Gondomar
Pernalonga - Aveiro
Sintrabike - Sintra
 
Last edited: