o motivo de chegar lá acima

#1


o que é facto é que não existe motivo palpável para chegar lá acima.
muitas vezes nem sei que vou lá acima, acontece por intuição e quando lá chego, reparo que cheguei.

muitas vezes subo apenas para descer, para lá permanecer o tempo que for necessário. o tempo necessário para deixar de sentir o que é "lá" em baixo, para me desprender de tudo aquilo que me afasta da vida e de mim próprio; e tudo aquilo que me afasta de mim próprio não sou eu, são os rails da autoestrada, são também aqueles atalhos que não vão dar a lugar algum ou aquelas luzes que afinal não eram ouro.

eu subo lá acima para chegar, só porque sim. como tudo aquilo que não é palpável, e é muitas vezes fútil; mas são o distanciamento e afastamento que nos ajudam a reencontrarmo-nos e a chegar onde sempre quisemos, àquele sítio que está tão perto, que sempre viveu conosco e que no final é o mais longe, profundo, sombrio e difícil de enfrentar e encarar: nós mesmos!

é por isso que amo a montanha, a dificuldade de chegar lá acima, de me ultrapassar e conquistar, mesmo que seja num dia nublado ou a paisagem afinal não seja a tal, valeu pela viagem.



também em: http://lifetimewar.wordpress.com/category/devaneios/
 
Last edited:
#2
De facto uma das nossas mais esperadas conquistas numa qualquer das nossas "voltinhas".
Tudo fica mais azul, após a conquista de um monte e consequentemente a "Chegada Lá Acima"



Boas pedaladas
Cumprimentos BTTistas
Nuno Campos
 
Last edited:
#3
Ignite... Gostei tanto k vou partilhar... Todas as palavras k transcreveste são exactamente o k pensei e não consigo por no papel...
Parabéns... Fabulástico... ;)
 
#4
muito bem!
isto sim é umas pedaladas sem fronteiras, subir ao top mais alto só porque queremos lá estar o tempo que desejarmos, porque gostamos de lá ir e estar!

um abraço e boas pedaladas aos topos!!!
hoje tb andei pela Serra do Sicó porque lá queria ir curtir um single track que já há muito ouvia falar e é altamente a descer não se pensa em nadinha e quando se pensa abanamos...eheh
 
#5
haha!! gosto em saber que mais se identificam!
às vezes n precisamos d ter motivos, basta ir e curtir a coisa!


nuno.fbc isso é onde?
 
#6
EXELENTE,é este o pensamento,ir ao nosso limite,viver o momento,curtiz,chegar ao fim da descida e pensar que aquela silva ou aquele malho valeu a pena,sentir o sabor daquela conquista,esta crónica deu-me a soudade que tenho dos trilhos e com isso dou-vos se me é premitido um conselho.

vivam cada momento,com os amigos,sózinhos,há vossa maneira,mas respeitando o que vos rodeia,pois de um momento para o outro tudo se quebra,aconteceu comigo,infelizmente as paisagens tornaram-se turvas,mas se por um lado fui travado,por outro lada aprendi que posso lá chegar,nem que para isso precise dos amigos,de novos caminhos mais longos,e de motivação.até porque todae as viagens tem um fim,nunca se pode é desistir.

vivam o btt,vivam a vida
 
Last edited:
#7
Boa tarde a todos

IGNITE, esta foto é na "Cruz de Ferro", no Camiño Francês de Santiago de Compostela.
Grande subida.......longa.....mas conquistada.

Cumprimentos BTTistas
Nuno Campos
 
#8
Bem, parece que temos poeta...

Parabêns ignite, conseguiste numa boa exposição, apelar a alguns sentimentos para reflexão ;).

Como pedestre, e pertencendo a um grupo de caminheiros, já tive a oportunidade de ver muito desse "azul", assim como as paisagens e a linha do horizonte, lá longe.
Só em fotos devo ter mais de 100 (ainda em pelicula) e quando as revejo a todas a sensação que me assombra é sempre a mesma...

...quem me dera estar lá novamente.

Mas o que importa mesmo é que já lá estive.

P.s - Parabêns também pela foto. Está fabulosa. Pelo teu avatar entende-se que também gostas e percebes de fotografia.
 
Last edited:
#9
Acho que voltar é igualmente bom e tem igual valor! ...mas nem sempre é possível!


Obrigado! A foto é no norte da suiça, a umas horas de uma vila chamada Zermatt!
 
#10
By the way, não sei se conhecem o livro/filme.
Ambos já têm uns aninhos mas eu só tive a destreza de os contemplar agora e foi das coisas mais brutais que já me passaram pelos olhos e cérebro.
7 anos no tibete (7 years in tibet)

E deixo uma memorable quote:
The absolute simplicity. That's what I love. When you're climbing your mind is clear and free from all confusions. You have focus. And suddenly the light becomes sharper, the sounds are richer and you're filled with the deep, powerful presence of life.