Cartão de identificação

abelha2

Active Member
#1
Bons companheiros.

Agora a tarde vou dar uma volta sozinho, e lembrei-me de fazer um cartão, para andar sempre no camelback, com os seguintes dados:

Nome
Numero bi\cartao de utente
Número de telemóvel de um familiar
Número de telemóvel, de alguém que conheça os percursos por onde costumo circular

Acham que devo colocar mais alguma informação?
Costumam andar com algo parecido?

Eu antigamente circulava sempre com o cartão do cidadão, mas a verdade é que eu caso de acidente, isso de "pouco serve" pois não tem contactos de familiares que possam estar preocupados convosco. E por exemplo se tiverem uma queda em que danifiquem o telemóvel, quem vos prestar socorro, não tem como ver o contacto de familiares.

Existem diversos tópicos sobre os prós e contras de andar sozinho, por isso peço que se debata apenas o que colocar nesse cartão.
 
#2
É muito importante que acrescentes o grupo sanguíneo!

Não ando com nenhum parecido por desleixo, porque recomendo vivamente especialmente para quem anda sozinho que se faça acompanhar SEMPRE de identificação.

Um abraço e boa volta
 
Last edited:

Patitos

Active Member
#3
O grupo sanguíneo pode ser importante, no entanto a nivel hospitalar será sempre feito novo teste para grupagem. Em caso de emergência são administradas tranfusões " desesperadas " com grupo de sangue ( dador universal )
 

abelha2

Active Member
#4
Eu o meu grupo sanguineo nao sei, mas tratarei de saber.

Mas ja agora, se for assim tao necessário saber o grupo sanguineo, esse nao deveria estar associado ao cartao de utente da pessoa?


Obrigado, e até mais logo
 

tfmc

New Member
#5
Amigo, o numero dos bombeiros, da protecção civil e da policia dos locais onde costumas andar, talvez não seja má ideia!
Se todas as pessoas forem como eu, ninguém sabe esses números e se os tiveres, nunca se sabe quando serão úteis mesmo para ti!

Parece-me um tópico bastante importante
Abraço
 

dfilp

Active Member
#6
Boas!
É de facto uma boa ideia esse cartão, pois pode ajudar e muito em alguma situação que as coisas corram menos bem. Mas nem só para andar de bicicleta, até no dia a dia por vezes poderá fazer imenso jeito um cartãozinho com a informaçao toda rezumida.

QUando ao grupo sanguinio, não vejo vantágem..
Alias não percebo bem o porquê do pessoal andar com o grupo sanguinio no capacete ou na bicicleta. A unica razão que vejo é poder ser giro.. Mas eu não acho piada, claro são gostos ;)
Isto porque se alguém tiver um acidente e precisar de sangue, já mais em algum hospital irão olhar para o capacete ou para a bicicleta para saberem o grupo sanguínio.. Até podem ver lá escrito, mas imaginem lá que o capacete é emprestado, ou a bicicleta era de um amigo, qualquer coisa assim.. Logicamente não podereiam arriscar guiarem-se pelo que lá está escrito.. E por isso fazem rápidamente o teste e ficam a saber qual o sangue necessário.

Quanto ao resto, se fosse eu provavelmente colocaria também a morada, pode ser util em ultimo caso (por exemplo se por alguma infeliz coincidencia os contactos estarem fora de contaco)
 
#7
tfmc posso estar a ser minimalista demais, mas bombeiros e protecção civil é o 117 e policia/gnr/inem é o 112.
Pelo menos já liguei para esse dois números a pedir transferência de chamadas e até agora nunca houve problema.

Quanto ao grupo sanguíneo as autoridades não o trazem na farda só porque fica bonito de certeza, portanto acho que é uma informação importante a acompanhar um cartão desse género pois embora seja depois confirmado no hospital pode acontecer muita coisa, como por exemplo o hospital não ter transfusões "desesperadas".

No que à saúde diz respeito todo o cuidado é pouco, portanto quanto melhor te conseguires identificar melhor!
 
#8
dfilp achas portanto que Forças Armadas, PSP, GNR e pilotos de rally por exemplo trazem o grupo sanguíneo só porque fica bonito!?

Quanto ao capacete e bike concordo contigo, podem ser emprestadas...
 
#9
Boas,

É uma boa ideia essa de juntar a informação básica num cartão. Convém plastifica-lo e afixar no exterior da mochila para maior visibilidade.
Tenho sempre ao pescoço um fio com uma chapinha com o meu grupo sanguíneo num lado e no outro o meu nome.
 

tfmc

New Member
#11
tfmc posso estar a ser minimalista demais, mas bombeiros e protecção civil é o 117 e policia/gnr/inem é o 112.
Pelo menos já liguei para esse dois números a pedir transferência de chamadas e até agora nunca houve problema.
Olha tiveste sorte, porque eu numa ocasião tive azar.....
Em todas as outras não me posso queixar, antes pelo contrário, sempre que precisei de algum desses serviços, sempre foram fáceis de contactar, rápidos e muito atenciosos.
Não quero que interpretem mal o azar que tive uma vez, foi apenas uma vez, mas dessa única vez que não correu bem nem imaginam a aflição que foi até encontrar o numero....

Quando fizer um para mim, não vou arriscar.
 

abelha2

Active Member
#12
Sim brunocarvalho, eu uso sempre telemovel, e com bastante bateria. Quando vou sozinho evito andar muito por monte, mas mesmo assim azares acontecem.

Vou adicionar a morada.

Mas acho importante trazer o numero escrito num papel, porque imaginem la que caiem, desmaiam, e com a queda o telemovel se desliga... Mesmo que queiram avisar alguem, não tem acesso ao numero.

Deram a ideia de colocar fora da mochila, mas pelo menos na minha nao encontro nenhum local apropriado. Sera que nao verão na mochila e nos bolsos se uma pessoa tras um telemovel? (eu coloco sempre o telemovel dentro de um saco plastico por causa das humidades e po, e vou passar a colocar este cartão la dentro
 
#14
São casos diferentes. As Forças Armadas normalmente são assistidos pelos próprios médicos (já para não falar das situações de combate)
A PSP e GNR não tenho conhecimento de causa, mas penso que seja uma situação semelhante ás Forças Armadas.

Os pilotos de Rally são assistidos ou acompanhados aos hospitais pelos médicos de prova.

Em todas estas situações as indicações do grupo sanguíneo são consideradas como fidedignos.

No caso dos civis é completamente diferente (penso que excepção feita aos cartões de Dadores de Sangue).

Pelo que sei, uma pessoa quando entra no Hospital leva O- até se saber qual é o grupo.


Em relação ao cartão, acho mesmo uma excelente ideia, mas se calhar em vez de o levares dentro do Camelback, onde provavelmente ninguém o vai procurar, devias fazer uma versão mais pequena e colar na lateral do capacete.
 

abelha2

Active Member
#15
vou ver se da jeito colar um daqueles papeis que se usam para identificar livros, no capacete.

No entanto, vou colocar o cartão preso por um fio, que ficará (o fio) fora da mochila. Eu acho que em caso de acidente, depois de socorrida a pessoa, procuram a sua identificação, nos bens que tenha consigo, como por exemplo no telemovel.

Mais logo coloco foto do resultado final
 
#17
Boas

Eu já há muito tempo que criei um cartão (tirei fotocópia do DC e no verso coloquei a seguinte informação nome e nº de telefone de pessoa a contactar, a minha residência e o mais importante para mim "a indicação de que sou diabético".
Plastiquei-o e cada vez que saio com a bilcla ele acompanha-me.

Boas pedaladas.
 
Last edited:

abelha2

Active Member
#18
O meu tem:

Nome: xxxxx xxxx xxx xxxx
morada:xxxx xxxx xxxx

Em caso de acidente contactar:
Mãe: 9xxxxxxxxx
Irmão: xxxxxx

Na parte de trás tenho
Numero bi: xxxxxxxxx
Numero utende de saude
data de nascimento
numero bombeios locais

Fiz em cartolina amarela, e plastifiquei.

Amarrei com uma fita vermelha, para ser facil de encontrar dentro do camelback. Uma das pontas da fita esta presa ao cartão, e a outra ao fecho do camelback, fica com uma pontinha de fora, na qual tem escrito SOS
 
Last edited:
#19
Levo sempre comigo: cartão do cidadão + cartão de dador de sangue + telemóvel + dinheiro (nunca se sabe se preciso de comprar mais alimentação, fazer uma chamada, chamar um taxi,...).

Relativamente a cartões com tudo incluído inventados por cada um são tão fidedignos como a identificação na bike ou no capacete, juntamente com o grupo sanguíneo. Não é à toa que as fotocópias de documentos não fazem prova de nada! (a não ser que sejam autenticados)

Atendendo ao tamanho dos documentos, acho irrelevante inventar um cartão para o efeito.

Realmente, tenho que arranjar forma de colocar os dados de contacto da minha esposa e pais facilmente disponíveis (sem ter que se recorrer ao telemovel).
 
#20
Boas,

Amigos, voltei à prática da modalidade depois de uns anos largos a comer e beber bem.. investi numa bicicleta razoável, e fiz-me ao mato, para ganhar ritmo e perder os kilitos a mais que se foram acomulando. As minhas voltas têm vindo a crescer à medida que vou ganhando ritmo, e apesar de lever sempre o tlm comigo se mandar um grande tralho ele não me vai servir de muito.. certo? certo.. e como as voltas nunca são iguais é dificil sempres que saio de casa dizer à mulher para onde vou e por onde vou.. por isto tudo, e apesar de ter um cartão de identificação feito (era de uma mala de viagem) e andar com ele preso no camelback, penso que o melhor é que nunca tenha de ser utilizado.

E que se algum de Nós cair.. que sejam só uns arranhões para pudermos pegar no tlm e pedir ajuda, se fôr necessário!

Cumps, e boas pedaladas...