O tal Canal - Do Vale de Santarém à Albufeira de Montargil

#1
Acordar às 5h30 da madrugada para sair a pedalar às 6h é coisa ou de “malucos” ou de alguém que faz o possível para evitar a canícula
Além de levantar cedo, outra das formas que aprecio e implemento para tentar evitar o calor é acabar o pedaleio em local onde exista lagoa, rio, ribeira ou riacho.
Assim foi, nesse dia de Verão azul em que decidimos rumar em direcção à Albufeira de Montargil.

Saindo em direcção a Porto de Muge, atravessa-se para a margem sul do Tejo utilizando a antiga ponte ferroviária Rainha D. Amélia, agora convertida em ponte rodoviária.
Já do outro lado, em Muge, segue-se em estradão em direcção ao Granho e pouco depois estamos na típica e única vila da Glória do Ribatejo.
Aqui, com cerca de 20 kms, faz-se a primeira paragem p´ra tomar o gel da ordem a barra energética.
Àquelas horas da manhã e já no largo umas colunas debitavam alto e bom som a música de um fulano qualquer a imitar Tony Carreira . :fpalm:
O pior é que este tipo de música entra tão facilmente no subconsciente que, inconscientemente, dei por mim a trautear as melodias enquanto saía de ali e pedalava a boa velocidade p´lo estradão rectilíneo que noslevou até perto da Fajarda.

Com 44 km acusados no GPS, já estávamos a descer as escadinhas do castelo em Santo Antonino que nos deixaram praticamente no centro de Coruche.
Um "must do"
Reabastecemos de água. Provámos uns maravilhosos queques, ainda quentinhos, num café local e seguimos por alcatrão durante cerca de 6 kms até fazer um desvio para os campos agrícolas onde tivemos o primeiro encontro com o tal canal, aqui ainda na sua fase minimal.
Este canal, que a partir de então, nos iria acompanhar até ao final da etapa trás a água da barragem de Montargil para distribuir pelos campos agrícolas do vale do Sorraia.

O percurso foi intercalando entre single tracks junto ao canal, estradões agrícolas p´lo meio de milheirais e seus pivots de rega, quase dempre tendo o Rio Sorraia como companhia.
Passámos pela Escusa e depois já sem água no Camelbak parámos em Santa Justa, localidade onde a Ribeira de Sôr e a Ribeira do Raia confluem e formam o Rio Sorraia.
Aqui entrámos num cafezinho p´ra reabastecer, comer um pastel de nata e uma coca-cola bem fresquinha, sempre observados p´los circunstantes, talvez indagando-se de onde teriam aparecido aqueles extra-terrestres que preferem andar a pedalar ao calor em vez de estar a falar de velocípedes motorizados ou futebol acompanhados de umas bejecas.
Abandonado aquele ambiente estranho lá continuámos p´los estradões agrícolas até mais uma vez reencontrar o tal canal, agora em versão alargada e aumentada.
Nunca mais o largámos até chegar à Barragem de Montargil , se bem que, para a ela nos alcandorarmos, ainda houve que fazer a última e única subida (a sério) de todo o percurso.

Foram 82 km, com 370 metros de acumulado de subidas (ui tanto !!!) e com a excelente recompensa final; a imersão na água semi-fria da albufeira.
A repetir em breve.

Ponte Rainha D-Amélia às 6h50m da manhã

[/IMG]

By paulo_gr at 2010-09-07
gado bravo junto ao Granho
[/IMG]
Entre Coruche e Erra, assobiando o "Verão Azul"
[/IMG]
A cooperação entre o vento e a chuva na "fabricação" destas estranhas esculturas
[/IMG]
O tal canal
[/IMG]
[/IMG]
o meu "semper fidelis" companheiro de viagem
[/IMG]
Passagem em ramificação do canal
[/IMG]
campos do vale do Sorraia
[/IMG]
[/IMG]
barragem
[/IMG]
the final reward
[/IMG]
 
#2
Ligação VALE de SANTARÉM à ALBUFEIRA de MONTARGILL
(versão via Salvaterra de Magos e Coruche)

101 kms com cerca de 470 metros de acumulado de subidas

06 de Agosto de 2011

Link para o track completo em :
http://www.gpsies.com/map.do?fileId=lxaauxibxcpqdtkx


Campos perto do Escaropim



O tal canal perto de Salvaterra de Magos

























Uns querem ver Lisboa a arder estes pedem para fechar o Porto






Coruche e o Sorraia



Ciclovia ??? de alcatrão depois de Coruche

















Finalmente a Albufeira


 
Last edited:
#4
Eu tenho de manter a tradição de fazer também esta ligação todos os anos, embora este ano de maneira diferente; com uns quilómetros de extensão acrescida mas quase todos de single tracks bonitos de ver e fazer :D

Nem a chuva que fazia à saída, pelas 7 horas , desmoralizou o pessoal, acabou a estar um daqueles dias excelentes para BTT, sem chuva, sem vento, pouco sol e nublado qb.

Se fosse por encomenda não sairia melhor :cool:
 
#5
Deve ser bom curtir por esses campos fora, mas acho que será monotomia a mais para a vertente BTT:nsei:

Quase que comparo essas aventuras a passeios cicloturismo
 
#7
Será que a minha modesta opinião ofendeu alguém Sr Fernanrei?.

Não leu qualquer crítica à cronica do Paulo, mas sim uma mera opinião.

Cada um é livre de expressar o que pensa, com respeito e educação, coisa que me parece o Sr. será um pouco alheio.

Também é verdade que cada um anda e pratica o BTT como entende e, eu respeito isso.

Na É verdade que aqui no Forum ainda ando de triciclo e, sabe porquê??

Para não ter que ler post's como o seu, se calhar até tenho mais anos de BTT do que o Sr. que deve pensar estar acima de tudo e todos nesta matéria.

Bem lhe devia responder, mas....
 
Last edited:
#8
Deve ser bom curtir por esses campos fora, mas acho que será monotomia a mais para a vertente BTT
Quase que comparo essas aventuras a passeios cicloturismo

D. Quixote,
Em parte, compreendo, a tua afirmação pois esta longa travessia especificamente pode até ser entendida como monótona pois a verdade é que tem longos estradões, longos single tracks e zero subidas trialeiras ou descidas técnicas.

Também concordo que, hoje em dia, (quase) todos os passeios, maratonas, raides e coisas afins que por aí andam a ser mais ou menos (des)organizados deturpem aquilo que eu entendo é a filosofia inicial do BTT; esses eventos começam por abolir o convívio durante o evento, pois a grande parte dos participantes participam na fussanga de um melhor lugar e uma classificação e deixam o convívio para o final na almoçarada de reposição das calorias perdidas.

São formas de ver a coisa, D.Quixote, eu tenho a minha, não vou a esses eventos, pedalo com poucos companheiros que percebam, como eu, que silêncio, natureza e calma são preciosidades que queremos preservar no nosso hobbie.

Qualquer dia e seguindo o exemplo dos passeios do cicloturismo de roda fina, ainda conseguirão colocar na frente dos partipantes uma carrinha turbolenta e poluidora a debitar música pimba. Em muitos passeios já há a moto 4 ou a mota de TT a “abrir caminho”. Já não falta tudo

Mas D. Quixote, o BTT é o que quiseres fazer dele, eu prefiro mesmo o verdadeiro mountain biking e de aí preferir, por exemplo, pedalar pelo Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros (PNSAC).

Desta vez…calhou assim
 
Last edited:
#9
Compartilho o espírito do Strike.
Mais, a bicicleta de BTT permite fazer aquilo que outras não, é Todo o Terreno ;) designação mais feliz que a original Mountain Bike.
Leva-nos onde a nossa vontade nos impele e com quem desejamos!
Boas voltas pelos trilhos de Portugal..............!
JN
 
#10
Agora que vim aqui espreitar este tópico lembro me que me cruzei com voçês na ciclovia, logo à saída de Coruche, longe estava eu de imaginar o vosso destino...
 
#12
Se eu soubesse dessa volta tinha-os acompanhado a partir do Couço,já que moro nesta vila e é aqui que andamos todos os fins de semana,e a partir daqui dá para fazer até Montargil sem ser por terreno plano,basta repararem que à vossa esquerda quando circulam junto ao canal existem várias subidas e algumas com cerca de 1,5km a 2km,mas se mais alguma vez fizerem este trajecto é só avivarem.
Boas pedaladas.
 
#13
p.m.r.f
Conheço algumas dessas subidas, dado que sendo de Coruche a minha companheira (não a bicicleta mas a outra de carne e osso ;):cool: ), aproveitei para ir explorando alguns desses terrenos em redor.

No entanto, a ideia desta vez era mesmo colocar a "coisa" o mais rolante possível.:cool:
 
#14
Venho um ano e tal atrasado mas li nesta fantastica cronica uma frase muito sábia e que encaixou muito bem: "o BTT é o que quiseres fazer dele".
Ha algum tempo que "acompanho" estes companheiros, que percorrem milhares de kms no PNSAC, relatam as suas aventuras com incriveis fotos (de fazer uma terrivel inveja), e como são BTTistas a 100%, ainda nos deixam os trilhos disponiveis para quem quiser comprovar a beleza da paisagem por eles trilhada.
Eu tambem sou BTTista de fim de semana (entretanto faço atletismo de competição, escalada e BTT a minha maneira), e ainda não perdi a esperança de experimentar um trilho destes companheiros para tambem me delicar com as paisagens.

Sr D. Quixote, desculpe que lhe diga, mas foi inconveniente!

Ao Sr Paulo Strike Ribeiro e seus companheiros de Bike, meu obrigado, e vou continuar a seguir toda a vossa informação aqui colocada.
 
#15
Nunca de está atrasado quando se chega a tempo, NCosta. :cool:

Em 2012, não fizemos a viagem até à Albufeira de Montargil, ainda não percebi bem porquê mas provavelmente porque não existiu a vontade e quando assim é...
Um Hobbie não se força, fazes o que fazes por prazer e quando te "dá na gana".
Anyway...
em 2013 será.
 
#16
17 de agosto de 2014- "o tal canal" -via Glória do Ribatejo

5 e meia da manhã e a Polar a desejar-me um feliz aniversário, antes da saída em modo noturno


lagoa do Granho, ao nascer do sol


Açude da Agolada, perto de Coruche- ao raiar do dia


Ciclovia Coruche-Erra (ou quase até lá)



Ramificação do canal


Canal, ainda, em ponto pequeno




Canal, em fase maior
 
#18
O Paulo mais uma vez nos presenteou com uma bela crónica (desta vez através de imagens) de um belo passeio.

Paulo ao ver as fotos revivi aquele passeio que há uns três/quatro anos atrás fizemos desde Coruche até ao Cartaxo ao longo "do tal canal".:D
 
#19
Olá malta,
Paulo, acompanho regularmente as tuas crónicas, identifico-me bastante com esta forma de praticar BTT e gosto bastante do tipo de fotos destes lugares e percursos magníficos. Obrigado pelas partilhas, esta e de todas as outras :p