Gel AGEL to life

#1
Boas pessoal

ja alguem ouviu falar de um gel novo no mercado que se chama agel?

Tenho um amigo meu que comecou a vender estes produtos e falou-me maravilhas, mas para ser sincero nunca ouvi falar, ele diz que e tipo o isostar, tem uma pagina mas esta tudo em ingles www.agel.com

ja alguem experimentou andrextr
 
#6
Eu vou experimentar e esse meu amigo quer me meter a vender o produto mas primeiro tenho de saber se e um produto recomendado ou se tem contraindicações,
existe uma variedade enorme de produtos, que me dizem ser todos naturais

sera
 
#8
Os problemas não têm a vêr com a ingestão mas sim com as vendas...

Por aquilo que pesquisei na internet, o sistema de vendas é um bocado manhoso, és aliciado com grandes resultados e muito dinheiro para comprares kits de venda... como todos os esquemas, quem entra no ínicio até faz dinheiro, o que mais alicia os outros, mas quem entra mais a meio, compra coisas que depois não consegue vender...

Não sei grandes pormenores, tentaram-me convencer a vender isso, mas depois de uma pesquisa superficial na internet deixei-me logo disso.

Em qualquer motor de pesquisa basta meteres "agel scam" que vês logo...
 
#12
Não se trata de negocio mas sim de saber se o pruduto vale a pena ou se é treta


Experimentei no sabado e posso dizer e é um produto bom, mt parecido ao isostar, nao fiquei foi com tanta sede como acontece com outros produtos
 
#13
Pois eu tenho uma amiga que estava a pensar entrar nisso...

Quando vi a apresentação que ela me mostrou, percebi logo que era o velho esquema da pirâmide, o último a entrar lixa-se!

Agora se os geis valem a pena ou não, não sei, a verdade é que quem entra não é sequer incitado a vender, só vende se quiser...

Eu cá desconfio!!! :evil:
 
#14
viva,
o Expresso publicou um artigo sobre esse assunto. o dito artigo está no site da AGEL Portugal pois no Expresso só está disponível para assinantes.
mais info em:
http://agel-rede-europa.blogspot.com/

"Investigação Vitaminas para ficar rico
Nova marca promete enriquecimento instantâneo
AGEL Chegou dos EUA e já tem 2300 adeptos.
Jovens que querem ganhar dinheiro sem esforço são os mais aliciáveis

Joana Vicente tem 23 anos e a ambição de ser rica. Foi isso que, depois de uma apresentação em casa de um amigo, a levou a embarcar no negócio que promete criar milionários a partir de vitaminas em gel.
“Quem, nesta sala, não gostaria de mudar de patrão? Quem acha que ganha o que merece?”. As perguntas foram lançadas a uma audiência com algumas centenas de pessoas pelo norte-americano que guarda o segredo para o enriquecimento rápido. Glen Jensen, presidente da Agel, tem 39 anos e criou as vitaminas em gel que são o pretexto do negócio que reclama para si o estatuto de sucessor da Herbalife e que está a ganhar adeptos em Portugal.
A apresentação decorreu há cerca de duas semanas numa segunda-feira, ao final do dia, no auditório da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, e repetiu, no dia seguinte, na Casa do Comércio, em Lisboa. Jovens adultos, homens e mulheres, foram respondendo ao repto de Glen Jensen, demonstrando que tinham incorporado o espírito do negócio. Uns já estavam na rede e ganhavam bastante dinheiro, outros estavam desejosos por mudar de vida.
Joana Vicente entrou, há um mês e meio, com o pacote básico pelo qual pagou 240 euros e recebeu em casa quatro caixas com 30 bisnagas, num total de 120 embalagens. Ao fim de quinze dias, já tinha amortizado o investimento, não através da venda das vitaminas, mas única e exclusivamente das comissões sobre a angariação de quatro pessoas para a rede. Ao entrar, fica com o dever de comprar um pacote de 120 euros todos os meses. E continua a ganhar comissões sobre as pessoas que entram abaixo das quatro pessoas que recrutou. “Uma parte dos produtos consumo e a outra ofereço. Não conheço ninguém que venda o produto. O dinheiro que se ganha a pôr pessoas é tanto que não é necessário vender”, explica Joana Vicente.
No mês de Outubro, depois de ter feito o «up-grade» para o pacote executivo (€960), Joana Vicente recebeu 1100 euros, um acréscimo justificado com o facto de ter investido mais dinheiro. Ou seja, quanto mais se paga para entrar, maior é a percentagem que se recebe pelas pessoas abaixo. Joana Vicente confessa que o maior aliciante da Agel é a possibilidade de ganhar muito dinheiro e nem a hipótese dos rendimentos diminuírem quando deixarem de entrar pessoas para a rede a demove. “Se calhar, nessa altura já vai ser preciso vender os produtos”, prevê, revelando que neste momento a rede já conta com 2300 pessoas em Portugal.
Pedro Celeste, especialista em marketing estratégico, explica que “o trabalho desenvolvido na criação de novos níveis funciona em progressão aritmética, enquanto os benefícios funcionam em progressão geométrica, isto é, trata-se de um convite para trabalhar sentado e esperar pelos lucros”. Desempregados, pessoas cujos rendimentos são insuficientes, ingénuas e muito materialistas compõem o perfil de quem é mais facilmente aliciado. A legalidade deste tipo de negócios é muitas vezes questionada e especialistas contactados pelo Expresso levantam dúvidas a este modelo da Agel.
Glen Jensen conhece bem o género de pessoas que entram facilmente nestes negócios. No palco da Agel, milhões e dólares são as palavras mais repetidas. Para ilustrar até onde se pode chegar, Glen Jensen acena com uma lista de valores de comissões, que garante estarem a ser pagos um pouco por todos os cerca de 40 países onde já marcam presença. Há números para todas as ambições e alguns atingem os milhares de euros. O presidente da companhia revela que em Portugal já existem três “directores-seniores que ganham, em média, 16 mil dólares por mês (cerca de €11 mil)”.
Por cinco minutos desvia-se dos cifrões para salientar que os produtos - sete variedades de vitaminas em gel embaladas em doses individuais - são “a estrutura do negócio” e a razão do sucesso. “São revolucionários, algo que nunca existiu. Estamos para a indústria de suplementos alimentares, como o Ipod está para a indústria da música”, comparou, referindo-se ao sistema em gel. A pedido do Expresso, a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) está a analisar as características do produto.
Jensen não é um novato. Diz que trabalhou na indústria farmacêutica e em empresas de marketing em rede, o que preparou o terreno para a Agel.
Pedro Celeste sustenta que neste modelo de negócio, o produto precisa de ter alguma credibilidade e inovação. “Foi o que aconteceu com a Herbalife, que chegou ao mercado numa altura em que se começava a falar em obesidade e dietas”, refere. O ciclo de vida, por isso, pode ser curto ou longo. “É curto se as pessoas não acreditarem que vão ser capazes de convencer outras a comprar e é longo se o mercado acreditar que vai ganhar benefícios no médio prazo”, alega.
Joana Vicente acredita e espera estar a ganhar 20 mil euros em Agosto do próximo ano. Glen Jensen também detecta esse potencial no grupo de pessoas que tem à sua frente, apesar de ter acabado de chegar. “Qualquer um de vocês tem capacidade para se tornar um chefe de equipa. Prometo que isso irá acontecer tendo em conta a qualidade das pessoas que estão nesta sala”, dispara, ao melhor estilo de um entendido em motivação. “A Agel devolve a esperança e os sonhos”, conclui."

Esta Noticia foi públicada no Expresso no dia 3 de Novembro.
 
#15
Tanto barulho para nada.

Em Coimbra é vendido numa conceituada, respeitada e insuspeita loja de bicicletas.
Só com a expressa autorização da moderação divulgarei o nome.

A gama é variada e os preços acessíveis.

Um abraço.
 
#16
O proprietário dessa loja também faz parte da rede de distribuição. Não é nada ilegal, e só o faz quem quer. Há mesmo quem ganhe dinheiro com isso. Tanto quanto sei (e experimentei) o gel nem é mau, enquanto produto...
 
#17
Saudações Desportivas!

Sim. A AGEL tem produtos fantásticos e para além de poder ser um part-time, para quem é um consumidor é uma forma de vida pois todos os seus produtos promovem o bem-estar.

Iniciei a 23 de Novembro de 2007 e no final deste mês, o que encomendo mensalmente, já não me chega. 2 caixas consumimos eu e a minha mulher. Uma é de vitaminas e minerais (100% da dose diaria recomendada) e outra é um gel antioxidante "UMI", um excelente protector antiooxidante e renovador celular baseado numa propriedade única: "fucoidan".

Como empresa, a AGEL está a ter um tremendo sucesso em todo o mundo e se os produtos não fossem bons, a empresa não teria crescido o que cresceu em um ano... desafio-o-vos a verificar quanto...vão se surpreender :wink:

-------------

M.Cumprimentos,

Marcelo Martins

---- EDIT ----
Regras Gerais do Fórum
 
#19
Sou fisiologista e professor de exerçício e saúde e sou a pessoa menos provável a entrar em "esquemas " de negócio duvidosos. UM colega meu de profissão também um experiente rider falou me no Agel e deve vos dizer que nem hesitei a inscrever me nesta rede de consumidores que de ilegal nada tem. Apenas é necessário pagar o produto mensalmente 60 euros por cada 3 meses para se manter na rede e consumir um excelente produto principalmente para que tem a preocupação de se manter em boa forma , aumentar o seu potencial em cima da bike e de se manter saudável e colmatar as falhas na alimentação que todos temos devido ao nosso estilo de vida onde comer saudável é cada vez mais dificil. Quem fala mal sem saber devia se informar bastante melhor pois a informação sobre a Agel não está disponivel na Net e o modelo de negócio (completamente legal e bastante rentável) deverá ser explicado por uma pessoa que já está inscrita na rede de consumidores. ---------------.

---- EDIT ----
Regras Gerais do Fórum