29er Canyon Grand Canyon CF SL 8.9 Race

#1
Boas,

Finalmente recebi a minha primeira 29er. A escolha recaiu sobre a Canyon Grand Canyon CF SL 8.9 Race nas cores da equipa de fábrica e, após ter uma previsão de expedição à data de encomenda (início de Maio) de 4 a 9 de Julho, chegou a 23 de Junho.



Os pedais escolhidos foram os Shimano Deore XT por possuirem design e construção mais do que testada e aprovada, sinónimo de fiablidade em todas as condições. Tenho uns velhinhos M520 na velhinha 26 em aluminio e nunca deram o mínimo problema; tendo em conta que as diferenças entre os modelos passam basicamente por materiais diferentes para reduzir o peso, decidi não inventar neste campo.



A montagem foi pacífica, sendo necessário apenas montar o guiador (acabei por virar o avanço para o ângulo negativo e mudei uma das anilhas para cima deste), roda da frente e conjunto espigão e selim. Irei passar a anilha restante para cima do avanço pois melhorará a posição em subidas acentuadas e não me prejudicará nos restantes momentos.

Algumas fotos do que compõe a caixa do envio


A chave dinamométrica presente nos acessórios para fazer apertos em condições :p



A esmagadora maioria da minha quilometragem dos últimos 5 anos foi feita em estrada e a primeira impressão após a montagem recaiu sobre o tamanho gigantesco que esta bicicleta aparenta ter! Não cabe no elevador, o guiador é enooooorme, as rodas idem... Restava ver como seria a resposta no terreno. Poucos kms em mato, numa 26er em aluminio não servem para fazer grande comparação mas focarei os pontos que achei relevantes.


Hoje fui fazer a volta inaugural na zona da casa dos meus pais, em Abrantes. Lá arranquei com um amigo também pouco habituado ao offroad (numa cannondale relíquia, 26 convertida para 27.5) e fomos à aventura. Logo à partida, a minha impressão confirmou-se... Uma posição elevadissima para o meu habitual, tal e qual a sensação que se tem quando se passa de um carro para um jipe! :)

Antes de entrarmos na terra deu para ambientar ao modo de funcionamento dos controlos, mudanças SRAM e bloqueio da suspensão. Fiquei impressionado com a exactidão e resposta do manipulo e do desviador traseiro, mesmo em tensão. Relativamente à afinação de fábrica, necessitei apenas de dar um pouco de tensão no cabo através do tensionador do manípulo e ficou impecável (já no fim da volta, poderá ter a ver com o acamar do cabo).

Esta zona caracteriza-se por terreno com muitas zonas de pedra solta e zonas de areia... Retirei muita da pressão que os pneus traziam e mesmo assim fui com pressão a mais para determinadas zonas, tendo perdido tracção em algumas subidas acentuadas. Aposto que a falta de pernas e falta de kit de unhas não ajudaram... :) A conversão para tubeless que se encontra nos planos a curto prazo poderá ajudar bastante neste capítulo, segundo o que tenho lido e falado.

Apesar disso... WOW! Tracção impressionante em qualquer situação, relativamente ao que consigo comparar da 26. A descer, em zonas onde a minha companhia foi 'abanada' pelos obstáculos, eu passei sem tocar no travão. A pressão indicada para o meu peso na suspensão permitiu conforto e sensibilidade ao terreno, o que levou ao controlo da roda da frente em todos os momentos, chegando perto, mas não atingindo, do limite nuns drops que fiz.

Apesar do tamanho relativamente a tudo o resto a que estava habituado, revelou-se bastante ágil no percurso efectuado.

Do primeiro teste anotei dois pontos que vou tentar melhorar: o primeiro é relativamente fácil pois está relacionado com o selim que a equipa. Trocarei por um menos volumoso. Na de estrada, uso o Selle Italia SLR Kit Carbonio Flow, talvez opte por um selim semelhante para a de btt. O segundo ponto O tem a ver com o tamanho do guiador que, em alguns singles, levaram a 'quase-quedas' por ser demasiado fácil a vegetação das bermas prender uma das pontas. De facto, sinto-me de braços bastante abertos, sem estarem esticados, para o meu gosto. Se o primeiro ponto é de mudança certa, já neste terei de me informar melhor e talvez experimentar um guiador mais estreito antes de comprar, para concluir se perco 'alavanca' ou não...

Amanhã vou dar mais uma volta curta e vou começar a pesquisar umas maratonas para participar e começar desafiar-me na questão da técnica de condução!

Seguem mais umas fotos de pormenores da bicicleta e da volta de hoje...







André Janeiro
 

SeteGu

Active Member
#4
Baixar a frente e reduzir o comprimento do guiador diminui o kit de unhas (da bike :mrgreen:).

Eu tentava-me habituar ao guiador e a postura na bicicleta tal como veio. Se efetivamente não me habituasse a coisa mudaria de figura.

A posição numa bike de BTT é diferente da posição numa bike de estrada.

Boas pedaladas!
 

camponubla

Well-Known Member
#5
Eu levo o avanço na posição de 17º negativos e com o guiador a 680 mm, mas é uma 27,5. E a posição do avanço e o comprimento foi "definido" no bike-fit que fiz. Acho que numa 29 um guiador de menos de 700 mm fará com que seja "muito nervosa", não?
 
#6
boas
Antes de mais, que belo canhao.
As medidas dos guiadores nas bikes 29 normalmente sao sempre mais de 700mm, mas para pessoas de estatura media/baixa e baixa essa medida a meu ver e pela minha experiencia e exageradamente grande. Eu tenho 29 e uso 660mm, mas na 26 tambem usava 560mm, sou bastante pequeno 160cm.
Em relaçao ao avanco falo so nas 29 pois ja tive 3, apesar de uma ter sido pouco tempo, tive -17 de 70mm e agora tenho -20 de 85mm, pois o quadro e mais curto sinceramente nao noto diferença em ficar mais ou menos nervosa, alem disso uma bike 26 mesmo com um guiador de 700mm e bem mais nervosa que uma 29 com um de 680mm ou mesmo 660mm como eu tenho.
 
#7
Agradeço as opiniões e impressões!

Acho que após os primeiros 45km de ontem, fiquei já com um furo lento na roda de trás! :) A compra de pneus tubeless será mesmo para fazer a curto prazo... Isso e o selim, que não me deixou bem tratado.

Durante a volta de hoje, deu para aperceber que o avanço talvez seja um pouco curto. No caso de experimentar um guiador mais pequeno (660 ou 680, talvez...), talvez a opção de aumentar o tamanho do avanço compense a perda de alavancagem. Se conseguir experimentar antes de investir, não se perde nada.

No entanto, hoje já me senti mais 'encaixado'... A ver como isto evolui com o acumular de kms, na volta nem mudo nada! :p Amanhã de manhã, vai a Monsanto fazer a estreia naqueles trilhos... :)

Quem anda com eixos passantes, com pneu+câmara, levam a ferramenta atrás para mudar em caso de furo? Ou é mais prático para esta utilização meter apertos rápidos? Posso estar a dizer uma barbaridade que não faço ideia...

Obrigado pelas ajudas!
 
#8
boas.
Em relaçao aos pneus, transforma essas rodas com fita e 2 valvulas toubless que esses pneus dao.
Em relaçao ao eixo passante teras mesmo que usar ferramenta, pois a nao ser que esse quadro dê para converter para 9mm QR.
 
#9
Boas.

Essas rodas parecem ser a dt x1700 e já devem vir com fita instalada. Com ou sem câmara convêm andar sempre com minitool além disso o tubeless não é infalível ;)


cumps
 

edununo

Well-Known Member
#10
Os eixos passantes são uma mais valia em termos de rigidez e centragem da roda.
Na suspensão tenho o eixo de 15 de origem das Rockshox. Atrás um DT Swiss. Em nenhum deles é necessário ferramentas para os retirar.
 
#11
Se for como a minha atrás vem com um syntace x12 e só sai com chave, não há patilha que dê para desapertar. Há é uns eixos x12 aftermarket (Tune, etc) que dão para desapertar sem ferramenta, penso que seja isso que ele se refere.
Eu como ando sempre com multitool, não chateia nada nem vejo grande razão para mudar.

As X1700 já costumam vir da Canyon com fita instalada e as válvulas da DT devem vir na bolsa dos manuais/acessórios (pelo menos nas minha vieram). É só mesmo questão de comprar líquido e eventualmente trocar de pneus.
 
#12
As rodas são as X1700 e sim, vêm com fita e as válvulas estão nos acessórios incluídos.. Eu já li relatos de conversão destes pneus mas não tendo paredes reforçadas e havendo a possibilidade de comprar pneus protection, acho que opto já pela solução mais adequada.
E tenho andado sempre com minitool, câmara e bomba, não vá o diabo tecê-las! :)
Na frente tenho o da rs1 e não posso mudar, estava a referir-me ao traseiro que é necessária a chave allen de 5mm se não me engano..
Para colocar a roda da frente também não é fácil visto que os braços da suspensão podem rodar e acertar tudo não é tão fluido como numa suspensão de configuração 'habitual'.
 
#13
Pamoreira, é isso! :) vou ver esses que falas e considerar.. Mas também me parece que vou andar sempre com a multitool no mato portanto acaba por ser igual ao litro ;)
Obrigado!
 
#14
Esquece a conversão desses pneus. É perda de tempo e €€€. Os Protection (diria os X-King devido ao taco lateral mais pronunciado...) são a melhor opção. À dias o meu pneu traseiro sofreu um rasgão lateral que nem é bom e tratei logo de adquirir um tubeless. Essas rodas e um tubeless, em 5 minutos tens o serviço pronto.
Ah... e claro...tirando a suspensão, a minha miuda é tal qual a tua. Foi paixão para a vida logo à primeira pedalada. Carrega nela que é o que ela gosta.
 
#15
Boas,

não vou converter estes devido aos relatos de fragilidade. Vou avançar para o XKing à frente e RaceKing atrás, ambos em versão Protection.

Depois de mais uma volta de curtição, já passei as anilhas para cima do avanço e vou ver se sinto melhorias no rendimento. Subir, descer, rolar... Esta montada é sinónimo de diversão, até agora!

Deixo 2 fotos do sistema matchmaker da sram, que junta os vários manípulos numa só fixação. Não conhecia e achei isto um pormenor engraçado.
O antes:


O depois:
 
#16
Boas,

Já com mais uns kms pedalados, as primeiras sensações mantêm-se. Rigidez espectacular, sente-se cada pedalada a ser transferida, conforto q.b., suspensão irrepreensível... De início, tinha o eixo da suspensão apertado com um pouco de tensão a menos e isso fez com que se notasse a tal falta de rigidez lateral que é referida em alguns reviews. Após perder 10 minutos a ver como se afinava o aperto e a fazê-lo, essa torção passou a ser algo negligenciável.

Última modificação: tubeless! A escolha recaiu sobre o conjunto RaceKing Protection (TR) + X-King Protection (FR). A montagem, mesmo para alguém que nunca o tinha feito, foi simples e todos os acessórios necessários já vinham montados ou estavam incluídos na encomenda inicial da Canyon.


Após uma primeira volta para testar esta modificação, a impressão foi que, mesmo com pressão ligeiramente mais baixa que o que usava com câmara, a resistência ao rolar não aumentou (se é que não diminuiu...). E deu para sentir, e de que forma, a melhoria ao nível do conforto e tracção, fruto dessa mesma pressão inferior. Terrenos soltos inclinados onde anteriormente sofria com a falta de tracção traseira, deu para passar tranquilo, a roda da frente sempre a apontar para a trajectória sem problemas nem sustos... Pedra solta, areia, terreno compacto...

Resumindo, o investimento foi mais do que aprovado e a curtição continua... :)

Mais duas fotos, já com os sapatos novos:



Boas pedaladas!
 
#18
Boas!

Ainda nunca a pesei! :) Já pensei fazê-lo mas não tenho tido muito tempo e aquele que arranjo tento sempre usá-lo para andar! Tenho de o fazer para comparar com os 10.0kg que a marca indica...