Tu não és um bttista

quote Mach4.

e de facto, a meu ver, o titulo foi muito bem escolhido; porque o pessoal se picou todo eheh :p

O que está em causa é O QUE REALMENTE INTERESSA e não se temos uma bicla X, Y ou Z ou se damos milho aos pombos.

Este Verão, estive noutro país, em trabalho com um bairro com uma realidade complicada.
E houve dias em que nos faltou eletricidade e água. Houve dias que não consegui comida entre as 14 e as 00 (quando chegava ao sítio onde estive alojado).
Nos 1ºs quatro dias queixei-me muito; entretanto tive uma iluminação: "estou num sítio diferente, com pessoas diferentes e a viver a sua realidade, onde muitos pagam para ir à praia e dormir em hotel! f*da-se! que se f*da a fome e o mau cheiro, é uma oportunidade única" e a partir daí já não me queixava de nada, nem da fome, do mau cheiro ou o que quer que fosse; preferia estar com aquela gente o máximo possível, aproveitar ao máximo, que ir embora mais cedo (para o alojamento) e desperdiçar todos aqueles momentos; e sinceramente agora que cheguei, só me lembro das coisas boas que consegui aproveitar por renunciar a coisinhas, mariquices e luxos que afinal não são assim tão importantes. São adereços, que é verdade que nos aumentam a qualidade de vida e fazem sentir bem; mas somos humanos e temos capacidade para nos adaptar, e "curtir a cena" à mesma. Temos de ser engenhosos ao máximo para não deixar que a falta do que quer que seja nos afecte. Tudo o que precisamos está conosco no momento. O que não faz falta, é tudo o que não está.

És um bttista quando queres ser feliz e te despes de tudo, quer seja luxo, dependência ou qualquer outra coisa; e vais para o monte, acompanhado, nem q seja apenas de ti próprio, na tua forma mais simples, fazer algo só porque sim; porque tem que ser feito, e por mais fútil que seja, ajuda-te a manter o equilibrio e a ser feliz.

Tudo o resto... se tens: tens! se não tens: não tens!
Mas será que isso conta assim tanto?
Peguem no que realmente interessa, na essência do texto e deixem essas mesquinhices ou picardias do "só porque tenho carbono afinal não sou?" quando nem sequer é isso que interessa. :p
 
Last edited:
O problema é que as pessoas podem dar as interpretações que quiserem ao texto!!
Por mim gostei do post !! Mas como tudo na vida não se consegue agradar a todos.
Boas pedaladas...de preferência sem streessses...
 
Boa tarde Companheiros (as),

Para quem não acompanha os dois tópicos que criei neste Fórum, na secção crónicas [Crónicas de um Bravo do Pelotão por Terras Helvéticas] e [Porque será que gostamos tanto de andar no Gerês?], passo a apresentar-me.

Chamo-me Alexandre Pereira, tenho 41 anos e desde 1990 faço BTT (Bicicleta Todo Terreno).

Não me considero um Betetista, aliás nunca gostei de rotulagens ou segmentações, sou apenas “um gajo” que gosta de pedalar e de andar sobretudo no monte, só ou acompanhado.

Perdi a conta às maratonas, meias maratonas, passeios, voltas em que participei ao longo destes anos, pelo que hoje em dia rolo sobretudo em solitário e sempre que posso em grupo (Bravos do Pelotão).

A minha primeira bike, custou-me na 85 contos (uma verdadeira fortuna em 1990). Só para que tenham uma ideia, o meu salário na altura era de 35 contos, um casaco custava 15 contos, etc…

Até 2007 sempre utilizei essa bicicleta, até que nesse mesmo ano comprei a um grande amigo meu, uma Merida (Matts Spécial Edition) (ver fotos no tópico Crónicas de um Bravo do Pelotão por Teras Helvéticas), por apenas 1 EUR, sim, leram bem.

Continuo a rolar com a minha 1ª bike e não faço tensão de me desfazer da mesma, mantendo com ela uma relação sentimental muito forte, afinal a 1ª bicla é como o primeiro amor, a primeira mulher, etc… e porque no fundo, por melhor que seja o equipamento, não passa tudo de 2 rodas, uma corrente, um guiador, um quadro, etc…; sendo em minha opinião o mais importante, a atitude perante os desafios que se nos deparam.

Acompanho este tópico desde a sua génese, nunca tendo postado, até hoje. Apenas o faço porque encontrei na Net este filme no Youtube e que resume de uma belíssima forma o que para mim é ser praticante de bicicleta todo o terreno.

Para visualizar o filme, clicar no seguinte link:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=0Ofw8u_UFaw

O filme é narrado em espanhol, mas dá para entender na sua totalidade.

Cumprimentos,
Alexandre Pereira
 
Viva,não vou comentar tudo o que já foi dito. Antes de mais quero apenas dizer que gostei do video.Quanto ao assunto, vou agora para casa tirar o fato e equipar-me para pedalar... Farei alguns kms e quase de certeza tudo por estrada pois com esta escuridão de inverno e sozinho não me aventuro muito em trilhos. Com sorte apanho alguma lama e pedras soltas mas a verdade é que sei que vou passar um bom bocado e esquecer os problemas principalmente do trabalho.Não sei se serei um bttista mas enquanto estiver a pedalar ao frio não será uma preocupacao :) cumprimentos
 
Num colar que é este tópico, para mim um dos melhores do forum, aparece uma pérola nova. Bom vídeo! Simples! Afinal as coisa simples são mesmo muito bonitas. Está tudo dito! Em espanhol! E quem se importa com isso?
Somos aquilo que somos, e vamos onde queremos, se pudermos!
 
Belo video no melhores tópico do forum (como já foi dito por várias pessoas).
Pode ser que ao ler este tópico muitos dos "não bttistas" mudem de atitude perante os companheiros e aproveitem as coisas boas deste desporto.
 
Boa tarde,

Extraordinário "resumo" do que é ser betetista! Sem qualquer dúvida, muitos de nós, se revêm nas palavras que acompanham o vídeo.

Parabéns AFP70 por este achado.

Cumprimentos.
 
Excelente vídeo, na minha modéstia opinião, retrata bem aquilo que é fazer BTT, independentemente se te consideram bttista ou não.
Revejo-me nas palavras do narrador espanhol e sinto o BTT da mesma forma que ele transmite.
Para mim, o mais importante é pegar na minha bike faça chuva ou faça sol e pedalar, pedalar e pedalar cada vez mais, descobrir novos caminhos e esquecer tudo o que rodeia.

Cumps a todos e obrigado AFP70 por este vídeo.
 
Boas,

Só agora me deparei com este post escrito pelo Nozes ou para os amigos e pais dele Luis Nogueira, lol.

Gostei do que li e conheço o Nozes à cerca de uns meses. Já rolei com ele alguns 300km e em terrenos bem difíceis, para mim, que para ele nem por isso.

É um tipo como é descrito neste post. É excelente a fazer BTT e pelos vistos downhill. Tem técnica, muita até. Não conheço igual, embora também não conheça muitos, lol...Estou nisto só quase à 2 anos mas já tenho alguns km no currículo.

Faço erros e a técnica vai aparecendo aos poucos, aqui e ali. Essa técnica é ganha com os km e como ele diz, experimentando novos trilhos, tentar fazer aquele drop que ainda não consegui mas que vai ser hoje, ou não, lol...Enfim, os estradões não trazem nada de novo.

A minha 1ª experiência a sério de BTT puro foi com o nosso colega Marco Louro. O Marco começou a andar à 1 ano. Evoluiu mais que eu, em técnica pelo menos. Sabe andar muito melhor que muita malta que passa a vida em competição de estradões, se vir um drop vai à mão.

Então, num belo dia de verão, eu e o Marco partimos para a nossa 1ª grande aventura de BTT puro. Onde? PNSAC, ou serras em volta de Porto de Mós onde estou a organizar o IV Encontro Cannondale sem cronometro, máquina fotográfica é essencial. Lá partimos nós do Arrimal com um track feito pelo Marco, num telemóvel com acesso ao google e eu por acaso imprimi um mapa com o track no google maps, lol.

Entretanto a bateria do tlm foi-se a meio do percurso, estávamos ao pé da Fórnea com 39ºC de calor, subimos o Vale da Canada com esta temperatura sem ver viva alma às 16h. Chegámos ao cimo a olhar para um papel, lol. Tivemos um furo. Chegamos ao carro com um sorriso nos lábios, todos suados, a cheirar mal. A água foi-se, a comida foi-se. Tudo se foi...ficou uma aventura e pêras de puro BTT...

Agora já temos GPS, o resto mantêm-se, já conhecemos muitas serras e trilhos e malta. Já conheci o Nozes e quando ando com ele está sempre a tentar-me corrigir-me, "faz assim", "descontrai os braços", "chega-te para trás", "etc".

O que tenho para contar das maratonas? Nada. Fiz 2 e não tenho grandes recordações, só de ir feito tonto a pedalar nem sequer sei por onde passei...

Grande Luis...
 
Boas a todos,

Também só hoje vi este texto do Nozes e concordo em grande parte.

Em relação aos passeios organizados acho que depende da maneira como os encaramos. Eu gosto de desfrutar das paisagens e partilhar isso com os amigos que vão comigo. Não vou pela classificação final mas sim pela experiência.

Passeios ou "provas" de btt organizadas não são más, são aquilo que nós quisermos que sejam!

Faço BTT desde 1996 (com algumas paragens pelo caminho) e gosto de tudo um pouco! Estradões, trilhos técnicos, passeios organizados e andar perdido por onde nunca andei! Mas também evito a queda, evito o risco excessivo porque... porque adoro andar de bike e não quero que uma queda por um salto mais radical me tire isso pelas lesões que podem acontecer.

O meu primeiro "passeio" foi o SRP 80 em 2008 e fui de calções de desporto e t-shirt sem pedais de encaixe ou muita preparação! Arrependi-me e rendi-me às inovações como a lycra, pedais de encaixe, não pelo estilo (ou porque não respondiam ao meu "bom dia" quando me cruzava com bttistas equipados nos passeios de domingo) mas pelas mais valias que nos trazem!

Percebi que desde os anos 90 até agora a evolução trouxe coisas boas como coisas menos boas!

E é assim que vejo basicamente o BTT.

Quero fazê-lo até poder e sempre que me fizer chegar a casa com um sorriso na cara como acontece hoje em dia!

Abraços!
 
Ao ler este tópico não posso também eu de deixar aqui o meu testemunho

Serei eu Bttista?!! Não sei...por vezes ouço-me dizer que sim...mas quando o faço...faço com honestidade...pois sei que nunca fui nem serei um atleta de competição :) mas sei que o prazer de andar de bicicleta é a das únicas coisas que me fazem esquecer tudo, que me limpam a mente dos problemas, stress, desilusões e muitas outras coisas...que a companheira que me acompanha nunca me trará dores de cabeça ou más disposições, a não ser uns furos ou outras coisas...algo que se ultrapassa em minutos :)

Sozinho ou com amigos e companheiros do pedal..sorriu...quando caio..quando chove...quando empurro a menina à mão...mas sempre bem disposto...estradões, montes, lama, neve é sempre igual...nunca tive grande técnica mas vou aprendendo...se não o faço hoje...faço-o outro dia...sem problemas...chegar em último ou ter um bom lugar entre muitos outros, nunca me interessou...prefiro a companhia, a troca de experiências, o ajudar o outro, mesmo que por vezes não perceba assim tanto do assunto :))

Não escolho a minha "namorada" nova pelo que dizem, ou para "fazer ver"...não..longe disso...sou sincero gosto de qualidade em tudo....poupo..poupo e torno a poupar e quando posso então mudo para algo mais jeitoso..algo que possa durar uns tempos sem ter que fazer upgrades e coisa do género :)

Mas no fim...o meu pensamento é sempre o mesmo, andar de bicicleta sempre que posso e se puder acompanhado...para poder ouvir, partilhar, aprender e rir....rir...são os momentos que levamos desta vida...neste momento...estou "lesionado" já não pego na minha menina há dois meses e tenho pelo menos mais dois pela frente....e ando triste...vou várias vezes à garagem "visitá-la"...e passo largos minutos a olhar para ela....passo por muitos companheiros do pedal..aos fins de semana e "parte-se-me" o coração :( pois não posso estar ali com eles....para afogar as mágoas vou ver as provas e passeios mas por vezes fico pior....Então Pedro não vens connosco?? Então Pedro não trouxeste a menina?? - perguntam-me...e eu encolho os ombros...e só respondo...não posso andar :(

Espero voltar a andar e voltar a ter essa sensação que é das melhores do mundo e agradecer se o fizer até não poder mais...só ou com amigos e companheiros..

Um grande abraço para todos vocês...nós...bttistas puros..."não puros" ou apenas pessoal que anda de bike :)) que continuemos todos a desfrutar de todas as coisas boas que a nossa companheira nos traz..

Ps: Desculpem tanto texto...deixa-me levar :))
 
Boas camaradas do pedal :)

...O BTT para mim é nem + nem - do que descreve acima o nosso amigo "sanosag" (convívio e o conhecer novas terras/gentes). Até com parte sa sua lesão me edentifico lol (infelizmente)! Ao ler o que escreveu, fez-me recordar a maldita lesão que tive logo que comecei a pedalar (tendinite no joelho direito). É realmente frustrante não se poder fazer o que se gosta (vinham-me as lágrimas aos olhos na hora habitual das nossas pedaladas). Até pensei que nunca mais o fizesse. Pois parei de pedalar, fazia o que recomendavam os especialista da area, e sempre que retomava sentia-me igual. Enfim, só quem passa por elas é que sabe!!!!

...Tristezas à parte, só quem pedala sabe/sente o falamos!!! ;)
 
Apesar de ter recomecado este vicio á pouco tempo, já o pratico á largos anos, e por vários motivos teve que ser interrompido, felizmente foi temporariamente, pois a mágoa inicial do desapego á modalidade é extremamente desgastante sobre vários aspetos.
Quanto ao que aqui pude ler, e do que li, concordo com cada linha do que aqui foi escrito por cada um, se gosto do btt? -adoro, se muitas vezes o faço por competicão esqueçendo a entreajuda? - sim, é verdade, se me da paz de alma a prática deste desporto? - sim, é verdade, conheçer novas gentes, novos trilhos, novas terras é um presente que nos é ofereçido, se vou a provas ? - sim é verdade, e tento sempre dar o meu melhor, rspeitando toda a gente.
E como isto muito mais, subscrevo muitos elogios mas também muitas criticas que aqui são feitas aos bttistas e aos que se acham bttistas, enfio o carapuça a muitas senão quase todas as criticas.
Agora precisamos todos de honestidade e sinçeridade e o que somos, somos, e o que fazemos, assumimos, todos nós temos de tudo, haja coragem para assumir.
Quanto ao nozes que publicou este post, os meus parabéns e elogios pelo post, pois correram-me lágrimas ao ler o que escreveu que acredito com sinçeridade, e pelo menos a mim deixou-me um motivo de reflexão para a vida.
Cumprimentos a todos.
 
Last edited: