Trocar cassete 10v 11-34 para 11-42

#21
...se for só para andar junto ao mar, na ciclovia, ou nalgumas "planícies" alentejanas (com meias maratonas de 45km a rondar os 300md+). não vejo qq necessidade de ter prato menor que 40t :p
 
#22
E consegues subir!!!? com esse SetUP? prato de 40!!? a meu ver terias de ir para um prato 30T ou 32T
Admito que não fica fácil para a perna em subidas de grande inclinação. Mas tenho alguma preferência por velocidade de ponta em detrimento das subidas.
Também pondero a 10-50 com 38t, não me parece mal, mas penso que cada um ajusta a bike às suas necessidades e, claro, à força da perna. Na minha outra bike (eu tenho três bikes e a minha mulher também). Tenho um set up de 11-36 com 28t32t44 e adapto-me lindamente a esta configuração. Não ando em competições e gosto de fazer quilómetros no monte. Daí que como indiquei, tenha alguma preferência por velocidade de ponta. Como no monoprato temos de optar, ou por força ou por velocidade, escolho está última.
 
#24
Tenho um set up de 11-36 com 28t32t44 e adapto-me lindamente a esta configuração
Claro isso qq um se adapta. tens lá o 28 e o 32t!!! eu tenho uma roda 26 com esse setup e poucas vezes utilizo o 28T... mas há uma ou outra subida que não consigo dispensar a avózinha. Actualemtne essa biek utilizo como teeineo em estradão/ estrada velha, sem grande alttimetrias, para poupar os canhões ;)
 

m.r.f.

Active Member
#25
Aqui dizem que ele utiliza prato 38:

https://www.redbull.com/us-en/nino-schurter-bike-check

Crankset: SRAM XX1 Eagle Dub SL 175mm with 38t chainring
Eu não digo que não use 38 porque em "short track" é mais provável de usar 36 ou 38 mas é consuante a prova assim como aí só está a de suspensão total e ele também usa rígida.
E que também usa 34 isso é certo porque usou no cape Epic.
Além de que usa uma cassete 10-50 e o colega quer colocar prato de 40 com cassete de 11-46 que tem menos alcance.
 

m.r.f.

Active Member
#30
Pois, nem sempre as há. Mas 11-50 com 40t não me parece desproporcionado. Eu tanto ando na serra de Valongo como por exemplo na ecovia do vez.
Acho muito desproporcional e ninguém te aconselha um prato 40 (se couber) para subir serras.
Eu também sou de Valongo e tem muita pedra ardosia, neste tempo molhado é uma maravilha para cair de queixo.
Se queres subir nas serras de STª Justa, Pias e Quita Rei (Valongo) com cassete 11-50 ou 10-50 é melhor um prato 32 ou 34 dependendo das pernas.

Se és de Valongo também podes perguntar na loja Longusbike que não pagas nada por isso.

Ps: atenção que alguns quadros em mono-prato não dão para colocar mais de 38 e ficarem centrados com a cassete.
 
#31
Eu também sou de Valongo e tem muita pedra ardosia, neste tempo molhado é uma maravilha para cair de queixo.
Se queres subir nas serras de STª Justa, Pias e Quita Rei (Valongo) com cassete 11-50 ou 10-50 é melhor um prato 32 ou 34 dependendo das pernas.
Sou da Maia, vou algumas vezes para Valongo, normalmente parto de Couce e faço por aí alguns trilhos. Ou ir às febras da Cristina, no Salto. Não sou radical, nem em subidas nem em descidas, ajusto sempre a volta aquilo de que me sinto capaz. Isto para dizer que tenho mais vezes necessidade de velocidade de ponta do que de trepar no limite. Claro que entendo o porquê de um prato de 38, 36 ou mesmo 32. Mas cada um precisa de ajustar o equipamento à sua necessidade.
Quanto ao quadro, eu penso que o meu dá. É Coluer, mas também já ouvi por aqui que dá para centrar utilizando anilhas ou parafusos mais longos.
Agradeço o convite e quando for a Valongo passarei na loja que indicas.
 
#32
Sou da Maia, vou algumas vezes para Valongo, normalmente parto de Couce e faço por aí alguns trilhos. Ou ir às febras da Cristina, no Salto. Não sou radical, nem em subidas nem em descidas, ajusto sempre a volta aquilo de que me sinto capaz. Isto para dizer que tenho mais vezes necessidade de velocidade de ponta do que de trepar no limite. Claro que entendo o porquê de um prato de 38, 36 ou mesmo 32. Mas cada um precisa de ajustar o equipamento à sua necessidade.
Quanto ao quadro, eu penso que o meu dá. É Coluer, mas também já ouvi por aqui que dá para centrar utilizando anilhas ou parafusos mais longos.
Agradeço o convite e quando for a Valongo passarei na loja que indicas.
Ok, tu é que sabes.
Eu falei porque também gosto de rolar, pois não tenho outra bike e faço muita estrada com a de BTT e quando passei para roda 29 e coloquei o primeiro mono-prato quis colocar de 36 e depois me arrependi e acabei por o trocar.
 
#33
Ok, tu é que sabes.
Eu falei porque também gosto de rolar, pois não tenho outra bike e faço muita estrada com a de BTT e quando passei para roda 29 e coloquei o primeiro mono-prato quis colocar de 36 e depois me arrependi e acabei por o trocar.
Sim, penso que se deve adaptar a bike às necessidades. Na elétrica tenho 11-36 com 44t no prato maior. Queria colocar 50 ou mais mas dizem que as pedaleiras de estrada não dão lá. O máximo que consigo lá colocar é um prato de 48 devido ao tamanho da furação da pedaleira. Até tinha aqui um tópico sobre isso mas já é outro assunto.
À força da perna a relação que falei parece ser boa, eu digo parece porque não a experimentei e se o for fazer será perto do Natal :)
Dizes que trocaste de 36 para uma inferior, certo? As minhas bikes são 29, à exceção duma que é roda 27 1 1/4 que na prática, em vez de 622 é 630 de aro.
Pelo que escreveste deves de ser mais radical do que eu, sobretudo a subir. Eu faço monte e alguma estrada, sempre com BTT. E também já fiz inúmeras ciclovias pelo país. Dito isto, um dia que vá dar uma volta a Valongo envio-te PM a ver se alinhas numa volta por lá ou para "discutir" as relações da transmissão.
Em todo o caso estou sempre a aprender, no que respeita às bikes.
 

Insignia

Well-Known Member
#34
Se é o 40T que achas melhor colocar, então deve ser essa a tua escolha, ninguém melhor que nós próprios para saber o que precisamos.
Vou só deixar uma nota, por vezes, aos escolheres um prato tão grande e andando em Valongo (desta zona apenas conheço as pistas em que houve taças de portugal, sobrado e junto ao continente), quando chegar á hora de subir vais ter quase de certeza uma cadência inadequada, a não ser que se trate de um atleta fora do comum. Esta é a verdade, agora tens de ver se preferes ganhar mais 4/5km/h de velocidade de ponta ou conseguires manter uma pedalada com cadência corretas e constantes.
 
#35
Se é o 40T que achas melhor colocar, então deve ser essa a tua escolha, ninguém melhor que nós próprios para saber o que precisamos.
Vou só deixar uma nota, por vezes, aos escolheres um prato tão grande e andando em Valongo (desta zona apenas conheço as pistas em que houve taças de portugal, sobrado e junto ao continente), quando chegar á hora de subir vais ter quase de certeza uma cadência inadequada, a não ser que se trate de um atleta fora do comum. Esta é a verdade, agora tens de ver se preferes ganhar mais 4/5km/h de velocidade de ponta ou conseguires manter uma pedalada com cadência corretas e constantes.
Sim, já pensei nisso. Quando comprar a cassete experimento com o 40t, que já tenho na pedaleira e penso que dá para o utilizar como monoprato. Se ficar muito puxado desço para o 38t. Não sou super atleta, diria mesmo que sou atleta disfarçado. :)
Gosto é de ter as coisas à minha maneira, dentro do que posso gastar, e ter as coisas direitas, sem folgas, ruídos, etc. Irei pesquisar na web mais acerca de como funciona o monoprato, de como o BCD, )penso que é esta a sigla referente às distância de parafusos) funciona e como alinhar o prato pelo centro da cassete. Já estive a ver no quadro da Coluer e dá para deslocar o prato maior para o lugar do prato do meio (tenho três pratos na pedaleira) sem encostar na escora. Agora como é que faço isso é que ainda vou ver. Suponho que com espaçadores e parafusos mais longos. Alterar o movimento pedaleiro para mais curto parece-me fora de questão. Tentei uma alteração dessas na elétrica para modificar o sensor pas e acabou por ser mais fácil retificar o crank em 2mm para "abrir espaço". A ver vamos, deve de haver alguém por aqui que já tenha feito está alteração com espaçadores.
 
#38
Se puderes e ou quiseres depois partilha aqui o teu strava só para ver quanto tempo passas a rolar com um prato 40 na frente e a que velocidades e também que subidas é que fazes.

É sincero, estou curioso em saber porque raio precisas de estar a inventar dessa maneira mas pode ter a sua logica, não sei qual mas pode ser que tenha
 
#40
Apenas uma nota adicional, além de teres que inventar para teres isso minimamente centrado cuidado com corrente e vê se o desviador aguenta essa diferença brutal.

Além dos cruzamentos, o cumprimento da corrente que vais ter e a capacidade que o desviador tem que ter pare teres isso minimamente afinado e aguentar sem saltar a corrente