Tomazzini Cyclope em titânio

#1
Eis a minha nova montada em titânio, cujos primeiros quilómetros já me permitiram aferir o potencial deste quadro e respectiva liga metálica. O montagem inclui:

Quadro Tomazzini Cyclope 2010 com espigão integrado - tamanho 17 - 1650gr
Rodas Mavic Sl
Transmissão Xtr com manípulos e esticador Sram X0
Pedal look quartz
Avanço Kcnc
Banco Velo Pronto
Volante Kcnc Bone
Travões Hygia Slp
Corrente Xtr
Cassete Xt
Pneu frente Maxxix Ignitor 1.95
Pneu Trás Maxxix Larsen 1.9
Suspensão Frente Sid Race 2010
...

Peso total 10.300kg

Comportamento:

Para quem já utilizou o titânio conhece as qualidades deste material, como seja o seu conforto e absorção de irregularidades. Assim a sua utilização ao fim de algumas horas não se manifesta num desconforto físico, que é habitual verificar-se na utilização de quadros de aluminio. Quanto ao carbono não posso comentar, já que apenas tive alumínio e titânio.

Particularidades:

O espigão de selim integrado, que na minha opinião é só um elemento estético já que o adaptador que temos que utilizar neste espigão é quase tão pesado (116 gr) como um espigão avulso. No que diz respeito ao seu conforto é semelhante ao espigão Kcnc Ti prolite (scândio) que eu tinha num outro quadro em titânio.

Exclusividade:

Não deixa de chamar a atenção quando paramos junto de outros utilizadores de BTT.

Opinião final:

Uma bike para fazer muitos quilómetros desfrutando aquilo que mais gostamos de fazer

Jorge Miguel

Fotos

https://picasaweb.google.com/102525...broDe2011TomazziniTitaneo#5660835295540341906

https://picasaweb.google.com/102525909744414867892/TomazziniCyclope#5660835565531932738

https://picasaweb.google.com/102525909744414867892/TomazziniCyclopeTitaneo#5660835967523973410
 
Last edited:
V

vader

Guest
#6
Muito clean, gosto.
Acho que ganharia muito com umas rodas que fizessem mais contraste, essas embora boas , são muito deslavadas.
 
#7
Concordo perfeitamente com a questão das rodas. efectivamente o contraste seria uma mais valia em termos estéticos, nomeadamente se a opção fosse as mavic slr pretas com os cubos em vermelho. Assim, pelo facto de já ter estas rodas em mão da anterior bike e uma troca seria sinónimo de muitos euros leva a que para já se mantenha este opção.
 
#9
Boas,

Posso estar a dizer uma enorme barbaridade... mas porquê gastar uma "fortuna" num quadro em titânio quando há propostas substancialmente mais leves e baratas de quadros em carbono ou até mesmo aluminio?
Peço desculpa, mas alguém que me esclareça sobre as vantagens deste nobre material.

Em relação à bike, está discreta como eu gosto, com uma imagem bastante clean e bons componentes que de certo não te irão desiludir.

Parabéns pela menina.
 
#11
confesso que nunca tive o prazer de pilotar titanio... ja andei em aluminio, em suspensao total em aluminio, e agora em carbono.... mas pelo que ouvi dizer a nivel de conforto é a diferença do dia para a noite... enfim... se me calhasse o euromilhoes tinha muitas.... lol assim tenho de me contentar com a que tenho lol.

mas aproveito para dar os parabens pela maquina ;)
 
#12
Amigos, titanio e daquelas coisa que apos algumas horas a pedalar se percebe a diferença.
Nunca pedalei em carbono durante tempo suficiente para tirar conclusoes, mas vos garanto que este material e realmente confortavel....
 
#13
Boas, a questão do preço é sempre o assunto mais sensivel mas deixo à consideração o seguinte, um quadro em titânio começa nos 1000€ (fizzbike), 1200€ (Van Nicholas), 1500€ (Tomazzini) ... Quanto às propostas em Carbono já não sou tão conhecedor dos valores em euros, mas concerteza que um bom quadro em carbono não deve estar longe dos valores referidos para o titânio. Agora é uma questão de escolha já que o investimento será semelhante. Espero te ajudado a dismistificar esta questão. Cumprimentos
 
#14
Afinal valeu a pena esperar pelas fotos.
Nunca andei em nenhum quadro desta liga, mas que tem um "je ne sais quoi" que a mim me encanta, lá isso tem.
Gosto das linhas simples e clássicas e dos tubos estreitos.

Parabéns
 
#15
Ontem depois de uma volta de 70 quilometros na serra de aire, onde as condições habitualmente são duras e com muita pedra, o deradeiro teste concretizou-se. Assim este quadro caracteriza-se por alguma flexibilidade lateral, mas que em nada compromete a potência da pedalada. No que diz respeito à geometria do quadro observa-se uma "testa" mais alta o que leva a uma posição de condução mais descontraida e confortável, simultâneamente mais favorável nas descidas. Para já ainda não encontrei nenhum aspeto negativo apontar. A mais valia do titânio continua a ser aquela sensação de utilizar uma bike durante 4 horas em condições muito duras e não se verificar grande cansaço físico, decorrente de quadros menos flexiveis. A melhor descrição encontrei aqui no forum algum tempo atrás "...é uma sensação igual à gelatina geli já, deforma-se mas volta sempre a posição inicial." :D