Specialized Rockhopper SL Comp 2010 => Specialized Carve Pro 2013 29er

Obg Tiago ;)

É o XT Shadow Plus q comprei p a Rockhopper quando fiz a conversão p 2x10.

Querem saber qual é o cúmulo do azar? A Reba ta c um problema qlqr e tem q ser aberta... Com o rebound fechado (mais lento) faz um barulho como se algo tivesse a bater. À medida q se vai abrindo o rebound o barulho vai desaparecendo, sendo q por completo quando o rebound está totalmente aberto. Confirma-se a maldição das suspensões para o meu lado. Para enviar de volta p a loja onde a comprei pagaria uns 15 euros de portes. Hj tive na loja Specialized onde a bike foi montada e aparentemente n será nd de grave, no entanto têm q abrir. Na melhor das hipóteses gasto só 30 euros pela mão de obra... Prefiro q pagar 15 e ficar 1 mês à espera...

Enfim, que p*t@ de sina a minha!!
 
Tininhos, não conheço essa loja. Onde fica? Desta vez vai para a Movefree pq eu conheço e gosto do mecânico que lá trabalha mas no futuro nc se sabe...

Setegu, sim é verdade mas não consigo deixar de ter a sensação de "deja vu"...
 
Bem, 400 kms depois creio que já posso fazer uma primeira análise à Carve.

Antes de mais devo referir que passei de um quadro roda 26 com geometria virada para um BTT recreativo para um quadro 29 com geometria XC. É óbvio que as melhorias são muitas e que não conseguirei apontar a verdadeira origem para algumas delas.

Nestes primeiros 400 kms fiz de tudo um pouco, desde 108 kms de estrada num ritmo descontraído, passando por uma maratona de 65 kms com um ritmo mais elevado, até às típicas voltas aqui pelos "quintais" de Sintra, Monsanto e Carregueira/Belas. Algo que me saltou claramente à vista foi o conforto. Sinto-me mt mais confortável em distâncias longas, em especial quando é necessário puxar um pouco mais já c algumas dezenas de kms no lombo. Tinha alguém receio que este quadro M (17,5) me ficasse algo grande em comparação com o M (17) da Rockhopper mas felizmente parece que foi feito à minha medida.

Outra melhoria clara que senti foi ao nível da agilidade. Apesar da roda ser maior, a verdade é q sinto que consigo serpentear pelos singles a uma velocidade superior à que estava habituado e curvar em velocidade com muito mais segurança. Ao contrário do que receava, o guiador 660mm que herdou da 26er não deixa a frente exageradamente nervosa e permite uma boa manobrabilidade em descida.

A rolar nem vale a pena dizer nada. É uma das grandes vantagens das 29er e, apesar de eu não ser grande apreciador de trajectos à base de estradões rolantes, o facto é q esta vantagem me permite chegar mais rápido aos trilhos, assim como regressar mais rápido a casa. Quando pedalo em Sintra a ida e volta representam sensivelmente 30 kms, enquanto que para Monsanto são cerca de 20 kms.

No que a subidas diz respeito, sejam elas mais longas e c pendentes mais moderadas ou aquelas pequenas paredes q assustam só de ver, a 29er n fica atrás da 26er. Tenho melhorado tempos numas subidas, noutras nem por isso, o que a meu ver depende mais do estado das pernas e do pulmão de que propriamente do tamanho da roda. Acredito que daqui a uns tempos possa dizer q a prestação em subida melhorou, em função duma maior habituação e adaptação à Carve.

Virando agulhas para a suspensão, a Reba Solo Air, apesar do pequeno barulho que referi anteriormente, imperceptível em andamento, foi aberta e não tem qlqr tipo de folga ou algo solto. Vou continuar a andar com ela e se daqui a uns tempos esse barulhinho se mantiver, poderei ponderar enviar para a garantia. O que é certo é q a Reba se comporta às mil maravilhas. Em termos gerais não difere muito da Epicon mas nas pequenas irregularidades, onde a Epicon podia ser melhor, mostra-se claramente superior. Agora até que ponto faz sentido comparar o comportamento de uma suspensão 26 e uma suspensão 29 isso não sei.

Relativamente às rodas, as B.O.R. XMD 333, são bastante leves, o que permite arranques e recuperações relativamente rápidas, e mostram tb ter uma boa rigidez, bastante perceptível em curvas mais rápidas.

Transmissão e travões são os mesmos que transitaram da 26er. A transmissão 2x10 com desviadores e shifters XT e pedaleira Deore com pratos Truvativ 38 dentes e SNV 25 dentes são sinónimo de qualidade e fiabilidade. O prato SNV no entanto já apresenta um grande desgaste pelo que nesta fase pondero a compra de uma pedaleira SLX 38/26 nova ou apenas a compra de um prato 26 para substituição do SNV. Provavelmente irei optar pela nova pedaleira SLX mas para já n é urgente.

Os travões SLX aliados aos discos SLX frontal e Avid G3 traseiro, ambos de 160mm, têm-se mostrado competentes a todos os níveis. Acabei por encomendar um disco Ashima de 180, que ainda não recebi, por ter algum receio do disco 160 não ser suficientemente eficiente à frente. Acho que talvez não fosse necessário mas já que comprei vou experimentar.

Em relação ao guiador, apesar do actual Pro Koryak 660 estar a cumprir, será para trocar, até por esteticamente preferir ver um guiador mais largo nas 29er. Tenho de tentar encontrar um que seja simpático quer em termos de peso como de preço... Será difícil mas talvez com paciência consiga algo.

 
Ahhhh, já me esquecia... Pneus!!

Na frente Rocket Ron 2.25 convertido a tubeless, tal como na 26er. Como Se diz na gíria futebolística, em equipa que ganha não se mexe. E o Rocket Ron ganha por goleada!! Já p trás, e uma vez que o Maxxis Larsen TT não existe para 29, apostei num Racing Ralph 2.25. Até agora foi a maior desvantagem que encontrei. O Racing Ralph, com o piso seco e em subida perde mt tracção, algo que n sucedia com o Larsen TT. No entanto é uma vez que o mal está feito, agora é queimá-lo para depois apostar noutro que espero eu seja melhor.
 

MiGuEl_82

Active Member
Passado um mês e mais umas centenas de kms, deu para perceber que efectivamente um guiador de 660mm na Carve é curto. Tenho notado a frente algo nervosa em trilhos mais técnicos. Como tal, vem a caminho um Cannondale C2 de 710mm para ficar a "condizer" com a roda grande.

O disco Ashima 180, após os primeiros kms para acalmar, revelou-se uma boa aposta, apesar do SLX 160 estar a cumprir a função.

Tb vem a caminho o upgrade final, após o qual vou "fechar" a loja no que a upgrades e alterações diz respeito: sai a Deore "Custom" com pratos Truvativ 38T e SNV 25T e entra uma XT preta com pratos 38/26.

Posto aqui umas fotos assim que o guiador e a pedaleira estejam montados ;)
 

MiGuEl_82

Active Member
Transmissão full XT



Guiador Cannondale C2 700mm



E em versão fininha para um Porto - Oeiras que decorreu nas passadas quinta e sexta-feiras.







 
4 meses e 2.000 kms depois...













E agora vocês perguntam se a queda foi grande... Pois bem, n houve queda... Trilho banal, roda resvalou mg ligeiramente num pequeno declive, senti q o pneu perdeu ar, olhei para baixo e voilá!

Definitivamente n tenho sorte c o material... Não salto, faço alguns trilhos mais técnicos mas escolhendo sempre a melhor linha e ainda assim acontece-me isto... Já enviei mail para a loja onde comprei as rodas, para já mostram receptividade e pedem para enviar a roda para avaliarem a mesma e activarem a garantia...

Sinceramente começo a sentir-me agastado com tanta má sorte...
 
mete estranho nisso, depois para, depois mete mais um bocado e repetir umas 20x

pela foto da pra ver que as cabeças dos raios tinham liquido seco, parece que estavam mal convertidas e provavelmente sem liquido, dai a perda de ar talvez pelo "resvalar muito ligeiro", depois resta saber se conseguiste travar logo...
 
Last edited:
Setegu, sim foi do nada!

Jocas, elas tinham líquido, aliás tinha metido à 2 semanas pq tive q remendar o pneu. Eu ia devagar, a bicicleta parou no momento em q resvalou ligeiramente
 
bOAS!

Honestamente as rodas que se lixem...o importante são os teus "cromados" sairem ilesos:exacto:
De qq das formas a atitude da loja é de louvar,a ver se tudo corre bem e rápido para voltar ás lides!!
Cumps
 
tudo bem tinhas posto, mas se reparares nas cabeças dos raios têm lá liquido bem seco, ou seja, nao estava bem vedado. Ás vezes até podemos por num dia e no dia a seguir nao ter, se o furo/rasgao for complicado de selar ou se estiverem mal convertidas. Parece-me a mim que estavam mesmo mal convertidas, era mais um aviso. Uma roda da frente então é um perigo, olha ires numa descida a 70k/h! Já vi várias convertidas que a andar perdem o ar por estarem secas, algumas com quedas.

Quanto á roda que elas fiquem tortas epá isso ainda vá, agora os rasgões isso é que nao consigo encontrar explicação alguma se como dizes nao houve queda.
 
Davidream, claro q a minha integridade física está acima de tudo mas custa um gajo estar a gastar dinheiro para depois estas coisas acontecerem. A loja aparentemente está a demonstrar disponibilidade para ajudar. Sinceramente não houve queda nenhuma, nem naquele dia nem em anteriores, e desde q tenho as rodas q n tive qlqr impacto fora do normal. Agora uma coisa é eu saber isto, outra é fazer acreditar. Q elas n têm marcas por fora é um facto.

Jocas, sim tb reparei no líquido ressequido. Mas quando tirei o pneu tinha mt liquido lá dentro. Aqui à uns tempos dps de a lavar reparei q tinha ficado c água dentro do pneu, a qual dos acabou por sair. Cheira-me que ficou ali algo mal enraiado pq a água terá entrado junto de alguns raios.
 
Pois parece mas na realidade não dei... Aliás, desde q tenho as rodas q nem quedas nem grandes impactos...

Falei ao final da manhã com a loja, aguardam apenas resposta da BOR na Alemanha para accionarem a garantia e trocarem o aro. Dizem q entre hj e segunda deverão responder e no decorrer da próxima semana tenho a situação resolvida.

Vamos ver... Só descanso quando me disserem q a garantia foi accionada.