Scott ASPECT 20 vs Rockrider 8.2

#21
Não concordo muito com isso.

A bicicleta sozinha faz pouco. É preciso afinação na compra e manutenção.

Perfiro equipamento inferior e bem afinado do que equipamento lustroso aparafusado. E aí para afinar na compra só em lojas de proximidade com pessoal experiente.

Just my cents.
 
#22
Não concordo muito com isso.

A bicicleta sozinha faz pouco. É preciso afinação na compra e manutenção.

Perfiro equipamento inferior e bem afinado do que equipamento lustroso aparafusado. E aí para afinar na compra só em lojas de proximidade com pessoal experiente.

Just my cents.
Kayaker importas-te de esvaziar a tua caixa de mensagens? obrigado! Desculpem o off topic
 
#23
Desculpem lá! Acho que já muita gente aqui disse que a Decathlon tem bom serviço pós-venda e em termos de garantias nem se fala. Mas pronto são gostos. Acho que anda aí um pouco de mito com isso do "supermercado". Para esta gama de preços o que interessa é mesmo o equipamento que traz! Mas se me quiserem oferecer um quadro por este preço só com equipamento aparafusado, eu não me importo, porque eu aperto e afino tudo. O que não souber levo ali à oficina.
 
#24
já agora mandem outra que a cavalo dado não se olha ao dente! metam uns autocolantes que isso passa vão ver, e ainda passam por ter comprado uma bike que custa mais 30 ou 40%.
Mas estou intrigado, quanto à questão do desenvolvimento, de certeza que a scott e outras marcas pagam milhares de dolares ou euros a engenheiros para desenvolver quadros que vão industrializar para massificar por 600€. Claro que sim, aliás até a Ferrari a roubar como rouba nos preços dos carros, é mais honesta, pelo menos tem uma marca chamada fiat entre outras que tem um patamar de qualidade e oferece preços de acordo com tal, não é como certas marcas, ou pelo menos eu não vejo nenhum punto ao dobro do preço a dizer ferrari. Só quero dizer que se queres um ferrari tens que comprar ferrari, porque mais ninguém tem, ou o parecido é naquela gama de preços, se queres um punto, pois tens que comparar e ver na realidade o que é e o que vale, porque aí a concorrência é outra e tens muito mais oferta do que possas pensar para produtos identicos. Porque a mim quando o euromilhões me bater à porta, concerteza que os 5 ou 6 mil euros, ou 3500 ou o que seja de esses valores barbaros, é obvio que não poderei ir à decathlon, porque não tem produto para mim, não é o mercado deles, ainda não estão gulosos o suficiente ou acham que não têm ainda o que é preciso, isto é honesto. Agora até lá a Dec e outras marcas sem nome têm muita coisa a dizer. Quanto a manutenção e coisas aparafusadas, era bom as pessoas falarem com conhecimento de causa, não quero com isto valorizar demais os trabalhadores do ciclismo da dec. mas não tenho uma unica razão de queixa e muito pelo contrario. Mas acho que essas pessoas que servem e bem pessoas como eu, o seu trabalho e conhecimentos, que são alguns em relação a um nabo das bicicletas como eu, devem de ser respeitados.
 
Last edited:
#25
Bom, está visto que valorizas pouco o trabalho de investigação e testes. Comparar ferrari com fiat enfim, uma coisa é feita à mão e exclusiva e outra massificada.

A Decathlon não fez nada pelo BTT, rien. Se não fossem as marcas o desporto e lazer não tinha evoluído a este ponto. O dec é um supermercado que como todos os outros força os produtores a rebaixarem-se e fazerem preços abaixo quase do custo só para alcançarem volume. Depois levam 120dias ou mais para receberem. Dec não quer ter lucro. É meramente um instrumento financeiro para outros investimentos especulativos.

Rebentam com a economia toda só por belo prazer de muitos dizerem que têm uam Reba e tal.
 
#26
Não concordo muito com isso.

A bicicleta sozinha faz pouco. É preciso afinação na compra e manutenção.

Perfiro equipamento inferior e bem afinado do que equipamento lustroso aparafusado. E aí para afinar na compra só em lojas de proximidade com pessoal experiente.

Just my cents.


Nao percebo bem o problema contra as rockrider (talvez por eu ter uma e achar que foi a melhor compra que podia fazer) . . .

Essa tua afirmação tanto podia ser válida para uma rockrider ou para uma Specialized... Eu comprei a minha 8.2 e no entanto não fui mais à decathlon a não ser por questões de garantia por não gostar do pós-venda! O que faço? Pego na minha bicicleta e vou a uma loja que tenho confiança... qual é o problema? Não me afinam e não fazem manutenção? Fazem claro e eu pago... Tal como pagaria na Decatlhon!

Quem procura uma compra racional, sai bem servido!


Já agora, eu tenho uma Reba e tal . . .
 
Last edited:
#27
Obviamente que FIAT e FERRARI são coisas bem diferentes. O primeiro não tem a tecnologia, o requinte, a mão-de-obra que o segundo tem. Mas deixem de lado os carros porque são comparações no minimo infelizes.

Aqui trata-se mesmo de oferta e preço. E por muito que custe a muita gente, a Decathlon tem produtos muito fortes. E não falo só nas bicicletas.
Quanto às bicicletas, claro que a Scott gasta mais tempo em pesquisas e investigação em termos de geometrias. O quadro da 8.2 é mais vulgar, ou seja, é tradicional. No entanto, o seu objectivo é servir a um leque alargado de clientes. Depois temos a questão do equipamento e, nesta caso, a Decathlon tem conjuntos fabulosos. E quem disser o contrario não percebe nada disto e só vê autocolantes à frente.

E qual é o problema de venderem bicicletas em conjunto com sapatilhas? Quantos dos utilizadores deste fórum já não compraram GT, Scott, Specialized na Sportzone?

Um dos grandes importadores nacionais vende motosserras em conjunto com as suas bicicletas premium! E, na oficina, ao lado do XTR está a Casal 2 para reparar o pistão!
 
#28
Epá grande confusão que para aí vai com os Ferrari.
Não percebi nada... mas adiante.
Não querendo dúvidar da capacidade técnica dos colaboradores da decathlon, de certo receberão formação em conformidade, dúvido que esteja ao mesmo nivel das lojas especializadas.
Agora o que está aqui em causa é o produto e se o produto é bom, então o melhor é compra-lo e ir aparafusar/afinar onde cada um entender melhor.
 
#29
Kayaker, já que estás num tópico a dar conselhos a quem os pede, o mínimo exigido era que não falasses daquilo que não sabes, porque para ignorancia já basta a nossa própria. Por isso é que nos dirigimos ao forum a pedir ajuda.
A Decathlon, ao contrário do que tu dizes e ao contrário de muitas marcas que tu dizes que fazem muito pelo BTT, tem um centro de investigação só para ciclismo em França com técnicos e equipas de competição unicamente para desenvolver os seus produtos. E ao contrário de muitas outras marcas que nos produtos de gama baixa limitam-se a montar equipamento num quadro banal comum a várias marcas de desenho e produção oriental, na Decathlon todos os seus quadros são desenhados e estudados neste centro que dá as especificações exclusivas da marca para a fábrica os produzir.
Em relação a isto até poderias ser ignorante, agora em relação às geometrias bastava ires ao site para veres que não são assim tão diferentes de muitas outras marcas e com isso evitavas as asneiradas que tens dito sobre as geometrias.
Em relação à montagem e assistencia escusavas de ter faltado ao respeito aos técnicos que lá trabalham, que por sinal até têm formação, se calhar tão boa ou melhor que muitas lojas " de marca" e que te atendem e montam as bicicletas com tanta competencia como em qualquer outro local. Dizer que na Decathlon "aparafusam" o equipamento parece-me ofensivo para quem lá trabalha.
Em relação às políticas da marca com preços baixos e conversas de especulação nem vou comentar porque parece-me tão desprovido de razão o discurso oriundo de um preconceito gratuito que nem vale a pena justifica-lo.
Todos temos direito a opinião mas temos de respeitar os outros e a honestidade parece-me essencial num forum. Se não sabes do que falas então não fales porque senão corres o risco de ainda dizer alguma mentira, mesmo que não intencional.
 
#30
Se estás à espera que tenha que concordar com a propaganda de um hiper grupo financeiro que se chama Decathon não contes comigo. Se isso conta para participar no fórum, então não participarei mais. Não tenho que engolir estas coisas em seco. Já são 15 anos de BTT em especial e pessoalmente tenho umas 5 ou 6 bicicletas.
Só comprei uma decathon city (best seller) que era um lixo completo e ofereci, nem fui capaz de a vender. Fui depois comprar uma Specialized Crosstrail pelo mesmo preço e é completamente diferente.
Se isto é desenvolvimento, vou ali e já venho.

Só um reparo que quanto às pessoas que lá trabalham merecem consideração e espero que ninguém me entenda de modo contrário. Respeito o trabalho dos outros. Não como é propaganda comercial.
 
Last edited:
#31
Bom, está visto que valorizas pouco o trabalho de investigação e testes. Comparar ferrari com fiat enfim, uma coisa é feita à mão e exclusiva e outra massificada.

A Decathlon não fez nada pelo BTT, rien. Se não fossem as marcas o desporto e lazer não tinha evoluído a este ponto. O dec é um supermercado que como todos os outros força os produtores a rebaixarem-se e fazerem preços abaixo quase do custo só para alcançarem volume. Depois levam 120dias ou mais para receberem. Dec não quer ter lucro. É meramente um instrumento financeiro para outros investimentos especulativos.

Rebentam com a economia toda só por belo prazer de muitos dizerem que têm uam Reba e tal.
E qual é o problemas, os clientes agradecem...
Num quadro rígido não há muito para descobrir, é mais a questão de retirar peso, tentando não fazer demasiadas cedências em termos de resistência, quando comprei a minha 8.2, um colega meu que tinha uma Rockhopper começou a fazer contas e comprou uma 8.2 igual há minha, fez um passeio com ela, desmontou-a e colocou todos os periféricos na SPZ, fez apenas alguns passeios com ela nessa configuração, voltou a desmontar ambas as bicicletas e a realizar as montagens como estavam inicialmente, ainda hoje é proprietário da 8.2, a Spz foi vendida, às peças, pois não conseguiu vender a bike por inteiro sem perder rios de dinheiro, o valor de retoma só se coloca na aquisição de uma bike de valor considerável, pois as mesmas têm margens de lucro enormes que as lojas utilizam para amortizar a retoma.
Pensei recentemente em comprar uma bike de valor considerável, vi o mesmo modelo em várias lojas, sem falar em retoma, consegui em todas as lojas descontos na ordem dos 200/350 Euros (desconto mais baixo e mais elevado), isto numa bike que ultrapassa os 2000 Euros, o giro é que quando se falava em retoma, o desconto desaparecia.
 
#32
alexb, faço minhas as tuas palavras, sem tirar nem por!
Mas lá está cada vez mais o desporto, e estou a falar tanto no desporto em geral, e neste caso no ciclismo/btt, se tornou numa pratica elitista, ou seja, só quem "arrebenta" 3000€ por uma granda bike é que está bem servido, só quem têm a dizer lá KTM, SANTACRUZ... é que se pode considerar dono de uma bicicleta com "B" grande, atenção que eu não sou contra quem gasta esse dinheiro numa bike, pois se eu o tivesse também o faria, mas duma coisa tinha a certeza, não ia certamente pelos autocolantes que lá vêm "esparramados" no quadro, ia sim pela política de assistência da marca, pelo meu gosto e pelo conforto que a bike me transmita, seja ela de que marca for, desde que se enquadre e se apresente dentro daquilo que procuro, e não iria olhar de lado nem julgar ninguém que gastasse o seu dinheiro numa rockrider, é perfeitamente normal, a marca ofereçe qualidade, oferece garantias suficientes de material, onde estão as dúvidas???? Na marca??? Lá está são estes "elitismos" que por mais que se tente nunca irão acabar, vai haver sempre o "ah a minha é melhor que a tua porque é da marca X"... Eu não consigo ser assim, mas ainda bem que existem pessoas dessas, sempre consigo pensar que quem tá mal não sou eu...
Em relação aos aparafusamentos, epa... quem aparafusa são as chaves, quem lá está TRABALHA!!

cumpssss
FMateus.
 
#33
Então Tommy o teu amigo já comprou a bike?

Depois de muito se ter falado da Decathlon, das bicicletas e daqueles que lá trabalham, já ficas-te a saber mais do que pretendias se calhar e já podes avaliar se a 8.2 é ou não uma boa opção. Falas-te que o teu amigo ainda está indeciso, e tu estás a dar um empurrãozinho. O meu conselho é que ele compre o que goste acima de tudo, nem que seja muito mais fraco que a 8.2. É muito mau fazer-se um investimento deste género e depois não se gostar do que se tem. Se ele gosta da Aspect, pois bem está aí a opção. Se está a fazer um erro...isso depois ele no intimo dele e a longo prazo o saberá, mas o investimento é dele.

No tópico da RR ER já expliquei o porquê da decathlon vender as bikes aos preços que vende. Está visto que isso começa a incomodar alguns, neste aspecto só posso dizer...ainda bem, é bom sinal!! Quanto aquilo que já foi dito sobre os trabalhadores da Decathlon, é um facto que por vezes poderão não ser tão especializados como alguns, mas tal como esses especialistas merecem respeito.

Tommy toca a por o teu amigo a andar de bike, isso é que interessa.
 
#34
bem, em resposta ao kayaker tenho a dizer que valorizo muito o trabalho de investigação, valorizo tanto, que se pudesse limpar o rabo com notas de 500, andava numa bike de 8000€ state of the art, só para ver se era assim tão boa como anunciam, mas como não tenho esse dinheiro a força das circunstancias obriga-me a ser racional.
Acrescento que o meu quadro(9.2) lá em baixo diz made in france, o quadro da 8.1 de um colega meu diz made in portugal ( já é positivo dar emprego dentro da comunidade ), de acordo com uma review numa revista de btt conceituada, a Giant fabrica os quadros em Taiwan, não obstante de todo o desenvolvimento que meterá a um canto a Dec com certeza, Pois a Giant ocupa-se exclusivamente de vender bicicletas.
Também acho que é de dar relevo a marcas portuguesas que tentam ter o seu espaço no mercado e que pelos vistos é muito dificil devido à forte maquina de marketing imposta por gigantes internacionais, quanto a fazer alguma coisa pelo btt, acho que isso dava panos para mangas porque se eu estiver a comprar em frança para vender em portugal não estou a ver muito bem em que é que posso estar a incrementar na valorização do BTT e no produto interno bruto, porque o que resta é uma comissão para o vendedor, quem produziu não fui eu nem foi no meu país a longo prazo é isso que queremos? continuar a revender as ideias e produtos dos outros?. Aliás tanta coisa tanta coisa, mas vejo muito por aqui os intervenientes falarem muito pouco nas marcas portuguesas.
O problema é que estamos a discutir patamares bem diferentes, e cada macaco no seu galho, não me parece que a Dec tenha a prepotência de querer competir com marcas taco a taco em gamas de elite, porque com certeza que tem capacidade financeira para o fazer, mas deixa cada um tocar a sua viola.
Pessoalmente penso que será bem diferente prestar assistencia a bicicletas de 500€ e bicicletas de 5000€ com certeza que os tecnicos não podem ter formação técnica igual, e as exiigencias não podem ser as mesmas porque o cliente também não deve de ser exactamente o mesmo porque não acho que quem gaste o preço de um carro porreiro em 2ª mão por uma bicicleta seja um tanso, de certeza que há alguns mas não devem de ser muitos, quem gasta isso tem que saber no que está a gastar.
Mas ambos os mecanicos podem cumprir com a sua função com excelência, só têm que ser eficientes naquilo que são solicitados. Eu não estou a ver os engenheiros do Armstrong a afinar as pasteleiras dos vizinhos, ou nem que entendam muito de material tão pouco refinado em relação aquele que lidam dia a dia na competição e desenvolvimento, aliás até devem de valorizar bastante pessoas que perdem o seu tempo a resolver os problemas dos outros em coisas que já são tão arcaicas em relação aquilo que eles lidam, e se tiverem uma pasteleira o mais logico até seria levar a esse gajo e eles não perderem tempo com a bike, e ocuparem a cabeça a desenvolver novos materiais novos conceitos. Mas isso acontece em tudo os que nos rodeia, não é exclusivo das bikes aposto, não andamos todos a nos desenrascarmos.
Mas isto é a minha opinião, não quer dizer que tenha que ter a razão ou que ignore a opinião de todos os outros.
 
#36
toxina obrigado pela resposta e pelo trabalho de a escrever, bem explicado :).

Acrescento que muitos economistas avisam que dentro de 10 anos 80% do PIB mundial será produzido por apenas 5% da população. Quer dizer que vamos para índices de desemprego acima dos 30%. Já se fala no renascimento de 2 classes sociais em substituição à classe média que é pedinte agora. Os insiders e os outsiders.

A juntar isso temos relatórios que em Portugal, nos últimos 10 anos só empresas com menos de 100 funcionários criaram emprego real. Quem cria emprego são as PMEs.

Eu por principio (pouco racional monetariamente confesso) não compro produtos premium, como é uma bicicleta, num supermercado de grupo financeiro. Isto porque se estou preocupado com o meu emprego, sinto que tenho que me preocupar com estas questões globais pois o mundo é pequeno e posso eu vir a ser desempregado depois e aí nem uma RR vou comprar.

Acrescento, que não sei se reparam a china devido a verificar algum proteccionismo, desvalorizou agora o Yuan só para rebentar novamente com preços.

Para quem estiver interessado sobre as mudanças sociais de 2020 pode ver uns vídeos interessantes: http://www.youtube.com/watch?v=LBv5PM0ih70 .

Cumps, bom fim de semana, e esperemos que eu e muitos analistas estejamos errados.
 
Last edited:
#37
Deves querer convencer-nos que a Scott, Specialiized, KTM ou Giant, para não enumerar muitas outras são pequenas ou médias empresas com preocupações sociais? Ou que as fábricas que todas elas têm na china ou arredores têm mão de obra com condições e ordenados socialmente justos?
Sinceramente estes argumentos vão de vento em popa. Primeiro vem a questão do marketing da Decathlon que nos tolda a vista. Compra uma revista e vê lá quantos anuncios da Decathlon tens e depois compara com a Scott ou Specialized e vê com olhos de ver qual das marcas depende do marketing para nos influenciar nas nossas escolhas.

Por falar em questões sociais e para ti que não vês o papel que a decathlon tem no BTT e desporto em geral fica sabendo que todos os analistas e estudos dizem que a Decathlon fez, pelo menos na Europa, a sua área de intervenção, algo que nunca tinha sido feito, pelo menos a esta escala. Conseguiu trazer para o público em geral, especialmente aquele com menos posses monetárias artigos desportivos, BTT incluido, com grande qualidade até aqui só acessíveis a bolsas recheadas, e isto sem ser à custa de mão de obra oriental, sem preocupações sociais.
Mais uma vês repito e sem qualquer tipo de afensa pessoal. Tentem falar apenas do que sabem e não se ponham a inventar.
 
#39
Uii...

Por pouco que isto não pegou fogo!! :evil::evil: Não vou tecer qualquer comentário sobre aquilo que foi abordado, até porque daria muito pano para mangas (não só pelo seu teor discutível, mas também pelos argumentos apresentados desprovidos de qualquer nexo!!).

Relativamente ao que interessa: já está decidido! It´s a RR. O rapaz ainda não a tem pois não há stock disponível. Em principio, no decorrer desta semana, já a deverá ter.

Obrigado a todos! ;)