SANTACRUZ Nickel - 125mm All-Mountain

#1
Neste tópico podes ver e colocar fotos da NICKEL.

Este modelo foi concebido para 4X, Trail hard, All-Mountain hard, Dual.

Carateristicas:

- Totalmente construido em Aluminio ALCOA 6065
- Curso traseiro de 120mm
- Sistema de Suspensão APP (Actual Pivot Point)
- Peso de 2890 grs com amortecedor FOX R em tamanho M
- Neste quadro podem ser montadas suspensões de 120 a 140 mm de curso
- Caixa de direcção externa Tapered de 1"-1/8 - 1.5" (cónica)
- Espigão de selim 30.9 mm
- Mudança Frente Top-Swing 34.9mm puxar por cima

Preço estimado: 1.300 euros com FOX Float R opção FOX RP23 + 120 euros















[video=vimeo;10782342]http://www.vimeo.com/10782342[/video]

[video=vimeo;10783388]http://www.vimeo.com/10783388[/video]

[video=vimeo;10791221]http://www.vimeo.com/10791221[/video]​

As primeiras unidades estarão disponíveis a partir de meados de Junho de 2010.

Encomenda já a tua numa das lojas oficiais SANTACRUZ
 
Last edited:

Alf

Active Member
#2
É para manter em conjunto com a Superlight? Ou, seguindo a filosofia de outras marcas, é para a substituir? São mais 20mm de curso em cada roda (se não me engano), mas há várias marcas a fazer isto, daí a pergunta.

E bonita, só ainda não me habituei às caixas de direcção cónicas...
 
#3
As caixas "cónica" irá ser standard dentro de algum tempo, pois as vantagens ao nível rigidez são muitas!!

Eu pensava que iriam substituir a Superlight e a Heckter, até ver o site da Santacruz renovado, já estão lá as novas APP, mas a Superlight e a Heckler continuam.
 
#4
E quê as novidades não abrandam, é semana sim, semana sim, a dar novidades, epá estes gajos não param,:choneh::mrgreen:, e ainda bem.

Chovam mais novidades...
abçs
 
#7
Será possivel montar uma suspenção de 100mm de curso no limite* Quem tem uma sid ou uma Reba topo de gama por exemplo e queira um quadro destes... No meu caso tenho uma Reba e estou muito satisfeito com ela mas na impossibilidade a a utilizar é muito dinheiro que se deita fora.
 

Alf

Active Member
#8
A reba dá para usar com 115mm, se não me engano, portanto a diferença não será assim tão grande. Mas o melhor é sempre usar as suspensões com tamanho (logo, curso) para as quais o quadro foi projectado.

Fico contente que a SC continue a usar o design simplista, fiquei com um bocado de medo que exagerassem quando vi a Nomad de carbono (que não está feia, atenção).
 
#9
Bom já houve quem testasse a Nickel

Mas atenção NÃO é uma VPP

"Riding to the trails, we noticed we weren't wasting any energy bobbing around, with the ProPedal flipped on, the new Actual Pivot Point (APP) suspension remained still and quiet as we spun along. Some members of our group complained of signficant bobbing with the ProPedal flipped off. As set up, our test bike rode well either way, though the ProPedal did make the ride firmer for efforts out of the saddle."

"The suspension ate the roots, ruts and drop-offs right up and felt a little springy – in a good way, like it was ready to respond any time it was called to do so."

"We try to have diversity of uses in our bikes. So you can use a lot of them for racing, all-day rides, marathons, etc. The Nickel and the Butcher aren't oriented toward racing, but I would race them if on a budget."
 
#10
Ir na onda....

Bom já houve quem testasse a Nickel

Mas atenção NÃO é uma VPP

"Riding to the trails, we noticed we weren't wasting any energy bobbing around, with the ProPedal flipped on, the new Actual Pivot Point (APP) suspension remained still and quiet as we spun along. Some members of our group complained of signficant bobbing with the ProPedal flipped off. As set up, our test bike rode well either way, though the ProPedal did make the ride firmer for efforts out of the saddle."

"The suspension ate the roots, ruts and drop-offs right up and felt a little springy – in a good way, like it was ready to respond any time it was called to do so."

"We try to have diversity of uses in our bikes. So you can use a lot of them for racing, all-day rides, marathons, etc. The Nickel and the Butcher aren't oriented toward racing, but I would race them if on a budget."
Acho que desta vêz a santa cruz deu um tiro (ou dois!!) nos pés.

Passo a expilcar o meu raciocinio, vejam isto como um desabafo, um sentimento e não uma critica com qualquer presunção.

Vejamos: justificação (SC) para o single pivot: simplicidade, baixa manutenção e excelente resposta de amortecimento (melhor ainda nos dias que correm com amortecedores como o RP23- boa plataforma) e relactivamente baixo preço para uma VPP, além da justificação classica SC: "that`s the way we starded". - CONCORDO.

Para VPP: eficiência de pedalada (resistência ao bombeio) logo possibilidade de usar varios tipos de amortecedores( a ar ou mola), exclusividade do sistema e vanguarda no desenvolvimento. - IDEM
´
APP: Poderia pensar como é senso comum que "no meio está a virtude", mas nem sempre, e acho eu que é este caso, para quê uma bike que já não é SP e longe de ser VPP, que só acrescenta peso ao conjunto, sim o peso é superior às SP e VPP para cursos equivalentes, e pelas conclusões de alguns bikers continua a bombear com o propedal desligado?

Eu que gosto de quase tudo na SC, acho que estão com excesso de orçamento e apresentar "novidades" a mais. quem acompanha a SC lembra-se à cerca de dois anos de eles dizerem que não viam necessidade de usar o carbono pois estavam plenamente convencidos que o AL é que era.

Conclusão: quem não tiver €€€€€ para uma VPP, pode sempre comprar uma SP por muito menos €€ e basta apostar num RP23 que fáz muito melhor o trabalho do que o APP, e mais leve e limpa.


Não me levem a mal, "simple is beautifull".

RIDE MORE WALK LESS, Green .
 
#11
´
APP: Poderia pensar como é senso comum que "no meio está a virtude", mas nem sempre, e acho eu que é este caso, para quê uma bike que já não é SP e longe de ser VPP, que só acrescenta peso ao conjunto, sim o peso é superior às SP e VPP para cursos equivalentes, e pelas conclusões de alguns bikers continua a bombear com o propedal desligado?
Pôrra explicaste os sistemas SP, APP, VPP mesmo à letra de uma maneira espectacular!!!

Eu concordo, quando vi o APP pensei que fosse substituir o SP, mas depois de ir ao site deles e ver que continua a haver a Superlight, Heckler pensei, para quê o APP?
 
#13
Olá boas,

Os modelos NICKEL e BUTCHER são dois modelos novos para uma utlização muito especifica, 4X, DUAL, e coisas do genero. É um conceito muito americano de utilização indor e outdoor para uma utilização muito dura e com cursos reduzidos. Como podem reparar têm apoios para sistemas de guia de corrente ISCG05, que são utilizados para uma utilização mais agressiva. Se repararem também nos videos que a SANTACRUZ lancou dos modelos aparecem imagens de uma utilização muito agressiva numa pista mascada tipo Dual ou 4X. O APP é um sistema em que a sensibilidade do sistema é o mais importante, o rendimento tambem é importante mas não muito. Por isso as bicicletas são relativamente pesadas para o que estamos habituados, mas são bicicletas que têm como ambição a robustez e fiabilidade para uma utilização muito dura.É um conceito muito Americano de utilização da bicicleta. Aqui na Europa gostamos mais de bicicletas mais ligeiras e eficientes.

Os mono pivots (MP) vão continuar em grande forma e os VPP's também, e continuarão a ser a grande aposta da SANTACRUZ aqui na Europa.

Qualquer duvida continuamos por cá.

Boas pedaladas ... de SANTACRUZ claro.

A equipa PERNALONGA
 
Last edited:
#14
Aqui mais uma foto que define a NICKEL, neste caso a do Cedric apta para as provas de 4X , DUAL, e para os demo show's.


Boas pedaladas ... de SANTACRUZ claro.
 
Last edited:
#17
Está aqui uma review interessante:


Rayner's XL Nickel, in yeller. Proudly displayed in the City of Redwood City


"I hate reading bike reviews. Inevitably you get some variation of the following opinions:
a) It pedaled great
b) It felt like it had more suspension than the claimed xx inches
c) It just might be that ever elusive ‘one’ bike.
d) If only it was lighter, stiffer, less ugly, whatever.
We get this from some dickhead who thinks he’s hot shit whose opinion we really don’t care about. Blame marketing. Actually, fuck marketing – it’s useless.
So I embark on this review of the APP Nickel with eyes wide open. Knowing, as you already do, that reviews are half bullshit, half human shit, and all lame. So let’s dispense with the most common questions:
How does it ride?
Better than you can – that’s how. But hey – better than me too..
But.. that doesn’t help. How does it..you know….feel?
Like the bastard child of a Blur LT and Heckler.
Ah ha! You’re a liar! Those both have more travel.
Exactly.. See above.
Oh.
You’re welcome.
(head explodes).
Look. I’ve spent a lot of time on a lot of the Santa Cruz fleet. This bike….it just feels like home. If it had a couch, I’d curl up on it with a nice cup of tea in a slanket (http://www.theslanket.com/) . Let me give you some examples.
Carving turns: I’ve never felt a more centered pocket of goodness in carving turns than I do on this bike. You press into the turn and you actually know where your rear wheel will be with the aid of that one-eyed pivot. I never felt this was a problem on VPP bikes until I tried this bike. Damnit.
Jumps: not the ‘I’m about to enter earth’s orbit’ kind, but that little roller, which we all boot off of while we imagine that we’re in that rock video/bike porn we know we were destined for. Does it feels like it has more travel? Of course not – that’s stupid. But it does make you realize that we’ve been missing out on the full potential of 5 inches of travel. If this is what 5” feels like – why do other bikes with more travel feel like less (I’m looking at you Heckler). Again, Damnit.
Rockin the knar knar: See above. More, betterer travel.
Head angle: I have no idea but it’s spot on. Never felt wandery, never twitchy. Granted, we’re talking about the bay area from Santa Cruz to Marin, so unless you’re doing some mega poaching (not me officer), then I’d have a hard time complaining.
Climbing: Think single pivot efficiency with a little boost from suspension trickery.
Geometry: Damn nice, but maybe a bit long. I ended up reining it in from a 90mm stem to a 70mm stem – much nicer.
Still more? Let’s do an A/B comparison.
Nickel vs. the heckler? The Heckler’s a great bike. A simple bike. The Nickel is not the heckler. It’s not simple (can you say 4 pivot single pivot?), but you get an extremely refined suspension platform that makes you realize the full potential of 5 inches.
Nickel vs. the Blur LT? The LT pedals like a champ, and would probably beat the Nickel in a head to head climbing competition by a gnat’s ass. But what goes up, must come down. And I never thought that crazy VPP wheel path could be a detriment, but the Nickel would win that downhill, particularly if there were, you know, corners and stuff.
Bacon vs. Beer Can: http://baconorbeercan.com/ That’s a tough call. I want both.
Insert awkward segue here: Stiff? For an aluminum bike: yes. Light? See aforementioned answer. Strong? Jury’s out."
 
#18
Olá Pessoal,

Não se esqueçam de que também está em jogo uma questão de marketing e de posição no mercado face à concorrência. Eu explico... Há quem ache que ter uma linha de 5 ou 6 bikes MUITO boas e especificamente talhadas para certos tipos de utilização como uma boa política (eu sou um deles).
Essas mesmas pessoas também concordam com a política de fazer os modelos durar muito anos, contribuindo para a sua longevidade no mercado e nas mãos dos compradores.

Porém, há marcas que não seguem esta linha de pensamento (a Specialized, por exemplo) e estão SEMPRE a lançar produtos novos, muitas vezes contradizendo os seus próprios lançamentos anteriores. Este tipo de marcas também tem mercado e muito.
Creio que a Santa Cruz está a tentar abranger um maior número de consumidores com estas novas bikes. No fundo, está a tentar bater a concorrência no seu próprio jogo. Isto vai dar-lhe uma nova posição no mercado, uma nova gama de clientes, mais uma janela aberta para o futuro da marca.
Esta linha de pensamento insere-se na perfeição na óbvia contratação de mais riders profissionais e na constituição de uma equipa profissional de "peso" para promover os modelos da marca.

Enfim, no fundo eles estão a tratar de algo que interessa a todos nós os Santa Cruzianos: o futuro, a saúde e longevidade da marca!
 
#19
First Impressions: Santa Cruz Nickel

"Timing is everything, and I was lucky enough to pick up my new test bike, the all new Santa Cruz Nickel, just a couple days before heading out to Dirt Rag’s Dirt Fest at the Allegrippis Trails in Hesston, PA. These super-fun and flowy trails were a great place to get the Nickel dialed in and to get a taste of what’s in store over the next few weeks of the test.



Santa Cruz introduced the Nickel this year as their new “Trailbike” alongside the Blur LT and the Blur LT Carbon. Fitting somewhere between cross-country and an all-mountain bikes, the Nickel features Santa Cruz’s new Actual Pivot Point (APP) suspension design with 5″ of rear travel. What’s APP? Well, Santa Cruz describes it as “…a single pivot suspension that utilizes a pair of links to create a variable shock rate.” They admit it’s a bogus name, but hey, you gotta call it something. I won’t get into all the details now, but I will share some pics and specs of the bike.



The complete Nickel I’m testing sports the Fox Float RP23 rear shock and a Rock Shox Revelation Race Dual Air 130mm travel fork. Drivetrain highlights include SRAM XO shifters and rear derailleur and Shimano XTR front derailleur.

So far, the Nickel has not disappointed me. It climbs surprisingly well for a 5″ travel bike. Downhill, the only thing holding me back apparently is my overdeveloped sense of self preservation. Lucky for me, I’ve got a few more weeks on the Nickel to help me work on that.



Retirado de http://www.dirtragmag.com
 
Last edited: