Rescaldo SRP160 - 4ª Ultramaratona BTT - 9 Abril 2011

#41
É verdade Ana!

Pelo que já li por aqui a malta vai com mais vontade para comer do que para pedalar, ou então não estão habituados a andar em autonomia...

Eu levei a minha própria comida (barras e gel) no camelbak, e nos abastecimentos apenas comi uns bocados de banana e enchi o bidon de água...

Não vejo o porquê a necessidade de mais comida nos abastecimentos, cada um deve ir preparado para se aguentar 165km...

No EOX240, aí sim, parece-me que pelo menos a meio se justificará uma ou duas sandes para cada atleta, num ZA intermédio. Isto porque estamos a falar em mais de 13 ou 14h em cima da bicicleta, que poderá chegar mesmo ás 18h....
 

L.Ramos

Super Moderador
#42
:twisted:

Pela 2ª vez fiz o SRP80 e mais uma vez saí muito satisfeito!

Se em 2008 já tinha gostado, este ano fiquei fã deste Alentejo.



Cheguei na sexta à noite, fui à residencial deixar as coisas e dirigi-me ao secretariado. Recebi o saco com o que me era atribuído de uma forma rápida e calorosa. A Rita e a Teresa trataram da festa. Caso o meu GPS tivesse chegado, o track teria sido carregado na hora, tal como outros o fizeram, pois o Luis tinha o seu PC pronto para esta operação.

Na manhã seguinte lá me dirigi para a saída, pois tinha madrugado com o barulho do pessoal que se preparava para os 160km na residencial. A partida foi feita à hora e como o grupo era relativamente pequeno foi feita sem problemas.

Os 1ºs km's eram super rolantes, terminando num single espetacular junto ao rio Guadiana. O 1º abastecimento chegou, em que nem a bebida isotónica faltou. Depois foi um misto de rolar por planícies verdes e floridas e de um sobe e desce pelos pequenos montes da serra de Serpa, sempre com uma boa média. O 2º abastecimento já foi bem recebido, tendo comido e reabastecido os líquidos, tendo inclusivamente óleo à disposição para a corrente. Um luxo!
As paisagens "alimentaram" a alma, e fui gerindo o esforço para que não tivesse quebras no final (o treino não tem sido muito) e foi com alguma rapidez que cheguei à ultima ZA, onde o meu amigo Zé Batista me esperava para picar o dorsal e verificar se estava tudo bem. Aqui bebi uma bebida recuperadora que me caiu muito bem!
A parte final foi passando, só os últimos km's de aproximação a Serpa é que foram feitos por alcatrão, o que podia ter sido alterados para uns trilhos de terra, mas penso que esta será a melhor opção para quem termina o SRP160, pois penso que sabe sempre bem rolar neste piso depois de mais de 150km a pedalar.
A entrada em Serpa foi feita sem passar na cidade, pois ao contrário de 2008 e que adorei cruzar aquelas ruas históricas e passar pelos seu simpáticos habitantes. Mas lembro-me que na altura houve que criticasse...

No final tive direito a uma bebida de recuperação e tive uma máquina de lavar logo à disposição. Passado algum tempo de eu ter chegado... lá veio o 1º dos 160Km, que com um ar de quem tinha feito uma pequena passeata cruzou a meta. Impressionante!

Prescindi do banho no pavilhão para o ir tomar à residencial. O almoço caiu muito bem e foi só pena sermos ainda poucos na sala... faltava aquele calor humano. A comida estava muito boa.

No final da tarde voltei à zona de chegada para assistir à chegada e à entregas dos troféus e a festa estava animada. Os verdadeiros heróis iam chegando e o seu objetivo ia sendo alcançado. Parabéns a todos os que conseguiram terminar o SRP160!

Uma palavra para toda a organização, que foi incansável, e ao Luis que tornou tudo isto possível.

Até 2012!
 
#43
Não sou de criticar mas perante uma resposta do FIREBLADE tenho de dizer k se em quatro ou cinco abastecimentos se tivessem as ditas barras e energéticos não necessitávamos de ir carregados, se fosse como pensas não era necessário abastecimentos pois não seriam necessários...

E sim ... Eu tbm levei o meu reforço mas para servir só de reforço aos abastecimentos não para alimentar durante a prova toda como fiz...
Além de gastar o k gastei na inscrição foi mais o valor das barras mais o valor dos energéticos...
Se formos por essa linha de raciocínio vamos lá fazer num sábado qualquer... Não necessita ser prova né ??
 
#44
Ponto de vista

Por mais provas e experiência adquirida, há sempre contratempos inesperados. Os participantes num evento de BTT não devem criticar só pelo espírito de contradição, deverão fazê-lo com coerência e bom senso.

Um evento desta natureza (SRP 160/80) exige muito por parte de quem organiza e de toda uma equipa de apoio.

Assim, aos TRILHOS VIVOS só tenho um comentário, já referido por muitos. Controlo Zero, foi zero.

Parabéns á organização e a todos os que nos proporcionaram um dia maravilhoso em terras que tem subidas de empeno, bons trilhos e paisagens de bela natureza.

Gostei de ver um bttista na ZA3 a abrir um tupperware e a tirar uma valente coxa de frango, valente. Em 2012, vou levar um farnel a meu gosto, talvez uma feijoada e um tinto.

A MINHA PARTICIPAÇÃO
Esta foi a minha primeira participação numa Ultramaratona em pouco mais de 1 ano que pratico BTT.

A participação neste evento foi um objectivo que lancei ás minhas capacidades físicas, pois já cá estão 47 anos. Últimamente o meu joelho esquerdo deixa-me um pouco preocupado.

Fazer 165 Km em menos de 10 horas era o meu objectivo no início. Quando a dor começou a dar sinal, ainda só tinha feito uns 30 Km. Mas fui-me aguentando até aos +- 100 Km com uma boa média, ia rolando a 21 a 22 km/h.

Após a ZA 4 (Km 103), as dores aumentaram e então a partir dessa altura foi um suplício fazer ainda mais uns 60 Km. Assim, terminei a minha 1ª Ultramaratona com 09 h 37 m, objectivo conseguido.
.:cheers::cheers::cheers:
 
#45
Boa tarde a todos, em relação a SRP 160 tenho a dizer que foi espectacular, no entanto nem tudo são rosas, de negativo tenho a salientar dois pontos, o controlo Zero realizado no inicio do pelotão o que originava uma enorme dificuldade de passagem e os abastecimentos, faltava realmente algo mais, como barras, bebidas isotoncas etc... no meu caso eu levava no camelbak alimentação para a prova toda e ainda sobraram algumas barras, mas senti falta da bebida isotónica, visto que no segundo abastecimento a que tinha colocado no bidon já tinha terminado, talvez a solução seja levar o pó e depois vou acrescentando consoante vai sendo necessário, de negativo tenho isto a apontar.

Em relação ao resto estava tudo relativamente bem organizado, as marcações muito boas, nunca necessitei do GPS, inclusivamente as indicações de perigo, os trilhos eram fantásticos, com uma preciosa ajuda do tempo que se fez sentir, o empeno foi muito bom também, em relação ao secretariado foi muito rápido na entrega dos dorsais, inclusivamente trocaram-me a T-Shirt, que por lapso meu tinha pedido um nº acima daquele que eu uso e acederam à troca sem qualquer problema, em relação aos banhos não estavam maus agua quente e e chuveiros com fartura, e almoço/lanhe também estava bom, sem duvida uma prova a repetir quando houver possibilidade.

Mais importante de tudo objectivo conseguido terminar a prova, ou melhor terminar-mos todos, visto que viemos 7 artistas de Vila Nova de Gaia em representação da Ecobike e todos conseguimos chegar ao fim com um tempo abaixo das 10h00.

Leandro Costa

Ecobike
SeniorSad Power Cycling Team
 
#46
Agora a minha vez: Apreciação geral 5*****

Fiz-me ao SRP160 depois de não ter acabado a edição de 2010 e não ter podido comparecer em 2009, por isso estava cheio de gana, embora com pouco treino... o objectivo era mesmo acabar com uma brande barrigada de BTT, por isso foi atingido.

Gostei muito do percurso, embora o achasse muito rolante e pouco técnico para uma "Ultra" de BTT: A 1ª edição - do que me recordo - foi muito dura nos 1ºs 80-90Km e depois mais rolante; 2011 foi sempre muito rolante sem praticamente zonas técnicas de BTT - quem quiser participar com uma bike de ciclocross faz aquele percurso a brincar!!

Claro que um percurso de 160km não pode ser demolidor mas poderia ser mais apimentado... digo eu.

Quanto aos abastecimentos, não acho muito importantes, em minha opinião estavam q.b.: mandei um saco com câmaras de ar, barras, gels e sandes de presunto para a ZA3. Devorei a sandes acompanhada por uns copitos de coca-cola, renasci :)
Sugiro vivamente que aproveitem esta facilidade em edições futuras, escusa-se de ir muito carregado de início e sabe bem.

A GNR ou alguém da organização nos atravessamentos é agradável mas não essencial, desde que estejam bem assinalados - e estavam. Podia haver mais uma fita ou outra, pó de pedra em cruzamentos enganadores mas no geral estava ok (é por isso que levo o track no GPS)

Para o ano estou lá, no EOX logo se vê!

Petter #205
 
#47
Boas,

Quero começar por dar os parabéns à organização.

Das 3 edições em que participei, esta foi de longe a melhor conseguida pela organização, desta vez estava quase tudo bem.

No meu ponto de vista fazia falta algumas placas dentro da localidades, porque sem o gps sair de lá às vezes era uma questão de sorte.

Dos abastecimentos não posso falar, uma vez que não usufruí dos mesmos.

Mas acho que devo ter sido o único que leu no site, que o abastecimento que os participantes queriam que a organização nos levasse seria entregue ao km 103.
É que depois de falar com a organização, dizem-me que falaram na reuniao que era na ZA anterior.
Penso eu, que valente borrego, andava mesmo a dormir. Ontem à noite vou ver ao Site, e para meu espanto, lá está... No site diz Km 103!!!!!
Se não fosse alguém conhecido a desenrascar-me o abastecimento, tinha ficado por ali, acho que aí a falha foi grave.

Tirando estes pontos quase tudo 5 estrelas...

Há e depois acho que aquelas 2 almas que começaram ao murro quando a prova ìa aí com 2 km têm que ter mais calma
Vamos a rolar no alcatrão para aí a 40 km/hora e com 300 pessoa atrás, e eles só se preocupam com quem é que apertou com quem... É uma perfeita loucura... É que põem em causa a integridade física de muita gente, não só a deles.


Patrício Rebola
 
#48
Boas,

Mais um ano e mais um SRP160 concluido com muita satisfação tanto em relação aos trilhos como á organização.

Um puro gosto pelo pedal e particularmente a passagem pelas minas de S. Domingos, apraz-me o suficiente para nos ultimos anos realizar esta demanda.

Não uso GPS, ciclómetros ou pulsimetros. Levei duas barras e uma maçã (os abastecimentos quanto a mim estavam qb), não uso mudanças nem suspensões.

A ausência destes acessórios canaliza a minha atenção para disfutar a 100% os trilhos que percorremos.

Parabéns Ludos / companhia e até para o ano. Infelizmente uma ida aos Açores não me permite ir ao EOX240 como inicialmente previ.



(Foto Trilhos Vivos)

Obrigado e um abraço.

Rui Gonçalves
 
Last edited:
#49
SRP160 (165):D
Ás 7h estava a levantar os dorsais com os meus 4 amigos, Rui Luz, Francisco, Jorge Pimentel e David foi extremamente rápido, ou seja não existia qualquer fila. Na entrada para o controle "0" é que nos deparamos com uma situação caricata, a entrada era feita junto à linha de partida, os primeiros a entrar ocuparam de imediato todo aquele espaço como é lógico, os que vieram a seguir tinham de furar por todo aquele emaranhado de bicicletas e pessoal. Faltavam 5 minutos para a partida estava o Speaker aos "berros" com o pessoal, a pedir para abrirem um corredor de forma a facilitar a passagem do pessoal que faltava entrar, era uma fila interminável! Como quiseram cumprir o horário, grande parte do pessoal não passou pelo controle, enfim lamentável…:fpalm:
Percurso espectacular mais à base de estradões, com lindas paisagens, como só o Alentejo nos pode oferecer, subidas longas mas não muito picadas, boas descidas, belos trilhos junto ao Guadiana, muito bom.;)
As marcações em alguns pontos, tinha-mos de ir muito atentos, ou então quando dávamos conta, estávamos fora do percurso, o gps salvou-me em 2 situações.
Considero os abastecimentos bons, suficientes e bem colocados, com gente muito simpática.
Banhos muito bons, com muito espaço, muitos balneários por onde escolher…
Refeição muito boa e adequada para quem vinha dum super esforço, a sopa estava excelente.:yeah:
A minha prova começou muito bem, em muito bom ritmo dentro das minhas expectativas, ia preparado para não parar nos abastecimentos, só parava no caso de necessitar de água, a partir do km64 começaram os meus azares (também fazem parte do btt, mas deixam-nos algo desanimados) furei na roda da frente, perdeu muito ar, mas o liquido conseguiu tapar o furo, apesar de ser um corte, dei mais ar e segui. Passados 4km volto a furar no mesmo pneu, volto a meter ar e lá contínuo. Junto às das Minas de S. Domingos entra um "tronco" pelo pneu a dentro na roda de trás, mais propriamente um pau com cerca de 20mm de comprimento e 6 de diâmetro, com uma das pontas em lasca. Eu já nem queria acreditar:eish: no que me estava acontecer, aqui só consegui resolver com câmara-de-ar. Até ao primeiro furo trazia uma média de 24km/h, quando resolvi o último a média tinha baixado para 19,5km/h, esta situação deixou-me completamente desmotivado, para continuar com o ritmo que trouxera até então. Tudo isto se passou entre o km64 e 74.
:confused:Desanimado arrastei-me até à ZA3 km78 a partir daqui fui com 2 amigos + ou – até à ZA4, mas como eles traziam um ritmo demasiado baixo e os meus companheiros estavam todos para a frente, não podia continuar com tal andamento. Ganhei novo ânimo decidi parar em todos os abastecimentos, as laranjas eram o melhor, na altura já se fazia sentir algum calor. Fui recuperando posições, acabei a prova com média de 20km/h feita em 8h16.
Apesar de todos estes percalços gostei imenso da prova, em especial do percurso com paisagens fantásticas! – Só por isto vale a pena vir a esta prova, temos é de estar minimamente preparados para fazer os 165km, vi muita boa gente arrastar-se no último 1/3 da prova, muitos deles duvido que a tenham concluído.
Agradeço a todos os companheiros de ocasião a companhia e entreajuda que partilhamos ao longo do percurso. Em provas com esta distância é muito importante termos alguém com o nosso ritmo.
Tive o prazer de ver e falar com os amigos, Kalinas e seu companheiro, Paulo Cruz dos Fincadas do Juncal e muitos outros. Paulo Parabéns pela excelente prova que fizeste.:yeah:
Até uma próxima e boas pedaladas, para todos os amantes desta magnífica modalidade.
Um abraço,
António Vaqueirinho
 
#50
Enhorabuena a la organización de la SRP-160 y a todos sus participantes, por su espíritu de sacrificio y afición a la BTT, ya que hay que ser un gran aficionado para estar durante más de 9 horas en un pequeño sillín pedaleando en los trilhos alentejanos ¿ llanos ????? y sin para de subir y bajar.
Disfruté muchísimo de la prueba y desde luego nosotros volveremos el año próximo, y puedo decir que cada año me gusta más BTtear en Portugal. Yo no puedo más que animar a Trilhos Vivos a que continuen trabajando como lo están haciendo y a Luis Silva mandarle un fuerte abrazo desde España, me hubiera gustado mucho poder saludarte, pero imagino la cantidad de trabajo que tendrías en ese dia.
Como anécdota mencionar que hice los últimos 50Km con el cambio de la BTT roto, al estilo de una singlespeed.....y es una dura experiencia, por lo que felicito a Meiabola por su participación en la prueba al mando de una de estas bicicletas.
El año próximo nos vovleremos a ver.
Un abrazo a todos.
Rafa Menaya
 
#51
@meiabola - duas barras e uma maça, "perdido" sem GPS ou pulsómetro no Alentejo e sem suspensões ou mudanças?! Bem, pelo menos levaste camelbak e bidons...:rolleyes:
Acho que deviam dar outro nome a essa "modalidade"... superBTT talvez?!!! ;)
 
#52
Amigo Fernando Moreira,

"A minha palavra de apreço também ao Sr. de Cantanhede que esteve comigo um tempo após o cepo ter "partido" e que depois até emprestou uma bomba de ar ao Joel que estava furado, espero que tenha chegado ao fim"

Eu é que agradeço o magnésio e o outro "não sei das quantas!!! que me emprestou" Não sei se fizeram ou não efeito, o certo é que consegui terminar em 9:57h.
Folgo em saber que o Pessoal da Organização (Os tais da Nissan Navarra) o foram buscar, pois assim que os encontrei, de imediato lhes dei conta de que o amigo estava sem condições de prosseguir, por falha mecanica. Tinham-me dito que não tinham condições de o manter em prova, mas que o iriam resgatar e levar de volta a Serpa.

Quanto à prova, claro que à aspectos com os quais eu não concordo, ou até de que menos gostei, mas este era um desafio pessoal que à algum tempo queria superar. Consegui e isso para mim é suficiente. Se volto ou não, vai depender de muitos factores, mas não "choro" o dinheiro deste fim de semana!.

Abraços
 
#53
Replico para aqui, uma foto que acabei de colocar no fim da página do album,
é uma representativa de um dos locais mais coloridos, que ainda me recordava de anos anteriores.

Foto de um amigalhaço, como se referem a ele, e já percebi pq! pq é.



Aqui nem todos terão uma, pois é uma seca ficar todo dia à espera, com a passagem muito desfasada do pessoal, para me entreter pedalei até lá, voltei atrás até um spot onde tinha interesse em fazer algumas, e pedalei de novo até lá...

Para o ano, vá de bike ou de moto, se alguem oferecer uma emprestada... que aqui só tenho carta... duh! , se o pessoal preferir sitios coloridos e ... patrocinar a seca, ... levo uma cadeira de recosto e bronzeador para enquanto espero..;). e um corta vento claro, que o ano passado e este já aprendi que à tarde o vento fresco faz-se notar.. embora este ano o dia esteve espectacular.

Já que aqui é o rescaldo, ficou-me na memória a expressão do amigo Luis do Btt Lisboa, que foi lá a primeira vez: "Serpa é muito bonita"

Pedro Branquinho
Fotobikers
 
#54
Caro cmot,

é com enorme prazer que leio que conseguiu acabar a prova, acredite que fico mesmo contente:).

O outro não era mais que um Nimed que eu tinha levado para as dores de costas e sabe-se lá mais que dores que me iriam apanhar durante o percurso. Numa prova de monte com uma extensão tão grande mais vale prevenir do que sofrer (tanto).

Quando os senhores da Nissan me apanharam foram espectaculares comigo, ainda tentámos arranjar uma roda mas sem sucesso... eles disseram-me que tinham sido 2 participantes que os tinha informado do meu "azar" e eu sabia que 1 deles era você.

Espero para o ano voltar e fazer a prova para a qual andei a treinar nos últimos tempos e que era o meu maior objectivo para 2010 (tinha colocado a fasquia nas 7 horas). Nessa altura caso o Sr. não esteja presente (espero que sim), pode ser que em caso de algo correr mal eu possa encontrar alguém com o mesmo espírito que camaradagem e que esteja disposto a ajudar. É disto que é feito o verdadeiro BTT.

Obrigado, mais uma vez.

Parabéns pela conquista do seu objectivo pessoal e ainda bem que não chora o dinheiro deste fim de semana. Embora eu não tenha chegado ao fim também dou por bem empregue o dinheiro que gastei e os kms que fiz.

Fiz amigos, vivi um espirito diferente do que estou habituado nas maratonas de 80km e acima de tudo diverti-me e apreciei a gastronomia tradicional, sim porque embora goste de andar de bicicleta é-me completamente impossível não ligar a estas coisas simples mas que fazem com que a desilusão de não conseguir acabar se dilua num fim de semana fantástico.

Agradeço-lhe mais uma vez por todo o seu apoio.

Um abraço,
Fernando Moreira
 
#56
O rescaldo que faço da maratona, é claramente positivo.

Fui com o espirito de tentar terminar, pois a minha bike não é para estas andanças. Specialized Enduro Comp, com dupla coroa.
Mesmo assim consegui fazer em pouco mais de 9 horas, os treinos no gerês cumpriram a missão melhor do que eu esperava.

Em termos organizativos:
Marcações: Excelente, nunca precisei de usar o GPS.
Percurso: Excelente, li malta a falar de zonas perigosas. Eu digo o contrário, para desespero meu, nunca coloquei a minha forqueta a 150 de curso. :)
Abastecimentos: Ponto Bastante Negativo.
Banhos: Excelente
Jantar: Excelente
Lavagem de Bikes: muito demorada.
Controlo Zero: zero. (para mim é irrelevante)
Custo/Beneficio: Considero caro, mas aceitável.


Tinha sido publicitada a existencia de bebidas isotonicos e barras. Barras nunca as vi, e bebidas isotonicas apenas no 1º abstecimento, no 2º deram-me apenas meio copinho, a partir daqui zero. Ou seja tive que andar sempre a beber agua ou Fast Recovery. As barras tambem eram fundamentais para mim, pois tinha o objectivo de ir comendo ao longo do percurso, e não de me empanturrar em cada abastecimento, pois não teria mais nada nos proximos kms.
Depois de pagar 39€, não é aceitável que os mais rápidos tivessem tudo nos abastecimentos, e os outros muito menos. (pagamos todos igual)
Não acho justo criticarem quem fala dos abastecimentos, e sugerir que cada um levo o seu. Eu paguei para ter abastecimento, caso contrário levava a mochila cheia de comida e fazia o percurso sem me inscrever!

Aos restantes participantes:
Maniacos dos tempos:
Parem de deixar ficar tudo e mais alguma coisa para trás, vi montes de embalagens de gel, barras e afins. Alguns cheios, imagino que iam comer e ups, escorregou e nem param. DEIXEM-SE DE "ANIMALITUDES" e respeitem o ambiente.
No arranque a mesma coisa, ultrapassam tudo e todos sem olhar a meios, pensava eu pra mim, estes tipos são mesmo deprimentes, nem na volta a portugal os vejo a ultrapassar assim.

Agora uma critica para levarem na positiva. Notei uma grande falta de técnica nos participantes. O Single Track do rio era para fazer sem parar. Treinem a técnica e vão ver que vai dar muito mais prazer fazer estas secções mais técnicas. Eu sou suspeito, pois na minha zona ou treino técnica ou ando metade do tempo a empurrar, e tenho uma bicha pa descer tudo!


À organização, parabéns e continuem. é preciso valorizar o esforço de planear 200 kms de trilhos.
Da minha parte, foi uma experiência fantástica. Não digo que para o ano repetirei pois é muito caro. (inscrição, 3 dias, estadias, 1200 kms de viagens, etc)
De qualquer forma aconselho vivamente.

Já agora um pedido, não podem detalhar o que eram aqueles produtos da Gold Nutrition que estavam nos abastecimentos e no final?? Nomes?

Obrigado ...
 
Last edited: