Quando trocar de corrente? qual a medida certa?

#23
Boas !!!
Sabem-me dizer onde posso comprar uma chave p medir o desgaste da correntes, em Lisboa, e qual o preço delas ???
Obrigado e cumprimentos
 
#25
Estive recentemente num workshop onde se falou de como cortar a corrente e o modo como foi explicado varia um pouco do aqui explicado. Trata-se de colocar a corrente esticada entre o prato maior da pedaleira (normalmente o 44 ou 42) e na roda maior do carreto ( 32 ou 34) passando naturalmente pela mudança traseira e depois deixa-se cerca de 2 elos de folga para garantir que a corrente na situação mais extrema de utilização funciona. Já montei muitas correntes com este método e funciona bem.
O desgaste da corrente realmente obriga a uma mudança de corrente mais amiude, normalmente entre os 800 e os 1000 km, se o utilizador for muito exigente o desgaste vai ser mais rápido. Existem como é obvio materiais com mais durabilidade que outros na transmissão de uma bicicleta.
 
#26
Só tenho de aplaudir o post do Peso-pluma pois foi algo muito elucidativo para os mais novatos nas lides das bicicletas. No entanto tenho um apontamento ou melhor é um 4in1 quanto à medida mais correcta para se usar a corrente.

Já montei muitas correntes, cassetes e pratos, tenho uma caixa com muito por onde escolher de material velho e aquilo que tenho OUVISTO sobre colocar correntes varia um pouco...se não ora reparem. Existem 4 métodos (eu uso 1 que ainda não foi apontado aqui ou pelo menos eu não vi, mas como todos vocês já utilizei outro que também não encontrei aqui... :mrgreen: só que de certeza que não fui eu que os descobri!)

  • Colocar na pedaleira grande (42ou44) e no carreto grande da cassete e adicionar 2 elos
  • Colocar na pedaleira grande (42ou44) e no carreto pequeno da cassete e adicionar também 2 elos

agora o método que eu já utilizei

  • Colocar na pedaleira do meio (32) e no 4º carreto da cassete, o desviador de trás deve fazer 90º com o chão

e agora o método que eu utilizo

  • Colocar na pedaleira pequena e no carreto pequeno da cassete até que a parte inferior da cassete toque no desviador

Brevemente tentarei arranjar fotos para vos elucidar do que estou a falar.

Atenção mais vale trocar muitas vezes de corrente do que só 1 vez em muito tempo, desta forma sai mais caro, terá de ser corrente, cassete, pratos e quem sabe roldanas.

A limpeza da transmissão adia a troca de material.
 
#28
Eu conto os elos e nao da para enganar pois este medodo nao engana . os medodos de verificar se a corrente tem muito descaste veijo maisou menos como vao as folgas na mesma
 
#29
pessoal..expliquem-me uma cena...eu quero ussar a talega com caretos mais altos a traz..o que aconselham? grealmente o que usso é ate ah 5ª a traz mas queria poder correr os pratos todos sem estragar akilo tudo...é possivel?
 
#30
txii a corrente...
aquela peça pequena atras que ninguem nota e que sem ela não SAMOS nada :mrgreen:
A minha corrente tem 1600km, desde que comprei a bike que nunca a troquei. Só a limpo de vez em quando, quando ja está preta e nao dobra :oops:
Como nunca me deu problemas não lhe presto muita atenção (é ate ficar no meio do nada com ela partida) :twisted:
 
#31
darkshell said:
pessoal..expliquem-me uma cena...eu quero ussar a talega com caretos mais altos a traz..o que aconselham? grealmente o que usso é ate ah 5ª a traz mas queria poder correr os pratos todos sem estragar akilo tudo...é possivel?
Existe uma lógica na utilização da transmissão da bicicleta. A pedaleira grande usa-se para andar em piso direito, descer ou até mesmo algumas subidas, de pouca inclinação.
Com esta trabalha-se a segunda metade dos carretos, do 5º para o 8º ou 9º.
A pedaleira pequena é para as subidas mais avassaladoras e com esta, trabalha a primeira metade dos carretos, até ao 4º, enquanto que a pedaleira intermédia trabalha numa zona intermédia dos carretos, para aí do 3º ao 5º.
Claro que depois, cada um faz a conjugação que mais lhe agradar, mas não foge muito a isto.
Se tentares conjugar carretos grandes com a pedaleira grande, arriscas-te a rebentar com a corrente, por estar demasiado esticada, enquanto que o inverso iria provocar um roçar constante da mesma, por ficar com demasiada folga.
 
#32
Pois, isso é o ideal. Na práctica as pessoas tendem a usar:

A avózinha com os três maiores pratos da cassete.

O prato intermédio com todos os pratos da cassete traseira menos os três mais pequenos.

A "talega" com todos os pratos menos o maior prato da cassete.


E o pessoaç queixa-se das correntes :mrgreen: LOL
 
#35
Boas


[/quote]
Comprei agora uma ferramenta parecida da BBB, a unica dif. è que tem 2 dentes a meio que penso que sejam para apoio.
Agora a minha duvida é que na embalagem diz que se deve utilizar o lado de 0,75 para correntes de aluminio e o de 1,0 para correntes de aço.
Perguntei na loja e tambem não tinham a certeza mas que o lado de 0,75 seria para começar a pensar em trocar a corrente e o outro era para trocar mesmo.
Será? Alguém sabe.

Obrigado e boas pedaladas.
 
#37
Excelente abertura de tópico, não há muito a acrescentar além da habitual troca de experiências.

Já passei pela experiência de montar corrente nova em cassete gasta, e acreditem que não vale a pena. :oops:
Como é óbvio tive que investir numa cassete nova, e problema resolvido instantaneamente.

Em relação à durabilidade da corrente e cassete, tenham cuidado especial com a lubrificação, façam o possível para evitar areias e lama na corrente (comem realmente os dentes da cassete!!) e não cruzem muito as mudanças, isto já foi explicado não me vou alongar sobre isto.

Relativamente à qualidade, já experimentei shimano e sram, ambas gama alta, e não estou a pensar usar outra sem ser a 991 da sram. Não é muito barata, mas dá garantias de funcionamento, além de possuir o sistema power link próprio de todas as sram.

Cumprimentos.
 

Jepas

Super Moderador
#38
Perguntei na loja e tambem não tinham a certeza mas que o lado de 0,75 seria para começar a pensar em trocar a corrente e o outro era para trocar mesmo.
Será? Alguém sabe.
Eu sei: os 0.75 são o desgaste máximo para PRATOS de alumínio e os 1.0 são o desgaste máximo para PRATOS de aço. As correntes saõ sempre em aço e desgastam-se com a mesma facilidade. Contudo os pratos de aluminio são mais macios que os de aço. Daí ser imperativo trocar a corrente antes a fim de evitar o desgaste ainda mais acentuado no caso do aluminio.

Jepas
 
#39
boas, aproveitando o excelente tópico gostaria já agora de confirmar se tou com um problema desses.. corrente e/ou cassete para a reforma...

o que acontece é que no 4 carreto atrás (sram de 9 velocidades) a está sempre a saltar (parece que estica ou falha alguma coisa e dá esticão) mas se colocar noutros a coisa já não acontece... será isto indicação que o carreto atrás ficou gasto devido a uma corrente também já nas lonas?

no principio pensei que fosse afinação mas uma vez que é sempre no mesmo e não é preciso estar a pedalar com força (acontence tb com a bike ao contrário só mexendo devagar o eixo para rodar)

não sei exactamente qtos km tem o conjunto mas foram comprados novos há menos de 1 ano. antes fazia XC e agora faço FR/DH...

:roll: