Quando é que o bichinho do BTT lhes mordeu? E qual a idade prevista para encostar?

Boas, tenho 51 anos e descobri o btt há 5 anos atrás. Após ter deixado o vício de fumar e consequentemente ter engordado uns quilinhos, comecei a pedalar com o intuito de perder peso. Gradualmente fui aprimorando o gosto pelo pedal e isso transformou-se numa das minhas prioridades na busca de saúde e bem estar, físico e mental. Excetuando o dinheiro que inevitavelmente gastamos com isto, adoro tudo o que está relacionado com bicicletas. Espero terminar de pedalar apenas e só se me faltar saúde. Fora isso pedalarei até ao fim... Portem-se bem e força nos pedais que há bons e longos caminhos para pedalar.
 
Retomei ha 1 ano e meio por indicacao medica por doenca pos-parto
A minha sobrinha tambem padece do mesmo, mas pra ela e novidade, eu ja andei quando era mais nova, especialmente estrada e pista,agora tou na vertente btt, acho pra mim 1 modalidade mais flexivel e divertida
 
O meu percurso começou em 2009 com a necessidade de fazer algum desporto..porque o futebol estava a provocar muitas lesões...em boa hora entrei neste mundo...percorro locias que nunca antes me passava pela cabeça..há cerca de um ano entrei no mundo das "fininhas" e então o tempo é repartido entre "dois amores"..
Gosto de pedalar e fazer grande voltas( tipo 6 horas de bike)
 
Em resposta ao título, o bichinho do btt ainda me continua a morder !!!

Mas foi pelos 19/20 anos que comecei as primeiras voltas de bicicleta, e aos 21 é que eu me apercebi que estava viciado

cumprimentos
 
Desde que me lembro de chegar com os pés aos pedais que sempre tive contacto com bicicletas. Nunca olhei para o BTT como um desporto, para mim era (e é) liberdade em duas rodas.
Depois de partir duas bicicletas de hipermercado ofereceram-me uma BH Coronas (Replica) porque o dinheiro não esticava para voos mais altos... (Sunn Duall, Xchox Alu, Kona Coiler... ...cronologicamente falando).
Um salto menos afortunado e a velhinha Suntour dobrada para a frente diziam-me que era tempo de arrumar o BTT na garagem e viver a minha adolescência a tempo inteiro.
Entretanto o mundo mudava radicalmente, a internet viabilizou o comércio online e um amigo de infância mostra-me uma nova geração de bicicletas de freeride. Comi batatas fritas ao pequeno-almoço e jantar mas
foi um magro sacrifício para obter a minha primeira bicicleta a sério!
Desde então que tenho pedalado na minha fiel companheira sempre que me apetece (leia-se: duas a três vezes por ano) mas é uma sensação que não tem preço nem altura própria, é quando sabe bem e mais nada!


Cumprimentos