Proflex 197 do Kamoes - by troika

#1
Boas pessoal :D



Venho apresentar a minha máquina, e fazer uma análise o mais detalhada possível. ;)

Proflex 197(2007) - 10.46kg

Estado Actual:



Introdução:
Esta bicicleta acompanha-me desde que me iniciei nas voltas de BTT.
Foi a bicicleta que o meu pai me conseguiu comprar na altura, e não me arrependo da compra.

A escolha que tinha em mente nessa altura era uma Specialized Hardrock, mas por falta de atendimento na loja que a ia vender... acabei por mudar de opinião e decidi comprar esta Proflex. Não me arrependi já que o material era superior e o preço, inferior.

A intenção era apenas comprar um Jersey, Calções e capacete, mas acabei por levar uma bike já com pedais de encaixe para casa, além desse equipamento principal.


Infelizmente, por obra divina/vírus informático, perdi as fotos que tinha da bike quando nova...
Esta é o mais próximo que tenho desse estado, e já contava com algumas alterações:



Nesta altura pesava talvez mais de 15Kg.
Era suficiente para o que fazia, já que tinha bem mais pernas que agora... :(

Componentes de gama baixa, pesados, mas muito fiáveis. É de destacar o funcionamento exemplar da transmissão, que nunca se queixou enquanto esteve em serviço.

Mas como o vício é danado, e nós Homens, somos fracos e pecadores, a fome do upgrade, melhoramento estético e funcional tomou conta de mim... e ainda hoje não me curei!

Comecei por melhorar os pontos que considerava piores/ necessários.

O pior da bicicleta, nesta altura (contava com um ano e 2500km) eram os travões e o selim.
Depois vi-me obrigado a trocar também a transmissão, por culpa das manetes integradas que tinha anteriormente.


A escolha recaiu nos travões XT.
Baratos, muito potentes e esteticamente, eram os meus favoritos.

À medida que as tiradas eram cada vez mais longas (tanto em distância espacial como temporal) o meu "bufunfo" cada vez gostava menos do selim...
Assim sendo, adquiri um Selle Italia SLR. Completamente ás cegas, sem conhecer o selim, apostei nele.
Veio-se a revelar uma óptima escolha, e ainda hoje me continua a surpreender.



No final do devaneio tinha comprado então:
Selle Italia SLR
Travões XT
Manípulos Sram X0 GripShift
Sram X9 Caixa-média
Cassete Shimano Deore
Corrente Shimano Deore


E a bike assim foi rolando uns meses, até chegar ao outro verão, do outro ano!
Trocas? Pois, lá tinha de ser outra vez!

A um mês duma prova para a qual fui convidado a participar, perdi a cabeça e vendi um dos meus 2 computadores.
Com esse dinheiro, investi no componente que mais queria naquela altura, e que fez com que a bicicleta sofresse uma mudança de 360º.

Rock Shox SID Race 2009, branca.

Como um upgrade nunca vem só, acabei por também trocar a pedaleira, e os pedais. Os pneus vieram também, porque os outros já estavam carecas...

A bike deixou de estar assim:


E passou a ficar assim:




Depois disso, e pouco depois de começar o ano... para acompanhar a evolução que toda a bicicleta estava a sofrer, o único componente (ou dos poucos) que devia ser trocado... eram as rodas.

Como isto de dinheiro está/estava escasso acabei por comprar umas rodas usadas.
Um grande obrigado ao Kick88, que me "cedeu" as suas CrossMax ST, rodas essas que estavam na lista das minhas favoritas... e que por um bom preço, ficaram a viver em minha casa, sempre agarradas á Proflex.

Agora há bem pouco tempo, tive de trocar de guiador, fruto duma queda... e também de pratos/cassete/corrente... porque esta que tinha em 5000km já estava mais que destinada! :mrgreen:

Acabei por comprar um Guiador KCNC(tão em voga agora) e mantive a corrente e cassete Deore, com o teste dos famosos TA Specialites 26-40!... e por agora, ficou assim a bike ;)









Agora a descrição do material na Proflex:

Quadro: Proflex 197 tamanho M Alumínio 6061

Suspensão:
Actual:
Rock Shox SID Race 2009+ Poplock
Antigo: Sr Suntour XCM 80mm

Rodas:
Actual:
Mavic CrossMax ST
Antigo:Alex Rims DP18+ Cubos Proflex

Pneus:
Actual:
Kenda Karma 2.0 Kevlar
Antigo: Kenda Klaw XT 2.1(Fr+Tr); Ritchey ZMax Comp 1.9

Pedaleira:
Actual:
Shimano SLX
Antigo: Sr Suntour XCM

Pedais:
Actual:
Exustar PM25
Antigo: Shimano M545

Travões:
Actual:
Shimano XT Hidráulicos
Antigo: Shimano M415 Mecânicos

Manípulos de Mudanças:
Actual:
SRAM X0
Antigo: Shimano 8Speed STI

Desviador Trás:
Actual:
SRAM X9
Antigo: Shimano Alivio 8v

Desviador Frente:
Actual:
Shimano 050 SIS

Cassete:
Actual:
Shimano Deore
Antigo: Shimano Alivio 8v

Corrente:
Actual:
Shimano Deore
Antigo: Shimano Alivio 8v

Selim:
Actual:
Selle Italia SLR XC
Antigo: Velo

Espigão:
Actual:
Ritchey Comp
Antigo: Kalloy

Avanço:
Actual:
Promax 110mm -10º


Guiador:
Actual
KCNC SC Bone 600mm


Aperto de Espigão:
Actual:
BBB Road



Análise:

Quadro Proflex 197 M(17,5"):

É um quadro de alumínio 6061 da marca Proflex. A Proflex é uma marca histórica do BTT, mas que esteve desaparecida uns anos... voltou no ano em que comprei a minha BTT (2007) com vários quadros em Alumínio...
Tanto rígidos como suspensão total.

Primeiro, acho importante explicar o porquê do 197.
O 1º número ( 1 ) simboliza a gama do quadro dentro da marca, que começa no 0(iniciação) e vai subindo conforme as gamas.
O meu é, portanto, a 2ª gama, sendo o típico quadro de lazer.

O 2º número ( 9 ) simboliza o "nível de equipamento" da montagem saída de fábrica. Por ser um 9, é o modelo mais bem equipado. O 8 e o 7 são modelos que apesar de partilharem o mesmo quadro, diferem no equipamento que é mais básico.

Por fim, o 3º número ( 7 ). No caso destas séries da Proflex, o último número dá-nos a conhecer o ano em que foi feita esta montagem. Sendo o 7, percebemos que é um modelo de 2007.


Em relação ao peso do quadro, pelo que me foi dito por um rapaz que estava a vender um quadro igual a este(de outro ano) o quadro pesa á volta das 1750g. Não considero um mau peso, tendo em atenção o preço da bicicleta e a gama em que se insere.

Comportamento: É um quadro de geometrias relaxadas, próprio para passeios e umas incursões fora de estrada. É um quadro que não quer nada com competição, apenas apreciar umas voltas pelo monte.
Fruto disso são os ângulos abertos, muito seguros e que acabam por ajudar os iniciantes mais descuidados e pouco evoluídos tecnicamente.

Algo a destacar como muito negativo a nível de comportamento neste quadro é mesmo a pouca torção que sofre, sendo portanto um quadro muito rijo e desconfortável.
Todas as pancadas são transmitidas ao ciclista, especialmente as na traseira, que acabam por massacrar em longas distâncias.

(+)
Design muito simples, sóbrio.
Peso
Pintura resistente


(-)
Rigidez excessiva/Desconforto


Suspensão:

Rock Shox SID Race 100mm.

Muito procurada nestes últimos tempos, a SID é uma suspensão de topo, conhecida pelo seu peso baixo e comportamento controlado.
Agora, partilhando muito do hardware da Reba, conseguiram baixar-lhe o preço e daí haver imensa procura desta suspensão, e haverem agora tantas por este mundo fora.
É uma suspensão leve, com uma torção moderada e um funcionamento que não compromete em nenhuma situação.
Tem milhares de afinações e conseguimos sempre colocá-la ao nosso gosto.

Quando a comprei já tinha perdido muitas horas a ler sobre ela e as suas afinações, combinações possíveis e comportamento. Quando chegou a casa, foi só montar, colocar o ar e afinar o rebound e floodgate!

Tem um funcionamento suave e sensível. Para aumentar a sensibilidade inicial costuma-se colocar mais ar na câmara negativa que na positiva(sistema Dual-Air) e assim torná-la ainda mais confortável.
Atenção, este processo costuma reduzir a progressividade da suspensão, fazendo com que esgote o curso mais facilmente. O que se ganha num lado pode não compensar no outro!

Outra coisa que não é muito positiva é a torção da suspensão. Sendo a SID uma suspensão de competição é normal ser mais sensível a alguns pesos "menos pluma".
Nota-se alguma torção, tanto em travagem como lateral...Mas nada que afecte o funcionamento da suspensão ou seja preocupante.
Acontece, mas é bastante controlada. Culpa minha também, porque estou fora do meu peso ideal.

Infelizmente, tem um problema crónico conhecido, que afecta o bloqueio/desbloqueio da suspensão.
A minha como não é excepção, já começou a sofrer deste problema e em breve irá rumar ao importador para resolverem a situação.

(+)
Peso(mesmo não sendo o habitual das antigas SID)
Funcionamento.
Muito Customizável.

(-)
Problema do Bloqueio/Desbloqueio


Sr Suntour XCM 80mm

Suspensão que equipava a bicicleta de fábrica.
Funcionamento muito simples, composto por duas molas, uma em cada perna. Pesada e pouco progressiva.

No início não tinha queixas desta suspensão, até porque não tinha experiência nenhuma e tudo era muito bonito.

Conforme o tempo foi passando, e eu exigia mais da suspensão, mais me assustava. Houve uma altura em que a mola "quebrou" e passou a ficar nos 8 ou 80. Ou não amortecia, ou quase esgotava.
Drops e buracos maiores, como regos a atravessar o caminho eram um calvário, porque a suspensão podia afundar e dar em OTB.
Por falta de manutenção, começou a desenvolver uma folga enorme nos retentores, que era sentida quando se travava.
Em parte deve-se ao uso de travões de disco que por estarem mais longe dos retentores provocavam uma maior torção. Penso que se usasse v-brakes nunca teria notado esta folga.

Os ajustes de pré-carga eram completamente inúteis, já que não tinham efeito nenhum. O bloqueio da suspensão apesar de funcionar, era demasiado básico e desconfortável.

Parecia que entrava ali um gancho e bloqueava a mola...o que se notava se levantássemos a roda e a colocássemos de novo no chão, o impacto era um desastre e bem doloroso, tal era a rigidez com que o "ferro" batia no chão.


(+)
Bom funcionamento(tendo em conta a gama e uso a que se destina)


(-)
Peso
Ajustes inúteis
Bloqueio
Pouca Progressividade


Rodas:

Mavic CrossMax ST 2008

As ST eram um sonho "de criança" ... mesmo ainda antes de fazer BTT e me deliciar apenas com as bicicletas dos outros. Sempre gostei da estética simples mas muito bem conseguida e com belos promenores.
O facto dos aros não usarem autocolantes e estar tudo gravado era também um ponto a favor destas rodas. :D

Comprei as rodas por mero acaso, o JoaoLopes avisou-me que estavam umas ST á venda, e pedi-lhe para falar com o vendedor. Mais tarde ultimei os pormenores e combinei o local e pagamento com o antigo dono.
De fácil trato e muito expedito, o Kick88 lá se deslocou a Torres Vedras para me "ceder" as suas rodas.

Até me enviou depois por correio as chaves que se tinha esquecido de me dar, e que eu nem sabia que existiam.
Se fosse outro talvez não o tivesse feito. Um grande abraço amigo Marco(tinha de ser não é? :mrgreen:).

Depois de as montar com os Karma convertidos a tubeless, levei-as para uma loja para serem analisadas e desempenadas. Vieram de lá 5*, sem empenos e ainda assim estão.

Essa resistência só pode ser explicada pelo peso algo elevado do conjunto (1750g completas).

São umas rodas muito resistentes, e já reconhecidamente fiáveis.
Por nunca ter tido chatices com elas, não tenho vontade de me desfazer delas, nem mesmo pela "veia" de weight-weenie. São umas rodas excelentes, que vieram morar para cá num negócio por acaso.


(+)
Estética
Rigidez
Resistência

(-)
Peso
Raios caríssimos




Alex DP18+ Proflex Hubs XPTO.

Desconfio que os cubos sejam uns shimano muito básicos. São cubos de esferas e à excepção da roda da frente, nunca tive muitas queixas delas.

A roda da frente começou a ter muita folga, e desde que lhe trocaram lá umas peças, ficou outra vez como nova. A roda de trás também já tinha alguma folga no momento em que as encostei.

São rodas pesadas, mas este peso vem dos cubos e raios. Os aros, pelo que consegui apurar, não são exageradamente pesados, com 460g cada um.

Por culpa dum mau aperto de série e desleixo meu, estas rodas a princípio empenaram muito.

Depois de tratadas uma vez por um mecânico, pouco mais empenaram e deixei-as andar até partirem. Nada disto aconteceu, e agora estão outra vez a rolar mas um pouco mais longe, com um amigo ;)

(+)
0 manutenção em 6500km
Pouco empeno no aro

(-)
Peso


Pneus:

Kenda Karma DTC (2.0)

Já contam com 3000km e foram a minha escolha já no Verão passado. Até agora se mantiveram ao serviço, sempre sem chatices. :D

Deram-me bastante segurança a curvar, e foi com eles que descobri que há pneus bons. São baratos( ~15€ cada) e bastante duráveis.
São pouco roladores, mas se temos um bom grip é de esperar.

O que se ganha é bastante superior ao que se perde, e posso bem viver com isso. São fáceis de converter em tubeless e até agora só tive um rasgão que o No Tubes não conseguiu vedar.

São óptimos para terreno seco, mas um bocado falsos com lama, especialmente na frente.

(+)
Relação Preço/Peso(480g/15€)
Segurança em Curva
Óptima Tracção
Fácil Conversão em Tubeless

(-)
Atrito a rolar
Falsos com lama

Kenda Klaw XT (2.1).

Estes pneus(arame) equipavam a bicicleta quando a comprei. Se o de trás se foi num instante, o da frente aguentou 2 anos.

Só me consigo lembrar do pneu da frente, que não desiludia nada em lama, sendo bem mais seguro que o Karma que tenho agora.

Fora isso, foram pneus normalíssimos, que nunca se distinguiram em nada. Pouco seguros a curvar e bastante pastelões. Eram também bastante pesados...

(+)
Direccionabilidade do pneu dianteiro com Lama

(-)
Atrito a rolar
Peso elevado


Ritchey Z Max Premonition Comp (1.9)

Este pneu foi o escolhido quando o pneu Kenda Klaw traseiro ficou slick. Tinha uma boa tracção em tempo seco, sendo um pouco "tricky" com lama.

Atribuo isto ao facto de ser um pneu bem fino (1.9) e que tinha que andar com pressões bastante altas na traseira, tornando a bicicleta ainda mais desconfortável.

Por ser fino, era bastante mais rolador que os outros pneus todos que tive. Foi um bom pneu, enquanto durou... o que foi pouco.

(+)
Bom rolador

(-)
Inseguro com lama
Desconfortável


Pedaleira:

Shimano SLX 22-32-44

Para o preço que custou podia ter comprado a XT, mas como não podia adiar mais acabei por comprar a SLX.

Quando a vi em fotos, ainda antes de sair, achei-a muito feia. Muito cinzentona e sem vida... depois vi-a montada numa Trek numa loja, e passei a adorar a pedaleira...
O alumínio escovado no centro da pedaleira, com o SLX fica divinal :mrgreen:

Já fez 3500km e está bem aceitável. Rolamentos de origem, sem folgas por enquanto, e nota-se pouco o desgaste nos cranks, apenas algumas marcas de pedras mais perigosas :)

Os pratos de série apresentam pouco desgaste após os 3500km, e estimo que durem ainda mais 2500km sem grandes chatices...as passagens de pratos são até bastante suaves.

É inegável dizer que a Shimano sabe fazer boas pedaleiras, talvez até seja o melhor que fazem, em conjunto com travões e pedais... esta SLX não fugiu á regra.

(+)
Design simples e discreto
Relação Preço/Peso
Pouco atrito de Rotação

(-)
Nada a apontar.


Sr Suntour XCM

Pedaleira que vinha de série.
É uma pedaleira pesada, e que não deixa saudades.
Fez 5000km com os mesmos pratos, que no fim já estavam em "pontas".

Trocou uma vez de eixo(3500km) por já ter folga. Não sendo grande espingarda, não tive muitos problemas com ela.
Apresentava já no fim bastante desgaste no crank esquerdo pelo roçar com os sapatos.

(+)
Nada a destacar.

(-)
Peso
Desgaste nos Pratos
Desgaste nos cranks


Pedais:

Exustar PM25

Baratos, leves e giros. Toda a gente dizia que davam muitos problemas, que a fiabilidade era baixa a comparar com os Shimano e que os cleats não prestavam.
Concordo apenas com o último facto.

Os pedais até agora foram abertos uma vez no inverno, e têm-se portado bem.


São leves e nem foram caros(~50€). A nível de encaixe e desencaixe com lama, são muito melhores que os Shimano que tinha.

Pouco mais há a dizer sobre os pedais, apenas que os cleats são uma vergonha, gastam-se imenso e são bastante falsos.

Como o sistema é SPD, pode-se usar cleats Shimano sem problemas, até prefiro, já que fixam melhor o sapato ao pedal. De destacar a caixinha onde vinham, toda bonitinha.

(+)
Relação Preço/Peso
Fiabilidade superior ao esperado.
Encaixe/Desencaixe fácil.

(-)
Cleats péssimos.


Shimano M545

Quem já os viu ou usou, sabe que são tudo menos pedais de XC. Grandes, pesadões e uns autênticos tanques de guerra.

São feitos para DH e isso nota-se pela sua plataforma em alumínio bem generosa.

A plataforma foi mesmo o motivo para a escolha destes pedais quando comprei a bicicleta. De fiabilidade não tenho nada a apontar, fizeram mais de 5000km de BTT sem um único problema e estão agora montados na bike de estrada e já têm mais umas centenas de quilómetros.

São bastante pesados e grandes e isso nota-se bastante.

(+)
Plataforma ideal para pedalar com sapatos sem encaixe.
Fiabilidade extrema.
(-)
Peso astronómico


Travões:

Shimano XT:

São bastante potentes, fiáveis e bem bonitos.

Só em duas situações senti aquecimento nos travões e consequente perca de poder de travagem, e todas elas no princípio de os ter.
Até agora, foi rolar sem problemas. Destaco a duração das pastilhas, com 5500km de vida.

Logo depois de os comprar, numa descida em estradão bastante longa cheguei ao final com o travão traseiro a deitar fumo... Pareceu que tinha perdido óleo, mas até agora nunca mais tive chatices ;)


Mesmo sendo uns travões bastante potentes, é facil dosear essa potência como se quer.

(+)
Estética
Preço
Potência
Ajustes

(-)
Peso

Shimano M415

Travões mecânicos que vinham de série com a bicicleta.

Nunca gostei da travagem deles... Sempre travaram pouco, e tinham um tacto bastante duro, culpa talvez das manetes STI integradas.

Com frio, de manhã, acontecia-me muita vez ficar sem forças nos dedos por serem bastante rijos. Eram pouco potentes e nunca me transmitiram segurança.

(+)
Nada a destacar

(-)
Tacto muito rijo
Pouca Potência



Manípulos de Mudanças:

Sram X0 Gripshift:

São tudo o que dizem deles. Leves, lindos e rápidos.

As trocas de mudanças são instantâneas e muito precisas. O Gripshift veio por pancada, qual Absalon do mato :mrgreen:

Pelo que tinha lido eram bastante fiáveis e precisos.

Comprei e montei, 0 manutenção. As borrachas são bastante confortáveis e não tive, até agora, problemas em trocar mudanças com chuva, contrariando as queixas de muito pessoal.

(+)
Bonitos
Leves
Fiáveis
Rápidos na troca de mudanças

(-)
Nada a apontar


Manipulos Shimano STI 8v:

Estes manípulos são integrados nos travões, fazendo aqueles kits baratos da Shimano.

Da parte que fazia a troca de mudanças não tenho grandes queixas, só umas duas vezes o manípulo direito se passou e não puxava ou recolhia o cabo do desviador traseiro.
De resto sempre a funcionar como deve ser ;)

(+)
Fiabilidade dentro do esperado

(-)
Nada a destacar.


Desviador Traseiro:

Sram X9 Caixa-Média:

SRAM, o expoente máximo da rapidez e fiabilidade. Os desviadores anti-afinação. Foi montar e esquecer... Só troquei de cabos 2 anos depois de os montar... e com 5500km.

É uma boa boca, com uma dieta á base de paus e tudo o que se meter á frente dele... Rijo e preciso. Nunca tive problemas com ele... só está a precisar de trocar as roldanas.

(+)
Precisão
Rapidez
Não necessita de afinação Constante

(-)
Nada a destacar



Desviador Dianteiro:

Shimano 050 SIS :#1:

A jóia da montagem.

Nutro um grande carinho por este desviador. Aparentemente de gama baixa, é dono duma fiabilidade bem acima do esperado. É a prova viva que o material barato e de gamas baixas pode ser bastante fiável.

Só precisa de um pouco de óleo de vez em quando para continuar sempre a trabalhar sem chatices. Não conto trocá-lo enquando não se partir... é peça para ficar.

(+)
Preciso
Rápido

(-)
Nada a destacar



Cassete:

Shimano Deore:

Entrada de gama para 9v na Shimano.

Pouco há a dizer sobre esta cassete, e é bom sinal. Pena ser tão pesada(400g), porque de funcionamento não tenho queixas rigorosamente nenhumas.

Durou 5000km com a mesma corrente(também Deore). Passagens suaves como se quer.

(+)
Passagens suaves.
Boa durabilidade

(-)
Peso


Shimano Alivio:

Cassete de 8v. Pouco há a dizer, apenas que durou 2500km. acho baixo para uma cassete, mesmo para uma Alivio.

O desgaste era bastante visível nesta cassete quando foi trocada.

(+)
Nada a destacar

(-)
Pouca durabilidade
Peso


Corrente:

Shimano Deore:

Deore é a entrada de gama nas 9v.

Esta corrente durou 5000km, acabando o serviço com uma folga considerável.
Foi andando até começar a "passar-se" com as mudanças. Fora isso, nada a dizer.

O pino "rápido" da Shimano é mesmo bom. Nunca, desde que foi usado na sua montagem, a corrente abriu.

Fiabilidade bem alta, e uma durabilidade bastante grande pelo preço.

(+)
Durabilidade
Preço
Fiabilidade

(-)
Peso


Shimano Alivio:

Durou o que esperava dela. 2000km para uma corrente de gama baixa foi até bastante bom. Só abriu uma vez se não me falha a memória. Não há grande coisa a dizer do material.

(+)
Nada a destacar.

(-)
Peso


Selim:

Selle Italia SLR XC

Este selim foi comprado por necessidade.

Nas voltas mais longas o dito cujo já se começava a queixar... e como com isto não se brinca, fui "obrigado" a trocar de selim.


Pensei: "Para comprar, mais vale ser logo um bom! "
Como sempre gostei do design dos SLR, bastante fino... apostei nele. Sem nunca o ter experimentado, posso dizer que tive sorte e acertei á primeira.

Os primeiros 100km foram dolorosos, mas apartir daí, tem sido cada vez melhor a mpssa relação, sempre a surpreender-me nas longas distâncias... :D

(+)
Peso
Conforto


(-)
Preço


Guiador:

KCNC SC Bone

Quando o comprei, ia um pouco de pé atrás. Era um guiador bastante leve, e tinha medo que fosse pouco "rijo".

Quando peguei nele, assustei-me com a sua leveza, já que não o sentia nas mãos.
Uma coisa que apreciei bastante foi o facto de transmitir uma sensação de solidez enorme.

A parte central, onde aperta o guiador, parece ser bastante reforçada e é bastante rija. Outro aspecto que não contava, era a estética. Não sei porque, mas nas fotos sempre me pareceu acastanhado e feio.

Foi uma óptima aposta... está com 600mm, e não penso cortá-lo. Como reparo, apenas acho as extremidades um pouco frágeis(culpa do baixo peso) e por isso é preciso algum cuidado quando se montam extensores.

(+)
Rigidez
Peso
Estética
(-)
Nada a destacar



Espigão:

Ritchey Comp 27.2 400mm:

Este espigão foi comprado por necessidade, porque o anterior(350mm) estava já fora dos limites.

Comprei-o por ser Ritchey e na altura, por querer invertê-lo á Marinheiro (só campeões :roftl:).


O que mais gostei quando o troquei foi da sua rigidez, não torcendo com o pedalar como acontecia com o espigão anterior.

Na altura, apreciei imenso esta rigidez... Hoje, no entanto, Se o trocar, será por um KCNC, na tentativa de tentar tornar a bike mais confortável e baixar um pouco o peso do conjunto.

De resto, não tenho nada a dizer, cumpre bem a sua função, pecando apenas pelo peso algo elevado.


(+)
Estética
Rigidez

(-)
Peso






Esta análise ainda não está concluída. Senti necessidade de alterar a antiga, porque achei que tivesse pouco conteúdo.

Um muito obrigado a todos os que têm pedalado comigo e ensinado o que agora sei ;)

Abraço ;)
Marco Camoes.
 
Last edited:
#2
Olá Camões, bela analise. Ideal para quem está a inciar-se no mundo do BTT.
O meu inicio tambem foi muito identico ao teu, 1ºEstrada numa orbita velhinha, e depois com uma ida á loja de bicicletas la vim eu com um bicicleta de BTT.

Penso que os upgrades que tens feito fazem da bicicleta uma maquinas de rolar. Continua. ;)

Quanto a essas varias paragens que falas é natural, vai procurando coisas novas, caminhos, colegas, formas de pedalar, isso faz com que nao me farte de pedalar.

Abraços
Renato Silva
 
#3
Boas...

Parabens pela montagem bastante equilibrada e sem "grande$ aventura$" que conseguiste, com margem de evolução ainda grande em termos de componentes, que seguramente irá acontecer...

Parabens pela detalhada história da evolução da menina acompanhada de fotos que o povo muito gosta... se quiseres tirar umas ideias passa no meu tópico que seguramente responderei às questões que colocares...

(http://www.forumbtt.net/showthread.php/17006-Cannondale-F3-mas-pouco(mtas-fotos)-NOVO-COCKPIT)

Um abraço e boas pedaladas
 
Last edited:
#4
Finalmente amigo Camões!!! :D

Dá gosto ver esta evolução, fruto de muito trabalho e dedicação!!!

Abusa com ela!!!

Abraço!

P.S.: "Xiça" o quadro é assim tão rijo!?!
 
Last edited:
#5
Parabéns pela descrição da evolução e pela evolução em sí. Ficou um brinquedo bem engraçado!

Continua com os upgrades e vai dando o feedback dos mesmos.

Muitas e boas pedaladas...
HR
 
#7
De 2007 até agora a bicicleta evoluiu bastante, e tudo com material que pode transitar para um quadro que compres, seja agora ou daqui a 4/5 anos sem perder qualidade! Espero sinceramente que a vontade de pedalar seja suficiente para daqui a 4 anos Teres material ainda melhor, pois é o tipo de espirito que tenho tambem para mim, gosto pelo hobbie para usufruir e investir!

Boas pedaladas!
 
#8
Boas,

Obrigado a todos pelos comentários!

@Renato, acho que podes dizer mais qualquer coisa, afinal já testaste a máquina! :D

@omedaspikas, já passei pelo tópico da tua lindíssima Cannondale... já lá vão uns dias! Bela bike que aí tens!

@Ivo, rapaz, é pena ainda não teres andado com esta! Moras longe, já se sabe! O quadro é rijo sim, muito rijo!

@HR parabéns pela tua Podium, está brutalíssima! Esta ficou engraçada, mas ainda não está acabada!

@RicardoCupra, vontade para pedalar não falta, ainda para mais agora, que já não passo frio a pedalar! Penso que desta vez acertei, tenho a vontade mais que necessária para andar! Já cheguei aos 6000km :D E nestei últimos 3 meses a bicicleta já fez mais de 1000km ...
Vontade para investir não falta, mas falta o dinheiro! Tudo a seu tempo, há que esperar!


Quando troquei as peças foi sempre a pensar noutro quadro, num quadro melhor, daí a suspensão ter tubo a mais, já a contar com a troca, para não ficar "apeado"!

Obrigado a todos, sugestões e críticas são sempre bem vindas!


Um abraço,
Marco Camoes.
 
#9
tá bem porreira.

PROFLEX é uma marca que me tras boas recordações. No meu início do BTT (no que eu chamo a primeira vaga , i.e., a primeira vez que o BTT entrou na moda) só pude comprar uma SIRLA no continente que me custou 10 contos (totalmente rígida). Havia um bacano que tiha família nos EUA e tinham-lhe trazido uma PROFLEX 856. Nós ficávamos a olhar para aquele «canhão». Era uma que tinha as molas amarelas acho eu. Isto foi em 1995/1996.

Desconhecida? não terá a projecção de outras mas não é desconhecida
 
#10
pre_historico, disse desconhecida mesmo por isso, por haverem muito poucas por aqui a circular.

Não que é uma marca desconhecida, porque não o é.

É uma marca com grande história, nos princípios do BTT, agora, por não ter tido continuidade, perdeu um pouco o reconhecimento que tinha.

Apenas isso!

Um abraço,
Marco Camoes.
 
#11
sim, eu percebi.

o que eu acho piada é que é uma das marcas da «primeira vaga» em Portugal mas que foi completamente abafada pela Giant( a grande marca dos anos 90) e pouca gente a conhece.
 
#12
Ehh Camoes! Finalmente abriste um topico para a tua menina :D
Parabens, esta com gosto!

Esta bem bonita e discreta, com material bem bom !
Mais uma ou outra troca e fica no ponto :)

Força ai, e nao voltes a 'desanimar' ! :lol:

Boa continuaçao de upgrades.
Cumpz
 
#13
Caro Confrade pre_historico

Não eram molas mas elastomeros.
A Proflex foi a 1ª marca mundial a ter bicicletas de suspensão total. Eu tive uma 856. Fez delicias. Depois comprei a Proflex K2 OZM que é a minha bike e tem 11 anos.É toda em carbono e a escora traseira também em carbono é uma peça só.

Por isso chamarem-me de K2

1 abraço e um queijo da serra
Miguel K2 Sampaio
 
#14
certo. elastomeros é uma palavra complicada. aquilo mais parecia um sinobloco do braço da suspensão da minha 4L he he e o curso devia ser curto.

no fundo e do pouco que pude mexer, aquilo era uma cartucho de uma fibra tipo um polimero de polyester que comprimia e voltava rapidamente ao normal.

depois, com os anos, o material foi perdendo elasticidade e depois nunca mais vi a bike e deixei de ser invejoso :)
 
#15
Quando vi este tópico surgiu-me logo a lembrança as primeiras ProFlex de suspenção total, as tais 856 amarelas com as tais borrachas.Isto em 94/95 realmente era o sonho de quaqlquer bttista, eu lá me conteitei com a compra de uma GT Zascar em aluminio em 1995.
Após ter passado uns anos não tinha visto mais nenhuma bike ProFlex, achei engraçado um dia deste numa oficina da SportZone do Shopping da Guia ver uma 856 em manutenção.
Boas voltas com a bike.
 
#16
Boas pessoal :D

Fábio epá já me tinhas chateado a cabeça, e como ontem concluí os 6000km com ela, decidi abri o tópico! :hehe:

Para veres que não desanimo, hoje já fiz mais 67km com a bike!

Só que apareceram-me 2 problemas::eek:mg:

A SID ainda antes de acabar o ano, começou a dar chatices... O poplock bloqueava a suspensão, mas depois, desbloqueá-la tá quieto! Foi á loja e disseram que era uma prisão qualquer no poploc.
:(

Deixei-a lá e fui no dia 7 deste ano buscá-la. Estava a trabalhar lindamente! Andei no domingo, tudo óptimo! Andei ontem, tudo sem problemas. :D

Hoje não é que se lembra de fazer a mesma coisa? Lá tava o raio do poploc a não desbloquear a suspensão.... :(

Continuei a volta e agora esta tarde pus mãos á obra... Abri o poploc, limpei-o todo, e voltei a montar. Já está a trabalhar outra vez! :D

Não está a 100%, mas já desbloqueia... acho que o problema foi ter posto muita massa consistente... há-de dar uns dias assim como está, quando avariar outra vez, tiro-lhe a massa toda e limpo bem.

Outro problema foi culpa minha, estupidez pura!
Ora ia eu com 2 amigos, lado a lado, pela ciclovia aqui de Torres, completamente distraídos a conversar. Quando:

Ora eu engadanhei-me sei lá como para cima do guiador de um amigo, prenderam-se as manetes... bem! Uma atrapalhação do pior! A Proflex foi ao chão, eu continuei em pé. Ninguém caiu, ninguém se aleijou, só a minha canela é que andou uns km a queixar-se
Resultado: a SID ficou cheia de borracha de ter raspado na roda do rapaz... já está limpa outra vez! Sem problema. :D

Continuámos a andar, quando começo a olhar para o guiador! Pera lá , isto não está torto? Parece-me que tenho o guiador empenado, com o impacto que deve ter dado no chão entortou! Pelo menos parece....

Ainda não pude ver nada porque não sei onde tenho a chave nº4 para tirar os travões =/

Por acaso, um guiador não dá para desempenar? Continuando seguro como era antes de torcer?

Vamos a ver e lá vou ter de trocar o guiador, mais um upgrade para pôr aqui no tópico! :mrgreen:


Um abraço,
Marco Camoes.
 
#17
ora ca esta a proflex do Camoes!como te disse,vi este topico ontem ja tarde e fui logo á guloso a pensar,o gajo ja comprou umas rodas novas!deixa ca ver quais sao!!!
f*****-te!eheh
mas hoje naquele tralho quase que eu resolvia esse assunto!!!foi por um triz que nao passei por cima das tuas rodas!mas pelo menos la conseguimos lixar o guiador!que venha um branquinho!para a semana tratamos da saude das rodas!!!
ah pois é,agora que abriste o topico,nao podemos deixar morrer a coisa!todas as semanas vai haver up-grades!!!€€€€
ai ai as parvoices que um gajo diz!
amigo so te desejo muita saudinha e alegria,para que possas pedalar sem paragens!

um abraço
Nuno Faia
 
#18
Tá combinado Faia! Para a semana mais uma volta, e desta vez tratamos das rodas! :mrgreen:

O poploc não está completamente resolvido, quando tratar do guiador reabro o poploc e tiro-lhe toda a massa, para ver a diferença. Acho que não devia lá ter posto nada. O poploc trabalha, mas duma maneira diferente, não é seco a desbloquear a suspensão, o cabo parece que escorrega em vez de saltar do trinco... É estranho, não consigo explicar.
Pelo menos está melhor do que estava hoje de manhã.

As rodas já sabes, primeiro há que poupar para depois mandar vir as meninas, a seu tempo saberás quais são, ainda nem eu sei! :D
O guiador é que me está a lixar, se estiver empenado tenho que gastar dinheiro a mais, e não estava a contar com isso... Parecendo que não atrasa-me logo as rodas umas semaninhas :(


Um abraço para ti ó Faia, muita saúde para ti e para os teus ;)
Marco Camoes.
 
#20
a análise tá fixe... gostei da análise do quadro, pois eu já tive o prazer de o exprimentar, e ele é mesmo rijo.
quanto ao resto da análise, ta boa, penso que retrata bem o equipamento que tens.
Acho que o melhor upgrade que fizeste, foi mesmo a SID, o teu andamento melhorou bastante, principalmente a descer.
só falta aí a análise do SIS com ajuda manual...:D

se tu e o faia, não conceguirem tratar das rodas avisa, eu mando-te outra vez po chão...:p

cumpz...