Problemas com pneus nao tubeless, mas a funcionarem como tal

#1
Bom Dia

Estavamos nos na volta nocturna de ontem e nao e que o pneu de um dos amigos que ia a pedalar sai da janta aparentemente sem razao aparente, e com a pressao correcta verificada em casa, era um pneu de marca vredestein.
Sera que ja mais gente teve problemas semelhantes, e que eu era pa fazer esta "artimanha" um dia destes, mas agora estou reticente...

Estive agora no site da noTubes e a vredestein nao esta contemplada como marca para tal, devera ser por isso?

Abraço
 
#2
huppy said:
Estive agora no site da noTubes e a vredestein nao esta contemplada como marca para tal, devera ser por isso?
Sim, provavelmente deve ser por isso.... E depois dizem que este tipo de montagens tem problemas e tal... Já usei vários pneus, e sempre funcionou, sem qualquer tipo de problema, mas sempre de marcas recomendadas para tal.... As outras, pode ser um risco.
 

Ludos

Benevolent dictator for life
#8
Antes de mais, quero dizer que não sou adepto de "enxertos" e adaptações, na maioria das vezes que usei algo que não estava vocacionado para esse propósito, as coisas não correram da melhor forma, embora admita que há coisas que de melhor ou pior forma funcionam, mas se não me transmitem confiança não alinho nisso.

Agora a pergunta que faço é, o facto do pneu não ser tubeless e estar a ser usado como se fosse não será por si só uma razão para que isso tenha acontecido?
É que essa "sem razão aparente" ...

Mas pronto, isto posso ser eu que tenho mau feitio, e que não fico surpreendido que um pneu misto num carro TT faça o mesmo perder tracção no campo, mesmo com a tracção das 4 rodas ligadas.

Fica a pergunta no ar, para que inventaram os pneus tubeless, se os convencionais deviam servir?
 
#10
Olha, para mim, foi a preocupação com o peso, bem como com os furos.... Da minha experiência, já lá vão cerca de 4000km's, sem qualquer problema, sem qualquer furo, sem ter que me preocupar em andar com camaras de ar de reserva, sem bomba, sem desmontas (porra, com isto tudo já lá vai um peso jeitoso), poder andar à vontade por cima de toda a folha, sem qualquer problema.

Se me perguntarem se andava mais descansado com UST, sim, andava. Mas se me perguntarem se tenho plena confiança no sistema que tenho, respondo igualmente que sim....

Sim, existem situações em que, se nos acontecer, estamos tramados e temos que levar a bicla à mão, como por exemplo um corte pronunciado, mas que porra, não me digam que se isso acontecer num pneu com camara, não estão tramados na mesma (só se for um corte pequeno, enfim, mas provavelmente já estarão também limitados na volta....).

E prova disto é que há muita gente a andar com este sistema, completamente satisfeito. Haverá sempre situações de descontentamento, mas nunca saberemos as circunstancias... Podem ser os pneus que não estão definidos, pode ser má montagem, pode ser uso de pressões desaconselhadas, pode ser falta de manutenção do sistema (liquido seco no interior), enfim...

Agora, também há pneus que estão disponiveis em versões mais protectoras, como por exemplo os Continental que possuem versões Proteccion. Então e porque é que a malta das camaras não usa sempre estas versões, em vez das versões Supersonic, por exemplo? Ou não usa as Snake Skin da Schwalbe?É para poupar peso? É que pelo vosso prisma, devemos andar com o sistema cuja montagem que possuimos permite ser mais fiável (pneu UST numa montagem UST). Então e porque não pneu numa versão mais protectora, numa montagem como camara de ar, com gel ant-furo e fitas entre a camara e o pneu? Quem é que o faz? Muito poucos, e pessoalmente, acho um exagero e quem não a usa deve dizer o mesmo. Da mesma forma, uma montagem UST com o uso de pneu de kevlar, também pode ser fiável.

E olhem que a vida, está cheia de adaptações que à partida, pareciam descabidas. Peço desculpa pelos exemplos (vou levar isto para o lado dos carros, como o amigo Ludos também o levou :mrgreen: ...), mas quem não se lembra do sistema Quattro da Audi, numa altura em que, quando apareceu, os sistemas de tracção total apenas estavam definidas para todo o terreno, e achava-se que qualquer sistema destes para um ligeiro o tornaria sempre demasiado pesado para ser competitivo e viável. Bem como os motores a gasóleo, que antigamente se destinavam apenas a máquinas estáticas e camiões, e com o tempo, tornaram-se motores completamente adaptados aos veiculos ligeiros..... Se quiserem mais "engenhocas", ou "enxertos" digam que sou capaz de arranjar mais alguns.

Cump's
 
#11
Fitty77, como utilizas uma alcunha e nao te conheco pessoalmente, é dificil saber por que tipo de percursos andas, quanto pesas, se és agressivo nas descidas ou não, mas qualquer um que tenha pedalado por ai em grupos ou que tenha feito essas experiencias de conversão, já sentiu ou testemunhou rasgos, furos, pneus a saltar com essas conversões, de modo que não se percebe muito bem como é que é possíivel falar com tanta confiança dessas conversões. Se até com pneus tubeless verdadeiros, os rasgos acontecem, quanto mais com pneus ultra light, né ? ;-) Não há ninguem que pedale que não tenha testemunhado ao vivo e em 3D chatices com essas conversões (não estou com isso a dizer que não é possível e que não resultam em algumas combinações de pneus, visto que acabei por converter todos os meus aros não tubeless em Tubeless, mas depois de rasgar todos os pneus não-tubeless que tinha, acabei por meter pneus tubeless verdadeiros em aros convertidos). Quanto a mim .... quase toda a gente que pedala há uns anos lembra-se bem daquele maluco que pedalava com fato de treino e protecções recusando utilizar licra ! LOL ! ;-) Agora estou a pesar 80kgs (tenho que voltar aos 74kgs) e sou bastante nabo a descer acertando em tudo que é rocha, mas ADORO descer depressa !

Abraço e boas pedaladas,
Navid "Fura-KungFu"
 
#12
Navid, o meu nome é Filipe, na boa.

Peso 75kg, faço XC e maratona, essencialmente, penso que sou um pouco agressivo nas descidas (tenho uma FS e dou-lhe uso, acrescentado a isso que não tenho muita técnica e por isso, acerto em tudo a abrir, basicamente, por isso já somos 2 :mrgreen: ), conheço várias pessoas pessoalmente que usam o sistema, e no entanto nenhuma delas já provou essa questão dos furos, rasgos, e pneus a saltar. Ando em trilhos entre a Serra da Estrela, Cova da Beira e Serra da Gardunha... Os dois unicos pneus que já vi saltar da roda, curiosamente foi com o uso de camaras de ar, ou seja, a habitual montagem (um deles foi mesmo ao meu lado, apanhei um cagaço do caraças e foi uma sorte irmos a rolar devagar em alcatrão...).

A confiança que deposito neste sistema, deposito-a por aquilo que vou vendo, da minha experiência, e da dos outros. Sou consciente, não pensem que vinha para aqui dizer isto, por ter montado isto há meia duzia de dias e ver que até agora não fui com os dentes ao chão. Sei que corro riscos, da mesma forma que uma montagem UST também os corre ou uma com camara. Não há um sistema perfeito. O que digo, é que este sistema para mim serve-me perfeitamente. Se outros há que se sentem perfeitamente servidos com UST, que assim seja. Se quiserem arriscar, arrisquem nesta montagem e tirem as conclusões. Sabem os riscos que correm (ou não...).

Sei também que existem pneus que me criam mais receio. Deixei de usar Nobby Nic, por causa deste ser um pneu muito sujeito a rasgos laterais, embora adore o pneu. Mas já os tive montados em tubeless (a versão kevlar) e funcionaram perfeitamente. Tive um rasgo num, ainda na altura das camaras. Mas depois de convertido em UST, arrancou-se um taco e eu pensava "é desta que fico no meio do mato". Mas não, aquilo abriu um buraco jeitoso (não foi um furo, onde o material volta a assumir a forma inicial, embora furado, mas sim um buraco, com material arrancado, com cerca de 3mm e vedou...) e acabei por ter condições de chegar a casa.

Agora montei numas rodas UST, pneus Speed King Supersonic, pesam 400gr e ainda não tenho 100% de confiança neles porque nem acredito que aquilo funciona, mas o que é certo é que já levaram porrada até dizer chega, em vários tipos de piso, e aguentam-se. No entanto, ainda não os consigo recomendar a 100% para esta montagem, ainda têm que provar mais alguma coisa. Mas até agora, tirando alguma dificuldade para os conseguir montar, funcionam perfeitamente.

Já vi montados:
Schwalbe Nobby Nic 2.25 (o tal que andei com ele até ao limite do rasto e arranquei o taco)
Schwalbe Racing Ralph 2.1
Schwalbe Rocket Ron 2.1 (ainda não tive feedback da pessoa desta montagem)
Continental Mountain King Proteccion 2.2
Continental Speed King Supersonic 2.1
Maxxis Larsen TT 1.95 e 2.0 (penso que era 2.0...)
Maxxis Larsen Mimo 2.0
Maxxis High Roller 1.9 e 2.1
Specialized The Captain 2.0 (penso que era isto, mas depois confirmo)

Assim que me lembre de repente. Existem mais, mas não tenho um contacto tão próximo com as pessoas para por aqui os pneus que elas já tiveram.... Mas dos que mencionei, nunca vi nenhum com problemas (aliás, nunca vi nenhum nem conehço ninguém pessoalmente que tenha tido problemas), sendo que 5 dos modelos mencionados, já andei ou ainda ando com eles, num total de 10 pneus que pessoalmente tive montados neste tipo de montagem e nunca tive um problema (tirando furos, muitos, mas vedou sempre, e o tal taco arrancado, mas que acabou por vedar). Embora já tivesse visto os Schwalbe que menciono, mantenho a minha reserva quanto a eles, pelo que a malta se queixa dos rasgos (e eu próprio tive um na altura das camaras como mencionei atrás, embora um pouco por azelhice da minha parte), mas dos que vi (e tive) montados em tubeless nunca vi nenhum com rasgos.

Apenas deixo esta relação para ficar a minha experiência.
 
#13
Bem isso simplesmente vem provar que aquilo que uma pessoa detesta pode ser perfeita para outra :) Não se pode agradar a Gregos e Troianos né ? ;-) Pessoalmente não estou muito convencido porque tenho tido más experiencias e tenho visto muita coisa, mas se estás feliz com essas conversões, isso é que é o mais importante :) Alias, até estou espantado com a moda de conversões utilizando latex, visto que o latex é um produto dos anos 70 que tinha sido proibido na industria automóvel em muitos estados dos EUA e substituído gradualmente por autovendantes mais modernos a base de glicois que entopem os furos em vez de os colar. Mas o mercado do BTT não tem o mesmo controlo que o mercado automóvel, e a verdade é que a utilização de latex para conversões esta na moda em Portugal e mais alguns outros países. Isso é inegável. O tempo dirá se tem validade ou se é mais uma moda ( para mim a moda dos miudos que andam com as calças a cair e as cuecas e rabo a mostra faz me confusão ! Ainda se fossem umas moças jeitosas de fio dental ! LOL ! ;-) ...mas os mesmos miudos chamam-me de retrogado e ultrapassado e que não percebo nada de moda :)).

Se um dia fores para a zona do Porto, tens que passar pela loja PatoCycles e conheceres o Patu Mor em pessoa (Pedro Rodrigues). Quando a Futuraline começou a lançar o MagikSeal em Portugal (1999 - ) experimentamos todas as combinações de pneus e câmaras de ar com MagikSeal com ele porque não é que ele conseguia rasgar tudo que aparecia a frente ! E só pesava 60 kgs ve lá tu ! Era frustrante ! Aquelas marcas que toda a gente gostava e com o qual se dava bem incuindo campeões e verdadeiros gurus do BTT, não duravam nada nas mãos dele ! Até conseguiu rebentar com umas camaras de ar de DH que comercializavamos da WrenchForce (Grupo Trek) que pesavam 645g CADA e que tinham uma espessura de 4,5mm na zona do piso ve lá tu ! Era simplesmente impensável ! Mas também deve ter sido dos poucos que conheci que desceu um troço de DH super inclinado cheio de pedra solta e afiada somente na roda da frente ! ;-)
Lá se descobriu uma combinação peso de tubeless/marca aceitável para ele mas demorou seculos e foi a prova que perfeito perfeito não existe.

Moral: Se realmente te dás bem com essas conversões optimo :) Não era para deitar abaixo. Eu é que pessoalmente tenho reservas apesar de preferir converter um aro normal em aro tubeless do que utilizar câmara de ar :)

Abraço e boas pedaladas,
Navid "Fura-KungFu"
 
#14
Navid Imani said:
Ainda se fossem umas moças jeitosas de fio dental ! LOL ! ;-)
Agora é que disseste tudo :mrgreen:

Navid, numa boa. Claro que percebi que não era para deitares abaixo.

Se não te adaptaste a estes sistemas, força com outro. Todos nós procuramos ter o sistema que melhor se adapta a nós próprios. Seja na posição do selim, seja nas pressões dos pneus e suspensões, enfim, em tudo. Qual o sistema a utilizar nas rodas? Bem será a mesma coisa. Usamos o que nos deixa satisfeitos.

Penso que o latex foi proibido nos automóveis, por este, com o tempo atacar as borrachas. Mas num automovel, os compostos são diferentes, bem como o uso, temperaturas, e por aí fora também são diferentes, e até o tempo de uso, bem como os riscos envolvidos. Como eu gasto pneu até dizer chega (o Mountain King, para teres uma ideia, atrás peno que não chegou aos 500km's...) não anda lá muito tempo o pneu com o liquido, se bem que nunca encontrei qualquer dano, tirando os furos, claro. Outra coisa que faço, por exemplo, é não repor simplesmente o nivel do latex na manutenção. Eu retiro o pneu, lavo-o o mais que posso e instalo-o outra vez com liquido novo. Não sei se terá ou não influencia.... O que é certo é que me tenho desenrascado e estou 100% satisfeito.

Inclusivé, uso as fitas da DT Swiss, que acho excelentes, mas acentam apenas no fundo do aro, o que quer dizer que o pneu, lateralmente encosta directamente no aro não UST, e aquilo mesmo assim funciona (o que quer para mim dizer que desde que se use um pneu que encoste bem no fundo do aro, é suficiente). Arrisquei isso, porque cada vez que retirava um pneu com as fitas do Joe's (principalmente estas) corria sempre o risco de danificá-las com os desmontas. Actualmente tenho aquele que para mim é o melhor conjunto que são essas fitas com o liquido da Joe's. Nas SLR tenho o liquido também da Joe's.

Agora há pneus que eu não arriscava. Conheço por exemplo Michelin, que saiem à mão... Pode ser um excelente pneu, mas para mim, montá-lo como UST seria um risco.

Já agora, no anterior post, tinha mencionado os Specialized The Captain, mas estive a pensar e acho que afinal são a versão 2bliss (sem ter a certeza). A Cesar o que é de Cesar

Abraço
 
#15
Pequena rectificação (desculpa Patu !!!). O Patu Mor é PAULO Rodrigues e não Pedro ! LOL ! Já o chamo de Patu há tanto tempo que fiz confusão !! :)

Abraços,
Navid "Fura-KungFu"
 
#16
Boas pessoal da pedaladas…

Tópico muito interessante, pelo menos já me tirou algumas dúvidas e como adquiri uma bike recentemente (Stumpjumper HT Comp), gostaria de fazer algumas “experiências”. Na verdade, em termos práticos e técnicos, quais as vantagens ou desvantagens que possamos ter com um sitema de tubelesse??
Existe aqui alguns factores que não percebo, tais como:
O aro tem que ser sempre convertido para tubeless, para se poder utilizar este sistema…certo?? Mas os pneus, não tem que ser obrigatoriamente tubeless? Ou esta opção de pneus normais (em Kevlar) tem a ver com preços??

NOTA: o meu sistema actual é pneu com câmara (com liquido), notei que fica mais pesado o rolar da bike. Os aros que vieram na bike já dão para converter para tubeless, será que vale a pena??

Cmpts,

Caçador
 
#17
Existem aros já preparados para Tubeless e outros que podem ser convertidos. Os pneus Tubeless tem por regra a parede lateral mais espessa do que um pneu convencional, mas existe quem goste de utilizar pneus normais mais leves utilizando kits de conversão (normalmente a base de latex que no fundo serve como cola e tapa também a porosidade lateral dum pneu comum) como se fossem pneus Tubeless. O debate que leu refere-se no fundo a opiniões divergentes em relação a segurança ou não de se utilizar um pneu comum mais leve como se fosse um pneu tubeless :)

Abraço,
Navid "Fura-KungFu"
 
#18
Opiniões divergentes no ponto relativo a que tipo de pneus deveremos usar (se tubeless ou se normais de kevlar). Mas ambos concordamos que o sistema tubeless é melhor que o uso de camaras. Por isso, penso que vale a pena a conversão. Depois tens que ser tu a definir que tipo de pneu utilizar. Se pretenderes arriscar, usas os pneus de kevlar (mais leves, mais baratos, menor inércia). Se não quiseres aplicas os pneus UST (mais protecção). Seja como for, não vou dar a minha opinião, até porque já foi dada mais atrás e por uma questão da cordialidade que o Navid merece. Mas a conversão em si, vale a pena, sem duvida e acho que estamos todos de acordo.
 
#19
Boas!

Uma questão, em uso frequente de pneu não UST com roda UST, como é consigo saber que está na altura de adicionar mais líquido selante? Basta abanar as rodas e se ouvir o líquido a "chocalhar" tudo bem, caso contrário terei de esvaziar a roda, limpar pneu e roda, e montar tudo de novo, ou basta sacar a válvula e adicionar o líquido com um seringa?
Obrigado,

Rui
 
#20
Pois, isso depende....

Por exemplo, com o liquido NoTubes, praticamente não se ouve no interior do pneu, mas ele está lá (a troco disso, já abri um pneu excusadamente....), mas o da Joe's, consegue-se ouvir melhor (para um mesmo volume).

Uma coisa que se pode fazer, é furar propositadamente o pneu para nos apercebermos da rapidez de vedação e ver se essa é relativa a um volume correcto e também para nos apercebermos se está ou não seco.... É um bocado extremo, mas até dá para mostrar à malta como aquilo funciona e tal... lol.

Depois, se chegarmos à conclusão que é necessário repor liquido.... bem, a solução mais fácil é adicionar liquido com uma seringa pela válvula (sem o core), ou tirar o pneu apenas num ponto para verter liquido lá para dentro.

Seja como for, dessa forma, nunca conseguimos perceber bem (ou melhor, ganhar experiência suficiente) para sabermos das nossas necessidades de manutenção do sistema. Se por outro lado retirarmos o pneu, sabemos como aquele tempo em que o liquido passou dentro do pneu afectou as suas propriedades. Aproveita-se isso, dá-se uma lavadela para retirar o maior (ou não...) e está a andar.

O problema de retirar muitas vezes o pneu, é que corremos riscos de cada vez que se faz, afectarmos a intergidade das fitas. Por isso, comprei o kit da DT Swiss, cujas fitas acentam apenas na base do aro, facilitando bastante a operação (as outras ficam com as fitas coladas ao pneu e é uma cegada para as tirar e os desmontas ferem as fitas.....). MAs com algum cuidado, tudo se faz.