Passeio BTT Livramento - 03 Abril 2016

#1
Chegado ao Livramento, localidade que infelizmente apenas costumo visitar de passagem, não foi difícil de encontrar o secretariado, mesma na avenida principal, com bandeirolas e musica e um carro da GNR.

Em virtude de haver algumas "desinformação" relativamente á hora de partida que nuns sítios estava anunciada como 8.30h e em outros como 9.00h, cheguei relativamente cedo e já havia algum pessoal para cima e para baixo.
As inscrições também não foram muitas, tempo de chuva, vários eventos no mesmo dia e sendo o mês a Maratona de Alte, o pessoal acaba por optar. Mas de qualquer das formas estava composto...

No secretariado, estavam várias pessoas a atender, simpáticas e que me prestaram logo informações: onde posso abastecer de água antes de partir, banhos, almoço...

Lá me equipei e preparei a bike, ainda bebi um café para aquecer, aqueci as pernas e lá me fui chegando para a linha de partida. Estava á espera de ouvir os habituais avisos iniciais.. "estas são as fitas, temos uma tabuletas que dizem "BTT", demos n abastecimentos ao KM x e y...", mas nada... toca a pedalar e boa volta... OK!

Inicio a percorrer a artéria principal da localidade e logo entrámos nos trilhos, tinha chovido nos dias anteriores e ainda nessa manhã e os trilhos estavam como se podia esperar, empapados, pesados, mas ia-se rolando...

Foi logo nos primeiros KM que comecei a notar que as marcações estavam péssimas, não se via fitas em lado nenhum, notava-se o pessoal meio atarantado, mas lá fui seguindo os outros...
Ao KM 6, aquela que foi de longe a pior parte do percurso... uma vinha, junto a uma ribeira que era um verdadeira lamaçal... pé no chão era sinonimo de lama até ao tornozelo, apesar de me ter conseguido manter em cima da bicicleta a maior parte do tempo (sabe Deus como...) mesmo o final e antes de uma subida em que era lama e mais lama lá tive que desmontar... POF!! pé enterrado na lama, cheguei a pensar que o sapato ia lá ficar... toca a subir á pata, lama... lama...lama...

Pergunto: seria mesmo imperativo passar por ali? Não seria de equacionar uma alternativa dado que o terreno estava COMPLETAMENTE impraticável?? A partir dali as bicicletas começaram a acusar problema, mudanças que não entram, corrente a roçar e completamente seca... enfim, só para estragar material...

Continuando, passado aquele bocado os terrenos voltaram ao normal, mas as marcações pareciam cada vez piores, lá por volta do KM 15 lá apareceu o primeiro abastecimento... tinha tudo o normal, água, sumo, fruta, bolachas, pena que não tinha óleo... Direcção dada pelo Sr. do abastecimento e lá seguimos pelo caminho indicado... marcações zero!!! Chego a uma bifurcação e marcações nada.... "Mas então??", para um lado não via nada... para o outro, rastos de rodas... "É por aqui!"...

Toca a subir e ás tantas lá vejo uma fita vermelha e branca, enterrada no meio das silvas... "OK, estou no caminho..." chegado ao topo da subida... havia 3 caminhos e fitas nada.... "Só posso estar enganado... Ahhh espera, rastos para cima..."
E toca a subir, fui subindo até que apanhei um casal e perguntei se tinham passados bicicletas: "Aqui, não... mas vimos uns carros parados na berma lá mais em baixo..."
OK, confirma-se, estou enganado... (que surpresa...) lá me indicou o caminho e segui...

Finalmente encontro um dos carros da organização e vejo a cara de surpresa do rapaz ao ver-me chegar daquele lado... pergunto de já passou ali muito pessoal a resposta: "Passaram aqui 4 ou 5..."
Como como é isso possível se eu tinha mais de 25 pessoas na minha frente... sigo... a partir daquele ponto as marcações por acaso melhoram bastante. Vou passando por vários postos da organização e o meu animo vai voltando... ao KM 30 novo abastecimento e pergunto quantas pessoas passaram por ali, a mesma resposta, "4 ou 5...", nova pergunta "Quantos KM faltam?" e ai a minha surpresa "Não sei..."
O pior foi que obtive a mesma resposta e todos os postos da organização, ninguém sabia quantos KM faltavam e ao certo qual era o caminho... ridículo!!!

Ao sair de um trilho, encontro uma moto 4 que me dá algumas indicações e que me faz a primeira sugestão de "apanhar a carrinha", estranhei a oferta, recusei amavelmente e arranco, sendo que a mota arranca logo depois de mim... vou subindo e chego a um cruzamento onde estão algumas pessoas da organização com as quais já me tinha cruzado anteriormente... incluindo o Sr. do 2º abastecimento...

Ai percebo que a insistência em seguir na carrinha devia-se a apesar de ser a 5ª pessoa a terminar os 40KM, era o ultimo porque todos tinham desistido e a eventual pressa em despachar a coisa fez com que a insistência em eu seguir na carrinha, sem outro motivo senão ser o ultimo (não tinha qualquer problema físico ou mecânica e era relativamente cedo), fizesse azedar um pouco a troca de palavras.

E lá segui o meu caminho, francamente só queria ir direito á estrada nacional e voltar para o Livramento, mas pelos meus meios. A verdade é que mesmo que quisesse fazer o percurso não podia, porque depois do campo de Paint Ball as marcações pura e simplesmente desapareceram...
Chegado á estrada nacional, lá aponto a roda da frente para o Livramento e siga a fazer alcatrão...

Chego ao livramento com 36Km e 3h40m de andamento no GPS, encontro uma cara conhecida que tinha encontrado no 1º abastecimento que me pergunta se fiz os 40Km, indicando-me que quase toda a gente desistiu no 1º abastecimento...


Encontro alguns elementos da organização que me indicam onde era a lavagem das bicicletas e os banhos (havia água bem quente, felizmente!!!).
Não almocei lá mas cheirava bem... este pessoal claramente tem mais jeito para fazer churrascadas do que passeios de BTT!

Em suma, percurso que devia ter sido alterado em algumas partes, péssimas marcações, staff desinformado e com pressa de ir para casa. Safou-se ter acabado sem quedas e sem ter partido material, nem sei como dado o estado do terreno...

Para o ano não conto marcar presença!

 
Last edited: