Opinião sobre bicicleta BTT

#1
Quando adolescente, nos anos 90, pratiquei BTT (cross country). Tive uma bicicleta com quadro em aço cromo-molibdénio de tamanho adequado, com mudanças de torcer no punho grip shift, que considerei bastante e cómoda mesmo em condições agrestes, uma Wheeler 2880. Em 2011 decidi voltar a pedalar, agora mais em prol da saúde, e para isso adquiri uma bicicleta nova, uma Scott Aspect 20. Acontece que, passado este tempo, nunca me adaptei à nova escolha e duvido que o problema seja só meu, do meu corpo - mais velho agora e pouco exercitado - ou também do material. O problema está na rigidez da bicicleta e dores em algumas articulações, em especial nos pulsos. O quadro, em alumínio, parece excessivamente rígido assim como o guiador, particularmente. Quanto ao guiador já experimentei mudar de ângulo em mais do que uma posição e nada feito, o incómodo nos pulsos continua sempre - a única situação e desporto em que me doem os pulsos. O quadro no geral também o acho rígido, como disse. A bicicleta está com muito pouco uso devido a estes constrangimentos: não sei se trocar de bicicleta ou pelo menos de guiador resolve o problema, pois, como disse, ela é rígida em geral. Será que uma nova bicicleta (sem ser alumínio provavelmente) proporcionará uma experiência diferente e melhor para pedalar...? Agradecia alguma dica sobre este assunto. Além disso, a Scott não tem grip shift e eu preferia voltar a esse sistema de mudanças. Adquiri o tamanho L, pois tenho 1,82cm de altura no entanto mesmo assim o quadro parece um pouco grande... Alguma sugestão em relação a tamanhos? No verão passado resolvi pedalar um pouco à beira-mar e nos dias subsequentes os travões da bicicleta começaram a fazer um barulho insuportável devido à oxidação marítima por serem de disco. Qual é a solução? Manutenção? Ou tem de se usar travões hidráulicos por exemplo?
Qualquer ajuda seria bem-vinda para dissipar estas dúvidas sobre BTTs.

Grato. M. P.
 
#2
Tantas questões... :) Não creio que devesses ter um guiador mais flexível, mas talvez uma suspensão/pneus mais flexíveis. Que pressão tens nos pneus? Estarão demasiado cheios? Tens a suspensão bem regulada? Punhos demasiado rígidos? (Talvez devesses optar por uns de espuma). Se achas que ficas muito esticado na bicicleta, podes comprar um avanço mais curto (eu tenho 182cm, e uso um L também). Também podes experimentar comprar um guiador que tenha mais ângulo, se for esse o problema. Se optares por comprar um bicicleta nova, as de roda 29 são mais confortáveis a passar por caminhos acidentados.
 

Joseelias

Well-Known Member
#3
Sem comparar a Wheeler com a Scott lado a lado, diria que as probabilidades de a Wheeler por ser uma bike de XC dos anos 90 ter uma geometria mais agressiva que a Scott são grandes. Assim, em principio a Scott até seria mais confortável logo à partida, até pela gama que não será de competição pura e assim coloca o guiador ligeiramente elevado. Embora o alumínio seja em principio menos confortável que o aço, as ligas usadas hoje em dia, bem como a geometria e forma dos quadros também os tornaram mais confortáveis e duradouros que antigamente. Hoje em dia, só vais encontrar bicicletas de alumínio ou carbono (muito mais caras). As de aço só encontras em marcas especializadas e de nicho, e são caras. As de titânio, pior ainda. Por isso está limitado ao alumínio se não quiseres gastar um bom dinheiro.

A menos que te tenhas mantido em boa forma diria que o factor idade tem o seu peso. E no que toca às bicicletas há sempre uma adaptação dolorosa durante um período, em especial na bunda e nas mãos/punhos. Mesmo que estejas em forma. E quanto menos novo,pior...

Em relação ao guiador não te limites a rodar um bocadinho para ajustar. Eu por exemplo, tenho um guiador elevado consideravelmente rodado para a frente. Simplesmente não me dou bem com o guiador com muita inclinação para trás. O tamanho do quadro parece-me bem. Para além disso:

- Tens também a hipótese de comprar uns punhos ergonómicos. Aconselho uns que tenham aperto com parafuso para se manterem no sitio. Na Decathlon tinham uns baratos.
- Se tens espaçadores acima do avanço coloca-os por baixo para elevar o guiador
- A afinação da suspensão também é importante e podes mantê-la mais macia para absorver melhor as vibrações. Tem atenção à manutenção para a manter sensível.
- Mexe no selim deslocando-o para a frente e encurtar a distância ao guiador, se sentes que a bicicleta é comprida. Podes ganhar +-1,5cm se tiveres o selim todo puxado para trás. Se não for suficiente, podes comprar um espigão de selim sem recuo e ai encurtas +-2.5cm, ou um avanço mais curto. Ou as duas opções. Só chegando o selim para a frente e um espigão sem recuo podes encurtar +-4cm. Com um avanço mais curto até consegues ficar com uma bicicleta de criança. :D
- Os GripShift praticamente desapareceram. A marca chama-se agora Sram e nem sei se ainda fabricam modelos compatíveis com Shimano.
- Em relação aos travões compra spry de limpeza para travões num supermercado na secção de carro e motas ou numa loja para produtos automóvel. Tira os calços e limpa-os com o spray para retirar gorduras deixando secar bem. Depois de secos podes passar com uma lixa fina para tirar o vidrado. Limpa os discos com o mesmo spray e nunca toques nem com as mãos. Monta os calços nos sítios onde estavam antes. O hidráulicos sofrem dos mesmos problemas. As primeiras chuvas podem causar isso por causa dos óleos nas estradas. Se os discos estiverem mesmo oxidados é outra conversa.
 
Last edited:
#4
Viva romaosl e Joseelias.
A bicicleta Scott Aspect 20 teve uma revisão há pouco tempo, parece que está tudo em boas condições e calibrado/ajustado. Os pneus são uns Schwalbe Black Jack que estão a uma pressão média para esse tipo de pneus - não sei exatamente numericamente falando. A suspensão dianteira está regulada também, está com um amortecimento intermédio/macio.

Joseelias a Wheeler 2880 tinha um factor positivo para cross country, o quadro tinha um sloop bastante acentuado. Vou experimentar novos ajustes na bicicleta e as vossas dicas. Em termos de avanço e de espigão/selim parece que está tudo mais ou menos, se calhar a bicicleta parece-me maior um pouco por ser um modelo um pouco menos manobrável, por ter menos sloop/inclinação no quadro, talvez.

Muito obrigado pelas respostas, vou ver se consigo manter-me com esta bicicleta, se possível.
 

Joseelias

Well-Known Member
#5
As bicicletas dos anos 90, muito em especial as de XC tinham ângulos de direcção na casa dos 72º e guiadores na casa dos 56cm, e a distância entre eixos era mais curta que hoje daí os avanços longos (+-12 a 14cm) para que o ciclista não ficasse encolhido. Isso significava que eram extremamente ágeis e nervosas.

Hoje em dia a geometria das bicicletas é totalmente diferente para serem melhores em alta velocidade, já que as melhores suspensões, travões e materiais passaram a permiti-las. Os ângulos de direcção têm no máximo 69º, e mesmo usando avanços de 7 ou 8cm a direcção é lenta porque os guiadores começam nos 68 ou 70cm e até mais e a distância entre eixos é maior. Tudo isto torna as bicicletas mais lentas e estáveis. Aliás, a geometria de XC de hoje é provavelmente mais "slack"/relaxada que as de DH dos anos 90!

A tua bike sendo de 2011 pode estar a meio caminho, mas será sem dúvida muito mais lenta de reacções que a Wheeler. Já por volta de 2000/2001 as bicicletas começaram a sofrer muitas destas mudanças.