" O treino em Bicicleta de estrada, para quem faz BTT revela amadorismo"

#1
Boas Pessoal do Pedal:

Não sei se já compraram ou leram a revista Onbike deste mês onde ,esse senhor do treino de atletas de Btt, Tiago Aragão escreve na continuação de um artigo que iniciou no nº anterior sob o treino de atletas - Diz que o treino em estrada de um atleta de btt revela amadorismo, e justifica essa opnião dizendo que desde a geometria dos quadros à desmultiplicação das velocidades passando pelo ambiente onde esse treino acontece tudo é muito diferente.

Não posso deixar de concordar com ele nestes aspectos, mas tenho quase a certeza que a maioria de nós faz mais treinos em estrada que em Btt, ou não?

Alguém me sabe dizer como fazem os atletas de maior nomeada pelo nosso país? Onde passam mais tempo, na terra ou na estrada?

Cumprimentos
 
#2
Boas..

N sou entendido na materia, mas segundo sei... mts dos Prós fazem estrada como complemento e corrida tambem.....o treino de estrada ajuda a melhorar a performance no BTT.....

Abraços
 
#3
Na minha sincera opinião, não faço ideia ao que o Tiago Aragão se estava a referir de btt. Se for atleta de XC, obvio que tera de treinar mais com bike de btt porque são coisas um pouco distintas, agora penso que essa frase seja um exagero, mesmo um atleta de XC faz um grande parte do treino em bike de estrada, até porque alguns devem mesmo ser em bike de estrada.
Tirando o XC, bem maratonas e outras provas menos técnicas a estrada é muito forte, há provas que são autênticas estradas de terra...

Na minha opinião de entusiasta do btt sem ser atleta federado, encontro na estrada uma forma de crescer mais no btt, especialmente quando tenho oportunidade de andar com pessoas mais fortes do que eu para mim é dos melhores treinos que se podem fazer, noto uma grande evolução e educação psicológica de aguentar rodas mais fortes, obvio que a técnica ou já se tem ou não é ali que se vai ganhar.

A dupla de amarante diz que faz estrada para treinar porque a nivel técnico já têm a máquina afinada, só recordam de vez em quando.
 
#4
Penso da mesma forma do NunoCoutinho.
Acabei de adquirir uma bike de estrada á poucos dias, com a intensão de melhorar no BTT, ganhar endurance principal objectivo entre outros...

Na estrada consegue-se fazer mais kms em menos tempo, o tempo é factor relevante nas nossas vidas...ao fds um treino de btt, durante a semana umas voltas na de estrada á noite....

Abraços
 
#5
Possivelmente seria melhor montar um quadro de btt mais fraquinho para treinar na estrada com uns pneus para esse efeito e teriamos quase a mesma geometria e demoltiplicação nas velocidades, não vos parece uma boa escolha?
 
#6
Garanto que depressa muda de ideias. Nem sequer percebo a logica da desmultiplicação das velocidades, eu faço cadência alta em estrada e btt as mudanças são automáticas já nem sequer penso.

Um bike de btt convertida para estrada nem é peixe nem é carne. Depois vão dar uma volta com um grupo de estrada e vão ver o porque, além que a transmissão é muito curta para estrada, a posição gasta muitos watts para a estradista.

Eu pelo menos não me faz diferença nenhuma andar em uma ou outra. De qualquer maneira não é por irmos de btt na estrada que vamos manter mais a técnica.

Bem andando numa estradista com boa companhia, não querem outra coisa.
 
#8
Por acaso li uma entrevista há uns tempos valentes numa revista estrangeira (já não me lembro qual mas acho que era a Solobicci) em que um ex campeão do mundo de XC dizia que na bicicleta, fora do aconchego das quatro paredes, só fazia btt. Em casa e com a mesma bicicleta fazia rolos.

Depois referia a corrida, natação e ginásio como treino complementar principal.

Referia duas coisas para optar por isso... Geometrias diferentes e gosto pessoal!

Acredito que seja boa técnica, afinal se o homem já foi campeão deve perceber alguma coisinha!
 
#9
eu não entendo muito! disto mesmo! mas treino na minha bike de ciclismo porque sai mais barato
se eu treinar todos os dias btt! alem de ficar com o corpo todo dolorido vai arrebentar com minha bike
e como eu so tenho uma de btt :lol:
e melhor mesmo treinar + em estrada :mrgreen:
 
#10
Olá a todos!!!!Eu tenho alguma coisa a dizer neste topico que se baseia no seguinte :Há uns tempos só treinava na de btt o tempo que treinava é o que treino agora e uma coisa vos garanto(falo por mim) a cerca de 6 meses comprei a asfaltica e ganhei mais endurance e tambem melhorei em muito a cadencia.Pelo que tenho me apercebido os grandes mestres de btt (na sua maioria) todos fazem estrada........................melhor do que eu para explicar isso seria mesmo alguem que estive-se com estas lições bem estudadas e aguardar-mos o desenvolvimentos do topico.
 
#11
No caso de um atleta de XC, acho que pod€ndo, já que é preciso fundos ou apoios para isso, faz a grande parte do treino na bike de xc ou numa irmã gémea, até porque o xc é muito diferente de estrada, e não é só a nivel técnico.

Quanto á geometria da bike acho mais pessoal uma vez que alguns atletas optam por HT ou FS conforme a pista, os que têm essa possibilidade.

Também já vi equipas de topo como a Swisspower Team a fazerem estrada todos juntos, por isso não façam de um caso geral uma regra.

Agora para o utilizador geral como é o meu caso, poupo imenso em material e desgaste da bike de btt.
 
#12
Eu pessoalmente acho que o treino de estrada traz grandes vantagens ao btt, além de aumentar a resistência dá para treinar a cadência. Comigo o ano passado fazia dois treinos de estrada por semana e isso notava-se ao fds quando ia para o btt, na altura tinha mais resistência, este ano praticamente só fiz btt e posso vos dizer que á pouco tempo fui para a estrada e a malta que o ano passado andava na minha roda deu-me um empeno com algum jeito.
Mais ainda eu conheço alguns atletas que fazem btt de competição e posso arriscar a dizer que 75 % do treino é feito no alcatrão.
Mas gostos são gostos e quando o tempo não abunda prefiro ir fazer btt, dá me mais prazer.
 
#13
Eu nestas coisas prefiro pensar que cada caso é um caso.... Por outro lado, também convém saber o contexto dessa entrevista.

Seja como for, acho que a estrada traz beneficios vários, seja ao profissional que precisa de ganhar endurance (e até intensidade de treino e alguma técnica de pedalada), ao amador que pouco tempo tem para treinar e precisa de uma forma de maximizar os seus treinos curtos, pois a estrada permite fazer um treino mais intenso em menos tempo (e claro, se quiserem, por aí poderemos dizer que é amadorismo...) assim como se faz em rolo.

Mas também há a outra parte. Eu por exemplo, prefiro muito mais o btt a estrada, mas há dias em que me apetece fazer estrada e ponto final.
Acho que as coisas devem ser feitas também por prazer.

De qualquer forma não acredito que muitas equipas Francesas de estrada quisessem o Absalon, se ele apenas fizesse BTT, porque procuram um ciclista de topo Frances capaz de ganhar um Tour... Digo eu. Claro que são mundos muito diferentes, mas acho que se poderão complementar, dependendo de cada um, da fase da época em que são feitos (para os prós), e da condição fisica e técnica que cada um possui.
 
#14
Há exemplos de ex. e actuais campeões do mundo de XCM, que fazem ou fizeram cerca de 90% dos seus treinos em bike de estrada.
A comprová-lo está o facto de alguns ciclistas que apenas se dedicavam ao BTT terem optado por carreiras no ciclismo de estrada.
Cito a titulo de exemplo o ciclista italiano Salvatore Comesso, que inclusive ganhou etapas no Giro de Itália e no Tour.
No entanto, o exemplo mais flagrante foi o do Rasmunssen, que liderou o Tour de França mas foi desqualificado pelo facto de ter recorrido a substancias dopantes, e iniciou a sua carreira no BTT, dedicando-se única e exclusivamente a essa vertente.
Pessoalmente, conheço alguns ciclistas federados, que têm obtido excelentes resultados na Taça de Portugal de XCM e no respectivo campeonato nacional, e apenas efectuam um treino semanal na bike de BTT.

Boas pedaladas.
 
#15
Concordo com todas as opinões deste topico....a estrada é um complemento ao btt. Quem quizer bons resultados
no btt tem que fazer estrada e de forma séria (treino intenso).

Abraços e bons treinos na estrada
 
#16
Boas,

Lendo este tópico facilmente se chega á conclusão de que todos nós, ou a sua esmagadora maioria, fazemos estrada!
Porquê?
Fácil! O treino em estrada possibilita-nos manter ritmos homogeneos por muito mais tempo, beneficiando a resistência, mas também a potência quando fazemos series.
A cadência é outra das grandes vantagens, adquire-se e transporta-se para a montanha onde desenvolvemos mais potencia por via dela.
Depois, e é essa a minha experiência pessoal, eu que renegava a hipotese de alguma vez entrar para o clube da "roda fina", aprende-se a gostar, a fazer grandes distancias, a conversar por essas estradas, porque é essencial o grupo, até por uma questão de segurança, afinal o calcanhar de aquiles da estrada...
Comprei a minha asfaltica em março deste ano depois de me subtrairem a proflex com roda fina que travestira para o treino e, devo dizer que, já fiz mais de 4000km... e a forma subiu consistentemente.

Resta a tirada final, tantas vezes repetida neste forum, mas que assenta aqui que nem uma luva, sem dedos, estrada ou serra, o importante é o prazer que retirarem da volta!

Boas voltas,

Miguel
 
#17
Olá amigos,

Peço desculpa por não ter “aparecido” mais cedo para esclarecer um pouco neste tópico, mas tal ainda não se tinha proporcionado.

Queria então deixar o meu ponto de vista e elucidação acerca do artigo que escrevi e que suscitou esta discussão saudável, que em todos os sentidos, só pode contribuir para que todos possamos evoluir na modalidade, como atletas ou como treinadores.

Na minha opinião, e segundo os estudos que faço constantemente sobre o treino e controlo do treino, que são as áreas que ligam a esta modalidade, confirmo que quanto mais treino fizermos na bicicleta de competição, melhor proveito poderemos tirar da mesma, e do conjunto Ciclista-bicicleta. Isso mesmo foi referido por mim, no mesmo artigo e no parágrafo seguinte.

É claro que todo o treino que possamos realizar na bicicleta de estrada acarretará menor desgaste do material da bike de BTT (factor económico), aumentando o tempo de treino em estrada (que é menos especifico, mas de maior facilidade e conforto) que é o que normalmente nos convém durante a semana. Mas isto é a nossa visão que somos amadores na modalidade XCO/XCM. Pois não temos atletas profissionais que se dediquem a 100% à modalidade, de forma a poderem representar o país ainda a maior nível nas competições nacionais e internacionais.

Contudo, é claro que eu aconselho os meus melhores atletas a realizarem treino na estrada. O que acontece nos treinos específicos de trabalho fisiológico de potenciação do limiar anaeróbio e consequente incremento de débito de potência. Isto porque neste tipo de treino, necessitamos de poder controlar todos os factores externos que possam influenciar nos dados que estamos a solicitar para esse mesmo treino: Frequência Cardíaca, Potência, Velocidade. Estes factores, quando treinados fora da estrada, oscilam facilmente e dificultam o treino fisiológico que tem que ser realizados segundo intervalos de potência ou de Frequência cardíaca muito limitados.

Mesmo assim, o treino que prescrevo para ser realizado em estrada, pode ser realizado na bike de btt. Estes treinos específicos, como devem imaginar, não acontecem todos os dias, sendo normalmente 1 a 2 treinos no ciclo semanal, e em alguns atletas de topo poderá chegar a 3 treinos de limiar numa semana em períodos de preparação específica da época. O que dá uma média de 1 a 2 treinos para 7 treinos semanais! Isto se só contemplarmos os dias de treino, pois por vezes temos treinos bi-diários, e passarei a ter prescrito 1 a 2 treinos na estrada entre 9 a 10 treinos numa semana. Tudo isto dá, segundo a minha metodologia e opinião sobre o treino de XCO/XCM uma percentagem reduzida, comparativamente ao treino que na minha opinião devem fazer na bike de competição.

No que respeita a olhar para um nível ligeiramente mais profissional, vou dar o exemplo de um atleta que actualmente treino e que este ano vai competir em Itália numa equipa UCI. Ele, como imaginam, não é profissional, apesar de ter contrato assinado e registado na UCI, pois estuda na Faculdade, onde tem tido bastante sucesso. E para ter sucesso… fica apenas com o final do dia para treinar, e facilmente a bike de estrada é a companheira mais apetecível, mas mesmo assim, a indicação e prescrição é treino específico com a bicicleta de competição. A equipa onde vai correr enviou duas bicicletas para Portugal para Treinar: 1 de Estrada e de 1 XCO. Esta de XCO é réplica fiel da 3ª bicicleta dele, que estará em Itália para competir. Segundo todo o contacto que tenho com os responsáveis da equipa, a visão deles é exactamente igual à que defendo, situação pela qual me encontro já à algum tempo a colaborar directamente com a referida equipa.

Em relação aos benefícios directos do treino na bike de estrada para o XCO/XCM, apenas acredito no que refiro atrás. Todo o restante treino de resistência, endurance, potência máxima, técnica, etc… pode e deve ser realizado na bike de XCO, sem prejuízo algum por não se utilizar nos mesmos a bicicleta de estrada.

Alguns resultados falam por si: à umas época atrás, um atleta meu com visíveis dificuldades técnicas, realizou quase 100% das épocas a treinar na bicicleta de BTT, treinos de séries de limiar incluídos. Numa época sagrou-se campeão Nacional de XCM, na seguinte campeão Nacional de XCO, sempre com uma enorme vantagem para o vice-campeão nacional. Do que se pode concluir, que se este atleta tirou vantagens do treino, foi de realizar grande parte do treino na bike de competição.

Espero ter ajudado.

Bom Ano 2010!

TA
 
#18

O sorriso deste profissional diz tudo sobre este debate.


O video da preparação dos jogos olimpicos de 2004 ROAD TO ATHENS mostra este atleta a fazer a grande maioria do seu treino na bicicleta de estrada.

Resultados sérios em termos internacionais e que efectivamente falam por sí (além do sr da foto acima que é bi-campeão olímpico) foram os do português vice-campeão do mundo junior e agora profissional, e eu sei e ví-o a fazer a preparação para o campeonato do mundo em corridas de estrada todos os fins de semana de agosto em alto nível nas provas onde estive também, e sei também que ele treina 80% ou mais na estrada e isso não foi impedimento para ter sido o português que mais brilhou nas zonas técnicas do muito técnico circuíto da Austrália e mesmo e talvez o junior e quiçá de todas as categorias um dos que melhor e mais fácilmente ultrapassou as duras dificuldades técnicas de uma pista que atirou outro português para o hospital e um outro violentamente ao chão de boca como foi noticiado.

Reparei também que desde que os dois jovens do btt que tiveram sucesso tiveram em comum o facto de virem para a estrada para equipas de formação correndo e treinando para a dureza de um forte pelotão, e os resultados internacionais de Portugal passaram de esquecidos na 5ª folha da classificação, para medalhas e vitórias em taças do mundo.

Todos, mas todos os atletas do mundo do xc fazem maioritáriamente a sua preparação fisica na estrada essencialmente pelo seguinte e que todos nós poderemos fácilmente entender colocando-nos na situação; 3 horas de treino em intensidades médias feitas na estrada permitem a rápida recuperação e treino logo no dia a seguir, e todos sabemos que 3 horas no mato nos mesmos regimes deixam o corpo todo partido pedindo mais dias de recuperação para o mesmo trabalho metabólico efectuado, logo o treino de mato nunca permite cargas semanais ou mensais tão altas como o treino feito na bicicleta de estrada sob pena de sobrecarregar o atleta. Fora disto há situações e vantagens que só a bicicleta de estrada com os seus 53 dentes pode dar que são as vantagens de puxar contra a o vento em cadencias médias de potencia pura que a bicicleta de btt nunca deixará fazer pelas limitações impostas pelo 44 ou 46 se se quiser.

Isto não é a minha opinião, é a opinião do mundo do btt, de todos os atletas dos quais já terei lido entrevistas e foram muitos e bons. Portugal para evoluir nesta modalidade precisa de deixar de inventar, pelo menos no inicio deveria copiar os modelos de sucesso.