Mudo a cassete ao fim de 2000 km?

100do

New Member
#1
Gostava de receber alguns conselhos:

A minha Trek tem cerca de 2000 km. Aos 700 mudei a 1ª corrente (XT) e aos 1500 tentei mudar a 2ª (Deore). No entanto, com 1500 km a cassete já apresentava um grande desgaste e a corrente nova saltava.

Costumo lubrificar a corrente em todas as voltas. Talvez tenha faltado alguma limpeza por vezes mas o certo é que a corrente Deore está com muita folga. Noto porque ela dá para torcer lateralmente e uma corrente nova não para fazer isso.

Parece-me que os pratos da pedaleira ainda estão em bom estado.

As alternativas que tenho agora:

- Compro uma cassete nova e meto cassete + corrente;
- Deixo andar até partir os dentes à cassete :D.

O que acham? Se mudar agora só preciso de gastar 30 ou 40€. Se depois tiver que mudar cassete+corrente+pratos+roletes do desviador vai ficar caro, mas sei que o ideal é mudar tudo ao mesmo tempo.
 

ig9981

New Member
#2
Na minha opinião, o melhor é andar até o material começar a acusar o desgaste, ou seja, quando começar a saltar a corrente na k7, ou quando a corrente já demonstrar sinais de estar quaaaaase a partir (tipo não dobrar em um ou dois elos), e então muda-se tudo.
K7 e corrente novas e os pratos da pedaleira que forem necessários, geralmente é a avó (aquela que todos dizem que é raro utilizar :rotfl:) e o prato do meio.

Com a transmissão da minha fiz cerca de 3300km e agora que mudei tudo não tenho problemas de andar com corrente nova e k7 velha, etc... e sei que para mais uns 3000/4000km só tenho é que pedalar sem me preocupar!!

Em termos monetários e mesmo em termos de funcionalidade acho que é a melhor solução!

Abraços.
 

100do

New Member
#3
Pois, compreendo.
Esqueci-me de dizer que, apesar de (aparentemente) os pratos não terem grande desgaste, no caso de meter agora a cassete, corro o risco de ter problemas com os pratos.
 

ig9981

New Member
#4
Exactamente...

Se metes k7 e não metes corrente, salta...

Se metes corrente e não metes k7, salta...

Se metes k7 e corrente e não metes pratos da pedaleira, salta...

Ou seja, um gajo gasta dinheiro e continua com problemas irritantes e que por vezes nos tiram um pouco do sério, pois é chato meter k7 e corrente e chegar a uma subida mais dura e aquela treta começar a saltar...

Logo, na minha opinião, usa-se tudo até desgastar, e depois mete-se tudo novo!

Assim não há problemas nem temos que andar a fazer rodagens nem nada disso, é pedalar com força!!! :wink:

Abraço
 

100do

New Member
#5
O ideal teria sido ter mudado a corrente mais cedo. Tentei com 1500 km e não deu...

Agora acho que vou seguir o teu conselho. Deixo andar e até pode ser que vá comprando algum material. Vou precisar de comprar:
1 cassete
2 pratos (acho que o grande vai aguentar)
2 roletes do desviador

Obrigado pelo conselho
 
#6
mudas a corrente +/- de 700 em 700??? não é pouco?
eu assim tava fodido
costumo fazer mais ao menos como o AOliveira, quando o material costuma dar de si troco, se possivél e que o justifique para melhor.
já agora porque é que vieste de uma corrente xt para deore, não estavas satisfeito com a xt ou foi por outro motivo?
 
#7
A minha Trek conta com perto de 2000 km's e mantenho tudo de origem da gama shimano deore. Só agora é que a corrente esta a pedir a reforma...
Mas vou tentar esticar tudo até ao limite e assim aproveito para fazer um upgrade geral :wink:

Penso que se poderes o melhor é trocares tudo... deste modo o desgaste de alguns componentes não esforçam os outros.. penso eu de que.... :roll:
 

100do

New Member
#9
A corrente não era bem Xt... Agora não me recordo da referência. Era a que vinha com a bike e só a mudei porque quanto parte 1 vez, achamos que foi azar, quando parte 2, achamos que foi nabice, quando parte 3, ficamos f.... :mrsock:

Foi por isso que aos 700 meti outra. Partiu à entrada da rotunda ao pé de casa, e ainda tive que levar com o riso do artista que conduzia o jipe que quase me pisou... :evil:
Como ainda era cedo e dava para ir dar a minha voilta, e como sou maluco, peguei na bike da maria, fui à loja e comprei a melhor corrente que lá tinham, uma Deore :twisted:

Desde aí só voltei a pensar mudar a corrente aos 1500.

Já ouvi várias opiniões que dizem que a corrente se deve mudar com alguma frequência e aquela que achei mais lógica é:

- Mudar aos 700 e guardar a corrente;
- Mudar aos 1400 e tentar meter uma nova; se não der, voltar a meter a que andou ate aos 700;
- Se aos 1400 aguentar uma nova, entao daí a outros 700, voltar a mudar.

Mais ou menos isto. É claro que não tem que ser aos 700, mas no meu entender esta metodologia faz muito sentido. O que causa o desgaste da transmissão é a folga da corrente. Então, enquanto temos a transmissão boa, andamos com correntes novas. Quando ela começa a ter desgaste, usamos as correntes que já têm algum desgaste.

À partida isto funciona, e é o que vou tentar fazer numa próxima oportunidade.
 

100do

New Member
#10
Já agora, mais umas notas:

A 1ª corrente, aos 700 km parecia até nem ter grande desgaste. Já a Deore, parece-me que ganhou folga muito rápido. E talvez até tenha tido mais cuidado com esta do que com a primeira.
Na garagem está uma Sram à espera de uma oportunidade para rodar :D
 
#11
100do said:
Já ouvi várias opiniões que dizem que a corrente se deve mudar com alguma frequência e aquela que achei mais lógica é:

- Mudar aos 700 e guardar a corrente;
- Mudar aos 1400 e tentar meter uma nova; se não der, voltar a meter a que andou ate aos 700;
- Se aos 1400 aguentar uma nova, entao daí a outros 700, voltar a mudar.
Se reparares, assim não tem muito sentido, pois a corrente que vais trocar quando a bike tiver 1400km tem exactamente os mesmos quilometros que tinha a que mudaste aos 700km, ou seja, não precisas de guardar a primeira corrente, e aos 1400km, como provavelmente se mudares só a corrente vais ter problemas de "saltos" na transmissão, e nem com uma rodagem de 80/90km de estrada não muito puxados vais conseguir que isso fique a 100% como se metesses tudo novo ou simplesmente deixasses andar até desgastar tudo, vais começar, provavelmente, a ter problemas ao mudar de velocidades e em algumas subidas duras, o que também dá cabo dos dentes da k7 e pedaleira... :wink:

Muito sinceramente acho que isso das trocas frequentes de corrente é um "mito" criado pelos vendedores, para terem mais volume de negócios! :mrgreen: :mrgreen:

E quem faz mato ou estrada com muita subida dura, ou seja, quem anda maioritariamente em esforço e sem ser a rolar, sabe bem que as k7 e pratos da pedaleira não duram muito mais que 3500km, quer mudem a corrente ou não... Logo, acho desnecessário andar a gastar dinheiro de 700 em 700km...

É o meu conselho amigo...

Abraço.
 
#12
Estranho.... A minha corrente é deore, a k7 é a equivalente à deore mas da Sram e ambas ainda têm muito que andar e têm 2 dois mil e tal km... Conheço pessoas cuja corrente e k7 durou pelo menos 5000km (partiu a corrente)...

Mudar de corrente aos 700 ou aos 1700 acho um desperdicio!

MAs os vendedores agradecem! :wink:

Estava bem f.... é que corrente e k7 é coisinha para chegar bem perto dos 85 ou 100 euros! Tirando os pratos que é mais 10 euros cada um pelo menos!
 
#13
AOliveira79 said:
E quem faz mato ou estrada com muita subida dura, ou seja, quem anda maioritariamente em esforço e sem ser a rolar, sabe bem que as k7 e pratos da pedaleira não duram muito mais que 3500km, quer mudem a corrente ou não... Logo, acho desnecessário andar a gastar dinheiro de 700 em 700km...

Já me esquecia...
A isto acrescente-se o facto de pedalar independentemente das condições metereológicas (pois isso de andar só quando está sol dá muita vida à transmissão) e como eu ando sempre, quer seja no pó ou na lama, com sol ou com chuva, não acho que consiga fazer muito mais que os cerca de 3500km.
 

100do

New Member
#14
AOliveira79 said:
100do said:
Já ouvi várias opiniões que dizem que a corrente se deve mudar com alguma frequência e aquela que achei mais lógica é:

- Mudar aos 700 e guardar a corrente;
- Mudar aos 1400 e tentar meter uma nova; se não der, voltar a meter a que andou ate aos 700;
- Se aos 1400 aguentar uma nova, entao daí a outros 700, voltar a mudar.
Se reparares, assim não tem muito sentido, pois a corrente que vais trocar quando a bike tiver 1400km tem exactamente os mesmos quilometros que tinha a que mudaste aos 700km, ou seja, não precisas de guardar a primeira corrente, e aos 1400km, como provavelmente se mudares só a corrente vais ter problemas de "saltos" na transmissão, e nem com uma rodagem de 80/90km de estrada não muito puxados vais conseguir que isso fique a 100% como se metesses tudo novo ou simplesmente deixasses andar até desgastar tudo, vais começar, provavelmente, a ter problemas ao mudar de velocidades e em algumas subidas duras, o que também dá cabo dos dentes da k7 e pedaleira... :wink:

Muito sinceramente acho que isso das trocas frequentes de corrente é um "mito" criado pelos vendedores, para terem mais volume de negócios! :mrgreen: :mrgreen:

E quem faz mato ou estrada com muita subida dura, ou seja, quem anda maioritariamente em esforço e sem ser a rolar, sabe bem que as k7 e pratos da pedaleira não duram muito mais que 3500km, quer mudem a corrente ou não... Logo, acho desnecessário andar a gastar dinheiro de 700 em 700km...

É o meu conselho amigo...

Abraço.
Mas isso é só se aos 1400 já não aceitar uma nova :roll: Se meteres uma nova aos 1400, e daí a mais 700 ou 1000 já não der para meter outra ja faz sentido meter a 1ª.
Era isso que eu queria dizer.



helio69 said:
Estranho.... A minha corrente é deore, a k7 é a equivalente à deore mas da Sram e ambas ainda têm muito que andar e têm 2 dois mil e tal km... Conheço pessoas cuja corrente e k7 durou pelo menos 5000km (partiu a corrente)...

Mudar de corrente aos 700 ou aos 1700 acho um desperdicio!

MAs os vendedores agradecem! :wink:

Estava bem f.... é que corrente e k7 é coisinha para chegar bem perto dos 85 ou 100 euros! Tirando os pratos que é mais 10 euros cada um pelo menos!
helio69, talvez a minha esteja gasta porque eu gosto de subir muito. Ando quase sempre na serra da gardunha, com muita subida, muita pedra, muitas subidas duras. Ainda ontem descubri que é possível subir a serra toda quase a direito :lol:
 
#15
Mas este pessoal não sabe que se a bicicleta tem travões também é para descer! :mrgreen:

Com o que eu disse não queria dizer que era um dado assegurado! O pessoal do ferro à partida gasta mais a transmissão e depois também vai do jeito... Mas aos 700 mudar uma corrente acho exagero! :wink:
 

100do

New Member
#16
helio69 said:
Mas este pessoal não sabe que se a bicicleta tem travões também é para descer! :mrgreen:

Com o que eu disse não queria dizer que era um dado assegurado! O pessoal do ferro à partida gasta mais a transmissão e depois também vai do jeito... Mas aos 700 mudar uma corrente acho exagero! :wink:
Um pouco mais acima está esplicado porque é que aos 700 mudei a corrente. Muitos teriam-na mudado logo aos 200 :roll:
 
#17
sou da opinião de que devo usar 2 ou 3 correntes com a mesma cassete.... Não fiz isso, e agora estou a ver-me na iminencia de ter de trocar tudo, popr causa da corrente estar lixada.... Se uma pessoa dividir o desgaste das correntes por 2 ou 3, penso que será o melhor. Quando mudar tudo, vou experimentar, e depois troco de cada vez que faço uma manutençãozinha. Deverei fazer com que as correntes mudem em cada 100km's ou assim. Isto depende de cada um, é verdade, mas confesso que me preocupo muito pouco com a saúde da corrente quando usa a bicla, daí eu ter esta opinião. Há malta que por vezes tem que trocar tudo apenas por causa da cassete. Isto quer dizer que a corrente aguenta mais do que a corrente em si. eu não sou assim, e gasto mais a corrente.... Vai de cada um, penso eu
 

100do

New Member
#18
fitty77 said:
sou da opinião de que devo usar 2 ou 3 correntes com a mesma cassete.... Não fiz isso, e agora estou a ver-me na iminencia de ter de trocar tudo, popr causa da corrente estar lixada.... Se uma pessoa dividir o desgaste das correntes por 2 ou 3, penso que será o melhor. Quando mudar tudo, vou experimentar, e depois troco de cada vez que faço uma manutençãozinha. Deverei fazer com que as correntes mudem em cada 100km's ou assim. Isto depende de cada um, é verdade, mas confesso que me preocupo muito pouco com a saúde da corrente quando usa a bicla, daí eu ter esta opinião. Há malta que por vezes tem que trocar tudo apenas por causa da cassete. Isto quer dizer que a corrente aguenta mais do que a corrente em si. eu não sou assim, e gasto mais a corrente.... Vai de cada um, penso eu
E já agora, quantos km tem a tua transmissão??

A mim também me parece que é assim, porque quem desgasta a transmissão é a corrente quando esta tem folga.

A minha primeira bike andou bastante. Não faço ideia de quantos km porque na altura nem sabia que existiam conta-km. Apostaria dizer entre 2 a 4 mil km. Eu era novo, leve, andava essencialmente em estrada e o esforço nunca foi muitom eu tinha pouca força nas pernas :lol: Mas o certo é que levou 2 cassetes (partiam, eram dos cavalos) mas nunca levou corrente nem pedaleira. Os pratos da pedaleira quase nem têm dentes.
Se fosse agora, tinha mudado a corrente quando mudei a cassete e é por isso que abri este tópico.
Se agora metesse uma cassete e uma corrente novas, provavelmente teria pratos para muito mais tempo.
 

pacoo

New Member
#19
boa tarde!

troquem de corrente quando esta acusar desgaste, qt a cassete nao precisam de mudar ao mesmo tempo que a corrente!
Lavem bem toda a bicicleta ao final de cada uso e desengordurem a corrente lubrificando logo de seguida, vao ver que tudo dura muito mais tempo.

P.S. As Cassetes Xt sao mt resistentes vale bem pagar mais uns trocos pela xt que optar por poupar uns trocos numa deore ou Lx e ter de mudar com mais frequencia.
 
#20
Ola!

Eu tinha esse problema da corrente, nunca sabia quando mudar, agora tenho um medidor de folgas de correntes e pronto esta tudo resolvido, mudar ao 700km ou aos 1500km ou aos 100km pode ser possivel, depende do desgaste e folga da corrente... só isso.
Eu tenho uma corrente numa bike de estrada que já fez 14000km, e só agora é que esta no estado "pensar em mudar" ainda dava mais uns km, mas como notei um barulho, pensei que fosse alguma coisa na corrente e troquei, afinal era o elo rapido que estava com um pequeno problema, como só vi isso quando ja tinha a corrente fora e a nova tb fora da embalagem, então troquei.... se não trocava só o elo rapido e estava arrumado por mais uns 5000km, isso da quilometragem não quer dizer nada, depende de onde andamos, do lubrificante, da tensão que ela esta sujeita, etc.. etc... etc...
Aconselho a adquirir um medidor, é o mais simples

Abraço

Alex