Merida Big Nine > Coluer Poison Cr 290 "à la carte

#61
Pois acredito que o 10 na cassete seja o grande trunfo do 1x11 da Sram. Mas entre perder a rolar ou a subir, menos mal que a diferença na cassete está na relação a rolar. Quanto ao 34 na frente também manifestei alguma preocupação ao vendedor, mas ele que é conhecedor da zona onde costumo andar e do meu nível de preparação aconselhou-me a apostar no 34 e eu resolvi seguir o conselho. Se não chegar para subir, posso sempre vendero prato e mudar para um de 32 ou até 30(se estiver mais fraco do que me tenho sentido ultimamente)
 

RTC

Super Moderador
#62
Com o 34 sempre dá para contornar um pouco a falta do dente 10 da cassete.
Pelo menos comigo (numa 27,5) tem chegado perfeitamente. Tenho outro prato 32 para saídas mais lentas/agrestes mas ainda não o usei.
 

edununo

Well-Known Member
#63
Pois faz. Eu uso 30 mas tenho cassete 10-42. É o equivalente a ter 33 com 11 dentes na cassete e com a vantagem de ter ainda uma relação mais leve para as paredes.
 

Jocas22

Active Member
#65
quase todos os pratos pra 11 velocidades têm os dentes desenhados de modo a segurar a corrente, e os desviadores com embraiagem ajudam a que raramente aconteça, mesmo muito raramente. Eu diria que nao acontece mais que num sistema normal de 2 ou 3 pratos. Até agora saiu-me uma vez, nem percebi o que aconteceu pra ser sincero, estava a montar na burra e saiu logo.
 
#66
Dia de teste ao recém-instalado 1x10.

As primeiras sensções foram excelentes. Num percurso de 60 km e 1087d+, 1º pelo meu "quintal" habitual na zona da Sicó, em que fiz questão de fazer as súbidas mais duras tanto em extensão como em inclinação, e depois 25 km mais rolantes.
A subir dei-me muito bem, apenas tendo necessidade de recorrer aos 42 dentes da cassete por uma vez e numa secção de não mais de 50 metros. O medo dos 34T à frente desapareceu para já.
A descer e rolar, acabei por esgotar a desmultiplicação, mas mesmo assim pensei que fosse pior. Para o que faço chega qb.
A passagem de velocidades acabou por se manifestar ligeiramente pior do que no sistema 2x10 de origem, mas nada de incomodativo. Dentro do expectável numa adaptação.
Saídas de corrente = 0. De facto o formato dos dentes do prato do pedaleiro seguram a corrente mesmo bem cruzada.

Resumindo. Para primeira impressão, de facto fiquei muito satisfeito com o sistema. Vamos ver se a fiabilidade se mantém com o tempo, e se há pernas para aguentar os 34T em aventuras mais longas e duras. Em último caso `há sempre os 32 e 30T.

Aqui ficam umas fotos:

 

fabio viana

Well-Known Member
#67
Bela maquina que tens ai :)

Em relação a transmissão, vais ver que vais usar poucas vezes o carreto de 42t, apenas em grandes subidas com alguma inclinação ou extensão é que vais precisar de usar uma velocidade tão "leve"
 
#68
Actualização de peso: 10.290 Kg na balança. Não tive oportunidade de tirar fotos.

Basicamente perdeu cerca de 600 g com a troca de rodas e passagem de 2x10 a 1x10.
Maior perda de peso agora já implica um investimento muito avultado. Nomeadamente na suspensão.

Para já estou satisfeito. Acho que tenho uma máquina leve e ágil adequada ao btt que faço. E que até agora se tem mostrado fiável, com expectativas de que assim continue.

Boas pedaladas.
 
#69
Ola, qual o peso exato das rodas, tenho uma merida 1 ano mais antiga igual, acusa 10.7kg ja com pedais, as minhas rodas sao umas prototype, julgo pesarem 1590gr
 
#70
Comprei umas MX One também e na loja disseram que estavam a pesar 1600gr (Antes de lhe por a fita para tubeless). Portanto não vale a pena mudares nada no teu caso. No meu foram umas 700gr que foram à vida com a mudança. Ainda não tive oportunidade de experimentar a bike com estas rodas, mas acredito que faça diferença!
Também estou à espera do kit para passar de 3x10 para 1x10, com prato de 34T, vamos lá ver se as pernas aguentam depois.
Jpedromota, quantos grs. perdeste com a alteração da transmissão?
 
Last edited:
#71
Na loja disseram-me que pesavam 1580g salvo erro. Não cheguei a confirmar o peso, mas suponho que não fujam muito a isso. No global a bike perdeu 600g com a troca rodas+1*10. Estimo que só o sistema 1*10 tenha contribuido com cerca de 280-300g na perda de peso. Mas depende sempre do kit de conversao da cassete e do prato escolhido.
 
#72
Novidades a caminho!

Infelizmente sofri um acidente enquanto treinava em estradão com a Merida. Choquei com um jipe todo o terreno, ficando com ferimentos ligeiros (uns dentes partidos, dois golpes suturados, escoriações e uma costela fraturada), e estou já praticamente recuperado. A responsabilidade do acidente está a ser apurada, se bem que não me recordo de nada uma vez que perdi a consciência. No geral tive muita sorte pois podia ter sido bem mais grave.
A bicicleta sofreu danos extensos, nomeadamente: quadro partido pela escora superior esquerda; disco de travão traseiro empenado, aro da frente rachado; manete de travão traseiro partida pela abraçadeira; selim torçido; espigão, avanço e guiador empenados.

Como parar é morrer e o bichinho do btt é mais forte, vou voltar passando numa nova montagem.
Lá para o fim do mês vou buscar uma bicicleta com os seguintes componentes:
-Quadro Coluer Poison 29 Carbono (versão comemorativa 25 anos marca);
-Suspensão Fox Factory Float Kashima;
-Travões XT;
-Pedaleiro Sram XX1;
-restante transmissão Sram X01;
-periféricos KCNC;
-Selim Selle Italia SLR;
-Rodas Race On Mx 29.

Assim que a fôr buscar tiro fotos que publicarei aqui no post.

Boas pedaladas e lembrem-se, nem fora do asfalto se está seguro!
 

Mr.sa

Active Member
#74
De ferimentos ligeiros isso tem pouco, mas podia ter sido pior é claro. O que importa é que já estás a recuperar e pronto para a ação novamente e com novo cavalo de corridas xD
 
#77
Chegou a nova bike!

Após a recuperação das mazelas, foi a vez de recuperar a bicicleta. Aliás, de "recuperar" tem pouco, pois trata-se de uma montagem quase totalmente diferente, só se aproveitando os travões e pedais da montagem anterior.

Aqui fica uma descrição dos componentes desta Coluer Poison 2016 "à la carte", que formam uma bike de 10.130 Kg.

Quadro: Coluer Poison CR 290 2016 (novo)
Suspensão: Fox Float 32 Factory CTD, recuperada e revista pela Nd tuned pois tinha as bainhas com tratamento Kashima riscadas, substituindo-se estas por bainhas em preto.
Rodas: New Race MTB 29 SL (novas)
Pneus: Maxxis Ikon Exo 3c TR (novos)
Transmissão: Sram X01, à excepção do shifter que é XX1. Prato de 34d, cassete e corrente novas, restante usado.
Espigão: Alpcross carbono (usado)
Selim: Selle Italia SLR (usado)
Avanço: Aerozine XS +- 17º 90mm (novo)
Guiador: KCNC SC Bone Flat (usado)
Travões: Shimano XT M785 (usados, da anterior montagem. Discos de 160mm Ice-tech novos)
Pedais: Shimano XT (usados, da anterior montagem)

E agora aquilo que o pessoal mais gosta, fotos:


Aproveito para pedir aos administradores do fórum a alteração d enome do tópico para: Coluer Poison Cr 290 "à la carte".

Boas pedaladas.