Kona Four Deluxe 9,77kg

belas rodas, belo peso e fixe mais uns a2z para depois quando eu tiver duvidas ter um "mestre" para me ensinar umas coisas e dar umas dicas :)

as minhas com ZTR ALPINE + A2Z + SAPIM LASER (aqueles de espessura variavel que confesso me deixam algo reticente por serem tão finos no meio... mas logo se vê) acusaram 1332 sem valvulas
fiquei contente com o peso pois esperava na casa dos 1400...

ainda nem 200 km têm por isso vou estando atento ao teu topico que me interessa sempre saber com o que posso contar e o que posso fazer para tratar o material como deve ser :)

Abraço e parabéns pela maquina,
nunca me esqueço das Konas pois foi a única que me fez dar um par de murros no chão numa égua menos controlada... sempre que vejo uma me lembro dessa passagem da minha vida em que nem tempo tive de tirar as mão do guiador... nunca tinha até à altura experimentado uns travões tão potentes.. e eram v-brake :)
 
nozes..
desculpa, mas agora que puxei aqui o scroll atrás e li umas coisas com mais atenção... tu já conseguiste arranjar os rolamentos 15x10x4? Se sim a quanto ficam?

Pergunto pois os meus pm25 normais... estão cada vez com mais folga e dado o investimento nuns novos ser baixo e entretanto necessário.. estou capaz de experimentar mandar o eixo a um torneiro para lhe meter a redução necessária e com a folga que o pedal já tem, acredito que o corpo já tenha o buraco tambem algo dilatado o que com mais um toque minimo de broca vai aos 15mm facilmente... (digo eu)

agora a questão é que normalmente quando menor a diferença entre o exterior e o interior do rolamento, menores as esferas e mais caro o preço... por isso pergunto a ver se compensa ou nem penso nessa ideia... pois iria também acrescentar umas gramas aos pedais :) (lol)

abraço e desculpa o doble post mas só agora me ocorreu isto mais a sério
 
Boas malta!

Pax,como imaginas ainda não pude experimentar os Podium,mas se olharmos para a tua combinação de peso-"brutidade"-terreno de jogo,eu diria que com os Alpine estavas mais descansado.Eu não chego aos 70kg,e como já pudeste presenciar não me nego a caminho nenhum,mas se andasse constantemente nas pedras do PNSAC e arredores como tu era capaz de dar cabo de uns aros por ano,se calhar...

tinric,não cheguei a procurar os rolamentos porque entretanto me vi livre dos pedais e estou à espera dos PM215ti. Mas se queres experimentar o "artilhanço",espreita aí pelas Caldas numa loja de modelismo,os rolamentos são bastante comuns,não deve ser difícil encontrá-los.Depois um torneiro trata do resto. ;)
 
já ando a tratar de ver se arranjo os rolamentos... temos aqui uma casa só de rolamentos, quando eles não tiverem... :) dificilmente alguem tem

porque casas de modelismo (que eu saiba) aqui... não há...

para os meus miniz ou vem tudo da net ou antes haviam em torres e agora acho que nem isso...


abraço e boas pedaladas
 
Olá juventude!

Já tive oportunidade de experimentar as minhas novas rodas,ou melhor dizendo,os aros :)
Além de umas voltinhas aqui perto de casa,estive no passado domingo em Pontével nos 50kms Marco Chagas,um daqueles passeios que de passeio só tem o nome,pois toda a gente quer é correr. Além de não ser um passeio,também pouco teve de btt,pois dos 52km do percurso apenas uns 200 metros não eram estradão largo e de bom piso :shock:
O que fui eu fazer para ali? Pois fui tentar ganhar ritmo,com vista a preparar a minha participação no Tribike na próxima semana.
E que ritmo! 52km em 2h16m,média de quase 23km/h...eu que "não presto para nada" a rolar vi-me numa autêntica prova de estrada! Sem descidas dignas desse nome em que pudesse ganhar alguma vantagem,tive de me aplicar nas curvas e zonas de travagem (muito poucas) para tentar compensar.

E é aqui que entra a análise às rodas com os novos aros NoTubes Podium MMX:
Se a rolar a boa velocidade o peso é quase indiferente,as acelerações à saída de curvas lentas nota-se e ajuda bastante.Sim,foram apenas cerca de 40 gramas em cada aro,mas é uma diferença apreciável,especialmente quando se sentem as pernas "mais para lá que para cá" :)

Quanto a mais torção ou outro problema relacionado com a re-enraiação dos raios,não notei nada de anormal. Não são (nem eram antes!) as rodas mais rígidas do mundo,mas para os meus 67kg e para a minha condução de "finesse",são um muito bom compromisso.

Domingo que vem,a Kona Four será posta à prova nas 6 voltas do cross-country que finaliza o Tribike,depois de 26km de estrada a subir e 9km de downhill.As alterações resumem-se à montagem de um Bontrager Mud-X na roda de trás,com vista a maximizar a tracção a subir na lama,já que o Rocket Ron da roda de trás já teve melhores dias.

Boa semana para todos!

 
Boas!

No domingo passado foi assim:



1h24m disto,subir 27km com 1000m de acumulado...



mais 20m disto,descer 9km e os mesmos 1000m...



...e mais 2h09m disto,6 voltas a um percurso de 3,8km com qualquer coisa como 200m de acumulado por volta,o que dá 1200m em 23km :shock:


E é desta última parte que tratamos aqui,já que este é o tópico da Kona Four Deluxe. :)

O Tribike 2012 foi para mim uma das mais antecipadas provas dos últimos anos,e que me fez recuperar aquela ansiedade típica dos primeiros anos de competição. Já não encontro muitas provas assim,depois de passarem 19 anos e quase 300 provas de btt pelas minhas pernas.
Fiz desde fins de Outubro uns 1400km,o que para mim é muito,andando de 3 em 3 dias,e chegando o dia,sentia-me preparado. Não para fazer um pódio,mas para não sofrer demasiado nos 60km e 2200m de acumulado deste grande teste.

Depois de uma subida "conservadora" e de uma descida sem grandes riscos para não comprometer,cheguei ao xc com a intenção de recuperar alguns lugares,acreditando que muitos dos que rodavam à minha frente pagariam o preço de ter "apertado" demais na subida. Assim foi,e no meu ritmo,a gerir as poucas forças que me restavam e sempre com bastante atenção à hidratação e alimentação,consegui subir alguns lugares e não quebrar,fazendo as 6 voltas com muitos poucos segundos de diferença entre cada uma.
Num percurso que se adivinhava (ou melhor recordava do ano anterior) tão duro e com partes enlameadas,escolhi para a roda de trás o Bontrager Mud-X e revelou-se uma excelente escolha,nunca faltando tracção,conseguindo inclusivé subir uma secção em que não vi mais ninguém subir,bastante enlameada e com pedra solta. Nas descidas mais inclinadas o controlo é também superior,as míticas raízes da Lousã não estiveram em grande força este ano :) mas não havia neste percurso mais que uns 300m para respirar à vontade.

Já que se fala hoje tanto sobre as relações de transmissão,não tenho problemas em dizer que usei muitas vezes o 22-32 e ainda assim tive de apear numa das subidas,para não forçar as pernas e acelerar a chegada das câimbras...coisas de quem já levava mais de 3h e uma grande tareia na espinha! :s
É a transmissão ideal para mim,aliás como é todo o resto da bike,que funcionou como um relógio.Usei o Propedal do amortecedor na parte de subida (o percurso era basicamente uma subida de 2km e uma descida de 1,8km),e usei a suspensão com um pouco mais de pressão do que o habitual,uma diferença mínima de menos de 10psi mas que ajudou neste percurso a não "afocinhar" tanto nas travagens. Como as descidas deste percurso são bastante inclinadas,foi uma escolha acertada. Não pelo medo de saír por cima do guiador,mas para manter a estabilidade.

Ajustar pressões das suspensões ou mesmo apenas dos pneus são coisas pequenas que por vezes fazem grandes diferenças. Não há como experimentar.

Consegui acabar o Tribike em 3h53m,o que me valeu o 14º lugar na categoria a solo,em cerca de 50 inscritos,e em 6º nos Veteranos A. Sinto-me satisfeito,com vontade de o ano que vem chegar mais além...mas agora tenho de me livrar destas dores primeiro!


Próxima prova,regional XC de Santarém,em Erra (Coruche),dia 12 de Fevereiro.
 

RTC

Super Moderador
Grande Nozes pah! :D

Foi pena não nos termos encontrado no final para te ter contado o desatino que foi para mim fazer o DH!

Foi sem dúvida um bom evento e agradeço o teu estímulo para que eu alinhasse.

Aquele abraço. ;)
René
 
:D

Se eu sou grande,o que dizer de ti,René! :)
Olha que em homenagem a ti e à coragem de desceres uma das mais técnicas e seguramente a mais longa descida do país de bike de xc,lá mais para o Verão vou lá descer na Kona também! Não consigo é fazer 25m,isso garanto-te eu...

Quando me ultrapassaste deu para espreitar a tua On*One,e é realmente um espectáculo de bike,das muito poucas que me faz pensar "e se..." ;) Bem mais apelativa que aquelas marcas que "de repente" são as melhores opções do mercado só porque alguém vai correr com uma.

Aproveito para dizer que me enganei na data da prova de XC de Erra,é dia 5 e não 12. ;)
 

Nozes

Active Member
Olá juventude!

Parecendo que não,a minha Kona Four Deluxe já fez 4 anos.
Da montagem de fábrica,apenas o quadro e o amortecedor restam. Do que alterei imediatamente antes da compra,restam mais componentes: Manípulos das mudanças,cassete,cubos e raios.
Tudo o resto tem vindo a ser alterado,por umas razões ou outras,mas sempre com o peso a pesar :mrgreen: na escolha.

Vou tentar nos próximos tempos ir colocando aqui uma análise pormenorizada e reveladora de alguns dos pequenos segredos que fazem desta bike especial,ou pelo menos diferente.

E porque é nos pormenores que por vezes encontramos soluções! Alguns de vocês devem lembrar-se de eu ter comprado um adaptador de travão da Hope na esperança de perder algum peso em relação ao Hayes,acabando por constatar que o mesmo não era compatível,e muito pouco mais leve (23 contra 25 gramas do Hayes).

Tenho uma bike que não mostrei ainda aqui no forum,uma Trek Remedy de All Mountain,que tenho equipada com travões Hope Tech X2. Não utilizo esta bike muitas vezes,e nem a tinha em casa. No outro dia ao olhar para os travões,lembrei-me do adaptador Hope e já que o disco traseiro é de 160mm,nada como ter um travão Hope com adaptador Hope,e procedi à troca.
Ao retirar o adaptador que estava montado,um Shimano,pareceu-me magrinho :) e corri a pesá-lo…18 gramas!!! :fpalm:
A solução para um adaptador mais leve estava debaixo das minhas barbas,e não nas horas que passei na net à procura! :desconfiado:








Curiosamente,o adaptador Shimano refere ser apenas para discos 180mm,mas funciona na perfeição com os 160mm...provavelmente seria destinado a discos 180 à frente,não sei.


Outro "pequeno segredo" está na caixa de direcção,e respectiva tampa. A Crank Brothers Direct Set é muito pouco vista por estas bandas,mas no meu caso tem sido uma aposta ganha: 66 gramas da caixa,mais 6 gramas da aranha KCNC,mais...



A tampa vem de uma anilha de um capacete de motocross antigo,e o parafuso foi encontrado algures num caixote cheio de peças usadas,e cortado à medida.
Ora dá isto tudo 77 gramas,para uma caixa de direcção standard em aço,no meu caso com fiabilidade mais que comprovada,e que me custou menos de 30€.
Como esta caixa não tem a hipótese de trocar os rolamentos,aproveitei há tempos uma promoção numa loja online e tenho já pronta uma Cobalt C XC,modelo idêntico ou ligeiramente superior para a substituição. :)

Para uma caixa de direcção durar,além da lubrificação regular (no meu caso 2 vezes por ano chegam),uma boa ideia é usar uma daquelas pequenas protecções de neopreno no copo inferior. Actualmente uso uma da Speed Stuff:





Mais pormenores e curiosidades noutro dia,que a noite já vai longa...


Boas pedaladas!
 

Jepas

Super Moderador
o adaptador Shimano refere ser apenas para discos 180mm,mas funciona na perfeição com os 160mm...provavelmente seria destinado a discos 180 à frente,não sei.
Confirmo, um adaptador que faça X na frente, faz sempre X-20mm atrás.
 
Nozes, será que poderias colocar essa Cobalt XC na balança para ver o peso?... é que também ando à procura de uma nova caixa 'standard', e esta parece-me interessante!
 
Boas.



ESta é uma Iodine SL.

Tive anteriormente uma Cobalt XC que durou muito pouco, os rolamentos "griparam", são caixas leves mas precisam alguma manutenção e cuidado.

Abraço
Rui
 

Nozes

Active Member
Boas!

Estive fora o fim de semana na Taça de Portugal de downhill na Lousã,com a minha Trek Session,mas no próximo se tudo correr bem vou estar na maratona de Santarém com a Kona Four...imaginem passar de uma bike para outra 7kg mais leve :D

Acerca do adaptador de travão,obrigado Mecanico mas vai ficar mesmo assim,fiquei muito satisfeito por fazer esta "descoberta" a custo 0 :)

essence_s utilizo protecções de neopreno nas caixas de direção desde...epá,se calhar há uns 16 anos :shock: e posso agradecer a elas e aos meus cuidados com as lavagens a durabilidade das caixas nas minhas mãos.Em algumas suspensões poderão deixar umas ligeiras marcas,na Magura a coroa tem um tratamento resistente que até à data não apresenta nenhum sinal de desgaste.

Bruno Silva,o Phalhas já mostrou o peso das Iodine (obrigado!),que são de uma gama superior,se quizeres saber mais é melhor procurares no site da CB,mas as diferenças principais são a qualidade dos rolamentos.
As minhas Cobalt XC acusaram assim:




Com a aranha e tampa de origem...




E só as caixas.

Outra vantagem destas caixas é serem mais baixas que a maioria,o que possibilita colocar a frente quase tão baixa como com umas caixas integradas. Em relação às caixas TH de origem da Kona por exemplo,são cerca de 6mm mais baixas.



Boas pedaladas!