Kona Four Deluxe 9,77kg

Boas,

Só dar uma achega ao tema CX70. Também tenho um limado para dois pratos, para mim a forma mais fácil de modificá-lo foi com uma talhadeira fina e so depois passar folha de lixa. Um pouco de verniz por cima (ainda nao fiz) e está perfeito!
 

RTC

Super Moderador
Se este tópico já era interessante, agora ainda será mais para mim. :p
Ver se tiro daqui umas ideias para a uma "mana mais nova" que vem a caminho. :cool:

Em 97, tive mesmo para comprar uma Lava Dome mas como era mais cara e o representante estava mesmo à minha porta, optei por uma Parkpre.
Nunca pensei que hoje, em meados de 2014, viesse a comprar uma Kona!
 

Nozes

Active Member
Eh malta jovem! :D

É verdade,tenho andado um pouco "retirado das lides" aqui do forum (eu e muitos outros,não é?),mas não significa que a Kona Four mais leve do mundo (txxx!!) esteja encostada.

Desde o último post estive por exemplo na maratona de Tábua,no raid dos Amieiros (Amiais de Baixo,Alcanena),no raid de Minde e num passeio aqui perto de casa em que fomos presenteados com um lamaçal em pleno Julho,uma espécie de "remember Festibike 2013".

E então em Tábua foi assim:




A maratona Mk Makinas continua a merecer a visita ano após ano,com trilhos com muito flow e excelente organização geral. Este ano um excesso de participantes causou alguns engarrafamentos e mesmo a rodar nos 70 primeiros não pude "esgrimar" em algumas descidas como queria. Nada que me tire a vontade de voltar para o ano!


Em termos de alterações,e particularmente em poupança de peso,é que a coisa tem estado muito parada.
Como se recordam montei um desviador da frente Shimano CX70,e nas voltas aqui perto de casa o funcionamento até parecia satisfatório.
Na maratona de Tábua já a coisa foi diferente,e e sentir a corrente a roçar no desviador em mais que uma mudança ao fim de bastantes kms tirou-me o entusiasmo dos 20gr poupados.
No dia seguinte peguei no desviador XTR M970 de 150gr que tinha na Cove (sim,essa que ainda não tem um tópico),troquei-lhe uns parafusos,dei-lhe uma limadela e está ali com 143gr e para ficar. Quando a poupança de peso põe em questão o funcionamento,já não é para mim.


E então passadas 3 semanas fui para Minde assim:



Não sei o que passou pela cabeça da organização do raid de Minde,no qual participo há 3 anos consecutivos,mas este ano na véspera lembraram-se de anunciar que o percurso não eram os 50km do costume mas 64. Para alguns pode não parecer muito,mas só para quem não conhece os trilhos do PNSAC.
Resultado: 4h30 de prova sempre com temperaturas acima dos 30 graus,num terreno do mais difícil que conheço.
Problemas com a bike,uma fita do aro descolada,tive que meter câmara depois de parar 3 vezes para dar ar.

Não estão previstas alterações para breve,gostava de experimentar um Schwalbe Thunder Burt atrás,e pouco mais...de qualquer modo,há sempre qualquer coisa em que não se pensou ;)
 

RTC

Super Moderador
Só pegando no que referes quanto ao pneu de trás, nomeadamente ao Thunder Burt. No que toca a pneus semi-slicks também os costumo usar nesta altura e em comparação com um concorrente que tu também conheces bem, o Bontrager XR0, o Bontrager dá "quinze a zero" ao Schwalbe.
Quando testei o Thunder apercebi-me logo disso mas agora depois de testado e re-testado kms a fio em quase todas as situações possíveis e imaginárias, não tenho dúvidas. Talvez quando o Thunder Burt tiver a medida 2.25 (era bom) pode ser que o comportamento mude para melhor mas duvido.
O que me admira é como é que pode haver tanta diferença em pneus aparentemente iguais...
Eu até não tenho razões de queixa da Schwalbe porque, em abono da verdade, continuo a gostar muito do Racing Ralph e do Nobby Nic. 2 dos meus pneus de eleição.
 

Nozes

Active Member
E não é que é exactamente o XR0 que tenho utilizado nas últimas semanas?? :D
De facto,gosto mesmo dele,o único defeito que lhe acho é ser muito difícil de meter no aro,e também já não vai para novo...olhando para o Thunder Burt imaginaria que tem praí metade da tracção do Racing Ralph,mas pelo que dizes deve estar longe disso.

A próxima saída em competição da Kona deve ser o Desafio ADN,e não quero apear na Subida Quase Impossível,que consegui fazer bem o ano passado,com o Racing Ralph. Este a última vez que o usei pareceu-me estar algo deformado na zona que levou um remendo,e resolvi reformá-lo antecipadamente :)
 
Ainda na terça feira vi um Schwalbe entregar a alma ao criador com um rasgo mesmo a meio. Conclusão, o rider vez uns km a pé até o rirem rebocar, lol...Até ele já andava admirado com a resistência dele, lol...
 
Boas.

Para já sou um feliz utilizador de um Thunder Burt snakeskin. Usava atrás RaRa DD e nunca esperei muito em termos de tração deste ThBu mas ainda não me deu problemas com dois meses de uso em piso seco :D

Claro que isto varia de rider para rider, peso, tipo de piso (saber pisar também) e o que pode resultar para uns não dará para outros... Estou consciente que vai ser só para o verão.

cumps
 
Boas Nozes,

Não me podia estrear sem começar por ter dar os parabéns pelo mesmo. Verdadeiramente inspirador (e leve)!

Deixo aqui a seguinte pergunta: porque não alteras o setup da transmissão de 3x8 para 2x9? A meu ver ganharias fluidez nas trocas, perdias umas gramas e com um prato de 38 ficavas com a relação final praticamente inalterada. De certeza que já equacionaste esta solução e se não a implementaste foi por alguma razão...

Cumps
 

Nozes

Active Member
Obrigado malta pelas opiniões ;)

De facto isto dos pneus é sempre tão pessoal como os selins ou os punhos,e por mais que se procure,o pneu ideal não existe.

TLouro,já equacionei mais que uma vez,já esteve por um fio fazer a transformação,e nos últimos tempos simplesmente cheguei à conclusão que vou permanecer "um gajo velho e teimoso" e usar os 3 pratos à frente.
Tenho uma bike com 2 pratos,e embora as relações e o tipo de bike seja diferente,dá para tirar ideias. Não considero um transmissão mais "fluida",porque a passagem dos pratos implica uma troca de 2 ou 3 mudanças atrás para compensar. Isto já foi debatido até à exaustão aqui no forum,sendo de comum acordo que o 2x9 trabalha melhor com rotativos do que com gatilhos.
No meu caso,o problema seria mais amplificado por eu necessitar de um prato pequeno 22 (e não me digam que blá blá blá é quase a mesma coisa,tou a fazer 40 anos não tarda e se não ganhei força até agora também já não ganho),e a diferença para um 38 é muito grande.
E um 38-11 iria deixar-me ainda menos velocidade de ponta do que com o actual 42-12,E iria investir num prato novo,etc...

Agora tenho um desviador da frente a trabalhar a 100%,e tenho mestria suficiente para tirar o máximo partido da transmissão tal como está. Não é por teimosia em ser diferente,é mesmo porque é aquilo que eu quero nesta bike.

Boas pedaladas!
 
Sem querer discutir aqui o que já está amplamente discutido em lugar próprio, a fluidez a que me refiro deriva de trabalhares mais com o desviador traseiro e menos com o dianteiro (no meu caso há voltas que não chego a por o prato pequeno). Mas percebo perfeitamente a tua argumentação. Só não concordo muito com o argumento da velocidade ponta: repara que os rácios são praticamente iguais: 42/11=3.500; 38/11=3.454. Isto significa que a perda de velocidade de ponta para a mesma cadência é de apenas 1,3%, o que equivale a menos de 0,6km/h para uma velocidade de 45km/h.
 
Boas TLouro,

O Nozes salientou a velocidade de ponta como um dos pontos negativos e também concordo contigo que não se vai alterar muito...

Agora pergunto-te, ele para fazer o que dizes, (eu também uso 2 pratos e é excelente) quanto é que ele teria de gastar? Não te esqueças que ele tem quase tudo de topo...

Embora tu uses pouco o prato pequeno, não sei bem qual é a tua condição física nem por onde andas. Mas sei perfeitamente por onde eu e o Nozes andamos e garanto-te que ele usa e bem o prato pequeno. Se eu te disser que quando vou dar umas voltas com ele, numa zona onde nem sequer há serras dignas de um livro de geografia e costumamos fazer em 30 km cerca de 750 a 1000 m de acumulado! É porque se sobe bem. Como hei-de explicar, o Nozes tem aversão a retas, lol...

Estás a ver aqueles singles que a malta costuma descer? O Nozes também os costuma descer, mas depois também gosta de os subir, ou seja, avozinha? Onde estás?
 

Nozes

Active Member
TLouro,compreendo o teu ponto de vista,e acredita que já avaliei tudo isso,mas no fim do dia tudo se resume ao "feeling" de cada um,e no meu caso prefiro ter mais opções do que menos. Como disse,o principal "problema" que vejo na alteração seria o grande salto do prato 38 para o 22,e a consequente compensação necessária com as mudanças traseiras.
Ou então resumindo,sou um gajo mesmo teimoso :p

Marçal,não assustes a malta,depois queres convidar alguém para vir andar conosco e de repente ninguém tem disponibilidade ;)
 
Boas,

Rui Marçal, de facto o meu comentário pode criar algumas (falsas) expectativas quanto à minha condição física... mas é melhor clarificar desde já que não é grande coisa! ;) Explico: a volta "expresso" que faço aqui à volta da minha casa quando não tenho muito tempo são 40km com 750m de acumulado e sem paredes. Daí que consiga fazer a coisa sem ir ao prato pequeno, até porque o meu prato grande é de 36. Neste caso, ganhei imenso em termos de fluidez porque só troco mudanças atrás (antes tinha que alternar entre o prato médio e o grande), o que compensa a perda de velocidade de ponta.

Contudo, compreendo que se o perfil das voltas obrigar a trocas constantes de pratos, a fluidez que se ganha num lado, perde-se noutro e o salto de 38 para 22 não é propriamente suave. Nozes, claro que acredito que já terias pensado e repensado esta situação, daí que eu tenha colocado o assunto como pergunta e não como sugestão... ;)

Quanto aos convites para as voltas, tenho a impressão que convosco é mais seguro "jogar em casa"... por isso se vierem ao Algarve estão desde já convidados para uma volta à maneira!
 
Caro Nozes,

A minha magura Durin já foi à revisão algumas vezes, desde de nova me queixei de uma pequena folga na perna esquerda. Disseram sempre que era "feitio" das magura Durin, mas nunca confirmei noutra loja porque fui tenho feito sempre a revisão no mesmo local.

Com a bicicleta parada, travando com travão da frente e abanando para a frente e para trás, quase que parece uma folga na caixa de direcção mas quando abanamos e pomos a mão na bainha esquerda nota-se que folga é daí.

Também notas a folga que refiro ?

Abraço e boas pedaladas :)
 

Nozes

Active Member
Boas!

A minha Durin já não vai para nova,mas em termos de folgas não noto nada de estranho,nem desgaste de maior.
Já pensaste em trocar os casquilhos? Uma oficina bem equipada ou os especialistas DPX Racing ou ND Tuned são capazes de te fazer isso sem grandes custos.

Se dizes que sentes a folga na perna deve ser mesmo daí,senão sugeria que verificasses se as pastilhas de travão não eram a razão para sentires a folga quando travas,certos travões têem uma folga natural no encaixe das pastilhas,e nem sempre é fácil de distinguir essa folga de outras como a suspensão ou a caixa de direcção.

TLouro,obrigado pelo convite ;) Já conheço algumas subidas no Algarve (maratona de Alte,xc em Silves,S.Brás de Alportel,Moncarapacho) e posso-te dizer que as considero das mais "intermináveis" do país,principalmente as de Silves! :fpalm:
 
E está resolvido o problema com os pedais Exustar PM215ti:



Pedais Xpedo M Force 8 (também conhecidos como XMF08TT).

Ao contrário da maioria dos pedais disponíveis no mercado,estes não trabalham com casquilhos,mas sim com 3 rolamentos selados. Espero que estes pedais me durem bastante tempo.

Primeiras impressões e com travessas (cleats) Shimano SH51,o encaixe e desencaixe tem bom feeling,amanhã ou depois nos trilhos veremos os pontos fortes e fracos.

E há mais qualquer coisa leve na calha...stay tuned ;)
 
Boas.

Espero por uma análise tua desses pedais mais em detalhe.

Ainda ponderei estes pedais porque as análises são muito positivas nesta versão nova. A anterior também era propicia a ganhar folgas rapidamente.

No entanto o seu preço e a experiência com os exustar fez-me decidir pelos novos PM215 TI de 223gr o par. Se me durarem tanto como os anteriores já não será nada mau :)


cumps
 
Boas,

nunokas,boa sorte com os teus Exustar,é o que te posso desejar. Não descures a manutenção,e (a julgar pela minha experiência) não uses massa que contenha teflon. Ainda estou convencido que a massa que comprei de propósito para lubrificar os pedais acabou por contribuir para o acelerar do seu desgaste,é o único motivo que consigo encontrar.

Há dias peguei na outra bicicleta que tenho equipada com uma Magura...



E depois de andar uns kms tive uma ideia brilhante :ideia:

Cheguei a casa,revirei a net do avesso e mesmo encontrando muito pouca informação sobre o assunto,fiquei com vontade de experimentar o que tinha idealizado: Trocar o cartucho da compressão (DLO) da TS8 para a Durin,e poupar assim o que eu esperava serem umas dezenas de gramas.

E então,passados poucos minutos:



DLO2 sem isto:




...depois desmontei o mesmo conjunto da Durin,apenas para constatar que a parte inferior não é compatível com a TS8 (e vice-versa) e chegar à balança e ver que pesa uns míseros 7 gramas a mais que a versão da TS8. :desconfiado:

Bem,foi uma boa meia-hora de mecânica! :cheers:

No próximo dia 7 de Setembro,vou marcar presença numa das provas do ano no que respeita a btt como eu gosto: Divertido e desafiante: O Desafio ADN,em A-dos-Negros,perto de Óbidos. Para fazer (e comer) pó nos trilhos tenho ali uma Kona Four Deluxe com 9,680kg 8)



Boas pedaladas!