Kona Cinder Cone

#1
Bike: Kona Cinder Cone


Setup: Completamente original

Frame sizes: 19”
Frame tubing: Kona 7005 Butted Aluminum
Fork: Marzocchi MZ Race 100mm
Headset: Aheadset STS
Crankarms: TruVativ Blaze ISIS
Chainrings: 44/32/22
B/B: TruVativ ISIS
Pedals: Shimano PD-M505 clipless
Chain: Shimano CN-HG53 (9sp)
Freewheel: Shimano Deore 11-32 9 speed
F/D: Shimano Deore
R/D: Shimano Deore LX
Shifters: Shimano Deore
Handlebar: Kona Aluminum Riser
Stem: Kona Control
Grips: Kona Jackshit
Brakes: Hayes Hydraulic HFX-9 XC
Brake Levers: Hayes Hydraulic HFX-9 XC
Front hub: KK Disc
Rear hub: Shimano Disc FH-M475 disc
Spokes: Stainless 15G front, 14G rear
Tires: Tioga Red Phoenix 26 x 2.0
Rims: Sun Black Eye
Saddle: WTB Pure V Sport
Seatpost: Kona Thumb
Seat clamp: Kona QR
Color: Radar Green


Extras introduzidos:
Ciclometro: Sigma BC1200
Puslometro: Polar B3

Data de Compra 16 Agosto
Total de Kms: 441

Razão da escolha:
Metade deve ter sido pela estética, outra parte foi sem duvida pela relação qualidade preço, pelo menos no que os meus parcos conhecimentos permitem.
Depois de ter iniciado a busca com um plafond de 500€ acabei um bocadito antes dos 1000€ mais precisamente 800 e muitos.
Tinha preferido uma dual suspension mas o budget não chegava para tanto, pelo menos ao nível de equipamento da Cinder Cone e outras da mesma gama de preços.
Acima de tudo estava renitente em gastar muito dinheiro numa actividade que nem eu sabia bem se queria praticar ou não. Pois é, nunca imaginei estar a escrever isto ao fim de 1 mês e muito menos ter feito 440 kms em cima de uma duas rodas sem motor de explosão.
Mesmo assim dou-me por contente pois já tem uma suspensão à frente, coisa que a minha última bicicleta não tinha.


Tipo de terreno:
Um pouco de tudo com passeios a variar entre os 20 e os 50kms,
Areia, estradões, singles, pedra, terra, asfalto, etc.

Zonas
Arrábida, Espichel, Ericeira e durante a semana Monsanto.

A favor:
Equilíbrio geral e desempenho satisfatório não fosse o animal que pedala ter falta de força.
Boa posição de condução depois de alguns acertos mínimos ao nível da posição do selim (horizontal e vertical).
Eventualmente o guiador ligeiramente mais alto fosse mais confortável no geral (para a minha anatomia) mas perdia nas subidas.
Excelente capacidade de travagem em todos os tipos de piso.

Contra:
Pneus em asfalto fazem muito atrito e desgaste acelerado dos mesmos.


A experiencia propriamente dita:

No primeiro dia em que saí a grande questão era os pedais de encaixe.
Apesar de ter pedido na loja para os deixarem com a afinação no mínimo, os receios eram alguns. Depois do primeiro dia, pedais sem encaixe só se for para ir ao pão e ao leite. Nem uma queda nem uma atrapalhação. Correu lindamente.
As primeiras voltas foram dolorosas, acima de tudo por causa da preparação física, à mistura com alguns anos sem pôr o rabo em cima de uma coisa de duas rodas sem motor, mas a evolução foi rápida e sem grandes percalços.
Passados 400 kms e depois de uma manutenção ao fim de 100kms (para reapertos) no que às mudanças diz respeito, só tenho a queixar-me do desviador traseiro que apresenta alguma tendência para desafinar e o desaparecimento súbito de um dos indicadores vermelhos da mudança engrenada vitima de uma queda. O desviador da frente cumpriu a função e até agora está impecável.
A suspensão vai dando conta do recado mas podia ser muito melhor e acima de tudo ter mais afinações. Fiz a única coisa que ela permite, tirei um pouco de compressão que me pareceu exagerada, tendo ficado mais macia sem exageros e a aproveitar melhor o curso. Até ao momento só uma única vez bateu no fundo após uma queda com bastante violência onde a roda da frente ficou presa entre umas tábuas e eu sai de cabeça direito ao chão (não foi bonito nem tão pouco elegante).
As rodas apresentam-se em boas condições sendo que a traseira tem um empeno muito ligeiro que não me parece ser razão suficiente para uma intervenção. Levando em conta que o tratamento não foi propriamente a poupar o material parece-me pelo menos que desempenham o papel delas.
Pneus, esses sim não penso voltar a ter Tioga Red Phoenix tão depressa. Para alem do esforço extra para andar no asfalto (as minhas voltas durante a semana são constituídas com por uma parte em asfalto para percorrer a distancia de telheiras ao Monsanto e volta) denotaram desde cedo tendência para um desgaste exagerado ao nível da roda traseira. Eu sei que parte do desgaste tem a ver com a qualidade do animal que pedala, mas mesmo assim acho muito exagerado.
Neste momento já estão montados uns Michelin XCR A/T que espero estrear no domingo.
O selim, agora já o vejo como confortável mas nas primeiras saídas cheguei a pensar em comprar um daqueles selins de pasteleira com molinhas atrás, tal era o sofrimento.
Claro que os calções de esponjinha ajudaram e muito mas mesmo assim sofri.
Sobre o quadro nada posso dizer pq basicamente está inteiro, com algumas esfoladelas nas escoras (tenho de comprar uma proteção e aconselho o mesmo a quem não tem) e não tenho conhecimentos nem experencia suficientes para poder avaliar o seu desempenho.
Travões excelentes. Já se nota que estão a pegar mais no fundo mas deve ser normal uma vez que são usados qb e as pastilhas têm o desgaste próprio de serem utilizadas.


No conjunto, é uma boa amizade que está a nascer e a afinar-se nos detalhes, damo-nos muito bem e o prazer dos passeios que damos juntos é muito superior aos problemas que tem dado. Até agora e para alem de umas desafinações e um furo nada a apontar.

Qd totalizarmos mais uns kms valentes e se for o caso venho cá fazer um update desta mini mas extensa opinião.
 
A

americo

Guest
#4
Boas

Boa apresentação, bom teste, boa descrição!

Realmente foste exaustivo na tua descrição sendo de louvar que não te incomodas-te com testes de revistas e do que disse o amigo do amigo que também tem uma igual á nossa mas foste tu mesmo a ter essas sensações e impressões da bicha.

Com respeito aos travões é normal essa sensação de pegarem mais em baixo mas para isso basta afinares um pouco junto ás manetes.
Tens de ter cuidado com as pastilhas porque não é como eles dizem, mal começem a fazer barulhos e cada vez mais força nas manetes troca-as porque umas pastilhas no fim ou vidradas danificam os discos riscando-os.
Quando pensas que estás a poupar dinheiro mudando mais tarde as pastilhas estás é a danificar os discos...
E o pneu detrás dessa marca que equipava a minha Kona também lhe aconteceu a mesma coisa!
Sem grandes travagens e exageros está totalmente careca...

Cuidado com as rodas empenadas, mesmo um pequeno empeno pode comprometer a tua segurança nomeadamente em travagens e em curvas a alta velocidade.

Um abraço

Américo Ribeiro
 
#5
Antes de mais obrigado pelas vossas opiniões.
Qd escrevi isto foi por achar que apesar da minha "tenrisse" sempre podia dar uma ajuda a quem procura a sua primeira bike.
Eu tive alguma (muita) dificuldade em escolher, apesar de ter tido um amigo que me deu uma ajuda dentro das suas possibilidades em termos de componentes. Mas acredito que nem toda a gente tenha essa sorte.
Obrigado GMarques.

Américo

Obrigado pelas tuas dicas. Os travões ja os afinei no curso das manetes e ficaram muito melhores. Tive a vedr as pastilhas e deve ser coisa para as trocar qd fôr com a bike à revisão. Coisa para daqui a 2 ou 3 semanas ou 300kms.
Qt à roda aquilo é mesmo uma coisita de nada e os raios parecem estar todos com boa tensao por isso vou-me manter atento, mas tb é coisa para a revisão caso não haja sobressaltos pelo caminho.

obrigado a todos