Gostas da tua menina? É linda ? Mostra-a ao pessoal, aqui!

Afinal há mais pessoal no forum com "agressive hardtails", segue a minha também em titânio mas com uma geometria mais comedida do que as kingdom. View attachment 797
Lembro-me que estive quase para comprar uma sonder signal que estava à venda no pinkbike a um preço muito bom. Mas na altura como tinha comprado o stage 5, decidi retrair-me.
Babava-me para a Nordest bardino TI mas custava-me a dar 1400€ por um quadro. Por outro lado, a kingdom, sempre me despertou interesse, especialmente a Vendetta, mesmo nos modelos anteriores. Quando a marca lançou a campanha para a edição limitada, com um preço bem mais baixo que o corrente (mas ainda assim alto para um quadro HT), com uma geometria que me agradou muito, garantia vitalícia que é algo que as restantes marcas não oferecem e como entretanto vendi a orange, nem pensei duas vezes.
 
@Pedro Barradas, as planetx de estrada e gravel em titânio têm bom aspeto e preços competitivos, vê também as Sonder eles têm modelos de aventure para todos os gostos e todos os materiais.

@pedro Tenreiro, o teu percurso parece ser semelhante ao meu, eu andei mt tempo indeciso que geometria escolher e que modelos é mesmo material aço ou titânio. O primeiro modelo que considerei foi mesmo a kingdom x2 que em pré order era o mais vantajoso, mas na altura eles não tinham modelo específico para 29 e o bb era um bocado alto mesmo para 27.5 então fiquei meio amedrontado. Dps virei me para as nordest mas a bardino parecia me mt agressiva para o que procurava, e andei a considerar a sardinha deles. Gostava mt de comprar uma nordest pois tem cunho português até acho que a marca tem mais reputação no mercado externo que português.

Mas depois decidi que queria mesmo titânio e apareceu m este modelo da Sonder que era uma marca que não conhecia, mas são impecáveis e muito participativos com a comunidade de donos de Sonder.

Estou mt contente com a bike, é bastante ágil e confortável. A nível de comportamento tenho uma trek X caliber a uma yt jeffsy e a Sonder é mesmo o melhor compromisso quase a mesma eficiência a rolar e a subir da trek e a descer o comportamento é muito mais próximo da jeffsy do que a da trek.

Mas mesmo assim percebo que este tipo de bicicleta é para um nicho dos praticantes de btt.
 
A minha orange stage 5 deu para perceber que FS não se adequam a mim. Já antes dessa tive uma BH Lynx 6 em carbono com 150mm de curso atrás e 160 na frente. Talvez se andasse em Sintra ou assim, fizesse sentido... E mesmo assim não sei. Não sei porque acho que a geometria de um quadro diz muitíssimo mais do que o facto de ser FS ou HT.
 
Sim claro, para o meu estilo preferido de voltas que é mais orientado para o trail e mesmo voltas longas este tipo de bikes adequa se mt bem. Com 140mm devo estar com 65.5 de ângulo de direcção já com sag o que torna a bike mt estável a descer mas tens de trabalhar um pouco as pernas em terreno com mt pedra solta. É claro dropper post e mt importante para adotar uma postura mais baixa acho que faz toda a diferença.
 
Sim, é do mesmo estilo mas não consigo ver a tabela de geometria.
Tem é um óbice, quanto a mim: é de alumínio. É o pior material para se fazer um quadro por causa dos fracos níveis de resistência ao stress e fadiga quando comparados com outro materiais, embora possas ter a bike durante uma vida sem chatices.
Eu ia para aço, ou mesmo carbono ou, idealmente, TI.
 
Em teoria quadros em aço e titânio para alem dos niveis de fadiga mais altos, existe um grau de flexibilidade associado que torna os quadros mais confortáveis a nível de vibrações. Mas apenas é uma das variáveis, juntamente com o volume dos pneus, material e diâmetro do guiador...

Mas a cragger parece me interessante e deste género de ht mais polivalentes.
 
Tem é um óbice, quanto a mim: é de alumínio. É o pior material para se fazer um quadro por causa dos fracos níveis de resistência ao stress e fadiga quando comparados com outro materiais, embora possas ter a bike durante uma vida sem chatices.
Eu ia para aço, ou mesmo carbono ou, idealmente, TI.
Na pratica não é bem assim. Segundo ouvi dizer, de quem tem um e já fez muitos km com o mesmo, dizer os quadros de titânio partem quase todos ao fim de um determinado numero de km. Parece que a partir dos 50 000 km poucos são os que não partem.
 
Nunca ouvi tal coisa para quadros de titânio, normalmente são considerados quadros para a vida, pois tem altos níveis de resistência a fadiga e não sofrem de corrosão... Agora problemas na qualidade das soldas e desenho do quadro isso e um problema transversal a todos os materiais.
 
A minha nova BIKE, uma S-Works :), full carbon.
Suspensão Rockshox SID brain 100mm
Travões Magura MT8SL
Transmissão SRAM XX1
Selim Fabric Scoop Shallow
Pedais CrankBrothers Stamp11
Punhos LizardSkins
Pneus 2.1” atrás e 2.3” à frente

Peso actual com pedais: 9,3Kg

Após os primeiros 200km, só notas positivas! Sobe que é uma maravilha, desce mais rápido do que eu consigo :D 8981EEDE-A872-42DE-9B5C-8A1E7EB5A03C.jpeg