Ghost Rt Lector team 8510gr

Nozes

Active Member
Que grande chatice,além do prejuízo...mas eu não lhe chamaria azar,porque como o David referiu a "catástrofe" deveu-se à corrente estar curta demais.
Se a nível estático o desviador parecia aguentar,não nos esqueçamos que o movimento da suspensão traseira influi na tensão da corrente,às vezes uns milimetros chegam para chatices destas.
 
David,

Desde já deixa-me dar-te os parabéns pelo "CANHÃO" que ai tens :D

Que tal se tem portado o Speedneedle Alcantara? Sei que o conforto é uma prova dada, refiro-me mesmo ao revestimento. Quero um Speedneedle para o meu dito cujo, mas estou indeciso entre o Alcantara e o Marathon...

Abraço
 
Boas!!

Aproveito o desenterro do tópico para dar alguns sinais de vida. Como alguns de vós sabem, no passado dia 10 de Outubro sofri um aparatoso acidente enquanto treinava. Uma condutora distraída decidiu mudar de direcção de repente e levou-me à frente. Além das múltiplas escoriações pelo corpo provocadas pelos estilhaços do vidro frontal do automóvel, partí o peróneo o que me obrigou a uma paragem que se estende até ao dia de hoje e, assim continuará, por mais 2 a 3 semanas (assim o espero).
Claro que a bike ficou totalmente destruída,aproveitando-se muito pouco dela, neste caso a Merida.
Acho que o acidente não podia ter sido em pior altura uma vez que estava a 3 dias de embarcar para aquela que seria a prova do ano, o triatlo XTERRA em Maui, no Hawaii. Passei um mau bocado por ter andado a treinar afincadamente durante um ano inteiro e 3 dias antes de seguir viagem vejo todo aquele trabalho a ir por água abaixo. No entanto, este treino serviu-me para encarar algumas provas com uma boa preparação física.
Desde a última vez que postei neste tópico, participei (com a Ghost) nas 24h de Coruche na categoria solo. Nesta prova estive até cerca das 2 da manhã a disputar o 2º lugar da categoria, altura essa em que me apareceram algumas dores no joelho esquerdo e que decidi terminar a minha prestação. Toda a minha preparação foi feita com vista ao XTERRA e arriscar uma lesão nas 24h não era, de todo, o que queria daí ter "desistido".













Depois das 24h de Coruche preparei-me para a douro bike race, prova onde queria estar bem mas sem comprometer uma boa forma no Hawaii (1 mês depois do DBR). Adorei a prova mas, ao fim do 2º dia tinha 2 hematomas nos dedos dos pés, provocados pela trepidação do percurso, aliado ao facto de ainda não estar "calejado" com os novos sapatos. O que não parecia ser nada de especial veio a trazer-me dores enormes, ao ponto de não me conseguir sequer calçar! Queria terminar a prova e então fui até à farmácia e comprei um gel de lidocaina que apliquei nos dedos com o objectivo de os "adormecer" durante a última etapa. A lidocaina resultou....durante 1h! Insuportáveis! Foram as dores que senti nesse dia! Cheguei, por diversas vezes, a ter lágrimas nos olhos. O dia foi de puro sofrimento, mas terminei a etapa, com cerca de 2h de atraso para os ateltas de quem estava próximo na classificação. Douro bike race terminado e com vontade de repetir para o ano! Terminei em 92º da classificação geral o que foi bastante bom tendo em conta o tempo "perdido" na 3ª etapa e um furo que me fez perder algum tempo na 1ª etapa!






Esta foto expressa na perfeição o que foi, para mim, a dbr :D

Já com a Merida (RIP), participei nas 6h de resistência do indo eu em Viseu onde fiquei em 4º lugar na categoria solo a meros 1.30min do 3º classificado!







Bom, mas respondendo agora ao que interessa:

Filipe, obrigado pelo elogio! A alcantara do speedneedle é uma boa escolha, só tenho pena de não a ter descoberto mais cedo! O que vais notar relativamente ao desgaste é que o tecido começa a perder a "rugosidade" e começa a ficar mais liso, mais polido. No entanto, mantém o bom aspecto muito mais tempo que a versão em pele, que começa a ficar acastanhada com o uso. Aconselho ;)

Xman, os cubos Mack são uma maravilha! Tive apenas um problema com o cubo traseiro que foi o devido à pouca protecção que o rolamento do cepo tinha. No entanto falei com o Mack que disse que tinha feito desse modo para serem mais leves mas prontamente me enviou um vedante (que na verdade só aumentou 1gr ao peso do cubo :lol) e a partir daí nunca mais houve problema. São muito bons mesmo!
As rodas como conjunto são um dos componentes que mais gosto na bike, incrível o comportamento destas rodas com 1100gr. Não sinto qualquer falta de rigidez, confesso que estou leve, 68kg para 1.80m, mas pesava 82kg quando montei esta bike e mesmo aí não sentia falta de rigidez.

Mário, sim, a Ghost está agora com a SID WC XX por uma simples razão: a dt estava a pedir manutenção com mais frequência do que aquela a que eu estava disposto a dar!

abraços!

David
 
David...
estive junto á tua Merida, no ATX, e a julgar pelo estado dela, o teu não deve ser muito melhor...pelo menos não partiste a tua testa, já a da Merida, até metia medo...espero que tenhas rápidas melhoras
Abraço
Marco Monteiro
 
E depois os trilhos é que são perigosos...pois sim! Eu também ando na estrada,mas evito ao máximo as que têem mais movimento,prefiro as estradas secundárias aqui pelas aldeias.Mas não podemos ignorar que practicamente todos os acidentes realmente graves com bicicletas são atropelamentos!

As melhoras,David.Acredito que mais que as dores no corpo,sejam na alma,depois de tanto tempo a treinar tanto para um objectivo desses...mas avredito que vás transformar isso em motivação para o teu regresso!

Acerca dos problemas com os sapatos no DBR...foi um grande erro,realmente. Eu estive para estrear os meus Mavic Chasm na maratona de Santarém,mas mal pensei no que podia correr mal,rapidamente tirei daí a ideia.Agora que já os estreei,e vi como são confortáveis,porventura até tinha corrido bem...mas uma prova não é para experimentar nada,é para usar o que não falha.

Força aí!
 
Boas,

Infelizmente as noticias são são boas. :(
Realmente a 3 dias de uma Aventura com "A" maiúsculo e após tanto tempo de preparação...ás vezes doí mais a alma que o corpo...as rápidas melhoras e que fiques novamente a 100%.

Obrigado pelo comentário das rodas.

Cumps.
X.
 
Boas Pessoal!

Antes de mais obrigado a todos pelas palavras de incentivo! O pior já passou, estou a começar a conseguir andar sem ajuda de novo, daqui a cerca de 2 semanas espero já estar a 100% em termos de lesão para poder voltar à minha vida normal e, lentamente, recomeçar a pedalar.

Relativamente ao acidente, o caso já está a ser tratado pelo meu advogado uma vez que a companhia de seguros da condutora fez o mais óbvio que foi negar a culpa do seu segurado quando não existe qualquer dúvida que é dele a culpa, inclusivamente a condutora foi a primeira a admitir que o erro foi dela pois vinha distraída a olhar para os filhos no banco de trás e fez a manobra sem olhar, nem tão pouco sinalizar. Infelizmente é assim que o nosso país funciona, esta tentativa de fugir às responsabilidades é acto comum na nossa praça, nada que me viesse a surpreender. A verdade é que neste momento sou eu quem ficou com uma bicicleta totalmente destruída, uma despesa médica já bastante considerável paga do meu bolso, já para não falar do sofrimento físico e psicológico que, como devem imaginar, toda esta situação me causou e sem que nada tenha feito para isso sem ser estar no sítio errado, à hora errada. Esperemos que tudo se resolva pois, apesar de ténuamente, ainda acredito que a justiça acaba por ser feita.

A experiência com os tubulares, como já tinha tido oportunidade de partilhar no tópico da merida, é bastante positiva! Nunca cheguei a sentir grandes diferenças a rolar, talvez se tivesse experimentado os Dugast tivesse notado melhorias neste campo mas notei sim a subir e a descer, principalmente em zonas técnicas. Os tubulares colam-se literalmente ao terreno, transmitindo uma sensação de segurança enorme.
Furos com eles também nunca tive nos cerca de 1500km que devo ter feito, incluíndo uma e única prova que fiz com a Merida que foram as 6h de Viseu. Não fosse ainda uma opção tão cara e não tinha qualquer dúvida em aconselhar. Como o são, apenas aconselho a quem pode ter mais que um par de rodas e esteja disposto a fazer este investimento.


Nozes, curiosamente não estreei os sapatos na dbr, já os tinha usado diariamente desde havia cerca de 1 mês mas claro que a forma como o nosso corpo se comporta em prova é completamente diferente do que em treino e esse facto aliado à "calhaulândia" que foi a dbr podem ter ditado esse meu desfecho..

essence_s, apesar da Merida ser a minha "segunda" bike tinha um carinho enorme por ela e acredita que me custou muito vê-la ali, desfeita. Tanto quanto me custaria ver a ghost na mesma situação. Foi uma bike que teve uma passagem curta na minha vida (3 meses apenas) mas que me marcou e é daquelas que não se esquece!

Abraço!

David
 
David.

Que tudo corra bem para ti na recuperação das lesões do acidente.

Essa história de irem a olhar para os miudos tem que se lhe diga. Conheço o relato de um caso de uma mulher que ao ver entrar para o carro uma vespa ou abelha começou a olhar para trás preocupada em "enxotar" o bicho acabou por ter um acidente com consequências piores que os de uma picada de insecto...
Curiosa esta coisa do instinto de protecção maternal que por vezes acaba por ter o efeito oposto quando temos nas mãos o (des)controle de um automóvel.

Agora se a senhora admitiu a culpa e esses senhores de colarinho dizem que não... Só espero que a justiça seja feita e que sejas revertido dos prejuizos que tiveste.

Boas pedaladas
 
Sim, sei que tinhas carinho pela merida tal como tens pela ghost, só estava a tentar animar.
Quando a situação se resolver pelo melhor vais ver que ainda vais ter forças para te superar e criar uma nova montagem do nada!
Rapidas melhoras!
 
Sempre houvi dizer que o melhor que se deve fazer e chamar sempre a policia quando e a nosso favor, nao sei se neste caso ajudava e talvez ja que ela disse no inicio que a culpa era dela e assim ficaria registado no momento e no caso de ir a tribunal, agora e nao sei se foi o caso estas "lixado" porque tens que esperar que se faca justica!! Que circo ou situacao da treta!!
Boa sorte! ;)
 
Mecanico, não falo com a condutora desde o acidente, altura em que ela se desfez em lágrimas e me pediu imensas desculpas pelo erro dela. Pareceu-me pessoa honesta, vamos ver como será daqui para a frente como será que lida com a estratégia da companhia de seguros.

Essence_s, claro, eu percebi as tuas palavras e agradeço ;) mas acredita que sim, custou-me muito ficar sem esta bike.

Nuno, como é óbvio a polícia esteve no local, neste caso a GNR, a tomar conta da ocorrência! O que acontece é que as autoridades não tomam partido por nenhuma das partes, apenas se limitam a fazer um relatório do acidente. Quem vai "decidir" de quem é a culpa são as próprias seguradoras. Neste caso eu como ciclista não tenho seguro do meu veículo e a companhia deve ter achado que me ia atribuir a culpa e eu arcava com as consequências e prejuízos sozinho pois não tinha onde me agarrar. Azar o deles que tentaram passar a perna à pessoa errada e mais não digo pois nunca se sabe quem lê o que escrevemos e até o caso estar encerrado definitivamente vou ser bastante parco em palavras por razões óbvias.

abraços!

David
 
Boas,

Não, não sabia e ainda bem que estiveram lá, disse tomar partido por nenhuma parte mas não sei mesmo não sendo entre duas viaturas se fica na mesma registado que alguém, neste caso ela aceita a culpa e num tribunal ou assim houve alguém que aceitou o erro e as autoridades são como que para confirmar que é ou foram veridicos os registos e os factos na altura da ocorrêcia ;)

Abraço e fazes bem, as seguradas é um esquema por vezes ou maior parte das vezes em que os contactos por detrás é que interessam ou contam!
 
Aqui à já uns anos o meu pai teve um acidente em que a outra pessoa deu-se como culpada e a seguradora pura e simplesmente não queria pagar os danos, o carro foi para a sucata e ele não ficou lá muito bem... Isto tudo para dizer que foi preciso uma luta de mais de cinco anos para se conseguir que a segurado assumisse as suas responsabilidades.
Espero que tenhas melhor sorte!