Funcionários Públicos vs funcionários do Privado - Qual escolherias?

#61
rodinhas73,

Comenta p.f :


Profissões privilegiadas
Segundo o relatório do FMI, elaborado em conjunto com a Comissão Europeia, os salários da função pública são “relativamente elevados” e privilegiam “trabalhadores com baixas qualificações”, uma vez que a diferenciação nos salários acontece em função da antiguidade e não do desempenho.

O documento refere que há classes profissionais (polícias, militares, professores, médicos e juízes) que têm “demasiadas regalias”, que os médicos têm salários excessivamente elevados (principalmente devido ao pagamento de horas extraordinárias) e os magistrados beneficiam de um regime especial que aumenta as pensões dos juízes em linha com os salários.

Esta é uma das mudanças propostas pelo relatório que, afirma o Jornal de Negócios, o Governo está a analisar. A progressividade dos salários do Estado deve passar a ser feita em função do desempenho e não da antiguidade, como forma de “atrair profissionais mais motivados e qualificados”, como escreve o jornal.

Thanks Jocas22!!
 
#62
Por acaso gostaria de inserir uma citação, mas como sou algo esquecido de como se fazem as coisas, aqui vai (respondendo eu):
Agora faço-te eu umas perguntas :

- Já foste trabalhar alguma vez com febre? Por várias vezes.
- Já foste trabalhar durante um ano de calendário laboral sem faltar uma única vez? Em 12 anos nunca faltei mas já estive de baixa por duas vezes, por doença, curiosamente durante o exercício de funções...
- Quantas vezes é que trabalhaste mais de 12h seguidas? Tantas vezes.
- Pagam-te horas extras?Nem por isso, já não sei o que isso é há anos (mais uma das "regalias").
- Pagam-te a tempo e horas?É raro falharem.
- Sabes o que é trabalhar a recibo-verde?Também sei, e sei o que é ficar meses à espera...
- Sabes que reforma TU vais ter?Não vou ter, mas penso que isso será generalizado daqui a uns anos... Como há mais malta a receber do que a contribuir, o dinheiro não vai chegar para tudo.

Ora bem Mach4. O comentário que retiraste ilustra em parte o que se passa. E eu digo em parte por que na história da antiguidade, isso já caiu há algum tempo, pois se bem se lembram, as progressões de carreira, principalmente as mais baixas (se é que se podem chamar assim), estão congeladas. Apenas em algumas carreiras é que ainda ocorrem.
Quanto ás regalias, há malta que recebe bem demais para o trabalho que faz, mas isso também há no privado e não vejo ninguém a criticar o Belmiro pelo que ganha sem fazer chavo neste momento...
Agora promoções de acordo com a produtividade, plenamente de acordo! Aliás, em vez de fazerem por avaliações, que dependem sempre de quem avalia, por produtividade há uma base mais justa.
@ jocas: Se as soluções tiverem por fim melhorar ou resolver algo que está mau ou não funciona, é sempre uma boa ideia. Se surgirem argumentos contra a ideia, então que se contra-argumente com dados e com factos. Se a ideia for boa e tiver base não desaparece e não cai.
 
#63
Gostei do teu texto.
Eu só escrevi o que escrevi porque pareceu-me que se estava aqui a passar a imagem que os sacrifícios só se fazem de um lado, o que não é verdade.
E o episódio que se passou com o Jocas22 foi numa conservatória e não numas finanças. Mas também aí se vê muita trapalhada, assim como noutros sectores públicos (segurança social e correios por ex.)
 
#64
@mocho

não me parece, bem sabes que nestas coisas a resistência á mudança, o poder dos sindicatos, a dependência do voto dos politicos e o enorme peso dos func publicos e seus dependentes na população votante, cria esta especie de vortice onde qualquer sensatez é imediatamente sugada.

Todos sabemos que no publico aquilo é pessimo, mas só saem de la mortos ou pra reforma. Mas não quero tambem com isto dizer que ninguem trabalha, longe disso, á sempre uns quantos otários no meio daquilo (eu chegava a ter pena deles) mas mesmo esses se meterem a mao na consciência e soberem o que é trabalhar no privado sabem que mesmo no pior dia são uns previligiados.

Eu cheguei a assistir a uma reunião de trabalho, uma equipa, onde uma pessoa gritou com a chefe inclusive com insultos e ameaças porque não aceitava tanto trabalho (o tanto trabalho nao impedia o chegar as 9 picar o ponto e sair pro cafe. As 17 ja estar no hall de entrada á espera pra picar). Mesmo com pessoas de fora da func publica a assistir.
 
#65
O que é isso de "funcionário público" no vosso dicionário?

Eu trabalho para o estado (a contrato há mais de 10 anos) e gostava de saber onde estão as minhas relatadas regalias além privado. Aliás, quem me dera NUNCA ter chegado a sair do privado onde comecei a trabalhar.

E mais uma nota, para que a ignorância deixe de mandar recados:

- ADSE (uma das populistas medidas, ditas, de regalia) data de 1963;
- o SNS data de 1979;
- o custo médio de um utente do SNS é de 933€ anuais;
- o custo médio de um doente da ADSE é de 649€
(vide Saúde - Liberdade de escolher - José Mendes Ribeiro - 2006)

Podíamos continuar, mas enfim, já sei que será mais um daqueles tópicos para encher chouriços. Só agradeço que não generalizem nem falem com desconhecimento de causa; a função pública engloba muitos trabalhadores, e muitos deles merecem o devido respeito e não verborreias lamentáveis que por vezes aqui abundam.
 
#66
penso que o facto de um funcionario publico nunca ser despedido é vantagem que qualquer trabalhador do privado ambicionava ter. E depois não falemos em valores de ordenados médios (e não me venham com a história que tem mais licenciados, porque isso é atirar areia pros olhos. Muitos deles são licenciados a fazer trabalhos administrativos onde ganhariam muito menos a fazer o mesmo no privado) e depois podemos falar das reformas mais cedo, das reformas muito mais altas.

e miguel esses numeros do custo por paciente são uma completa manipulação como de resto bem deves saber. As tais meias-verdades. O que ai está é que um hospital, uma clinica privada é mais eficiente que um publico. Ou seja, uma justificação pra se acabar com muitos funcionários publicos.

http://visao.sapo.pt/como-a-adse-esta-a-matar-os-hospitais-publicos=f670168

explica-me como se pode defender que o estado tenha hospitais e médicos pagos por ele, e depois pague aos privados pra que os seus empregados não vão aos seus próprios hospitais. A Adse não se financia apenas com os funcionários caso não saibas. No fundo quem desconta e paga os ordenados dos funcionarios publicos com os seus impostos vai pra fila de madrugada pro medico de familia, e quem beneficia desses mesmos impostos vai pro privado! Na minha modesta opinião um pais de pernas pro ar.

Uma empresa privada tem problemas, fecha, vai tudo pra rua. O estado tem problemas aumenta os impostos a todos, não despede ninguem, e siga a banda.
 
#67
Miguel, desde já agradeço o teu contributo para este "chouriço" ;).

Mas já que falas de respeito ficas a saber que quem atende atrás de um balcão, sendo para mais um funcionário estatal, deveria ter como principal preocupação a imagem que deixa transparecer cá para fora. Já sei que existem maças podres e ovelhas negras em todo o lado, por isso mesmo é que estamos aqui a discutir. Uma das maiores diferenças é que no privado respeita-se mais o patrão, porque no outro lado o patrão é muito grande e nem sempre está lá.

Por exemplo, quando li hoje que muitos pilotos de voôs comerciais adormecem durante a sua função...

Não vou estar aqui a apontar o dedo a profissões ou a categorias mas existem lacunas profissionais em muitas.
(Bem casos de PSP então....ui, ui.). Em 100, 30% tem muita memória para contar. E isto falo eu com algum conhecimento.
 
Last edited:
#68
quem gasta mais na saúde? a população idosa e para onde vão esses reformados para o Sns logo e normal que um serviço de saúde que so tem população activa seja mais económico em media que um que abarca a população mais dispendiosa!
 
#69
Desculpa Joca, mas estás equivocado. A ADSE é um "extra" e eu pago por ele mais 1,5% do meu vencimento; não é de borla. Depois, não sei de que hospitais falas ou conheces, mas a ADSE não tem hospitais; as Forças Armadas, talvez, mas esses não têm ADSE - reclamem com esses. O meu médico de família é público, como o teu e o de qualquer outro. E para concluir o assunto da ADSE, aqueles números não são meias-verdades: são dados, estatisticas.

Quanto ao facto de "não serem despedidos", mas em que século viveis? Então só ouvem as notícias que falam das regalias? Não ouvem as outras?

E para concluir, acho que a ideia do funcionário público continua muito agarrada à da senhora badocha, atrás de um vitrine, de óculos na ponta do nariz, a distribuir más palavras por toda a gente. Eu também me revolto e também reclamo, como qualquer um de vós - mas há muitos outros funcionários públicos que, repito, merecem o respeito e muitas vezes não o têm.
 
#70
tu pagas uma parte da ADSE e o estado do orçamento (isto é, impostos de todos) transfere o resto. Quem tem ADSE não é pra ir ao centro de saude nem ao hospital publico. Sejamos sérios. Falo como é óbvio de hospitais e clinicas privadas. Sabes bem que os números podem ser manipulados. Os números têm de ser, isso sim, interpretados.

Digo e repito, não são despedidos. Sei bem o que são os excedentários. As regalias que têm. Ficar em casa a ganhar sem fazer nada (não confundir com subsidio de desemprego), depois vão pra outro lado e repete-se o ciclo após um ano. Também assisti a isso. Praticamente pediam pra voltar pros excedentários.

Ai estamos de acordo, nem todos são iguais. Como de resto já o afirmei. Agora que nada se pode comparar ao privado, ai isso não se pode mesmo. Como disse um chefe da funcao publica pode fazer muito pouco pra por um funcionario a trabalhar, e toda a gente sabe disso, usa e abusa dos previlegios de não terem um patrão a quem dar responsabilidades. Nem falemos da avaliação, aquela coisa ridicula. As subidas de escalão automaticas, os dias de ferias que crescem com a antiguidades,...

Nada me move contra os func publicos, muitos são indispensáveis. Agora que não se comparem com o privado. Tenham decência ao menos de não o fazer. E digo isto porque o que mais me indignava era ver func publicos a fazerem-se de coitadinhos em vez de darem graças pelo que tinham. O trabalho pra um func publico é um direito (basta ver os estatutos, a longa lista de direitos que eu bem conheço), pra um func do privado é uma obrigação.

Digo e repito precisava de muito mais responsabilidade, de uma limpeza pra expurgar as "maçãs podres".
 
#71
Continuas a falar de exemplos passados; actualmente, em mobilidade (excedentários), ao fim de 3 anos são despedidos com justa causa.

Há muita caca? Óh se há meu amigo! Mas purgue-se isso tudo! Plenamente de acordo - só peço para não generalizarem!
 
#72
"Como disse um chefe da funcao publica pode fazer muito pouco pra por um funcionario a trabalhar, e toda a gente sabe disso, usa e abusa dos previlegios de não terem um patrão a quem dar responsabilidades. Nem falemos da avaliação, aquela coisa ridicula. As subidas de escalão automaticas, os dias de ferias que crescem com a antiguidades,..."
Jocas22, tens a certeza do que estás a afirmar ou vendes o "peixe" que se vende na comunicação social?
As progressões de escalão, e repito, estão congeladas em muitos casos e no entanto, continuas a afirmar com toda a certeza que existem.
Não despedem na função pública? Pois não, os contratos são por 6 meses e depois é só mandar fora, e não estamos a falar apenas de malta não qualificada, mas de malta que investe anos em formação e depois não tem colocação, apesar de fazer falta.
E ainda estou para descobrir que regalias tenho, pois o contrato que tenho é tirado a papel químico dos contratos que existem no privado, incluíndo o sistema de saúde, para o qual também espero como os outros para uma consulta no médico de família, que não tenho.
Cumps!
 
#73
E ainda me faltava isto...

Essa da reunião de que falas, numa certa instituição que conheço, resultaria num processo e consequente despedimento.
Mas como trabalho e por vezes até bem além do meu horário, para que não sobre nada para quem vem a seguir, fico puto da vida quando ouço os "bitates" do cromo que nada faz de útil na vida, pensando que sou "polidor de esquinas" de profissão.

E não, não te aponto o dedo nem digo que estejas errado. Mas onde trabalho, a minha filosofia é "é preciso fazer, faz-se", mesmo que outros não queiram fazer... E se não for feito há consequências, bem graves.
 
#74
@miguel. Ao fim de 3 anos. Por amor de deus que patetice de regra. tens de concordar. E depois como bem sabemos os dois na pratica isso não acontece a ninguem.

@mocho. Não tenho nada a acrescentar ao que escrevi. Siga em frente.
 
#75
ADSE: despesa por beneficiário - Portugal

1966 0,4
1970 1,8
1980 9,1
1990 104,8
2000 392,0
2001 449,3
2002 570,4
2003 455,3
2004 542,6
2005 651,9
2006 718,2
2007 715,3
2008 743,5
2009 697,6
2010 419,4
2011 415,8
Fonte: http://www.pordata.pt/Portugal/ADSE+despesa+por+beneficiario-614
miguelcarromeu said:
A ADSE é um "extra" e eu pago por ele mais 1,5% do meu vencimento; não é de borla.
1,5% do ordenado... UAU!

Mas tens razão,não é de borla. Sai do bolso de todos os outros...
 
Last edited:
#77
1,5% do ordenado... UAU!

Mas tens razão,não é de borla. Sai do bolso de todos os outros...
Deves estar equivocado ou confuso no username se pensas que vou perder tempo com mediocricidades. Mas, não sei se reparaste na ridicularidade dos teus próprios dados que mostram uma evolução tendencialmente negativa (de baixa) dos valores suportados. Seria curioso colocar os dados do SNS. Eu também faço descontos, mas.... phssssst.. não digas a ninguém...

Também já se percebeu no outro post que o "mal do país" é dos cidadãos; que tu e mais meia-dúzia pagam impostos e outros "otários", como eu, falamos de "barriga cheia"; que o patronato é uma maravilha e a classe empregadora uma abusadora. ;)
 
#78
@pavl
O que essa noticia defende é o fim do SNS. E a instalação de um sistema 100% privado e financiado pelo estado. E a prova de que o estado a gerir o que quer que seja é uma desgraça.

quanto aos utentes da ADSE serem mais baratos existem coisas que não são comparáveis. Se um utente da ADSE for ajudado pelo INEM quem paga é o SNS. Se houver um choque de comboios quem paga os medicos, o INEM, é o SNS, não a ADSE. Um exemplo. Compara-se o que não é comparável.

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=88851
 
#79
Olá malta,
Engraçado, se olharmos para os modelos dos países a Norte da Europa vemos que a tendência é ser o Estado a gerir esses mesmos serviços, e até são gratuitos, é muito giro para umas coisas darem como exemplo esses mesmos Países mas para outras nem falam nisso e não me venham com a questão de que pagam impostos altos porque por cá não os pagamos baixos. Pela quantidade de impostos que pago o serviço retribuído é uma treta. Depois podemos comparar também as regalias, mordomias e ordenados de quem gere esses mesmos impostos e ai eu vejo a razão do dinheiro não chegar para me prestarem um serviço condizente com os impostos que pago.
 
#80
Jocas22
A noticia não fala só sobre a defesa do fim do SNS. Que o estado gere mal seja o que for isso é bem verdade,eu postei aquele link e aquilo que lá está mostra com dados do Ministério da saúde que referem ser mais caro um doente do SNS do que o da ADSE.
O exemplo que dás é discutível não o vou tentar rebater,os impostos que nos cobram seja no que for alimentam o estado e creio que dificilmente os descontos que se faz exclusivamente para o SNS seriam suficientes para o sustentar.
Tudo isto que se comenta e não só aqui,é que este governo em vez de unir as pessoas está a fazer o oposto,funcionários públicos contra privados ou vice versa,novos contra velhos,pobres contra ricos e trabalhadores contra patrões.
A minha opinião é que estamos todos lixados!!!