Crónicas de um Bravo do Pelotão por Terras Helvéticas

AFP70

Active Member
De “Chandolin” vi-me grego para atingir o cimo do “Col des Ombrintzes”...

Chegada a altura de verão, aqui o “Je” fica com um apetite insaciável de galgar montanhas e vai dai, põe-se a desenhar tracks malucos :).

Desta vez, resolvi arrancar em “Chandolin” a 2’000 mts, para efetuar uma volta com cerca de 54 kms.
Apanhei o comboio das 07h00 da manhã e mais tarde um autocarro, sendo que pelas 09h30 estava a dar inicio à volta em companhia de mais duas pessoas.

No autocarro conheci um pai e seu filho holandeses que estavam de férias durante uma semana por estas bandas. Iam para a minha zona mas queriam fazer “render o peixe”, pelo que lhes propus que se juntassem a mim. Ele há coincidências, não é que o pai tinha a mesma idade que eu e fazia anos no mesmo mês só que ele era virgem e eu balança ;).

Ambos estavam em excelente forma pois logo nos primeiros kms desapareceram de vista e ainda bem que assim foi, pois penso que me teriam amaldiçoado se tivessem vindo comigo, para além de que não gosto de colocar em risco a vida de ninguém.

Dados da volta
- Altitude máxima – 2’760 mts
- Altitude mínima – 538 mts
- N°total de kms – 44,75
- Acumulado de descida – 2’447 mts
- Acumulado de subida – 1’110 mts
De salientar que em 1,5 kms tive 240 mts de desnível, é quase como se a cada 100 mts percorridos subisse 16 mts. Foi por isso que demorei nessa zona e com a ajuda da neve, quase 1h00 para percorrer 700 mts. As fotos falam por si.

Realmente quando cheguei a “Le Tsapé” a 2’470 mts e me propunha subir aos 2’760 mts (foto 7), acabei por falar com os 2 caminheiros que se veem na foto 11. Estes informaram-me que era muito complicado ainda por cima com uma bicla pois o terreno era sobretudo constituído por grandes calhaus e o risco de queda era enorme. Disseram-me ainda para não demorar muito na zona pois devido às grandes amplitudes térmicas a rocha tinha tendência a desagregar-se e era normal formarem-se pequenas “avalanches” de calhaus. Para me motivar ainda mais disseram-me que haveria uma zona onde a cada passo dado em frente iria dar dois para trás (daí se depreende que a inclinação deveria ser mesmo enorme). Poderiam ter-me avisado que nesta altura do ano ainda encontraria tanta neve :).

Quem me conhece, sabe que todas estas recomendações e avisos são música para os meus ouvidos, mas quando cheguei à zona da foto 14, aí a música foi outra. Desde que por aqui ando e já lá vão quase 9 anos, foi a primeira vez que me senti tão desamparado, em que cada passo dado era um verdadeiro suplicio.
Deixo-vos imaginar o prato que poderia ter dado com os seguintes ingredientes (terreno com grandes calhaus, pontiagudos e cortantes + neve (quase gelo) + escarpa com inclinação de 45° + bicla ao ombro + sapatos de BTT com clits + nada a que se agarrar em caso de queda ou deslizamento), enfim, nunca disse tão mal da minha vida.

É nestas alturas que um tipo agarra-se ao que pode e com a ajuda de Deus e os Santos protetores, lá consegui ao fim de quase uma hora perfazer esses 700 mts (foto 14 – foto 17).
Confesso que tive sorte, pois se tivesse acontecido algo, não estaria com certeza aqui para vos contar.

Eis parte dos registos do dia 20 fotos + 20 fotos no post seguinte.









































Continua a seguir no post 883...
 

AFP70

Active Member
De “Chandolin” vi-me grego para atingir o cimo do “Col des Ombrintzes”...

Continuação do post 882…










































Claro que todo este sofrimento da subida para atingir o “Col des Ombrintzes” foi largamente compensado pelas descidas e paisagens que se seguiram (ver fotos).

É pois como disse Tennessee Williams “Não olhes para a frente para o dia em que vais parar de sofrer, porque quando esse dia vier saberás que morreste.”

Acabei por não realizar a volta na sua totalidade, mas penso ainda antes do verão acabar, voltar a esta zona, pois a volta agendada, na segunda parte passaria pelo “Lac de Illsee” (foto 4 do post 882). O seu a seu tempo :).

Cumprimentos betetistas e até à próxima crónica…

Alexandre Pereira
Um Bravo do Pelotão, neste caso sem…
 

AFP70

Active Member
Doze anos passados, este Bravo voltou a pisar a Serra da Estrela

No não muito próximo ano de 2007, efetuei em companhia de um ex-Bravo de seu nome Viegas, a minha primeira incursão por terras da Serra da Estrela.

Na altura qual GPS, isso era coisa de que se ouvia falar mas cujo investimento era insuportável para o comum dos mortais; nessa altura o Google Earth estava a dar os primeiros passos em Portugal, pelo que a técnica encontrada aqui pelo “Je” era fazer pequenos “prints” do trilho que ia numerando e ordenando com as informações que julgava mais pertinentes (altimetria, se era subir ou a descer, pontos a visitar, etc…).

À medida que ia rolando ia desbobinando à semelhança de um filme esse conjunto de impressões, o que não evitava que por vezes a malta se engana-se :).

Isto tudo para vos dizer que nessa altura não conseguimos acabar a volta agendada isto porque a bicla do meu companheiro de armas não aguentou as agruras do terreno, tendo quebrado mais de 6 raios. Como um azar nunca vem só, sem sabermos como, acabamos por ir parar ao Ski Parque da aldeia de Sameiro em Manteigas (mais informações em www.skiparque.pt), donde fomos rebocados.

No passado dia 24 de julho estando em Portugal efetuei a repetição desta volta em companhia do grande amigo Pereira (responsável da logística) e mais dois novos Bravos (sim é verdade, são agora membros de pleno direito, pois atravessaram com estoicidade as agruras a que fomos confrontados na fase final da volta). Em verdade vos digo ;), não é qualquer um que depois de andar grande parte do dia sob temperaturas superiores por vezes a 37°C ainda têm paciência para subir sem pestanejar nem reclamar, cerca de 400 mts de desnível em menos de 4 kms.
Parabéns Adilson e Marcelo!

Dados da volta
- Altitude máxima – 1’993 mts
- Altitude mínima – 469 mts
- Total de kms – 57,51
- Acumulado de descida – 2’720 mts
- Acumulado de subida – 1’237 mts (em menos de 35 kms :))

A volta inicia na Torre a 1’993 mts e termina na freguesia de Canhoso a 469 mts, mais precisamente no Tomás Guest House onde ficamos hospedados e que dista cerca de 10 min do centro da Covilhã. Os quartos foram todos remodelados e assemelham-se agora a um Ibis, já agora e para que conste, o dono não me pagou para fazer qualquer tipo de publicidade ;).

Eis parte dos registos do dia 20 fotos + 20 fotos no post seguinte.









































Continua a seguir no post 885...
 

AFP70

Active Member
Doze anos passados, este Bravo voltou a pisar a Serra da Estrela…

Continuação do post 884…











































Acabo esta crónica com uma tirada do Voltaire, que resume o meu estado de espírito após a realização desta volta “O maior prazer que alguém pode sentir é o de causar prazer aos seus amigos” :).

Desde 2009, altura da criação do site BDP que o track desta volta se encontra online. Trata-se da volta N°26, para quem desejar copiar, mas não me amaldiçoem a seguir ;).

Cumprimentos betetistas e até à próxima crónica…

Alexandre Pereira
Um Bravo do Pelotão, neste caso sem…
 

AFP70

Active Member
@Pedro Barradas,
Sei do que falas, fiz o meu serviço militar em Estremoz :).

@ex-bravo,
Ainda tenho fé em ti ;).
A vida ensinou-me que nunca devemos dizer “desta água não beberei”.

@mack1,
Enquanto vontade e saúde houver, tentarei nunca desiludir :).
Num futuro que acabará por, acontecer, chegarei aos dez anos de aventuras neste espaço.

Aproveito para agradecer todos aqueles que comentaram (86) neste tópico ao longo deste período, a saber (por ordem cronológica):
cagaréu, El Solitario, alferes, nunomaia, SURFAS, jomendes, Taveirada, Kumbaiala, brtantunes, salgado52, jess, fox77, Lure33, joks, RTC, lmachado, PBM, Ming@s, super.byke, I feel the Wind, APJBTT, Jocas22, [resende fr], SeteGu, jmra37, BikeTrepaTudo, osodrac, quileptor, carferreira, Tolibike, Nunomlcs, t@ndre, jackyl, KLUCA, bel-to, huppy, fox77, ex-bravo, commendatore, korreya, cabaço, Rippy, BOY SCOUT, anarciso, Miguel79, Israel Pedro, Jcarita, pre_historico, ferrazz, QUEBRA TOLAS, acelot, lemos, Jean73, ignite, quileptor, andreleal86, Joana Simoes, EU-MTB, Paulo Alex, Mr.sa, cyber_ne, Medroso#78, Jokofar, pamoreira, riky21, lucard, seagate, davidream, camponubla, fabio viana, RMDVENTURA, Francisco rei, connanbtt, iMiguel, Ricast, PXL, Pedro Barradas, Angeloliveira, patafurdio, JARBAS83, brunomartins, ct1ehm, moshinho, adrianoagostinho, mack1, elvales, assim como todos aqueles que vão lendo as crónicas, mas que por um motivo que desconheço, não querem ver o seu nome associado a este tópico :);).

Muito obrigado a todos e peço desculpa se porventura esqueci alguém;).
 
Last edited:

AFP70

Active Member
E vocês conhecem a OTO Cycles?

Enquanto deambulava este sábado pelo mercado local, encontrei esta maravilha.







Após algumas pesquisas na net, descobri que se trata do modelo OTO K, com um preço base de EUR 3’200,00.

Esta empresa belga , fabrica para além deste modelo elétrico, mais 2 modelos (OTO R e Race R).

Mais informações em https://www.otocycles.be/fr/

Cumpts,
Alexandre Pereira
 
"ALMA DE CICLISTA” – Autor desconhecido

Comprei uma bicicleta por um sonho pessoal.
Um dia quando ficar muito velho e quando não puder mais andar, ela estará na minha garagem como um troféu das minhas lembranças.
Conheci pessoas que me ensinaram algo e partilham o mesmo espírito e conheci outros que me alegro de ter esquecido.
Fiz amigos de verdade, colegas e também conhecidos.
Já me molhei,
Já senti frio,
Já senti calor,
Já senti medo,
Já cai,
Já levantei,
Ja me aleijei,
Mas tbm já sorri muito dentro do capacete,
Já falei mil vezes comigo mesmo,
Cantei e gritei de alegria como um louco,
E sim,às vezes chorei,
Já vi lugares maravilhosos e vivi experiências inesquecíveis.
Já subi subidas intermináveis e me perguntei se estava louco.
Muitas vezes fiz curvas que até o Valentino Rossi ficaria orgulhoso, outras vezes fiz curvas no terror.
Parei mil vezes para ver uma vista.
Eu falei com perfeitos desconhecidos, e esqueci pessoas que vejo todos os dias.
Saí com os demônios dentro de mim e voltei para casa com a paz no coração.
Todas as vezes pensei que era perigoso, sabendo que o significado de coragem é avançar mesmo sentindo medo.
Todas as vezes que subo na minha bike, penso no quão maravilhoso é.
Parei de falar com quem não entende, eles simplesmente (NÃO ENTENDEM) e aprendi através de gestos como comunicar com parceiros n’outras bikes.
Gastei dinheiro que não podia, com renúncia a muitas coisas, mas todas essas coisas não valem um único momento daqueles em que estou em cima da minha bike,
Não é um meio de transporte nem um pedaço de ferro com rodas, é sim, a parte perdida da minha alma e do meu espírito.
E a quem me diz: "Tens que vender, tens que ser uma pessoa mais séria."
Eu não respondo.
Simplesmente balanço a cabeça
E sorrio.

Andar de bike, pedalar.
Só entende quem ama.
Que Deus abençoe meus amigos ciclistas.
 

iMiguel

Well-Known Member
400D+ aqui por Mértola é bem possível de se fazer em 4km, só na saida da vila, ao fim de 1km já se leva 120D+ eheh

Continuação de boas pedaladas e de chapas brutais desse cantinho
 

AFP70

Active Member
E lá se foram assim sem mais nem menos “Cu caralho” 7 anos de arquivo fotográfico...

Até à página 35 deste tópico foi tudo à vida em termos de fotos, daí em diante safa-se (vá se lá saber até quando) porque na altura no seguimento de um problema, efetuei uma experiência com o PHOTOBUCKET e mais tarde porque estes últimos se portaram mal, arranquei e até hoje com o IMGUR

Meus amigos (as),

Pelos vistos, o TYNIPIC vai fechar :mad:

“TinyPic is shutting down

Due to an inability to support a high-quality free digital service that derives 100% of its revenue from ever declining on-site revenues, TinyPic will be permanently shutting down on September 9, 2019. Because we want to give you as much notice and information as possible during our transition, please carefully review the following information.

What Should You Do Now?

If you have a TinyPic user account, login and download all of the images you wish to preserve. Sorry, bulk download is not an option on TinyPic so you will need to download each image separately.

IMPORTANT DATES:

August 20, 2019
- no new images may be uploaded on TinyPic.

August 29, 2019
- hosted images will no longer be viewable on 3rd party websites. Because we are an anonymous hosting site and therefore cannot provide notice by e-mail to our users, we have opted to replace all hosted images with a temporary message directing them to this notice.

September 9, 2019
- last day for TinyPic account holders to access their accounts and download their
images.

We would like to personally thank you for choosing TinyPic as your hosting service. Many of you have been utilizing our services since we launched back in April 2004. As you look for a new hosting service, please consider selecting one of the premium plans offered by our sister site, Photobucket.”

Só me apetece dizer uma coisa a estes sites que prometem mundos e fundos “FUCK YOU ALL” :mad:

Ainda tenho o registo “Bravos do Pelotão” que me pertence (desde que não me esqueça de pagar todos os anos ;)), onde logo que houver disponibilidade tentarei apresentar algo melhor que o existente …

Peço desculpa pelo desabafo, mas "p..a que os f..a",
Alexandre Pereira

P.S: Confirmo sim senhor, os palavrões são voluntários, aliviam-me a dor, a raiva :mad:;)...
 
bOAS!
Passei pelo mesmo problema com o PhotoBucket :mad: migrei para o IMGUR, e até ver vai se aguentando.
Mas como na vida real, tudo muda,tudo acaba. Prevenção e antecipação são a única forma de navegar no meio disto tudo :)
Grande abraço Alex ;)