Como recuperar de uma clavicula partida?

Boas pessoal , nova consulta e venho completamente chocado e enervado com o nosso sistema nacional de saúde!
Cada vez que vou ao Hospital venho com novas indicações.
Passo a explicar :
- Dia 27 de Junho : Entrada nas urgências, (dia do acidente), após o raio x a médica diz me que a fractura tem tudo para consolidar bem pelo que não é necessário cirurgia. Desta feita braço ao peito e mandam me pra casa sem qualquer tipo de medicação e sem o relatório médico e ainda escrevem no relatório que abandonei a urgência sem ordem médica o qual constatei na consulta do médico de família quando fui pedir baixa, ou seja , fugi da urgência o que é mentira pois como devem imaginar seria difícil fugir com a clavícula partida e carregado de dores !
-8 de Julho : Consulta externa no hospital de São João , detectam desvio que após ter verificado ambos os raio X era igual ao que tinha no dia 27 pelos que as 2 médicas que me atenderam encaminharam para cirurgia ( Aqui está o primeiro erro, ou seja poderia ter sido logo operado mas andei 15 dias a encher chouriços).
- 15 de Julho : Operação a clavícula em que me meteram uma placa e 8 parafusos... no dia da alta ou seja no dia seguinte mandam me pra casa e retirar o colete de vez em quando ao dia para fazer alguns movimentos e tomar medicação enquanto houvesse dor ... como instrução médica que cumpri.
Dia 27 de Julho: hoje dirigi me novamente a consulta externa de avaliação posterior a operação ... afinal nunca posso tirar o colete e não posso mexer o ombro apesar de não ter qualquer tipo de dor
Quando perguntei se poderia trabalhar e após dizer que sou electricista mas que consigo trabalhar com uma mão pois não pego em pesos e não ando sozinho o médico foi extremamente arrogante e ainda se riu de mim .

Conclusão ... não consigo entender uns dizem uma coisa outros dizem outra e nós andamos como tolos no meio da ponte ... senão posso ir pra esquerda ou pra direita só se me atirar ao rio ... como foi as vossas recuperações deste estilo ??

Cumprimentos e bons rides pessoal
Espero que estejas a evoluir bem.

Compreendo a tua desilusão. Como relatei, também não me fizeram um bom diagnóstico na consulta da urgência, mas no meu caso tive sorte porque o osso não deve ter saído muito do sítio, e aparentemente o tratamento era a imobilização, na mesma. Mas como só duas semanas depois é que fui ao ortopedista por continuar com dores ao levantar o braço, e a médica da urgência me ter dito que a imobilização era por duas semanas, só nessa altura soube que tinha a fractura. Andei duas semanas a tentar mexer o braço, podia ter dado cabo disto tudo...

Se calhar o melhor é fazer logo como fizeste e arranjar rapidamente uma segunda opinião, quando pudermos, porque aparentemente, ou os clínicos gerais estão mal preparados para avaliar estas fracturas, ou então tivemos os dois azar.

O meu ortopedista não viu necessidade de continuar a usar o imobilizador que agarra o braço ao tronco durante o dia, no final das duas primeiras semanas, disse-me que usasse apenas a suspensão do braço permanentemente. Imobiização total só mesmo para dormir, pelo risco das voltas na cama.

Isto cada caso é mesmo um caso. Mas uma das opiniões generalizadas que tenho recebido é que ao fim do primeiro mês devemos passar a guiar-nos pela dor para darmos início à recuperação. Mas claro que a opinião do especialista é importante. Os ferros deviam permitir o uso do osso mais cedo, pensariamos nós.

Eu também estava optimista e quase forcei o médico a deixar-me voltar à bicicleta quase logo, na última consulta, ele disse-me que podia recomeçar com cuidado em Agosto. Pois bem, estamos em Agosto e apesar de estar cheio de vontade, até já estive a encher os pneus, agora instala-se algum receio. Já passaram praticamente dois meses desde a queda, já faço muitas coisas com o braço, (ainda não seguro o telemóvel entre esse ombro e a cabeça, nem consigo tocar com as duas mãos atrás das costas, e ainda não consigo dormir sobre o braço com confiança), mas começo a ver que parte do problema é a recuperação dos músculos e tendões do ombro, é mais demorada que a do osso. Sinto o osso bem sólido mas em certos movimentos, e principalmente depois de dormir, ainda sinto umas sensações de ardor muito intenso em certos movimentos.

Por isso o melhor é termos calma, o corpo também nos diz o que podemos ir fazendo ou não. A dor, na recuperação, é boa conselheira. Desde que soube que tinha o osso partido, andei com a preocupação de o partir outra vez por falta de cuidado. Pelo menos esse problema não tens porque te puseram os ferros, os médicos cada vez mais tentam salvaguardar-se de problemas e por vezes são demasiado conservadores nos conselhos que nos dão.

As melhoras, vai dando notícias.
 
Espero que estejas a evoluir bem.

Compreendo a tua desilusão. Como relatei, também não me fizeram um bom diagnóstico na consulta da urgência, mas no meu caso tive sorte porque o osso não deve ter saído muito do sítio, e aparentemente o tratamento era a imobilização, na mesma. Mas como só duas semanas depois é que fui ao ortopedista por continuar com dores ao levantar o braço, e a médica da urgência me ter dito que a imobilização era por duas semanas, só nessa altura soube que tinha a fractura. Andei duas semanas a tentar mexer o braço, podia ter dado cabo disto tudo...

Se calhar o melhor é fazer logo como fizeste e arranjar rapidamente uma segunda opinião, quando pudermos, porque aparentemente, ou os clínicos gerais estão mal preparados para avaliar estas fracturas, ou então tivemos os dois azar.

O meu ortopedista não viu necessidade de continuar a usar o imobilizador que agarra o braço ao tronco durante o dia, no final das duas primeiras semanas, disse-me que usasse apenas a suspensão do braço permanentemente. Imobiização total só mesmo para dormir, pelo risco das voltas na cama.

Isto cada caso é mesmo um caso. Mas uma das opiniões generalizadas que tenho recebido é que ao fim do primeiro mês devemos passar a guiar-nos pela dor para darmos início à recuperação. Mas claro que a opinião do especialista é importante. Os ferros deviam permitir o uso do osso mais cedo, pensariamos nós.

Eu também estava optimista e quase forcei o médico a deixar-me voltar à bicicleta quase logo, na última consulta, ele disse-me que podia recomeçar com cuidado em Agosto. Pois bem, estamos em Agosto e apesar de estar cheio de vontade, até já estive a encher os pneus, agora instala-se algum receio. Já passaram praticamente dois meses desde a queda, já faço muitas coisas com o braço, (ainda não seguro o telemóvel entre esse ombro e a cabeça, nem consigo tocar com as duas mãos atrás das costas, e ainda não consigo dormir sobre o braço com confiança), mas começo a ver que parte do problema é a recuperação dos músculos e tendões do ombro, é mais demorada que a do osso. Sinto o osso bem sólido mas em certos movimentos, e principalmente depois de dormir, ainda sinto umas sensações de ardor muito intenso em certos movimentos.

Por isso o melhor é termos calma, o corpo também nos diz o que podemos ir fazendo ou não. A dor, na recuperação, é boa conselheira. Desde que soube que tinha o osso partido, andei com a preocupação de o partir outra vez por falta de cuidado. Pelo menos esse problema não tens porque te puseram os ferros, os médicos cada vez mais tentam salvaguardar-se de problemas e por vezes são demasiado conservadores nos conselhos que nos dão.

As melhoras, vai dando notícias.
Boas , mais uma vez consulta no Hospital e mais uma vez o médico não apareceu pelo que fui atendido desta vez por uma médica ! Raio X da praxe e consulta
Ao que me foi dito que ainda não havia vestígios da consolidação mas que estava tudo a correr bem e mandaram me tirar o suporte do braço durante do dia e ir trabalhar já amanhã Mas que era cedo pra fisioterapia
Como eu digo o nosso sistema de saúde está pela hora da morte em que uns médicos dizem uma coisa outros outra e não entendo nada
 
Boas pessoal ... tenho a informar que o Prof. Dr. João Torres ( podem procurar no Google) é um excelente doutor
Foi quem me operou a clavícula , ontem contactei o por e-mail através do site dele e hoje quis me ver pelo que me mandou ir ter com ele ao hospital S. João e foi super atencioso comigo
Recomendado 100%