Como montar uma bicicleta de montanha (quase) do zero

Jepas

Super Moderador
#1
Como montar uma bicicleta de montanha (quase) do zero


Primeiro há que juntar todas ferramentas necessárias para a montagem:


Suporte, chaves allen, chaves torx, chave dinamométrica, chave de roquete, massa, frenante, alicate de corte, pontas e de cabos, quebra-correntes, chave hollowtech II e chave de cassete.
Nesta montagem vamos começar já com os pneus UST montados e com líquido anti-furo. Assim sendo basta montar-lhe os discos e a cassete na roda traseira.
Os parafusos normalmente são Torx e já trazem frenante (de cor azul) para evitar que os parafusos se soltem com as vibrações.


O cepo Shimano é estriado, mas as estrias não são todas iguais, há que alinhar todos os componentes da cassete durante a montagem. Só há uma maneira possível de entrarem.


Depois de colocadas todas as partes da cassete, é necessária a chave de cassete para apertar a porca (lock-ring).


Na roda da frente basta montar o disco e ficamos com as 2 rodas prontas para mais tarde serem instaladas.



Vamos concentrar agora a atenção no quadro. Existem muitas medidas importantes além da geometria e nem sempre são do conhecimento geral:
Diâmetro do espigão, diâmetro e tipo do desviador dianteiro, rota do cabo do desviador dianteiro, altura e diâmetro da testa, largura do eixo pedaleiro e distância e largura entre olhais do amortecedor.
Neste caso vamos usar um quadro Trek Fuel de 2004 com 31.6 de espigão que vai ser reduzido por casquilho a 27.2.


Com o casquilho introduzido podemos colocar o espigão de selim.


O espigão ainda não será ajustado nem levará o selim, apenas é montado nesta fase para suportar a montagem no stand.


Normalmente os quadros de suspensão total já trazem o amortecedor montado. Para exemplificar vamos montar um Fox Float RL de 165mm entre olhais.
Aconselha-se a usar frenante nestes parafusos…


e apertar com chave dinamométrica verificando o seu aperto em intervalos de tempo definidos no manual.


Segue-se a montagem do eixo pedaleiro. Convem verificar a integridade da rosca, limpá-la e usar um pouco de massa.


A medida neste quadro são 73mm, logo apenas será usada uma anilha espaçadora no copo do lado direito. O copo esquerdo tem rosca direita (aperta no sentido horário), o copo direito tem rosca esquerda (aperta no sentido anti-horário).


Segue-se a montagem da caixa de direcção. Esta é a maneira usada nas oficinas, ou seja, com a ferramenta certa (a prensa). A maneira mais fácil é montar um copo de cada vez, assim elimina-se o risco do copo enjambrar.


O processo repete-se para o copo superior, depois disso insere-se a suspensão que já tem a pista inferior da caixa e aranha montadas.


A suspensão é fixa primeiramente com o topo da caixa de direcção. Por cima ficam anilhas (se necessário) e o avanço. O sistema fica completo com a tampa da caixa. Este parafuso serve para eliminar a folga, por isso basta apertar levemente para eliminar a folga e não criar prisão na caixa.


Com o avanço montado segue-se o guiador e assim teremos uma primeira estimativa do alinhamento da direcção.


O fabricante do avanço anuncia 5 N.m para os parafusos do avanço. Convem apertá-los alternados e com uma chave dinamométrica.


Com o guiador montado podemos instalar os manípulos de mudanças mas sem apertar em demasia, só no fim saberemos a sua posição correcta.


Na secção traseira já é possível montar o desviador.


Na frente antes de instalar o desviador dianteiro é necessário instalar a pedaleira primeiro. Neste caso como é um sistema HollowTech II (eixo integrado) é preciso uma ligeira pancada com um maço de borracha para que o eixo atravesse por completo os copos.


Seguidamente vamos instalar o braço esquerdo da pedaleira, neste caso com uma chave allen nº 8, o aperto recomendado são 40 N.m


Como se verifica, existe um espaço entre o braço e o copo, é necessário eliminar esta folga rodando o anel do braço. No fim é preciso apertá-lo para que não se solte com chave allen 2.5.


Antes de terminar, é necessário colocar um anel roscado que protege a rosca do braço esquerdo. É instalado com uma ferramenta específica da Shimano (TL-FC35) e tem rosca esquerda.


Com a pedaleira montada seguem-se os pedais. Convem lubrificar as roscas com massa, isto impede que calcinem e ajuda na sua desmontagem no futuro.


O desviador dianteiro já pode ser montado. É mais fácil de tivermos o bloco de ajuste (cilindro verde na imagem) porque é nesta posição que devemos regular a altura no quadro.


Os desviadores estão no sítio, é altura de montarmos as bichas. Neste caso estavam pré-cortadas à medida.


Convem deixar alguma folga para a rotação do guiador e para o movimento da suspensão.


Com as bichas instaladas basta abrir o parafuso dos manípulos, pô-los na sua posição de descanso (1x9) e inserir o cabo que vai sendo guiado pelas bichas até aos desviadores.


Seguidamente montam-se os travões de disco sem apertar em demasia, pois só podem ser afinados com a roda e o disco montados.




Nesta montagem usou-se uma guia para o tubo do travão da frente.


Neste momento montam-se as rodas para que se possam afinar a posição dos travões relativamente aos discos.


É a vez de instalar o selim, consoante o espigão é preciso ou não retirar a chapa superior para fazer assentar os carris.


O ajuste da inclinação deve ser feito com a bicicleta assente no chão, por isso, este aperto é provisório.


É agora possível finalizar o alinhamento da direcção apertando os parafusos do avanço que abraçam a coluna de direcção.


No guiador apenas faltam os punhos. Esta pode ser uma tarefa deveras complicada sem algumas ajudas. Para os punhos Ritchey WCS a laca e o compressor são praticamente inúteis. A melhor maneira será molhar o guiador e o punho e enroscar com força e paciência. Pode ser usado álcool ou água para facilitar a montagem.


Aproveitando o facto de a bicicleta se encontrar suspensa no ar, vamos finalizar a transmissão colocando a corrente (neste caso com um elo rápido).


Falta apenas afinar a transmissão, prendendo os cabos aos desviadores e fazendo os devidos ajustes. Para evitar que o cabo desfie na ponta, vamos colocar terminais próprios que são presos usando o alicate das bichas.


É altura de colocar a bicicleta no chão para os ajustes finais.
O selim deve ser regulado neste momento e a sua orientação deve ser paralela ao chão. Novamente existe um valor máximo do aperto especificado pelo fabricante do espigão.


Para finalizar vamos ajustar a posição dos manípulos e das manetes, para que fiquem alinhados com a posição natural das mãos em andamento.


No fim, basta prender o tubo hidráulico do travão traseiro aos suportes do quadro, por vezes é necessário o uso de abraçadeiras (zip-ties).



Projecto finalizado.

Jepas
 

CMSR

New Member
#2
muito bem. parabens pelo trabalho

(por enquanto so consigo ver a 1ª foto, mas li o texto e está resumido mas bem explicado. aguardo que as fotos apareçam :wink:)
 

Batas

New Member
#3
Porreiro. A bike era tua? Ficaram a faltar apenas fotos de todos os passos... :mrgreen:

Na parte dos apertos estou a construir uma listinha dos parafusos da minha btt... Pode servir para algo/alguem... Ou não... :D



Recomendo também o uso de massa de montagem, principalmente para zonas de contacto em que os componentes são muito lisos, como componentes em carbono. Atenção que esta massa não tem a função de lubrificar como uma massa normal, mas sim tornar as susperfícies mais rugosas.

Isto permite baixar o torque de aperto em 30% para ter o mesmo efeito. Já verifiquei, e realmente ajuda e muito. Daí que na lista que coloquei tem um campo onde tem os valores de torque máximo e o que eu considerei suficiente para o meu caso. Usei a dita massa em todos os pontos de contacto carbono/carbono e carbono/alumínio.
 
#5
Este DEVE ser um excelente post. E digo DEVE, porque se conseguisse ver as fotos ERA MESMO um excelente post... :mrgreen: Na boa. Sou só eu ou há mais pessoal que não consegue ver as imagens. Apenas vejo a primeira. Cumprimentos
 
#6
fitty77 said:
Este DEVE ser um excelente post. E digo DEVE, porque se conseguisse ver as fotos ERA MESMO um excelente post... :mrgreen: Na boa. Sou só eu ou há mais pessoal que não consegue ver as imagens. Apenas vejo a primeira. Cumprimentos
Já somos dois... :roll:
 
#7
Estás de parabéns Jepas. O tópico está espectacular. :D :D :D
Eu também só vejo a primeira fotografia, se as outras também ficassem visiveis era o ideal. :mrgreen: :mrgreen:






Cumprimentos Betetistas.
 
#8
Este é um dos melhores Tópicos do Fórum :yeah:


5000 Mil (Queimas) :lol: para o Jepas :!:

Até dá vontade de desmontar a Bike toda :mrgreen:
 

fg

New Member
#9
Excelente!
Grande tópico, Jepas.





off topic: e essa geringonça está em condições de andar no próximo domingo? :wink:
 
#10
Agora sim com as fotografias todas o tópico está ainda melhor. :mrgreen: :mrgreen:
Não sei se este tópico é o melhor do forum mas concerteza que é um dos melhores, sem dúvidas. :p :p :p :p
 
#13
esta de facto excelente.... ajuda bastante a perceber certos pormenores que as vezes falha e assim montar uma bike na perfeiçao... PARABENS.. este topico vai ser bastante util a mim no futuro...


cumps
 
#20
Irra que essa treck esta mais vezes desmontada que andar :D

Também já faço algumas coisa na minha quando tenho tempo mas, a parte da caixa de direcção e da cassete ainda não aventurei... até porque falta-me ferramenta para essa etapa.


Parabéns Jepas está muito bom este tópico.

:eek:fftopic: o grupo necessita de umas aulinhas

um abraço