Canyon Nerve ES9 - O Mundo É plano...

Aqui fica o Report Fotográfico.
http://www.slide.com/r/K6T4ADqy6j-ieNHadl1-TC482D7eMB9x?previous_view=mscd_embedded_url

Finalmente, após 20 dias de "transporte", a ES 9.0 chegou ao seu destino final.
A expectativa era grande. Afinal, não é uma bici qualquer. Tem componentes de topo, muito bem escolhidos que, no seu conjunto, conseguem "despertar" o lado oculto de cada um.
A minha experiência com a Canyon é francamente positiva.
XC7 com 2800kms feitos sem qualquer problema ao nível da rigidez, sistema de suspensão, ou rolamentos selados.
A passagem para um curso de 140mm é sem dúvida um desafio mas - o meu inconsciente tem a Torque na mira - será que vai valer o peso extra relativamente à XC7?
Da volta muito curta - mas a curtit - que fiz: saí da Pires Marques, subi a Humberto Delgado, Polis, passei ao pé do tribunal, depois, desci uns degraus e, logo aqui, deu para verificar a suavidade das suspensões - Fox Talas RLC 100-120-140 e Rock Shox Pearl 3.3 - continuei e subi a rua do Relógio, segui por entre a Rua do Arco do Bispo e continuei a subir rumo ao Castelo. É claro que, a dada altura, tive de sair da ES 9.0, não por ser pesada ou eu não ter pernas, eram muitas escadas que me separavam do meu objectivo - a Torre de Menagem. Lá peguei na ES 9.0 em ombros e subi os degraus. Assim que ultrapassei as +- 60 escadas, voltei a trepar para a ES 9.0 e pouco depois estava no Castelo onde aproveitei para descer mais uns degraus. Parei, observei, fotografei.
Subi ligeiramente o selim, verifiquei as pressões das suspensões: 65psi na Fox, 95 psi no Rock Shox - retirei pressão ao amortecedor até aos 70 psi mas, já vi que deverei ajustar o gate pois bombeia um pouco.
Bem, tudo o que sobe... desce e muito bem.
Tão bem que desci imediatamente 3 filas de degraus mas, ao terceiro, dei por mim a pensar que deveria ter baixado o selim.
Não aconteceu nada mas, ficou o aviso.
Optei por não me aventurar - ainda - pelas ruas do Castelo, nem eu conheço ainda as reacções da "fera", nem os travões estão a meio gás.
E para queda, bastou a da Maratona de CTB.
A propósito, foi a estreia do Met Parachute. Muito confortável e com um "look" muito bem conseguido - para mim, claro.
Bem, andei pela cidade, maioritariamente por passeios mas aqui, a grande diferença para a XC7. Enquanto com a Fox 100 RLT tinha sempre alguns cuidados ao subir os passeios, com a Fox Talas RLC 100-120-140 é uma brincadeira de crianças galgar esses obstáculos.
No Polis, ainda voltei a descer uns degraus - aqui nada de complicado - e rumei à Pires Marques onde me aguardava outro teste dinâmico: o da XC7. Nada melhor que aproveitar agora para comparar.
Esquecia-me, só coloquei a Fox nos 100 quando a subida eram mesmo acentuada. A ES 9.0 não levanta mais que a XC7 com o mesmo curso à frente.
Chegeui à garagem, peguei na XC7 - e verifiquei que é mais leve - e dei uma voltinha muito pequena. A posição de condução é mais "alongada", fruto de um avanço de 105mm. Na ES 9.0 não sei de quanto é mas, é mais curto. Na ES 9.0 a posição é muito descontraida. A única coisa que não gostei na ES 9.0 relativamente à XC7 foi o guiador Easton. Curiosamente, são o mesmo modelo mas, o da XC7 é de 2006 e o deste ano tem uma curvatura diferente. Vou ver se me habituo.

Bem, espero apresentar esta menina ao pessoal no Domingo 15 pelas 8h30.
Já me esquecia - o Varadero já é um "habitué" nestas coisas de retirar as canyon do Bikeguard.
Bem haja para ele e para a Poppi, incansável fotógrafa, esposa dedicadíssima (também ela ao BTT - brevemente em WXC 9.0) e que me tem aturado esta "pancada" nos últimos dois anos.
 
Grande pjfa, muito bela a máquina, agora é descer sem descanso e pé na tábua...
Já agora, pesoal Canyonesssado, oque acham da ES 9 de 2006, é que está em promoção e o Te€€€mpo não abunda...
 
Ha ... finalmente mais uma ES9 cá pelos nossos trilhos :D Parabens Pjfa, muitos Kms com ela ;)

Por falar nisso, ontem o Sigma passou os 500 km. Nada a assinalar excepto as várias multas por excesso de velocidade.. :mrgreen: :mrgreen: a descer :mrgreen:

O pneu de trás ao fim de 500km está a começar a ficar sem pedaços de borracha nos tacos centrais. Pela facilidade com que roda em pisos compactos e mesmo em alcatrão, eu já estava à espera que não fosse grande pneu para pedra e pisos mais agressivos. O que eu não estava a contar é que as "lesões" na borracha fossem originados pelas travagens ( os tacos estão a ficar em rampa como os dos larsen TT e o desgaste está do lado da frente do taco).
Presumo que é demasiado macia para suportar parar perto de 135kgs sem estragos :mrgreen: :mrgreen: Não lhe levo a mal, no lugar dela também me desfazia :mrgreen:


P.S. Pjfa, já tinha visto outras fotos, mas ai no meio da verde é que ela fica bem :D :D
 
bilic said:
Grande pjfa, muito bela a máquina, agora é descer sem descanso e pé na tábua...
Já agora, pesoal Canyonesssado, oque acham da ES 9 de 2006, é que está em promoção e o Te€€€mpo não abunda...
Eu não cheguei a receber uma de 2006 porque não fui a tempo. Acho que é grande máquina na mesma. O quadro é diferente e a Fox também. O resto é igual ou muito parecido. Acho que continua a ser uma grande compra, especialmente pelo preço (ainda) mais baixo.
 
pjfa said:
Finalmente, após 20 dias de "transporte", a ES 9.0 chegou ao seu destino final.
:aiui:

doh ooooohhhhhh nãooooooooo vai começar tudo de novo outra vez.... :rotfl: (brincadeira)

Espero que te traga muitos momentos à maneira :yeah:

João Santos
 
Começar outra vez?? Ainda não acabou. :rotfl: :rotfl:


Ainda antes de receber a ES, andava a namorar os rotores da Hope em vermelho. Várias questões se punham.

A cor ?? Vermelho ?? É demais ??

A compatibilidade? A Hope não se compromete. Diz que foram desenhados para as pinças Hope. Mas também não diz que não dão. Pessoal aqui do fórum dá-me alguma esperança que é possível que sim...

Tamanho? os Avid são 205/185. A Hope usa 203/185. Será que a diferença de tamanho no da frente não vai ser problema?

Enfim, lá acabei por ceder e mandei vir os gajos. Se não dessem, paciência. Infelizmente quando encomendei esgotaram, mas, confusões à parte chegaram na passada 4ª feira.

Fui a correr montar os rotores.

Fiquei até certo ponto desiludido. Pelo preço esperava mais. Se o que recebi é exemplo da qualidade de manufactura made in england, então viva taiwan. A pintura ( ou anonizado ) vinha ligeiramente arranhada num ponto. Não me chateia porque não se vê e vão provavelmente arranhar mais, mas abona pouco da resistência da cor.
Mas o pior foi o rotor de aço. Nas fotos não se vê, mas os furos redondos mais pequenos tem pequenas depressões no interior em negro. É o tipo de pequena imprecisão que se nota na superfície de uma peça forjada. Não creio que afectem minimamente a robustez do rotor, mas repito, muito maus acabamentos para rotores que custam cerca de 45€.

A montagem do rotor da frente foi incrivelmente simples. afinal, os 205 da Avid e os 203 da Hope são a mesma coisa. Foi trocar de rotor e nem sequer foi preciso afinar a pinça dos juicy.
Afinal, foi com o rotor de trás que a coisa assustou. Montei, afinei a pinça e detectei logo um barulho de roçar. Os anéis que fazem a união entre a parte de aço do rotor e a aranha de alumínio, são bastante grossos e roçavam por décimas de milímetro na zona da pinça onde passa o parafuso de fixação da mesma. A solução foi muito fácil. Peguei nas anilhas que estavam na parte superior dos parafusos ( não são as ovais, são as outras muito fininhas ) e coloquei-as na parte de baixo do parafuso. Com isto, o pinça subiu muito ligeiramente, mas o suficiente para resolver o problema.


Resultado:

Estético: Ainda não estou convencido. Cada vez que olho parece que gosto mais. Mas ás vezes penso - "Epá.. quando for andar pelo Alentejo estou lixado com tanto vermelho !" :mrgreen:

Mecânico: Depois de 100 kmts nada a assinalar. Nem pela positiva nem pela negativa. Estão outra vez a acamar, mas acho que estou com a mesma potência de travagem. Uma coisa verifiquei. A aranha não aquece nem metade do que aquece o rotor. Talvez a história que protege e prolonga a vida dos cubos seja verdade.
Apenas uma coisa... o roçar que ouvia de vez em quando com os rotores originais desapareceu. Coincidência ou mérito dos Hope, só o tempo o dirá..

Peso: Não tenho balança com precisão suficiente, mas pareceu que não faziam assim uma diferença por ai além....

Conclusão: Voltava a comprar?? Não sei. Provavelmente não. A questão dos acabamentos deixou-me bastante desiludido.

E agora ..... FOTOS.............. :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:






O rafa fez questão de mostrar que a coleira dele também combina :mrgreen:













 
Bravellir tou a ver que gostas dos tunnings!! :twisted: :twisted:

Em termos de estética não gosto dos teus gostos... :roll: mas são opiniões. Já agora uma sugestão, provavelmente já deves ter pensado nisso... e que tal uma sram PG990?



Penso que ficava bem nesse conjunto!!! :wink:
 
Hehe, acho que nunca houve uma Canyon tão bling, bling :mrgreen:

Eu ao contrário do satch, devo ter gostos parecidos com os teus. Só os cubos, apesar de excelentes é que podiam ainda ser mais bling. Acho que a decoração normal dos 240s ainda combinava melhor com os rotores e apertos :wink: Ou então os novos Hope Pro3 que aí vêm em vermelho :mrgreen:

Mas enfim divago :p
 
Mais uma achega...

Se ainda tiveres t€€mpo:

crank brothers egg beater ti


ou

crank brothers candy ti


Ficavam a estalar!! :twisted: :twisted: :yeah:
 
Após os 47kms de ontem, posso já tecer algumas considerações acerca da ES 9.0 :mrgreen:
Não vou falar de como esta bicicleta impressiona pela sua imponência, a qual é salientada pelas DT SWISS N´Duro, manetes/shifters/tampa do reservatório de óleo de travões em carbono.
O incremento de - em teoria - 1.1kg relativamente à minha XC7 apenas se faz sentir quando se retira a ES 9.0 do suporte de parede.
Em andamento, não é notório o "lastro" (devo referir que a minha XC7 tem um selim mais pesado que o original e tem também câmaras de ar com "slime"). Como coloquei os pedais Crank Brothers Smarty - que surripei à Poppi - na ES 9.0 e a XC7 continua com os Egg Beater C (mais pesados), ambas devem ter pesos muito próximos.

Primeira constatação:
Os pneus Albert não fazem tanto balão e não parecem tão largos quanto os Nobby Nick, o que ajuda à progressão no terreno - seja a subir, ou a descer :mrgreen:
Só espero - como diz o Bravellir - que eles durem algum tempo. Os Nobby da XC7 estão com 2850Kms e ainda vão fazer mais alguns.

Como apenas tinha dado uma voltinha de "reconhecimento" no dia em que chegou a ES 9.0, esta volta serviu para me habituar à posição de condução - mais confortável que na XC7.
Afinal o guiador Easton EA70 da ES 9.0 é um MD enquanto que o da XC7 é um Low. O da ES 9.0 tem 68.5cm contra os 63.5cm da XC. Após esta volta, fiquei fã do guiador da ES 9.0 :mrgreen:

O selim: O SLR da ES 9.0 foi uma agradável surpresa. Ao contrário do Filante da XC7 que aguentei apenas 500kms, julgo que este selim vai andar na ES 9.0 mais tempo, apesar de - ao km30 - ter sentido algumas dores localizadas nos ossos do dito cujo mas, que acabaram por desaparecer e hoje, estou aqui 5*.

Os travões Avid Juicy carbon nem sequer travam - comparados com os Avid Juicy Seven. Nem no final da voltinha o aumento de potência não foi significativo. isto só quer dizer que foram pouco utilizados :rotfl:

As suspensões.
A Fox nem lhe mexi, apenas alterei o curso para 100 por duas vezes em zonas MESMO a subir mas, curiosamente, reparei que, assim que a Fox baixo para 100mm foi como se o atrito da bicicleta aumentasse. Não sei se fruto de uma maior transferência de peso para a frente.


Continua...
 
assim que a Fox baixo para 100mm foi como se o atrito da bicicleta aumentasse
É mesmo verdade,isto também se passava na minha, agora com a Z1 light ETA, baixo para os mesmos 100mm e não se nota nem metade do que se notava na Fox. Penso que seja o ângulo da FOX que penaliza um pouco a alteração de curso. Eu com o passar dos Km habituei-me aos 140mm e muito poucas vezes alterava.
 
pjfa said:
...A Fox nem lhe mexi, apenas alterei o curso para 100 por duas vezes em zonas MESMO a subir mas, curiosamente, reparei que, assim que a Fox baixo para 100mm foi como se o atrito da bicicleta aumentasse. Não sei se fruto de uma maior transferência de peso para a frente.
...
lpsferreira said:
assim que a Fox baixo para 100mm foi como se o atrito da bicicleta aumentasse
É mesmo verdade,isto também se passava na minha, agora com a Z1 light ETA, baixo para os mesmos 100mm e não se nota nem metade do que se notava na Fox. Penso que seja o ângulo da FOX que penaliza um pouco a alteração de curso. Eu com o passar dos Km habituei-me aos 140mm e muito poucas vezes alterava.
Também repararam nisso?? Curioso não é? Fica menos saltitante mas parece que a bike fica mais "presa". Por isso e porque me esqueço :oops: e porque ela realmente até sobe bem, quase nunca lhe mexo e anda sempre nos 140.

Eu andava com um guiador de menos de 60cm. Quando peguei na ES no inicio aquilo parecia um tractor :D mas depois, ao dar-lhe abuso especialmente a descer, que jeito que ele dá :D

Quanto aos rotores e aos outros extras bermelhos, são lindos ( os extras ) sim senhor, mas se eu já estou apenas meio convencido com os rotores :D è melhor não. E o t€mpo também não é muito.

E Canyons Bling Bling??? Aguardem.... um passarinho disse-me que se calhar vamos ver em breve uma verdadeira jóia a rolar aqui por terras do Norte :wink: