Caminho Francês de Santiago - de 22 a 30 de Abril de 2011

mnunes

New Member
#1
Olá,
eu e mais 3 amigos (Fernando, Hugo, Miguel e Nuno) concluímos, neste sábado passado, o Caminho Francês.

Inicialmente pensámos fazer a viagem, para lá, de comboio mas afinal, devido à boa vontade de 2 amigos que nos levaram, fomos numa carrinha de 6-7 lugares alugada. Contas feitas, acabou por ficar ao mesmo custo ou até mais barato.

Não tenho as distâncias mas deixo aqui as etapas que fizemos:

Saint Jean Pied de Port - Pamplona
Etapa lindíssima mas com uma subida de 15-20 km (a maior parte em estrada) logo a abrir, com rampas bastante inclinadas.
Apesar dos prognósticos, não choveu e houve boas abertas ao longo do dia mas, lá em cima, apanhámos frio e muito, muito vento (quase sempre de frente ou de lado). A descida até Roncesvalles, no meio do bosque, é fantástica. O final é em sobe-e-desce com alguns topos mais exigentes e boas descidas, antes de chegar a Zubiri.

Saint Jean Pied de Port


Hugo preparado para subir


Rampas logo de início


Refúgio de Orisson



Pamplona - Logroño
Início muito bonito, no meio dos campos, com a subida ao Alto do Perdon. O resto da etapa é em sobe-e-desce, com passagem em Estella (Irache) na famosa fonte do vinho, onde apanhámos alguns pingos de chuva, ainda assim tivemos sorte pois o "grosso da chuva" seguia à nossa frente. Depois de Los Arcos há algumas rampas curtas e exigentes mas até lá o trilho é bastante rápido, especialmente se se apanhar vento de trás, como foi o nosso caso. Junto a Viana há bastantes troços em gravilha que, apesar de estar bastante batida, requer algum cuidado nas descidas.

Antes do Alto del Perdon


Antes de los Arcos


Logroño - Santo Domingo de La Calzada
Tínhamos previsto ir até Burgos mas o dia, que amanheceu chuvoso, trocou-nos as voltas. Seguimos pelo trilho até ficarmos completamente atolados no barro, a cerca de 5km de Santo Domingo de La Calzada. Resultado: 2 dropouts partidos. Lá conseguimos arrastar as bikes até à estrada (a minha precisou de 3 pessoas, tal era o peso da lama agarrada). Lavámos as bikes em poças de água, numa estação de serviço abandonada, substituímos os dropouts e seguimos até Santo Domingo onde resolvemos ficar pois a moral estava bastante em baixo. Apesar de tudo o resto do dia foi bastante agradável, depois dum banho e um bom almoço tudo parece melhor. Nesse dia, vários grupos de ciclistas (com quem nos fomos cruzando nos dias seguintes) ficaram em Santo Domingo.

Atolados no barro







Santo Domingo de La Calzada - Itero de La Vega
Dado o atraso que sofremos na véspera e as opiniões recolhidas de que com chuva, e até passar os Montes de Oca, íamos apanhar barro no caminho, resolvemos ir por estrada até Burgos. O dia amanheceu um bocado cinzento mas não choveu. Assim sendo, a manhã não teve grande história. Quase sempre em grandes rectas com pouca inclinação positiva e negativa e, depois de Villafranca Montes de Oca, uma subida, de 3-4 kms, em cujo cume fazia bastante frio e humidade. Depois de Burgos voltou o sol e nós voltámos ao trilho, que se apresentava em boas condições. É uma zona bastante rolante. Por esta altura travámos conhecimento com um Belga "maluco" que vinha a fazer os Caminhos desde a sua terra natal, numa bicicleta rígida com 25kg de carga. Mesmo assim o tipo andava que se fartava pois, contou-nos ele, era atleta de xc. Entusiasmado com um singletrack que tínhamos acabado de fazer, logo antes de Castrojeriz, numa passagem de mudanças mais optimista (umas 3-4 duma vez) embrulhei a corrente no desviador e voltei a partir o dropout (não tinha mais nenhum). Contra a vontade dum velhote muito mal humorado, que lá acedeu a abrir-nos a porta da sua "oficina" e vender-me um dropout +/- parecido, lá conseguimos montá-lo por cima do pedaço partido e, com um desviador suplente (o outro tinha ficado um bocado torcido), seguir viagem. Com todo o tempo, novamente, perdido decidimos ficar na primeira povoação que nos apareceu, depois duma subida bastante acentuada (e consequente descida) a um dos morros que se destacam no meio daquelas planícies.








Itero de La Vega - Leon
...

Antes de Fromista



Leon - Molinaseca
...

Molinaseca




Molinaseca - Samos
...

Samos - Palas de Rei
...

Palas de Rei - Santiago
...
 
Last edited:
#2
Bom dia

Parabéns a todos pela grande aventura, em tamanho e problemas.....
Então as fotos e o resto da Foto-Report? Devem ter fotos fantásticas, partilhem-nas connosco........

Cumprimentos BTTistas
Nuno Campos
 
#8
bom dia

Vê se que fizeram, em alguns sitios, grandes esforços para chegarem ao vosso objectivo.
Este caminho francês é de quantos kilometros?
Mas desde ja , parabens e grandes fotos.O sul de França tem uma paysagens lindas;)
 
#9
Como fiz o caminho francês no Verão passado, posso responder ao jess.
O caminho francês tem cerca de 800km entre os Pirenéus (Saint Jean Pied de Port) e Santiago.

Quanto às paisagens, tirando as primeiras fotos (que na última mensagem com fotos estão com ordem inversa - as primeiras aparecem no final da mensagem), tudo o resto é de Espanha. O caminho francês tem, na realidade, apenas uns 20 ou 30km em França e que corresponde à travessia dos Pirenéus desde SJPP até Roncesvalles (a primeira localidade espanhola do caminho francês).
 
#10
Eu sou um dos quatro "estarolas" deste rescaldo que se aventurou este ano a fazer o caminho mítico Francês, depois destes meses passados ainda é raro o dia que não me lembro dos momentos vividos.

Quero voltar a fazer muito em breve, desta vez com o andamento um pouco mais moderado e com mais tempo para tirar fotos, coisa que não consegui fazer desta vez pelo menos com a qualidade que eu desejava.

Esta travessia fica marcada "marca" uma pessoa RECOMENDO

Força


root
 
#11
Estou a pensar fazer este mesmo caminho em 2012. Provavelmente de 25.04 a 06.05. Sendo que 25 e 26 serão a viagem de comboio até Saint Jean Pied de Port.
Depois a ideia é fazer o caminho em 10 dias. Estive a ver +- as distancias das vossas etapas. Penso que fizeram em 9 dias. Aconselham essas mesmas etapas?
 
#12
Certamente, também irei fazer o Caminho francês, na 1ª semana de Junho.
Tenho andado atento a todos os post´s acerca deste assunto, mas há dúvidas que vou tendo.
Por ex: Quanto aos albergues. É só chegar e instalar, ou convêm reservar-mos antes de iniciar o caminho?
 
#13
Os albergues municipais não aceitam reserva, pelo que estás sempre condicionado à lotação dos mesmos. Além do mais, os peregrinos de bicicleta só podem entrar após as 20h00 (em teoria), para dar prioridade aos peregrinos que fazem o caminho a pé.

Nos albergues privados podes reservar antecipadamente (eu reservei todos os albergues com mais de um mês de antecedência), mas por norma todos exigem que lhes telefones até ao dia anterior para confirmar que lá vais ficar no dia seguinte. Eu falhei este pormenor no 1º dia e fiquei sem albergue reservado para o final da primeira etapa (acabei por ficar no albergue municipal de Zubiri).
 
#14
Bom dia Pessoal.
NFH, onde se pode recolher essa informação acerca dos albergues? Tipo quais são os municipais e os privados, contactos, como escalonar as etapas, sendo obviamente subjectiva esta questão.