Camião mata idoso (de bicicleta)

Bytes

New Member
#1
Camião mata idoso

Circulava de bicicleta em Sines quando aconteceu a colisão

Um idoso morreu hoje à tarde na sequência da colisão da bicicleta que conduzia com um veículo pesado de mercadorias, na zona de S.Torpes, Sines, adiantou a Brigada de Trânsito de Grândola da GNR.

O acidente aconteceu na estrada 261-5, que liga S.Torpes a Sines, quando o velocípede sem motor (bicicleta) e o camião de mercadorias colidiram, devido a causas «ainda desconhecidas», precisou a fonte.

Quando os bombeiros chegaram ao local, revelou a corporação, o homem que conduzia a bicicleta já estava morto, tendo sido transportado para a morgue do Hospital do Litoral Alentejano só depois da delegada de Saúde de Sines ter confirmado o óbito.

«Não sabemos a idade do indivíduo, porque não trazia consigo qualquer documentação, mas aparenta ser já idoso», acrescentou a Brigada de Trânsito (BT).

O sinistro foi socorrido pela corporação de bombeiros de Sines e elementos do posto territorial da GNR e da Brigada de Trânsito.

in PortugalDiario
 
#2
Meus sentimentos à familia seja ela qual for.

Meus amigos, é como digo:

Tenho mais medo dos 800 metros de alcatrão que ligam a minha casa ao campo, que descer a Arrábida sem travões.

Tenho dito
 
#3
Infelizmente isto está sempre a acontecer :evil:

Acerca de uns 15 anos o meu tio João ia na sua pasteleira na IC 8 (Pombal, Castelo Branco) e foi colhido por trás por um carro, resultado, morte imediata :cry:

Os meus pêsamos à familia...

Luis Marques...
 
#4
Ao que pareçe era o antigo comandante da GNR aqui da zona... Ouvi dizer(não vi...) que o camião passou por ele e como estava muito vento na altura ele foi sugado para debaixo do camião após passar por ele!!!
 
#5
:eek:mg: :eek:mg: :eek:mg: :eek:mg:

Que cenário :shock: :shock: também já senti esses "chupões" são um verdadeiro perigo, pessoal tenham cuidado :| :|

Força nas canetas pessoal,
Luis Marques...
 
#7
Re: Camião mata idoso (de bicicleta)

e esses cab**** a saber que é perigoso em vez de se afastarem NÃO, tentam fazer tangentes de maneira a por vezes vermos o raio do retrovisor a milimetros do nosso braço!!!!!e depois essa sensação de ser sugado por vezes até assusta principalmente quando passam a alta velocidade!
 
#9
Os meus pesames aos familiares e amigos!

Tambem ja me aconteceu ser atropelado, mas sem danos fisicos, e se n fosse terem ido atras da condutora (que diz que n me viu, mas parou no cruzamento seguinte para ver se eu me levantava) quem tinha de pagar as despezas era eu.

Tenham mais cuidado na estrada que nos caminhos, pois nestes apenas dependem de voces proprios, mas na estrada andam outros...
 
#10
Boas,

Meu pai à 13 anos atrás foi atropelado por tras.
Na altura a condutora assumiu a culpa, disse que ia distraida com sono ainda (7 da manha), levou-o ao hospital que tinha seguro deu numero da apolice etc.
No dia a seguir mudou, a culpa ja não era dela mas sim de meu pai que ia aos esses na estrada, e sem testemunhas ...
Conclusão traumatismo craneano, 1 mes de cama, e consequente perda de salario total, baixa.

Todos os dias que vou andar ele fala do mesmo, por isso digo de novo, descer a arrabida sem travoes e preferivel a andar 800 metros de asfalto.

Boas pedaladas
 
#11
Acreditem pessoal, que prefiro 100 kilometros no mato que 1 na estrada. Ainda à 15 dias, como moro em Gondomar, perto do Porto, lembrei-me um Domingo de manha ir ao Parque da Cidade... numa de relax. Após 500 metros de estrada, passa uma carro sem exagero a praí 80/90 à hora, numa localidade onde só se pode andar a 50Km/h, e a fazer alta raza!!!! Passado 200 metros virei logo para o mato!!!!!! A partir daí acho que vou ficar sempre com medo de andar muitos kilometros em estrada!


Eu quando vou a conduzir, e passo por um ciclista, tenho sempre a atenção de o ultrapassar como se de um carro normal se trata-se... Enlatados....
 
#12
Eu infelizmente pertenço ao grupo dos que já tiveram encontros imediatos com os carros e foi uma brincadeira que me saiu bastante cara por estupidez de um empregado do hospital... Aqui vai a minha história:

Numa vinda do emprego de bike de Sines-Santo André(a escassos km's de onde morreu este sr.), numa estrada com duas vias em cada sentido um sujeito vinha a regular a saída de ar condicionado e deixou o carro entrar na berma onde eu ia feliz da vida. Vejo um carro a passar muito próximo de mim e senti uma dor intensa na mão esquerda pelo que o meu pensamento imediato foi o de o sujeito ter atirado qualquer coisa pela janela que me tivesse acertado. Logo de seguida apercebi-me de vidros e plásticos a cair á minha frente pelo que vi que afinal o sujeito tinha-me batido com o espelho do carro! A reacção do tipo não foi a de parar logo, parou aí a uns 500 metros pelo que acho que ele só parou porque vinha um carro que assistiu a tudo e teve medo de fugir... O tipo sai todo nervoso do carro, pede desculpa pergunta se quer que que me leve ao hospital, enfim depois de parar comportou-se como devia de ser. Avaliei a situação e como mexia bem a mão e a dor já não era tão intensa fiquei com o contacto do tipo e segui viagem até casa... Chegando a casa a mão começou a inchar pelo que fui ao hospital e aqui começa outra história digna de ser contada:

O sujeito da recepção pergunta o que eu tinha, eu disse que um carro me tinha batido quando estava a andar de bike, o sujeito disse para aguardar um pouco pelo que esperei uma hora para o médico me vêr, uma hora para fazer uma radiografia e uma hora para o médico vêr a radiografia e dizer que não tinha nada partido(até aqui tudo normal). dirigi-me ao sujeito da recepção para pagar a taxa moderadora e o sujeito disse que não tinha nada a pagar pois como tinha sido um acidente aquilo ia ser entregue ao seguro. Estranhei pois não tinha dado o nº de apólice do tipo que me bateu mas como já estava tão enjoado de hospital agradeci e fui-me embora. Passados seis meses recebo uma carta do hospital com uma conta de mais de 100 euros para pagar devido ao episódio de urgência do dia do acidente. Dirigo-me ao hospital para reclamar, explico a situação, a Sra. que me atendeu até me deu razão mas disse que não podia fazer nada, que o melhor era voltar no dia seguinte que talvez conseguisse falar com o advogado do hospital para vêr o que se podia fazer... começei a fazer contas á vida e decidi pagar o raio da conta pois como já não tinha o contacto do tipo que me bateu e previsivelmente teria de perder perder um ou mais dias de trabalho para tratar desta treta, achei que me saia mais barato pagar...

Resumindo fiquei dois meses sem poder fazer grandes esforços com a mão, fiquei a arder com cento e tal euros mas até acho que tive bastante sorte pois se o gajo me tivesse apanhado em cheio não estava agora aqui a contar a história.
 
#13
As minhas condolências à família.

Cerca de 80% dos meus treinos são na estrada e nunca tive nenhum acidente. Tenho tido sorte em nunca me ter acontecido nada...Espero assim continuar.
 
#14
(..)


este é o meu comentário. é a expressão da minha opinião. tenho motivos para me expressar assim. motivos que posso expôr.
agradeço que não seja apagado. caso contrário alguém explique porquê. porque não posso eu pensar de uma forma diferente.
obrigado
 
#16
...é óbvio que não levo a mal e até acho bem que perguntes, o que não gosto é de ver os meus posts apagados, neste e noutros tópicos, sem motivo e sem que nada me seja dito...
...começo a pensar que neste forum só se pode dizer aquilo que se gosta de ouvir e assim lá continuamos todos contentes.

não sou nenhum puto, tomo decisões e respondo por elas
enquanto houver tópicos como este, esta foi e será sempre esta a minha resposta: (..)


..os motivos vêm neste link:

http://www.forumbtt.net/index.php?topic=6656.0

...e neste:

http://www.forumbtt.net/index.php?topic=6948.15


...desculpem lá o desabafo...
 
#17
Os meus pesames aos familiares e amigos!

é lamentavel acontecer coisas destas quase todos os dias..

cada vez exite menos segurança nas estradas..

Hasta e cumprimentos a todos