BTT, desporto ou ostentação??

#21
Eu vou por aí. Acrescento ainda, brincando um pouco, que cada um tem um diferente tamanho de pila. A frequência e qualidade do uso tambem difere de dono para dono!:hahaha:
:mrgreen:
 
#22
Portugal tornou-se na passerelle de todas as vaidades desportivas, seja no futebol ou no btt, tudo tem o topo de gama e o Tuga tem sempre que o ter.

Para mim o BTT serve principalmente para aliviar o stress, para durante umas horitas ao domingo de manha voltar a minha infancia e alguma adolescencia, com a grande sorte de a grande maioria dos meu companheiros serem os mesmos dessa altura, é fenomenal, 20 anos depois a fazer loucuras. E o que gosto no BTT.
 
#24
Boa tarde,

Estou plenamente convencido que o Btt será sempre em maior escala um desporto do que um mero exercício de ostentação. A maior parte de nós começa por entrar nesta área para praticar algum exercício físico, perder alguns quilos e enfim fazer de uma forma geral algo pela sua saúde. No entanto, de uma forma muito simples, sem qualquer tipo de presunção por parte de qualquer betetista, diria até de uma forma involuntária, pode ser considerado ostentação, para quem está fora do btt. Senão, vejamos:

Comprámos então a nossa primeira bicicleta! Normalmente, uma daquelas que se vendem em supermercados, não costumam custar muito mais do que 50€. Iniciamos as nossas voltas pelas ciclovias e outros trajetos de alcatrão. Andámos felizes da vida, até ao dia em que tomámos coragem para fazermos as primeiras incursões em terreno de montanha. Começamos a verificar que a nossa bicicleta não presta para andar no monte! Acabamos com os braços todos doridos, o assento dá-nos cabo do rabo, etc…

Começamos a pensar e chegamos à conclusão que precisamos de uma bicicleta com suspensão à frente. Lá vamos nós investir numa bicicleta barata, com suspensão de mola, para aliviar o nosso sofrimento! Agora, já só gostamos de andar no monte, no entanto, entramos em trilhos um bocadinho mais exigentes e os travões de calços não travam no meio da lama, os aros empenam, os raios partem, até já demos várias quedas porque passámos mais do que uma vez por cima do guiador, etc…

Começamos novamente a pensar (porque nós gostamos muito de btt): “…tenho que comprar uma bicicleta melhor! Vou ter que gastar mil e tal euros, mas pelo menos assim acabam os meus problemas. Vou ter que começar a poupar!”. Lá vamos nós correr várias lojas à procura da nossa futura ”querida”. Chegamos facilmente à conclusão, que para comprar algo de jeito, com o dinheiro disponível, só poderemos comprar uma semirrígida, porque com uma de suspensão total seriamos pessimamente servidos.

Lá acabamos por comprar a nossa bicicleta e com ela vamos andar felizes por uns tempos! Ao fim de algum tempo, começamos a verificar que acabamos as nossas voltas com dores nas costas e começamos a pensar, estou a ficar “velho”, já entrei nos quarenta (para alguns será aos trinta e pouco)”. Vamos falando, com amigos, vamos trocando ideias com vendedores, etc.. Concluímos que precisamos de uma bicicleta de suspensão total! Mais uma vez, lá vamos nós fazer um esforço financeiro para adquirir a nossa nova “querida”. Nessa ocasião, como já andámos no btt há algum tempo e como o investimento já é considerável, preocupámo-nos com tudo e mais alguma coisa, do tipo: “…qual o tipo de quadro? Carbono! Sim ou não? Que marca de suspensão? Que tipo de travões? Que tipo de rodas? Que tipo de pneus? Qual é a loja que tem as melhores promoções? Em que altura do ano é mais benéfico comprar? ..., etc…”.

Comprámos, com muito custo, a bicicleta que nos enche “a barriga”, que não é a maior parte das vezes aquela que nos enche “o olho”. Continuaremos felizes durante algum tempo, só que mais uma vez, vamos encontrar novas necessidades, como sejam a substituição de componentes por outros melhores e mais caros por vezes até de topo de gama!

Quis demonstrar, com este relato, com o qual muitos praticantes da modalidade se identificam, que o btt que tinha começado por ser uma necessidade de desporto pura e simples, pode ser considerado ostentação por muita boa gente, sempre que vêm uma bicicleta bem equipada, por vezes, como disse anteriormente até com todos os componentes topo de gama.
Este sentimento de melhoria, de evolução é legítimo e natural para cada um de nós! Seja em relação ao btt, seja em relação a outro tema qualquer!

Em conclusão, será justo dizer, que sempre que encontrámos no meio do monte ou num evento qualquer um betetista, que teve este percurso, está a praticar o ato: ostentar? Com certeza estará a ostentar a sua bicicleta e restante equipamento de betetista, mas acima de tudo, estará a praticar o seu desporto preferido: o btt.

Cumprimentos.
 
#28
É um desporto de ostentação a partir do momento que a bicicleta passa muito mais tempo parada para o dono fazer show-off no café do que a rolar. Tal como quem tem um Ferrari não tem de andar como o Schumacher, quem tem uma BTT de xxxx € não tem de andar sempre a fundo. Parem de olhar para o vizinho do lado e medir a pilinha :D
 
Last edited:
#29
Para ja n falar daqueles que exibem a bike no tejadilho do carro na sua habitual volta domingueira sem um unico risco ou mancha de pó e s por acaso durante a sua voltinha veem um charco ou algo com lama desmontam e logo ela monta as costas para não sujar os seus pneus super delicados...enfi;)m
 
#30
Considero ambos. É um desporto! Não há dúvida! E dos que mais gosto de fazer. É ostentação também. Vejo por mim, comecei por uma bike normal, relativamente barata. Passei para FS, depois para HT em carbono...andava bastantes vezes, muitas até com passeios pelo meio e tudo! No entanto alguns problemas físicos, a juntar a algumas atitudes que fui vendo e que não me agradaram e a juntar ao futuro pouco risonho que nos avizinha, vendi a minha bike xpto...mas não deixei de ter bike...mais modesta, ao meu actual "nível" de carteira e andamento, enfim, à minha medida...acabou a ostentação, ficou o desporto!

Espero ter feito sentido....
 
#32
Para ja n falar daqueles que exibem a bike no tejadilho do carro na sua habitual volta domingueira sem um unico risco ou mancha de pó e s por acaso durante a sua voltinha veem um charco ou algo com lama desmontam e logo ela monta as costas para não sujar os seus pneus super delicados...enfi;)m
E não é verdade?
Eu vi uns cromos assim mesmo, estavam na esplanada de um café em Ponte de Lima a "expor" as bikes, por acaso boas máquinas e bonitas,
mais tarde encontrei-os no caminho vinha já eu com a minha bike toda cagada e eles saíam das bikes quando tinham um charco ou lama e passavam ao lado.

Aqui aplica-se a máxima de "quem têm burro e anda a pé, ainda mais burro é"
 
#33
Como eu me revejo na história do alferes....neste momento estou (ou estava antes da troika) na passagem para a suspensão total...
Quanto ao tema também acho que para a maior parte ainda é um desporto...ainda bem
 
#34
Para mim sem duvida é o desporto de eleição. E para ser sincero não me incomoda rigorosamente nada que haja quem faça questão de se apresentar sempre com o que de melhor o mercado tem para oferecer em termos de material e equipamento.
Julgo que o que realmente conta é o comportamento e não as aparências.
 
#36
Para ja n falar daqueles que exibem a bike no tejadilho do carro na sua habitual volta domingueira sem um unico risco ou mancha de pó e s por acaso durante a sua voltinha veem um charco ou algo com lama desmontam e logo ela monta as costas para não sujar os seus pneus super delicados...enfim

Não concordo nada!
Tenho uma bike de AM e até lhe dou mau tratamento...do tipo de não a limpar durante algumas semanas.
Mas às vezes limpo, meto a bike no tejadilho do carro juntamente com outra e vou passear de bicicleta para a beira mar com a namorada.
Se me visses a chegar à beira mar a sacar do tejadilho do carro uma bike de AM, limpinha, para passear junto à praia já estou a ver o que ias pensar!
No entanto, não tem nada a ver...

As ideia pré-concebidas são uma chatice!
 
#37
Nada disso quelhas n leves mal eu tb quando v passear com a namorada evito ao maximo sujar me eu estava m a referir ao pessoal q vai a provas com td do bom e do melhor e dp são uns (maricas )sem desrespeito aos maricas c é obvio;) , é uma simples comparação sem maldade,mas sim aqueles q numa prova fazem questão de entrar limpos e saem limpinhos incluindo como é claro as bikes tb n quer dizer q numa prova se faça questão de se borrar todo mas ...voces percebem o q eu queo dizer certo???

Cumps

:back2topic:.............
 
#39
alferes
Quis demonstrar, com este relato, com o qual muitos praticantes da modalidade se identificam, que o btt que tinha começado por ser uma necessidade de desporto pura e simples, pode ser considerado ostentação por muita boa gente, sempre que vêm uma bicicleta bem equipada, por vezes, como disse anteriormente até com todos os componentes topo de gama.
Concordo plenamente com tudo o que disse o alferes.
Acabei de comprar uma QÜER CXR Carbon. Não a comprei por ostentação, mas porque neste momento o podia fazer (economicamente) e a minha evolução física neste desporto exigia mais que a minha anterior 'menina' me dava. Sim, era uma bike de supermercado, mas era a minha 'menina' que eu estimava como se fosse o artigo mais valioso do mundo.
Sim, troquei-a por outra melhor, não porque quero andar a passeá-la no tejadilho do carro mas porque pretendo ter uma bicicleta que acompanhe a minha evolução, porque quero ser melhor, mais rápido e porque quero ficar sempre melhor classificado.
E sim, é óbvio que sem pernas e sem pulmões, a bicicleta por si só não trás melhores resultados. Mas se eu evoluo, porque não evoluir também a bicicleta?
Já agora, há 3 meses atrás fazia 60km por semana, agora que faço 50km por dia. Porquê? Mais uma vez porque quero ser melhor, pedalar mais rápido e adoro o BTT!
Ostentação? Não... Para mim é desporto puro!