Bicicleta BTT Eletrica

#1
Boas,
Tenho uma TREK ELITE 9.8 26 de 2012 e com a qual estou muito satisfeito e não penso substituí-la para já, mas tenho alguns colegas que têm experimentado E-BIKES BTT - HIBAIKE/CANNONDALE/MOUSTACHE e até BMC e apesar dos preços eles parecem rendidos e pensam vir a comprar brevemente -+ seis meses. A questão é que não tenho recebido informações ou discussões ou criticas sobre se vale a pena ou não principalmente pessoal acima dos 45 anos. Há muitos fundamentalistas que dizem mal, mas no passado também diziam mal das 29 e no entanto elas estão aí em força.
O que eu gostava era de receber informação para compreender os prós e contras, pois pela conversa dos vendedores é coisas boas.... claro.
Como disse, não penso em trocar até porque o uso que lhe dou julgo que não justifica mudar seja para o que for neste momento, mas dentro alguns meses a situação pode mudar e ter mais tempo e aí andar mais tempo.
Saudações.
Hugo
 
#2
Mas queres deixar de te esforçar para pedalar? Tens algum problema de saúde que te leve a abandonar uma bike "normal" porque não podes fazer esforços? Ou queres uma elétrica para ir e vir do trabalho, por exemplo?

Não percebo a tua intenção em comprar uma bike!
 
#3
Boas
Eu quase de certeza que não sou fundamentalista :D, mas btt electrico... Olha... Não irá ser a mesma coisa de certeza.
Eu por mim continuo na minha 26 a pedal Sintra acima. Não será aos 57 anos de idade que me vou por com modernices.:)
 

klaser

Well-Known Member
#4
Se quer motor compra uma DT que é mais barato...Nada contra as elétricas, mas tudo que tenha motor pra mim não é bicleta, motor de bicicleta são as pernas mais nada.
 

Joseelias

Well-Known Member
#5
A meu ver as bicicletas eléctricas apenas se justificam em quatro situações:

- Uma idade já avançada onde o ciclista necessita de uma ajuda para poder continuar a praticar ciclismo.
- Uma deficiência física onde a ajuda eléctrica possibilita a prática do ciclismo.
- Quem pratica modalidades de Gravidade do Btt (DH, FR, Enduro) sem apoio de transporte e onde a ajuda eléctrica possibilita chegar aos topos em bicicletas que não foram feitas para trepar, para depois poder descer e praticar a modalidade.
- Quem se desloca para o trabalho de forma a evitar suar em excesso, em particular em locais de trabalho com poucas condições para se limparem.

Se nenhuma das condições acima se aplicar e o ciclista não tiver impedimentos, a meu ver aquilo que se se chamam de bicicletas eléctricas passam a ser na verdade motorizadas assistidas a pedal.

E não me parece que esteja a ser fundamentalista. Comparar as motorizadas assistidas a pedal com a introdução 29 exclusivamente a pedal não faz qualquer sentido pois estamos a falar de veículos diferentes. Uma é uma bicicleta e a outra não.

Não tarda nada está a malta a pedalar em bicicletas de ginásio assistidas electricamente, com equipamentos de realidade virtual na cara enquanto bebem uns cocktails e acham que aquilo também é ciclismo. Só faltará no final terem umas tigelas de argila esfoliante para passarem pela cara para dizerem que estiveram mesmo na serra... LOL
 
#7
Eu acrescentava uma variante a essas situações:

- quem quer fazer voltas mais longas e sem a ajuda eléctrica não conseguiria fazer tantos km.

Conheço colegas que têm só por essa razão.

Pela idade ou condição física faziam voltas "monótonas" de 30 km na zona onde moram e agora fazem 60/70/80 km e conseguem explorar novos trilhos.
 
#8
Boas!

Não tenho uma eléctrica, nem conto ter tão cedo, mas já experimentei uma Specialized e uma Focus, e só posso dizer que é divertimento puro, porque andas a uma velocidade mais alta.
Se quiseres faz-se na mesma esforço, depende da força nos cranks... mas nas outras bikes também não é assim??!!
Em vez de se fazer 30 ou 40Km ali no quintal, faz-se o dobro por zonas mais variadas.

Só digo uma coisa, experimentem e aposto que ficam com um sorriso na cara!
Deixem-se de fundamentalismos, no btt há o XC, enduro, DH, 26, 27,5, 29, 10, 11, 12velocidades, e agora há E-Bikes. Temos mais por onde escolher conforme os gostos!
 

Joseelias

Well-Known Member
#9
@ Tonic:

Não é uma questão de fundamentalismo. É uma questão de lógica. Por acaso consideras as moto4 um automóvel? Afinal tem quatro rodas. Será que as devíamos de começar a chamar de super-cabrios por serem tão "descapotáveis".

E não duvido do divertimento, apenas questiono tentar chamar a essas motorizadas a pedal de bicicletas quando usadas por pessoas sem limitações.

Para além disso, a velocidade não significa divertimento só por si. Pega numa bike totalmente rígida e garanto-te que te vais divertir tanto ou mais a 15 ou 20km/h numa descida que a 40 ou 50km/h numa suspensão total. As emoções serão muito mais fortes e se caíres não vais logo para o hospital.

Uma bicicleta é um veículo de locomoção humana. A partir do momento que se faça uso de um motor por alguém que não tenha limitações já não é uma bicicleta. Não tarda nada, qualquer mota que precise de arrancar com o uso de um pedal (não percebo nada de motas) também já é considerado ciclismo, não?
 
Last edited:

klaser

Well-Known Member
#10
Olha eu já tive uma mobilette e aquilo tinha pedais, tanto para pôr a trabalhar como para ajudar nas subidas mais íngremes, e ninguém nunca chamou aquilo de bicicleta
 
#11
Meus caros:
Como disse não tenho intenções em comprar uma coisa Eléctrica. Se tivesse € para mudar seria "talvez" uma FS por uma questão de conforto?! Neste momento a TREK já com 6 anos dá perfeitamente. Só tenho pena de estar no limite superior do meu quadro tenho um 17.5 e deveria ter um 18.5, mas isso é outra conversa.
Sobre as eléctricas o que me está custar compreender é que não há discussão.
Compreendo quando me dizem: se tem motor não é bicicleta, mas não chega. Gostava de perceber mais sobre a questão das vantagens do motor(alguns aqui referiram as maiores distâncias percorridas), mas por exemplo: manutenção? deve ser mais cara, certo? Tempo de utilização dos componentes do motor e baterias? Custos das peças ? Upa Upa!!
Por outro lado uma eléctrica não permite desfrutar mais quer na cidade quer no campo, monte? pedala-se com menos concentração no esforço que se faz.
Os meus colegas que experimentaram gostaram bastante acham que dá para fazer mais Km, ir mais longe, e tal e acham que também mais confortável...
E a diferença de Euros; os quadros que ainda são quase todos em ALU.
Hoje temos já boas bicicletas em Carbono com bom equipamento "tipo XT" por €2.500 e por esse preço temos E-bikes em ALU mas sem referências nos componentes.
Os motores: é melhor Yamaha ou Bosh? As baterias é preciso trocar com que frequência?
Penso que é deste modo que podemos discutir e comparar sé é que se pode comparar.
Obrigado a todos
 

fabio viana

Well-Known Member
#12
Boas!

Não tenho uma eléctrica, nem conto ter tão cedo, mas já experimentei uma Specialized e uma Focus, e só posso dizer que é divertimento puro, porque andas a uma velocidade mais alta.
Se quiseres faz-se na mesma esforço, depende da força nos cranks... mas nas outras bikes também não é assim??!!
Em vez de se fazer 30 ou 40Km ali no quintal, faz-se o dobro por zonas mais variadas.

Só digo uma coisa, experimentem e aposto que ficam com um sorriso na cara!
Deixem-se de fundamentalismos, no btt há o XC, enduro, DH, 26, 27,5, 29, 10, 11, 12velocidades, e agora há E-Bikes. Temos mais por onde escolher conforme os gostos!
Não consigo deixar de concordar contigo :)

Pelas opiniões de quem já experimentou uma eléctrica, o que todos têm em comum é que dizem que é preciso fazer força na mesma..

Pelo que sei os motores apenas auxiliam até aos 25km/h, o que faz com que em zonas planas o rider tenha de puxar a bicicleta..

Isto faz lembrar a chegada as 29er's, das 27.5 ou 29plus e das fatbikes.. ou seja no inicio ninguém gosta, depois só não compra quem não pode/não quer/ou não precisa...

Mas apesar de não ter ideias em comprar nenhuma, acho que é uma "vertente" bastante engraçada e não "critico" que anda numa apenas por diversão!
 

Mr.sa

Active Member
#13
Eu sou da opinião, que cada um usa o que gosta, sei é que não acho piada nenhuma a agora haver lugar nas provas para essas bicicletas... mas enfim.

Eu não quero experimentar, não vá gostar xD.

Sobre o debate, porque nisso quem abriu tem toda a razão, estão a fugir ao tema.

1º O que é que existe? Existe milhentas opções, desde logo desde motores a baterias, marcas e estilos.

2º Parece-me muito mais lógico, como o joseelias referiu, que teria muito mais lógica numa bicicleta mais "divertida", pois permitiria na mesma retirar algum ganho real do uso, ou seja, técnica.... isto claro para pessoal que tem as suas funcionalidades motoras totais.

3º Baterias e motores, englobam revisões, e trocas, e nada disso fica barato. Se já nos queixamos dos preços que se gasta nas revisões, claramente englobam custos mais avultados, e quando for tempo de trocar.... upa upa, dependendo da qualidade, como sempre, passará o custo das baterias dos carros dependendo dos modelos e formas de encaixe.

4º Limitação da velocidade, não é bem assim, são facilmente manipuladas e "chipadas"

5º Parem de retirar os meus KOM's ahahahahah

6º A troca das baterias dependerá do uso, e da forma de carregamento. Uma bateria nunca tem uma vida útil garantida, tem um mínimo de anos e de km's garantidos, após isso depende de quando começa a perder a capacidade de carregar totalmente e de manter a carga, pode ser logo a seguir a terminar a garantia da mesma, como pode ser muito depois. Depende sempre da quantidade de carregamentos e uso da bateria, qualidade do carregamento da bateria(existem baterias muito esquisitas quanto ás % de carga), que tipo de temperatura e terreno em que normalmente anda, múltiplos factores.

Gostava só de voltar a dar ênfase ao ponto 5 eheheheh
 

klaser

Well-Known Member
#14
Sobre o ponto número 5, é simples....Um gajo quando anda de bike elétrica e mete no strava,deve guardar a atividade como "volta de bike elétrica" e não como volta de bike normal....assim como quando vou de bike não gravo a atividade como "corrida"...Mas parece que muito do povo que anda de elétrica quer mesmo e enganar não sei quem....
 
#15
Não desviando do assunto até, porque estamos aqui para falar de bicicletas;

Para mim a grande vantagem da bicicleta eléctrica é ser possivel abranger-se mais quilómetros comparativamente com uma bicicleta normal, mas atenção às autonomias. A Specialized sei que tem uma aplicação de modo a gerir o número de quilómetros pretendido, a Focus que experimentei chegou ao fim quase sem carga e após 35Km (foi experimentada por todos do grupo...).
Quando possivel, durante a semana nas deslocações para o trabalho há sempre o desconforto da transpiração, as eléctricas deverão ajudar neste sentido, e no fim de semana usá-la no monte.
Quanto às baterias e motores penso que como ainda é tudo muito recente, há material a ser desenvolvido especificamente para as eléctricas e com o tempo se verá o real custo das manutenções, mas nada melhor como fazer perguntas a várias lojas ou até utilizadores (por acaso é um assunto que me interessa saber).

As bicicletas costumam ter pneus mais "gordos", daí virá o tal conforto extra.
A descer são mais estáveis devido ao seu peso mais elevado.
 
#16
Boas,
Voltando ao tema e sabendo já que tudo é muito recente e que estamos ainda a ver as marcas a posicionar-se timidamente neste segmento. Apresento um link que apesar de patrocinado deixou-me a refletir sobre as vantagens.
Neste momento o "chipset" das e-bikes resume-se a motores bosh; yamaha julgo já ter visto uma bateria panasonic... mas acho que o motor era yamaha.
Outra coisa que me faz confusão são os quadros as soluções são muito parecidas. E quase tudo em aluminio. Vi uma versão BMC FS hibrida a escora traseira era em aluminio e o restante quadro era ?carbono?
Parece-me falta de variedade...
http://www.ktm-bike.pt/pt/orange-world/ebikes-0-razoes.html
 
#18
Olá a todos. Voltando a desenterrar este tópico. Venho aqui deixar a minha opinião de utilizador de e-bike. O divertimento é tão grande a subir como a descer, embora ache que as e-bike não sejam tão ágeis quanto a uma bicicleta normal (devido ao peso elevado).

Já existem muitas marcas a usar quadros em carbono.

Em relação a manutenção até agora a minha bike já conta com quase 1500km e só troquei pastilhas á frente e agora precisa de uma corrente(irei comprar uma expecifica para e-bike)

Todos os motores usados hoje em dia já quase não têm manutenção e os problemas mais comuns são os rolamentos que gripam com alguma facilidade, mas nada que não se mude.
As baterias depende muito do tratamento que se lhe dá.

Aqui fica um fórum da especialidade em Inglês onde podem encontrar mais informações sobre o assunto.
https://www.emtbforums.com

Qualquer coisa estou disponível para ajudar.

Cumprimentos,
Bruno Martins
 
Last edited: