[Análise] Scott Tampico

sek

New Member
#1
Depois de sensivelmente dois meses a rolar na Scott, já andei em todos os tipos de terrenos, tendo feito cerca de 350 km, dado que vou fazer um testezinho...

Até agora ainda não tive problemas de maior com a bike, apenas um simples furo na câmara de trás, e um pequeno desafinar das mudanças...


QUADRO : O quadro é sem dúvida o ponto mais forte da bicicleta, é bastante resistente e penso que vai durar uns bons anos, como de resto é hábito da marca. Tem ainda uma boa estética o que lhe prolongará ainda mais a vida, enquanto estiver em meu "poder". O meu é azul metalizado e preto.


SUSPENÇÃO: A suspenção é uma Manitou Axel com 80 mm de curso. Não é muito eficaz, tem uma recuperação rápida e curso a menos... Para dar as primeiras passadas no BTT chega e sobra, mas quando percorremos terrenos mais acidentados começa a acusar as suas limitações. Penso que a suspenção não tem qualquer tipo de regulação, o que também é um ponto negativo. E principalmente, não a acho muito bonita, e nos próximos tempos vou trocá-la, talvez por uma Marzocchi MX Comp ETA, com 115mm de curso. E visto que o quadro é de XC, apenas suporta suspenções até aos 120 mm de curso.


TRANSMISSÃO: A transmissão é toda Shimano Deore, 27 velocidades. O conjunto funciona bastante bem, quando aquilo está bem oleado não se sente o mudar das mudanças. Já se desafinaram um pouco, mas depois da primeira revisão, tanto a transmissão como o resto da bike ficaram como novas.


TRAVÕES: Juntamente com a suspenção este é um dos pontos mais fracos da bike. Os travões são uns V-Brakes da Shimano. O seu comportamento também não é la grande coisa, não são maus de todo, mas nas descidas mais íngremes se ganharmos uma velocidade razoável aquilo quase que não trava. Como pus cubos para travão de disco, também estou a pensar em fazer o upgrade para uns hidráulicos nos tempos mais próximos, quando estiver melhor de economias.


PNEUS: Os pneus são uns IRC SerracXC 1.95. Penso que são bastante finos, e com o piso molhado é para esquecer, mas agarram-se bem à estrada em pisos de terra seca.


SELIM: O selim é da Scott Components, e de resto é um pouco desconfortável. Passado sencivelmente 20 kms seguidos em cima da bike, simplesmente tive que parar, pois não aguentava as dores provocadas pelo selim... :oops: É claro que o facto de ser uma HT também conta. O espigão de selim é também da Scott Components.


PEDALEIRA: A pedaleira é da Shimano, até pensava que era pior, mas até agora não me tem dado problemas.


Resumindo, a bike é virada para o XC, mas o quadro é resistente quanto baste para dar uns pequenos saltos, subir uns bancos e descer umas escadas, e até para ir um pouco mais longe, tudo depende do biker que a controla.

Estou a pensar também em dar uns passeios mais longos, mas só daqui a algum tempo, quando estiver totalmente recuperado.

O Preço é de 709 euros na versão sem cubos para disco ou 729 euros na versão com cubos. (sem desconto)

Para finalizar, fica o desejo de um dia vos encontrar num trilho por ai...

Boas pedaladas

PS: Se vir que me esqueci de alguma coisa acrescento.