A questão dos cães...

#41
Por acaso a coisa que mais temi no passeio nocturno que teve lugar há umas semanas em Castelo Branco foi mesmo os cães que se faziam ouvir em algumas partes do percurso... se calhava a aparecer um bicho destes vindo do meio do nada, no escuro, o mais certo era morrer do susto antes da dentada :).
 
#43
Se tivermos o azar de nos depararmos com cães verdadeiramente treinados para atacar tudo o que não corresponda ao dono, a situação pode ser complicada.
Já assisti a um caso que só a muito custo não resultou numas mordidas num colega de pedaladas e o dono do animal, que apareceu entretanto, disse logo que o bicharoco só estava a defender a propriedade do dono, quando nós passáva-mos a mais de 200 metros da casa.
Mas como já foi mencionado, neste e noutros casos deve imperar o bom senso e a prudência.
Quando vamos num campo onde surgem vacas a pastar, em especial quando acompanhadas de crias, a situação não é melhor.
No grupo com que costumo pedalar, o pessoal passa devagarinho, sem barulhos, que elas querem mesmo é comer descansadas.
Acima de tudo, não nos podemos esquecer que os animais reagem por instinto e se for num instinto protector, em especial com vacas, pode ser bem mais grave do que com os cães (é que tá provado que as vacas pesam mais e têm um poder de impacto maior).

Boas pedaladas.
 
#44
Não li todos os vossos comentários mas acho que percebi que estavam a falar de cães no caso particular em estes a atacarem-nos!! Acontece que os cães para além dos nos atacarem também se atravessam à frente como todos voces sabem! Basta referir o nome do grande campeão que Torres Vedras em particular e o ciclismo em geral nunca esquecerão, estou a falar obviamente do Joaquim Agostinho!

Ainda a semana passada, vinha no carro do pai da minha namorada, iamos na autoestrada a 110 km/h mais coisa menos coisa, quando eu avisto um cão dentro da vegetaçao do separador central (ou seja, o espaço entre os dois sentidos de rodagem dum autoestrada). Mal que vi o cão dei logo o alerta, mas foi tarde de mais! O cão parece que me ouviu e decidiu atravessar-se à frente no momento eu que eu fiz o aviso! Conclusão, ainda travamos mas não foi o sufeciente para não mandar o cão desta para melhor! Era um cão de porte médio/grande!.... O radiador e o faról do carro foram com os porcos...

Cuidado com os cães e boas pedaladas :)
 
#45
Era um cão de porte médio/grande!.... O radiador e o faról do carro foram com os porcos...
A Brisa ou a consessionária da auto-estrada em questão é obrigada a pagar, mas provávelmente terias que ter parado o carro e chamado
a assistência logo na hora. Ou então arranjar testemunhas.

Um pouco :eek:fftopic: :sorry:
 
#46
Sem duvida José Carlos, mas na pratica eles tentam sempre fugir com o rabo a seringa. :(

O meu pai já ficou sem um para-choques na A1 por causa de um pneu rebentado de um camião.
Ele ia a ultrapassar um camião quando viu um objecto preto que supõe ser o tal pneu na faixa de rodagem. Passou-lhe por cima e sentiu um barrulho enorme. Quando parou numa area de serviço para tomar um café olhou para o carro e o para-choques de trás não estava lá. Contactou a Brisa e eles mesmo tendo encontrado o para-choques do meu pai no separador central, começaram a complicar as coisas de tal forma que o "cota" fez contas a vida e para poupar chatices e perdas de tempo em tribunal, revolveu ele assumir o prejuizo.
Conclusão cento e tal contos de para-choques e a brisa mais uma vez passou impune.
Se fosse comigo era mesmo tribunal.

Desculpem o :eek:fftopic: :wink:

Em relação a animais nas autoestradas, tenho conhecimento de vacas e cavalos que passaram a vedação da autoestrada que liga a Figueira da Foz a Coimbra e nestes casos não é só um farol, é mesmo carro para a sucata, e um risco enorme de os seus ocupantes ficarem gravemente feridos. :s


Abraços

Xure
 
#47
Eles tentar, tentam... tens razão.

E muitas vezez conseguem, como foi o caso do teu Pai, mas isso irrita-me solenemente,
e enquanto nós todos continuarmos a fazer como o teu Pai
(o que eu percebo perfeitamente) eles vão-se ficando a rir com o dinheiro das portagens no bolso.

No caso do pneu saltar de outro veículo, sinceramente acho que a Brisa nem tem nada a ver com o assunto.
Quem devia ser responsabilizado nesse caso seria o condutor ou propriétário do camião. a dificuldade nestes casos é arranjar provas,
e esses senhores como sabem disso, valem-se desse facto para todas as situações em que tenham ou não responsabilidade.

No caso dos animais já é diferente, pois uma das caracteristicas das auto-estradas, e que supostamente as torna mais seguras que as nacionais,
é o facto de serem (ou deviam ser) totalmente vedades em toda a sua extensão impedindo o seu atravessamento quer por pessoas, quer por animais!

Já sei que se estão todos a rir, mas é mesmo assim a realidade deste belo jardim à beira-mar plantado.

E para não virem dizer que isto está off-tópic, e que os administradores deviam dar o exemplo, ainda digo mais:

Viva o futebol, a seleção, os estádios, o mundial, o Scolari....

Que se f**** as auto-estradas que nós pagamos 10 vezes, e as maternidades, e as escolas que vão fechar, e as multinacionais que param para ver jogos da seleção e na semana seguinte vêm fazer greve por melhores condições ou pedir por favor para não lhes fecharem a fábrica!!

Ahhh! Eu gosto muito de cães!
 
#49
Boas
a propósito de cães, hoje de manhã, na minha volta habitual, fui atacado por um cão de porte médio/grande e não me mordeu porque dei ao pedal, e ia causando a minha queda, porque era a segunda vez que passava naquele local e fui apanhado de surpresa.
A tendência é para fugir um pouco para o meio da estrada quando os cães saltam, como no caso de hoje,e se viesse um carro de frente podia ser muito complicado; também é muito complicado porque por vezes eles colocam-se na frente da roda e provocam quedas com consequências graves.
Também tem o problema do movimento de pedalar, porque parece-me que eles vêm esse movimento constante e a tendência é para atacar o que mexe.
Tenham cuidado e boas pedaladas
 
#50
Nunca tive problemas com cães, nem nas voltas de bicicleta nem noutra ocasião qualquer. Mas uma coisa é certa, há cãozinhos, cães e BESTAS! Se me aparecer um canito á frente quando vou de bike, coitado, nem lhe ligo, mas se o canito for uma besta com mais de 50 kg o caso já é outro e se ele estiver assanhado então acho que nem penso duas vezes e volto para trás! Antes fugir do que ser devorado!! :mrgreen:
 
#51
Se lhes mostrarem quem manda não existe problemas algum, mesmo assim se o cão for de caracter persistente e não gostar de ser dominado vocês mordam-lhe também :lol: :lol: :lol:
 
#52
quando li este tópico pela primeira vez, pensei: "coitados destes gajos, já não chegam os malhos e ainda têm de levar com os cães em cima!!"...
Este pensamento durou até ontem... Ia eu mais 3 bttistas já a meio da volta, quando ao virar para uma estrada em paralelos sou surpreendido :aiui: por uma Rotweiller que se posiciona mesmo ao meu lado e lembrou-se de ferrar algo que era MEU! Azar ou sorte, a dentada apanhou metade do pé e metade da sapatilha e não perfurou, resultado: 3 dentes marcados na pele e um hematoma (sorte estar perto de casa, assim tive tempo de pôr gelo!).
MAS o mais irritante é que os GRANDES CRÓMOS dos donos estavam cá fora a jantar, assistindo a tudo, e só passado uns minutos ao ver-me a queixar é que finalmente perguntaram:
"FERROU?.....AAAHHHHHHH, É que a cadela não costuma ferrar!" :barafustar: :barafustar: NEM se preocuparam em ver se eu estava bem nem nada!! A culpa não é toda da cadela(mas se a apanho está f@!#$§!), MAS sim daqueles incompetentes, com falta de responsabilidade dos donos que não sabem que um animal daqueles tem de estar preso ou então usar uma "protecção bocal".

Não fiz queixa devido ao ferimento (que podia ser pior), devido a já conhecer a "cambada" de :choneh: atrasados mentais dos donos e principalmente á incompetência da GNR da minha cidade para resolver estes casos!
 
#53
Mas devias fazer, talvez se a GNR bater á porta dessas pessoas elas se assustem e tenham mais cuidado com o cão. Um Rotweiler não é um cão qualquer e pode fazer estragos bastante graves, até irremediáveis.
 
#55
bem que os gajos metem respeito, á isso metem. Eu por acaso até sou um daqueles que tenho medo, talvez por em pequeno ter sido mordido, mas qdo vejo um e seo conheço tdo depende. das duas uma... ou um sprint á campeão, ou então e se ouver possiblidade fazer mais uns km e desviar
 
#56
Olá malta, lamento o descrédito que as forças de segurança, provocam nos cidadãos, como atrás relatado, esse tema "DAVA PANO PARA MANGAS", eu sou um agente de autoridade, elemento da PSP e desculpa-me ó OBIKLAS, este parecer, mas apesar, do sentimento por ti, sentido(e de muitas outras pessoas, sou Polícia, mas não sou surdo e conheço bem as 2 instituiçoes), se apresentares queixa, não te desligares e acompanhares o processo, a entidade policial, mediante queixa, é obrigada a deslocar-se ao local, a tomar conta da ocorrência e naturalmente a autuar e tomar as devidas medidas para evitar situações futuras.
Com o teu "LAISSEZ FAIRE, LAISSEZ PASSER"., pois não apresentas-te queixa-formalizada e não aceites adiamentos ou desculpas do agente, em apresentares posteriormente, pois esse caso é de intervençaõ urgente, quantas mais pessoas, podem ser mordidas e com consequências, ás vezes de abertura de TELEJORNAIS, o menos culpado, que é o animal, vao continuar a "FERRAR" e os donos a dizerem que ele até nem "FERRA" ninguém, posso anunciar que as coimas(nunca apliquei nenhuma,) são severas e o visado, de futuro vai tomar providências para evitar descuidos.
APRESENTEM QUEIXA ÁS ENTIDADES POLICIAIS,SÒ ASSIM ELAS PODEM ACTUAR; APESAR DE ALGUMAS SITUAÇÔES CARICATAS, MAS NÂO PRESCINDAM, DO VOSSO DIREITO DE QUEIXA, SERÀ UMA FORMA DE INCLUSIVAMENTE, PRESSIONAREM A MELHORIA DE UM SERVIÇO FUNDAMENTAL ,AO BEM-ESTAR DE QQ CIDADÃO; SE FOR NECESSÁRIO; EXISTEM LIVROS DE RECLAMAÇÃO, NOS POSTOS POLICIAIS, MAS SEJAM JUSTOS .
Espero ter ajudado, a melhorar o laxismo nesta situação, mas nós temos de dar o 1º PASSO.
Abraço de Carlos Magro- penatabua
 
#57
Excelente o esclarecimento do amigo penatabua.
E penso que é igualmente importante a vertente motivadora, no bom sentido, que esse esclarecimento encerra.
Por vezes e isso é tipicamente português, falamos muito, mas passar das palavras aos actos é sempre um problema.
Se o cãozito não tiver a coleira identificativa, se não houver nada que indicie quem é o dono, podemos sempre tentar saber junto dos vizinhos a quem pertence, por exemplo.
Mas acima de tudo, não devemos abdicar dos nossos direitos e da exigência do cumprimento dos mesmos.
Se alguém está a prevaricar, pelos casos aqui expostos, não é o bbtista, mas sim quem tem a mania de que o mundo está por sua conta, como o caso descrito dos fulanos que estão a jantar e deixam o cão à solta.
 
#58
viva,
tenho tido alguns encontros imediatos com cães.
numa das vezes aprecerem +- 10 cães pequenos, tipo caça ao coelho, a ladrar! tive de correr com eles ao grito!! e o dono ao pé!!! :shock:
a última num caminho com +- 1,5mt de largura, a fugir de um cão grande, acho que um pastor alemão, tava mesmo a ouvir o cão atrás de mim. o caminho tem uma curva à esquerda, fechada, não ouvi o som de moto 4 a aproximarem-se e ía-me espetando contra o primeiro!! foi mesmo por uma unha negra que consegui desviar o suficiente para ficar na "berma" do caminho e parar. os motard's também pararam com o cagaço que lhes preguei. :shock:
encontro muitos cães e o confronto é quase sempre inevitável. não os provoco. eles defendem o território, mas se vierem também vão levar. de certeza.

boas pedaladas
 
#59
Tenho um boxer que apesar de ser um brincalhão, não deixa de ser grande e meter medo a quem não está familiarizado com cães. Agora, se forem mordidos devem sempre alertar as autoridades, para que possam tomar medidas, mais contra os donos que os próprios bichos, mas existem duas ou três atitudes que devem tomar.
Uma delas é não se deixar surpreender ou surpreender e assustar os animais, avisem-nos que estão a passar. Depois falem com eles com firmesa, tipo voz de dono, se eles se mostrarem resilientes e teimosos, de se lhes derem um bom grito tipo CÃOOOO, de certeza que se vai embora, ás vezes mostrarem-lhes a bomba de encher pneus e fazerem sentir que lhes podem dar com elas no lombo também ajuda. Em suma nunca demonstrar medo é a chave da questão.